Clique e 

envie-nos seu e-mail Volta para a página inicial Clique e conheça Clique e acompanhe-nos 

no twitter Página do 

Programa João Carlos Amaral Entrevista Canal no youtube Clique e 

envie-nos seu e-mail Clique e 

envie-nos seu e-mail Volta para a página inicial Clique e conheça Clique e acompanhe-nos 

no twitter
___________________________


___________________________
Clique para conhecer
___________________________


__________________________


__________________________

__________________________


______________________________
Clique para conhecer
______________________________
Clique para conhecer
______________________________

Sinapro MG
______________________________
Clique para conhecer
______________________________
Clique para conhecer



+ Categorias

  • Todos (16281)
  • POLTICA (5929)
  • GERAL (2057)
  • ARTIGOS (285)
  • ENTREVISTAS (36)
  • ECONOMIA (3754)
  • GENTE (1210)
  • TURISMO (842)

  • + Links
    + Arquivos

    Fevereiro, 2006
    Maro, 2006
    Abril, 2006
    Maio, 2006
    Junho, 2006
    Setembro, 2006
    Julho, 2006
    Agosto, 2006
    Novembro, 2006
    Outubro, 2006
    Janeiro, 2007
    Dezembro, 2006
    Fevereiro, 2007
    Maro, 2007
    Abril, 2007
    Maio, 2007
    Outubro, 2007
    Junho, 2007
    Julho, 2007
    Agosto, 2007
    Setembro, 2007
    Dezembro, 2007
    Novembro, 2007
    Janeiro, 2008
    Maio, 2008
    Fevereiro, 2008
    Maro, 2008
    Julho, 2008
    Abril, 2008
    Junho, 2008
    Setembro, 2008
    Agosto, 2008
    Outubro, 2008
    Novembro, 2008
    Dezembro, 2008
    Janeiro, 2009
    Fevereiro, 2009
    Maro, 2009
    Abril, 2009
    Maio, 2009
    Junho, 2009
    Julho, 2009
    Agosto, 2009
    Setembro, 2009
    Outubro, 2009
    Novembro, 2009
    Dezembro, 2009
    Novembro, 2012
    Janeiro, 2010
    Fevereiro, 2010
    Maro, 2010
    Abril, 2010
    Maio, 2010
    Junho, 2010
    Julho, 2010
    Agosto, 2010
    Setembro, 2010
    Outubro, 2010
    Novembro, 2010
    Fevereiro, 2011
    Maro, 2011
    Abril, 2011
    Maio, 2011
    Junho, 2011
    Julho, 2011
    Agosto, 2011
    Setembro, 2011
    Outubro, 2011
    Novembro, 2011
    Dezembro, 2011
    Janeiro, 2012
    Fevereiro, 2012
    Maro, 2012
    Abril, 2012
    Maio, 2012
    Junho, 2012
    Julho, 2012
    Agosto, 2012
    Setembro, 2012
    Outubro, 2012
    Dezembro, 2012
    Agosto, 2015
    Janeiro, 2013
    Fevereiro, 2013
    Maro, 2013
    Abril, 2013
    Maio, 2013
    Setembro, 2015
    Junho, 2013
    Julho, 2013
    Agosto, 2013
    Setembro, 2013
    Julho, 2016
    Outubro, 2013
    Novembro, 2013
    Dezembro, 2013
    Janeiro, 2014
    Fevereiro, 2014
    Maro, 2014
    Abril, 2014
    Maio, 2014
    Junho, 2014
    Julho, 2014
    Agosto, 2014
    Setembro, 2014
    Outubro, 2014
    Novembro, 2014
    Dezembro, 2014
    Janeiro, 2015
    Fevereiro, 2015
    Maro, 2015
    Abril, 2015
    Maio, 2015
    Junho, 2015
    Julho, 2015
    Outubro, 2015
    Novembro, 2015
    Dezembro, 2015
    Janeiro, 2016
    Fevereiro, 2016
    Maro, 2016
    Abril, 2016
    Maio, 2016
    Junho, 2016
    Agosto, 2016
    Setembro, 2016
    Outubro, 2016
    Novembro, 2016
    Dezembro, 2016
    Janeiro, 2017
    Fevereiro, 2017
    Maro, 2017
    Abril, 2017
    Maio, 2017
    Junho, 2017
    Julho, 2017
    Agosto, 2017
    Setembro, 2017
    Outubro, 2017
    Novembro, 2017
    Dezembro, 2017
    Janeiro, 2018
    Fevereiro, 2018
    Maro, 2018
    Abril, 2018
    Maio, 2018
    Junho, 2018
    Julho, 2018
    Agosto, 2018
    Setembro, 2018
    Outubro, 2018
    Novembro, 2018
    Dezembro, 2018
    Janeiro, 2019
    Fevereiro, 2019
    Maro, 2019
    Abril, 2019
    Maio, 2019
    Junho, 2019



    _______________________________________________________________
    .

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 30, 2010

    De olho na TVA - que nesta tera-feira faz 15 anos.

    Vice-governador eleito, Alberto Pinto Coelho,
    vai fechar sua administrao na presidncia da Assemblia
    com chave de ouro: vai entregar ao povo mineiro
    a TV ASSEMBLEIA com sinal aberto. Parabns.





    O vice-governador eleito de Minas, deputado Alberto Pinto Coelho
    est rindo toa - e com timos motivos no aniversrio da TVA que chega aos 15 anos.
    Ele sempre nos apoiou durante o tempo em que atuamos
    como ncora e comentarista poltico da TVA.
    Sou imensamente grato a ele.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 30, 2010

    A FORA DO INTERIOR








    COORDENADORES REGIONAIS
    RENEM-SE COM A ADMINISTRAO SUPERIOR,
    EM BELO HORIZONTE
     






    Comeou s 9 horas desta tera-feira, 30/11, na Capital, a reunio da Administrao Superior da Defensoria Pblica de Minas Gerais com os coordenadores regionais da Instituio em torno do Projeto de Integrao das Coordenadorias. Na abertura, no salo nobre da sede, os dirigentes da DPMG fizeram pronunciamentos para ratificar a inteno de dar um novo desenho na forma de administrar a Instituio, pontuando as iniciativas, os investimentos, a ateno rea-meio, as promoes, o relacionamento interinstitucional, enfim, todas as aes voltadas para uma administrao interativa e geradora de modernizao e  fortalecimento da Defensoria Mineira.


    A Defensora Pblica Geral, Andra Tonet, inicialmente, apresentou a estrutura do gabinete com os assessores do Interior, Maria das Dores da Costa Lemos; Institucional, Glauco David de Oliveira Sousa; Parlamentar e de Relaes Interinstitucionais, Eduardo Cyrino Generoso, e de Convnios e Projetos, Rafael Von Held Boechat. Em seguida, anunciou a criao do Sistema de Gesto da Defensoria-SIGED, voltado para a modernizao do atendimento, e o significativo aumento de 47% nos recursos de custeio e investimento em relao aos crditos iniciais deste ano, dentro da proposta oramentria.

    As benesses do oramento revigorado


    A DPG considerou que esse acrscimo de recursos vai permitir o incremento do contrato da MGS, melhor remunerao dos estagirios; a manuteno do projeto do preso provisrio, na Capital; mais investimentos em mobilirio e computadores; contratao de consultoria para elaborao de anteprojeto de plano de carreira da rea-meio da DPMG. Outras medidas em andamento, citadas pela DPG, focalizaram a modernizao da informtica, a horizontalizao das informaes da ASCOM e cursos no interior, providncias para a conquista da sede prpria da Defensoria e a busca de imveis no interior por cesso para resolver a questo dos aluguis.

    Do ponto de vista estrutural e mesmo vital da Instituio, outros itens enfatizados pela DPG sublinharam a Lei 65, que cria a Sub-Corregedoria, a 2 Sub-Defensoria e a desvincula a DP da Secretaria de Estado de Defesa Social; a adaptao do regimento interno a partir das reformas da lei; a difuso da mentalidade da atuao estadual do TJ (preso provisrio e o CIAP); as promoes.

    Conselho Superior: resolver e unir


    A inteno da atual Administrao Superior da DPMG, segundo a DPG Andra Tonet, tornar o Conselho Superior um rgo de resolues efetivas, como proceder abertura de edital para o interior, o que possibilitar a consulta aos defensores substitutos; a desvinculao da OAB (em andamento); a republicao da resoluo na qual havia um erro material e tratava do pagamento dos honorrios de sucumbncia e, hoje, a questo est nas mos dos Conselheiros eleitos, sob a responsabilidade do secretrio Galeno Siqueira.

    A DPG tambm considerou que o CS tem buscado a unidade e o que melhor para a Instituio, na questo do critrio de movimentao dos substitutos (antiguidade x classificao x base territorial), procedimento que obteve unanimidade na votao dos membros do CS.

    Interlocuo e visitas


    Finalmente, entre outras consideraes, a Defensora Geral comentou as visitas realizadas com a finalidade de manter a interlocuo e estabelecer possveis parcerias. Desta forma, ela esteve com dirigentes de rgos pblicos e entidades de classe, como o presidente do Tribunal de Justia de Minas Gerais, os secretrios de Estado Geral do Governo; do Planejamento e Gesto; da Fazenda; de Defesa Social; de Relaes Internacionais; de Desenvolvimento Social, o presidente da OAB/MG, o chefe da Polcia Civil, o ouvidor da Polcia, a defensora pblica geral da Unio, o presidente do Tribunal de Contas e com os Defensores Pblicos Gerais, estes nas reunies do Condege-Conselho Nacional de Defensores Pblicos Gerais.

    Corregedoria: atribuies e orientaes aos Coordenadores

    O Corregedor Geral da Defensoria Pblica de Minas, Eduardo Vieira Carneiro, agradeceu a presena Coordenadores Regionais e cumprimentou os presentes. Ele comeou sua fala comentando sobre a Resoluo 262/2010 e a Deliberao 17/2010 que, respectivamente, designa os Coordenadores Regionais e dispe sobre a criao das Coordenadorias Regionais.

    Entre as atribuies dos Coordenadores Regionais, alm das que lhes forem delegadas pela Administrao Superior, o Corregedor citou a atuao deles como auxiliares da Corregedoria Geral durante a inspeo e correio das atividades dos membros da DP e dos rgos de atuao, necessrias no mbito de sua regio. Tambm cabe a eles auxiliar as Comisses de Acompanhamento e Avaliao de Estgio Probatrio, no desempenho de suas finalidades, devendo informar ao CG qualquer fato que influencie as avaliaes.

    Relatrio mensal


    O Corregedor Eduardo Carneiro prestou orientaes acerca do relatrio mensal a ser remetido mensalmente Corregedoria, pelos Coordenadores Regionais, insistindo no aspecto do dever funcional, previsto em lei, para o prazo de entrega.  Ele aproveitou para solicitar o auxlio dos Coordenadores no sentido de reforarem com os colegas de sua respectiva regional que sejam diligentes no cumprimento do aludido dever funcional.

    O Corregedor esteve aberto a sugestes sobre a forma de conduzir o relatrio mensal e frisou que "o dinheiro que recebemos pblico, temos que prestar contas da atividade que realizamos. Finalmente, recomendou aos Coordenadores que acessem diariamente o Sistema Casa e a Imprensa Oficial, por meio do site WWW.iof.mg.gov.br, ratificando que a Instruo n04, da Corregedoria Geral, trata do tema.

    Assuntos do Interior: afinao preciso


    A assessora de gabinete para Assuntos do Interior, defensora Maria das Dores da Costa Lemos, chamou a ateno, inicialmente, para o aspecto da desconcentrao administrativa com a criao das Regionais e a necessidade de uma equipe afinada com o discurso, com os objetivos e ideais da nova Administrao da DPMG. "O nosso maior desafio integrar pessoas distintas para formar uma equipe vitoriosa", disse ela.

    A assessora considerou os possveis entraves nessa prestao de servio, tanto espaciais, como pessoais e at a ausncia de outros rgos pblicos em algumas localidades, e chamou a ateno dos Coordenadores: "Vencer este desafio deve ser uma meta a ser alcanada." Ela ressaltou que o Projeto Reestruturador das Defensorias do Interior o condutor da desconcentrao administrativa, para aperfeioar e integrar o funcionamento da Instituio e dar maior apoio operacional aos defensores pblicos, nos diversos rgos de atuao e nas regies do Estado, o que qualifica e responsabiliza os Coordenadores Regionais e os locais, como canais viabilizadores de idias, prticas exitosas e providncias indispensveis.

    Construo coletiva


    A funo dos Coordenadores a de destacar os rgos de execuo mais e menos colaborativos, e integr-los, permitindo a troca de ideias e o debate das melhores solues, o desenvolvimento de produtos e servios inovadores e adoo de tcnicas diversificadas, para o crescimento qualitativo de todos.  Ao fazer esta afirmao, a Assessora Maria das Dores frisou que esta uma construo coletiva e as portas da Administrao Superior estaro sempre abertas, "mas no implicar em inobservncia de uma hierarquizao mnima e priorizao das demandas, para atender a todos os colegas, indistintamente."


    A assessora deixou claro para os Coordenadores que " necessrio sistematizar o atendimento, visando o dimensionamento das demandas e a priorizao das mais urgentes, com alcance do maior nmero possvel de unidades da Defensoria, de modo mais clere e com economia de recursos materiais e logsticos." Ela instruiu os Coordenadores sobre a apurao do diagnstico de cada Comarca, num primeiro momento, colocando-se disposio, conclamando a todos para um trabalho conjunto e considerando a possibilidade de visitas locais.

    Os novos Coordenadores Regionais

    Defensor Pblico e Coordenador Regional do Tringulo I, Rubens Luiz Borges (Uberaba); Defensor Pblico e Coordenador da Regional do Vale do Ao, Altair Pereira de Azevedo (Ipatinga);  Defensora Pblica e Coordenadora da Regional do Norte, Maurina Fonseca Mota de Matos (Montes Claros); Defensor Pblico e Coordenador da Regional do Alto do Rio Pardo, Adriano Magno de Maral e Silva (Poos de Caldas);  Defensor Pblico e Coordenador da Regional Metropolitana, Richarles Caetano Rios (Ribeiro das Neves);  Defensora Pblica e Coordenadora da Regional Sudoeste, Ana Paula Lopes de Freitas (Passos);  Defensora Pblica e Coordenadora da Regional Sul de Minas, Beatriz Monroe de Souza (Itajub);  Defensora Pblica e Coordenadora da Area Criminal da Capital, Roberta de Mesquita Ribeiro (Belo Horizonte);  Defensora Pblica e Coordenadora da Regional Centro-Oeste, Rita Fernandes da Silva (Divinpolis);  Defensora Pblica e Coordenadora da Regional Mata II, Eliana Maria de Oliveira Spndola (Cataguases);  Defensora Pblica e Coordenadora da Regional Circuito das guas, Dila M. Chaves Reis Teixeira (Varginha);  Defensora Pblica e Coordenadora da Regional, Mucuri La Barbosa dos Santos (Tefilo Otoni);  Defensor Pblico e Coordenador da Regional Vale do Rio Doce, Calmico Sobrinho Rios (Governador Valadares);  Defensora Pblica e Coordenadora da Regional Tringulo II, Brbara Silveira Machado Bissochi (Uberlndia);  Defensor Pblico e Coordenador da Regional Mata I, Mrcio Luiz Vieira Baesso (Juiz de Fora);  Defensor Pblico e Coordenador da Regional Metalrgica, Flvio Luiz P. de Vasconcellos (Caranda);  Defensor Pblico e Coordenador da Regional Vertente do Capara, Srgio Pereira Lima(AbreCampo).


    encontronovembro2010.jpg

    encontronovembro20102.jpg

    encontronovembro201023certo

    No gabinete da Defensoria Geral e nas coordenadorias da Capital, os Coordenadores Regionais contam com o apoio da DPG Andra Tonet, da coordenadora Roberta Mesquita, do assessor Jos Henrique Ribeiro, da chefe de gabinete Marolinta Dutra, da coordenadora Marta Juliana Rosado, do coordenador de Projetos e Convnios, Rafael Boechat; do assessor Wagner Ramalho Lima, do assessor Parlamentar e de Relaes Interinstitucionais Eduardo Cyrino Generoso, e do assessor de Assuntos Institucionais, Glauco David de Oliveira Sousa



    encontronovembro201024



    Na Corregedoria Geral, esto disposio dos Coordenadores Regionais o Corregedor Eduardo Carneiro e as defensoras pblicas Ariane de Figueiredo Murta, Daniela Duarte Quinto, Luciana Lara e Ana Luiza Bracarense Rios




    encontronovembro20101.jpg



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 30, 2010

    Funo da Polcia nas Democracias!!!








    DEFENSORIA PBLICA
    PARTICIPA DO II SEMINRIO INTERNACIONAL
    SOBRE A FUNO POLICIAL NAS DEMOCRACIAS
     
     




    A Defensora Pblica Geral de Minas, Andra Tonet, participou nesta segunda-feira, 29/11, da solenidade de abertura dos trabalhos do II Seminrio Internacional Qualidade da Atuao do Sistema de Defesa Social, cujo tema abrangeu "As medidas de polcia na s sociedades democrticas da coero proximidade". Na ocasio, a DPG parabenizou a iniciativa que, em sua opinio, j nasce grande quer pela excelncia dos palestrantes, quer pela qualidade da plateia. Ela elogiou a ao da polcia prxima do cidado, ligada questo dos direitos humanos, participativa no seio da sociedade e integrada a um sistema de defesa, onde h dilogo e troca de ideias entre as instituies, que compartilham, em mesa-redonda, as formas de atuao sempre voltadas para as garantias de direitos do cidado e o bem-estar da sociedade.

    A DPG Andra tambm chamou a ateno para essa polcia que, distante de um modelo repressivo, assume papel importantssimo no Estado Democrtico de Direito, como instituio indispensvel para a manuteno da prpria dignidade da pessoa humana, quer quando ativa ao lado da sociedade, protegendo o indivduo, quer quando participativa do sistema repressivo, combatendo a criminalidade. Finalmente, a Defensora Geral ressaltou a importncia fundamental do evento, desejando a todos "uma excelente participao, de modo a que todos saiamos engrandecidos e renovados."

    Internacionalidade

    O evento, com durao de dois dias, rene autoridades do Brasil, Canad, Espanha, Estados Unidos, Frana, Holanda, Itlia e Portugal, no Hotel Ouro Minas, em Belo Horizonte. Trata-se de uma realizao da Superintendncia de Avaliao e Qualidade da Atuao do Sistema de Defesa Social (Sasd) e entre os participantes esto representantes das Polcias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Defensoria Pblica, agentes penitencirios, agentes socioeducativos, servidores da SEDS, guardas municipais e da comunidade.

    Mesa de honra

    Entre as autoridades que compuseram a mesa de abertura dos trabalhos do II Seminrio Internacional Qualidade da atuao do Sistema de Defesa Social, alm da Defensora Pblica Geral de Minas Gerais, Andra Tonet, estiveram o secretrio de Estado de Defesa Social, Moacyr Lobato de Campos Filho; o procurador da Repblica de Portugal, Jos Manuel Ribeiro de Almeida; o comandante geral da PMMG, coronel Renato Vieira de Souza; o chefe de gabinete da Polcia Civil, Jsus Trindade Barreto, representando o chefe da PCMG, delegado-geral Marco Antnio Monteiro de Castro; o diretor de Contabilidade e Finanas, coronel Nilson Anastcio de Bastos, representando o comandante geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Gilvam Almeida S; o superintendente de Avaliao da Qualidade da Atuao do Sistema de Defesa Social, Jos Francisco da Silva; o promotor de Justia, Joaquim Jos Miranda, representando a procuradora geral de Justia de MG, Maria Odete Pereira; o juiz auxiliar da CJMG, representando o corregedor geral de Justia, desembargador Antnio Marcos Alvim; o advogado geral do Estado de MG, Marco Antnio Romanelli; e o ouvidor de Polcia do Estado de MG, Paulo Vaz Alkimim, representando o ouvidor geral de Polcia,desembargador Lcio Urbano.





    Foto: Carlos Alberto Pereira/Secom MG

    capdefesasocial2010.jpg

    A DPG Andra Tonet, comps a mesa de abertura dos trabalhos do evento internacional no Ouro MInas Palace Hotel. Na tribuna, o secretrio  de Defesa Social, Moacyr Lobato



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 30, 2010

    PM de Minas recebe "choque de gesto"

    Omar Freire/Imprensa MG

    Governador Antonio Anastasia durante pronunciamento no evento

                                  Governador Antonio Anastasia durante pronunciamento no evento

    O governador Antonio Anastasia e o comandante-geral da Polcia Militar, coronel Renato Vieira de Souza, assinaram, nesta segunda-feira (29), durante solenidade no Palcio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, o ato de alterao do Plano de Articulao e Quadro de Organizao e Distribuio da Polcia Militar. Sero modificadas as estruturas de cinco Regies de Polcia Militar: 3 RPM (Vespasiano), 9 RPM (Uberlndia), 11 RPM (Montes Claros), 14 RPM (Curvelo) e 17 RPM (Pouso Alegre).
    As mudanas atendem crescente demanda de diferentes localidades de Minas. Com as alteraes, unidades ganham maior autonomia e tero condies de, gradativamente, terem suas estruturas e efetivos ampliados. o que destacou o governador Antonio Anastasia ao explicar que a criao de novos batalhes significa, na prtica, mais policiais militares trabalhando de modo preventivo nas cidades mineiras.
    "Teremos ao intensificada em cidades que esto no Tringulo Mineiro, no Sul de Minas, na regio Central e no Norte do Estado. So investimentos importantes. Aumentamos bastante o efetivo da polcia e sabemos, claro, que ainda h necessidade de mais. Mas esse j um passo importante. So compromissos antigos, reivindicaes histricas que esto sendo resgatadas nesta data", afirma Anastasia.
    Em seu pronunciamento, o comandante-geral da Polcia Militar, coronel Renato Vieira, disse que a possibilidade do aumento do efetivo e da estrutura da Polcia Militar nas cidades que tero suas unidades de policiamento modificadas ocorrero em curto e mdio prazo. Ele tambm explicou o que isso representar em termos de reforo do trabalho da PM.
    "Essas regies estavam nas listas de prioridades para suprimentos de demandas tcnicas em busca de melhores resultados, de modo que pudessem ter mais condies para a preveno criminal. Sem dvida alguma que essas mudanas aumentaro a qualidade dos servios da PM nessas cidades, alm da possibilidade de elevao do nmero de vagas para oficiais e praas", disse o comandante-geral.
    Novos Batalhes e Companhias 
    A resoluo assinada prev a criao de duas unidades de execuo operacional na corporao. Uma delas, a 8 Cia. de Misses Especiais (8 Cia MEsp), ter sede em Montes Claros, no Norte de Minas, e ser subordinada a 11 RPM. A cidade j conta com grande estrutura policial e permitir que os trabalhos de combate criminalidade sejam ampliados. 
    Em Extrema, no Sul de Minas, ser criada a 27 Cia. de Polcia Militar Independente (27 Cia PM Ind), subordinada 17 RPM. Esta unidade combater a criminalidade local e o crime organizado originado de So Paulo. O municpio mineiro est localizado na divisa com o estado paulista. A Cia. Independente substituir a 116 Companhia de Extrema, que ser extinta.
    O Plano de Articulao tambm eleva de categoria cinco Companhias Independentes para Batalho, garantindo melhor estrutura e melhores condies de trabalho para os policiais. Sero elevadas a 8 Cia. de PM de Ouro Preto - 52 Batalho de PM; a 9 Cia. de PM de Araguari - 53 Batalho de PM; a 10 Cia. de PM de Ituiutaba - 54 Batalho de PM; a 11 Cia. PM de Pirapora - 55 Batalho de PM; e a 5 Cia. PM de Itajub - 56 Batalho de PM.
    As promoes tm carter estratgico, como ampliar a proteo em uma regio turstica, caso de Ouro Preto, na regio Central do Estado, e combater a chegada de criminalidade de outros estados, caso do Batalho de Araguari, no Tringulo Mineiro. 
    Entre companhias e pelotes, 54 fraes sofrero alterao de categoria, subordinao e numerao. Alm disso, sero criadas 43 fraes de Polcia Militar, sendo: 11 Companhias de PM, 5 Companhias Ttico Mvel de PM, 1 Peloto de PM Especial, 1 Peloto de Meio Ambiente, 9 Pelotes de PM, 3 Pelotes de Polcia de Choque, 5 Pelotes Ttico Mveis, 2 Pelotes de Policiamento de Trnsito, 1 Peloto Gate, 1 Peloto Rotam, 1 Peloto de Polcia Militar Rodoviria, 1 Grupamento de Misses Especiais, 1 Grupo de Trnsito e 1 Grupo de PM Rodoviria. 
    As unidades envolvidas na implementao da resoluo tero um prazo de 30 dias para ajustar seus sistemas de grande porte. O Estado-Maior da Polcia Militar (EMPM) tambm emitir, no prazo de 30 dias, uma Ordem de Servio para regular a instalao das unidades que constam na Resoluo, que entra em vigor na data de sua publicao.
    Crescimento e melhorias 
    Em 2002, a Polcia Militar de Minas Gerais contava com efetivo de 36 mil. Em 2010, esse nmero ultrapassou 46 mil agentes de segurana pblica. A frota passou de cinco mil veculos para nove mil viaturas. O Estado promoveu uma recuperao histrica nos salrios dos servidores de segurana pblica, com ganhos tambm na progresso da carreira e tambm nas condies de trabalho. O salrio do soldado de primeira classe passou de R$ 1 mil para R$ 2 mil este ano. 
    Na rea da Defesa Social, Minas Gerais destinou R$ 27 bilhes rea de Segurana Pblica de 2003 a 2009. A previso de investimento para 2010 de R$ 5,9 bilhes. Os recursos foram aplicados na melhoria das condies de trabalho das corporaes, no aumento da capacidade do sistema prisional, nas aes de preveno criminalidade, no atendimento s medidas socioeducativas, entre outros programas. As aes e investimentos em Defesa Social tiveram como resultado a reduo de 45,2% na criminalidade violenta no Estado, entre 2003 e 2009. 
    De acordo com o governador, a segurana pblica deve ser permanentemente uma prioridade de todos os governos. "Em Minas Gerais, felizmente, temos uma ao bastante coordenada das nossas polcias com o sistema de integrao da Defesa Social, que um modelo exitoso e vitorioso. Mas no podemos descuidar, ao contrrio, temos de investir sempre e continuar dando condies para que a Polcia Militar, a Polcia Civil, o sistema penitencirio tenham investimentos", disse Anastasia. 
    O coronel Renato Vieira lembrou que, do ponto de vista da atividade operacional, de 2003 a 2010, foram criadas oito novas regies de PM, alm do Comando de Policiamento Especializado, 21 novas unidades nvel Batalho e 17 Companhias independentes. "Tudo isso no est somado s unidades que hoje estamos instalando", completou.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Novembro 28, 2010

    MUITO JUSTO. O reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora - aonde me formei em Comunicao Social - foi merecidamente reconduzido ao cargo. O professor HENRIQUE DUQUE est fazendo uma revoluo na UFJF em todas as reas. E se revela um grande tocador de obras no campus da Universidade, aonde estive num Encontro de ex-alunos do curso de Jornalismo. E neste sbado, aqui em BH, me encontrei com o reitor e sua mulher, Graa, visitando e conferindo as novidades da mega loja da francesa FENAC no quarto piso do BH Shopping. Henrique Duque confirmou conosco que vai fazer nosso o media trainning "Socorro, Estou na TV" na segunda quinzena de janeiro de 2011. Estou orgulhoso de poder atend-lo no meu estdio, aqui na capital mineira.

                                             a

    Reitor Henrique Duque
    merecidamente reconduzido para mais um mandato
    na UFJF, o presidente Lula e o reitor da UFV,
     Luiz Cludio Costa

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Novembro 28, 2010

    Embratel - pilotada em Minas pelo competente ubaense, ALTIVO OLIVEIRA - realizou evento em Juiz de Fora (fui convidado, mas no pude comparcer) um evento de alto nvel em torno de legeantes e saboroso vinhos. Na noite do "VINHOS ETERNAMENTE" foram degustados - segundo meu amigo Csar Romero da Tribuna de Minas - exemplares italinos e franceses. Anotou: Chandon Ros ( espumante), Valopolicella Doc, Abel P.Boujolais Village Rouge e Pinotage. Todos escoltados por finssimospratos: pennetinne Romanesca, risoto de brcolis com camaro e ragu de costela com pur de baroa e molho roti. No "grand Finale" uma mini torta de limo e mini tartelete de janduia, acompanhado pelo vinho Moscate Dasni. TUDO ISSO no elegante e original restaurante ASSUNTA FORNERIA. Casa de altssimo nvel - padro internacional - aonde tive a oportunidade de degustar em junho bons vinhos e carnes, junto com minha mulher a decoradora Cida Amaral.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Novembro 28, 2010

    Para LER E PENSAR. Pinado dacoluna de Mrcio Fagundes do jorna lHoje em Dia,de BH. Vale conferir!!!

    Mdicos que s cuidam de pacientes internados e, ao mesmo tempo, entendem de administrao hospitalar. O movimento dos "hospitalistas" comea a ganhar fora no Brasil, aps 14 anos de consolidao em hospitais americanos renomados, como o Mayo Clinic, o John Hopkins Hospital e instituies da Harvard Medical School.
    O modelo funciona assim: a partir da internao, os hospitalistas "assumem" o doente. Eles decidem do antibitico a ser usado ao tipo de alimento mais apropriado ao paciente. Passam tambm a ser os interlocutores com a famlia do internado e com a representao de seu plano de sade.
    Ao menos oito hospitais brasileiros, dentre os quais o Santa Isabel, em Blumenau (SC), o Me de Deus, em Porto Alegre (RS), e o Santa Izabel, em Salvador (BA), j adotaram o modelo, que, na verdade, promove uma fuso de medicina e gesto. A rea ainda no reconhecida no pas.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Novembro 27, 2010

    Vice-governador eleito, Alberto Pinto Coelho,vai fechar sua administrao na presidncia da Assemblia com chave de ouro: vai entregar ao povo mineiro a TV ASSEMBLEIA com sinal aberto. Parabns.



    O vice-governador eleito de Minas, deputado Alberto Pinto Coelho
    est rindo toa - e com timos motivos no aniversrio da TVA que chega aos 15 anos.
    Ele sempre nos apoiou durante o tempo em que atuamos
    como ncora e comentarista poltico da TVA.
    Sou imensamente grato a ele.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Novembro 27, 2010

    15 anos. A TV Assemblia de Minas, aonde atuamos como ncra e comentarista poltico faz aniversrio dia 30. Desejo mais sucesso ainda!!!


            [D1-0096322-EV.jpg]

                                                        
                                                             TV Assembleia celebra 15 anos 
                                                                      com abertura de sinal







    A imagem 'http://www.cultura.gov.br/upload/Rodrigo%20Lucena%20-%20Presidente%20da%20Astral%20web_1178741898.jpg' contm erros e no pode ser exibida.
    Rodrigo Lucena diretor da TVA





    A TVAssembleia, primeira emissora legislativa criada no Brasil, comemora 15 anos de existncia, na prxima tera-feira (30/11/10). O debut coincide com a liberao da outorga de sinal aberto pelo Ministrio das Comunicaes. Segundo o diretor da TV, Rodrigo Lucena, o contrato deve ser assinado ainda em dezembro. "O sinal aberto um marco da maturidade da TV e, ao mesmo tempo, um desafio de se atingir um pblico muito maior que o atual", considera ele.
    O canal aberto em Belo Horizonte ser o 35.
    Lucena explica que a TV captada apenas por assinantes de TV a cabo e, por isso, o acesso programao bem mais restrito. Ele calcula que na Regio Metropolitana de Belo Horizonte cerca de 300 mil pessoas possam assistir emissora. Com a abertura do sinal, esse pblico potencial passa para 3 milhes aproximadamente.
    No interior, a TV Assembleia pode ser captada por 10 milhes de assinantes. A meta da Assembleia elevar a possibilidade de acesso para 15 milhes. Lembra, no entanto, que a abertura ser intensificada a partir da implantao da TV digital, que deve ocorrer at meados de 2011. "No devemos nos apressar em ampliar o sinal analgico, para evitar troca de equipamentos pouco tempo depois", explica.
    Diferencial - Criada para facilitar o acompanhamento dos trabalhos da Assembleia Legislativa pelos cidados, a emissora se consolidou, ao longo desses 15 anos, por seu perfil democrtico e a imparcialidade na conduo das notcias.
    Rodrigo Lucena explica que, nesse perodo, todas as Mesas priorizaram o esprito pblico, permitindo que o canal fosse, de fato, propagador dos diferentes pensamentos polticos representados na Casa. "O equilbrio da programao reflexo do equilbrio partidrio e isso conquistou respeito e confiana do pblico", comemora. O objetivo principal permitir que o cidado acompanhe o trabalho dos deputados em tempo real, o que explica o grande nmero de programas ao vivo transmitindo reunies de comisses e do Plenrio. "Poltica ao vivo, transparncia no ar" o slogan da emissora que resume esse compromisso.
    A TV Assembleia de Minas foi a primeira emissora legislativa criada aps a publicao da Lei 8.977/95, que regulamenta o servio de TV a cabo no Brasil. No dia 30 de novembro de 1995, entrava em operao o canal 40, em Belo Horizonte, hoje canal 11. Eram duas horas e meia de programao, contendo basicamente reprises de reunies do Plenrio da Assembleia.
    Hoje, a emissora tem programao durante 24 horas e est presente em mais de 180 municpios mineiros. Ao todo, so 130 funcionrios: 67 servidores, 56 terceirizados e 7 estagirios.

    Programao especial - Como parte das comemoraes dos 15 anos, a emissora preparou programas especiais. O telejornal Reprter Assembleia ter suas duas edies (13h30 e 19h30) transmitidas, ao vivo, da Galeria de Arte do Espao Poltico-Cultural Gustavo Capanema, da Assembleia. A ideia permitir ao servidor e s pessoas que circulam na Casa conhecer um pouco uma das rotinas da emissora.
    Dois dos principais programas da grade tambm trazem assuntos que remetem ao trabalho da emissora. O Assembleia Debate discutir, com deputados, o papel da TV Assembleia, no programa a ser exibido na prxima quarta-feira (1/12).
    E o Sala de Imprensa tem como tema Os desafios da TV Pblica, debatido pelo presidente da Rede Minas, Jos Eduardo Gonalves, pelo diretor da TV Assembleia, Rodrigo Lucena, e pela pesquisadora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Regina Mota, especialista em comunicao pblica. O programa ser reapresentado neste sbado (27), s 21 horas, e no domingo (28), s 18 horas.
    Desde 1 de novembro esto no ar, ao longo da programao da emissora, pequenos vdeos com depoimentos de personalidades da sociedade mineira sobre a importncia da TV. 
     
    Responsvel pela informao: Assessoria de Comunicao - www.almg.gov.br

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Novembro 27, 2010

    Prefeita de Barbacena vai reformular administrao.

                                                     O comrcio no Natal

    Danuza deve realizar mais uma reforma administrativa na Prefeitura no incio de dezembro


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 26, 2010

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS.



    Omar Freire/Imprensa MG
    Governador Antonio Anastasia recebeu polticos do PDT, em Belo Horizonte
    Governador Antonio Anastasia recebeu polticos do PDT, em Belo Horizonte

    BELO HORIZONTE (26/11/10) - O governador Antonio Anastasia recebeu, nesta sexta-feira (26), polticos do Partido Democrtico Trabalhista (PDT). Comparecem ao encontro, realizado no Palcio das Mangabeiras, em Belo Horizonte, o secretrio de Estado Extraordinrio para Assuntos de Reforma Agrria, Manoel Costa, o lder da bancada estadual, deputado Carlos Pimenta, e os deputados Paulo Csar de Freitas, Sargento Rodrigues, Tenente Lcio, Dr. Rinaldo, Z Silva, Ademir Camilo, Mrio Heringer, Hlio Rabelo. O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais e vice-governador eleito, Alberto Pinto Coelho, e o secretrio de Estado de Governo, Danilo de Castro, tambm participaram da reunio.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 26, 2010

    A mulher no poder. Dilma l. Andra e Luzia Ferreira em Minas.

    camarabh.jpg

















                            

    A Defensora Pblica Geral de Minas
    Andra Tonet
    e a presidente
    da Cmara Municipal de BH
     e deputada estadual eleita, Luzia Ferreira

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 26, 2010

    R$ 6,2 milhes. Dinheiro novo - privado - para alavancar a economia mineira.

    Wellington Pedro/Imprensa MG
    Governador Antonio Anastasia assinou protocolo com a Taquaril Minerao
    Governador Antonio Anastasia assinou protocolo com a Taquaril Minerao

    O governador Antonio Anastasia assinou, nesta quinta-feira (25), no Palcio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, protocolos de intenes para investimentos privados nos setores de minerao e siderurgia que vo representar a criao de 3.480 empregos diretos nos prximos sete anos, no Estado. Os investimentos sero feitos pela ArcelorMittal, em Joo Monlevade, na regio Central do Estado, e Juiz de Fora, na Zona da Mata, e pela Taquaril Minerao, em Sabar e Nova Lima, na Regio Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Juntos, os projetos representam investimentos de R$ 6,2 bilhes.
    "Esse mais um passo importante na gerao de empregos em Minas Gerais, na confiana no ambiente que ns estamos criando em nosso Estado. Se ns temos uma obsesso em Minas Gerais, essa obsesso exatamente a gerao de empregos de qualidade", disse o governador, durante a solenidade de assinatura dos protocolos.
    Durante o evento, o secretrio de Estado de Desenvolvimento Econmico, Sergio Barroso, anunciou a cifra recorde de investimentos privados formalizados este ano, em Minas Gerais, de R$ 52,9 bilhes. Desde 2003, foram anunciados R$ 264,3 bilhes de investimentos em Minas Gerais, em diversos setores.
    "Outros R$ 40 bilhes de investimentos esto em processo. Vai demorar entre 30 e 40 dias para termos todos completados, mas isso uma garantia de que vamos comear o prximo exerccio com investimentos muito grandes neste Estado", disse o secretrio.
    ArcelorMittal 
    A ArcelorMittal Brasil vai investir R$ 2,45 bilhes na expanso das unidades de Joo Monlevade e Juiz de Fora, at 2012. Em Joo Monlevade sero investidos R$ 2,39 bilhes na expanso da unidade, com a gerao de 400 empregos diretos e seis mil indiretos. J em Juiz de Fora, esto sendo investidos R$ 54,5 milhes na expanso das atividades, com a gerao de 80 empregos diretos e 300 indiretos.
    O vice-presidente para a Amrica Central e do Sul da ArcelorMittal, Augusto Espeschit de Almeida, afirmou que o grupo tem como orientao para investimento os mercados do Brasil e ndia, e o setor de minerao.
    "Temos vrias usinas neste Estado e bom ver como Minas Gerais cresce e tem credibilidade. Com essa obra, estamos garantindo o crescimento do grupo ArcelorMittal mundial no Brasil", disse Augusto Espeschit.
    Taquaril Minerao
    A Taquaril Minerao, controlada pela Construtora Cowan, AVG Minerao e Minerao Minas Bahia, vai implantar um complexo minerrio para a produo de 25 milhes de toneladas de finos de minrio de ferro, por ano, na Serra do Taquaril, entre Nova Lima e Sabar. A rea do projeto est localizada na intercesso dos principais ramais ferrovirios do Brasil - Ferrovia Vitria Minas (5 km), Ferrovia Centro Atlntica (40 km) e MRS Logstica (35 km) - sendo este ltimo um ponto de ligao ao Porto de Itagua (RJ).
    Sero investidos R$ 3,85 bilhes a partir de 2014, com concluso do projeto previsto para 2017. Em 2014 sero gerados 1 mil empregos diretos e trs mil indiretos. At 2017 tero sido criados trs mil empregos diretos na unidade.
    A Taquaril Minerao titular de alvars de pesquisa e concesso de lavra, em rea de 1,8 mil hectares, entre Nova Lima e Sabar. A empresa detm a opo de compra de reas superficirias necessrias ao desenvolvimento do projeto, que superam 1,6 mil hectares. 

                                                                              

                                                      FALA GOVERNADOR ANASTASIA:


    Evento: Divulgao dos nmeros do Proalfa 2010
    Local: Palcio Tiradentes - Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves
    Assuntos: Proalfa 2010 e chuvas
    Primeiro, vamos falar sobre os resultados do Proalfa. So resultados positivos?
    O primeiro e o mais importante que qualquer outro assunto que possa haver esse resultado. Estamos com essa demonstrao da Secretaria de Educao mostrando que Minas Gerais est no caminho correto para aquilo que mais importante para o futuro de nosso Estado que a educao.
     
    A educao pblica de qualidade com resultados excepcionais demonstrados aqui, inclusive, pelos nossos consultores da Universidade Federal de Juiz de Fora e de Minas Gerais, demonstrando que temos hoje os melhores indicadores do Brasil. Os nmeros de 2006 para 2010 so impressionantes. So at revolucionrios e demonstram de fato que a nossa educao pblica avanou muito. Claro que queremos sempre avanar mais.
    Nesse encontro tcnico aproveitei para dar parabns secretria, ao secretrio-adjunto, aos superintendentes e, de modo especial, comunidade escolar, aos professores, aos servidores da educao das escolas e aos alunos, ainda que crianas de oito anos se dedicaram, se esforaram e conseguiram um resultado to positivo como esse que algo que me torna extremamente alegre.
    Acho que no poltica pblica que d mais alegria a qualquer gestor, em termos de futuro e de investimento naquilo que queremos que Minas Gerais se torne, do que a educao. E esses resultados demonstram o acerto de ingressar com as crianas de seis anos de idade nas escolas e, agora, claro resultados de alfabetizao extremamente positivos.
    A nica diferena que teve foi entre a escola municipal e estadual. As duas tiveram resultados positivos, mas foi uma diferena muito grande. J se sabe por que tem essa diferena, o que pode ser feito?
    As escolas municipais no esto no nosso sistema. Temos o comando e o controle do sistema estadual. Claro que temos colaborao com o sistema municipal e, exatamente, por isso mesmo, a secretria Vanessa j demonstrou a necessidade de avanarmos nessa cooperao tcnica com as escolas municipais para que elas tambm tenham, ainda que tiveram melhoras, o mesmo percentual de melhoria que o Estado teve.
    O senhor j comentou sobre as chuvas na Regio Metropolitana de Belo Horizonte de segunda para tera, mas nos prximos dias tem alguma novidade, alguma ao especfica do Estado na Grande BH ou no interior para evitar novos transtornos e novos problemas?

    Ns todos percebemos que a chuva que caiu na segunda-feira foi uma chuva excepcional pelo seu volume. Hoje eu conversei com o prefeito Marcio Lacerda, ontem conversei com o secretrio Fleury e ns estamos combinando na regio da Cristiano Machado tambm uma ao coordenada na semelhana do que foi feito na avenida Tereza Cristina, ento, est sendo uma  equipe conjunta de Estado com o municpio, para ver o que mais temos de fazer juntamente no s com preveno, mas at com  obras e  levar esse pedido de obras ao governo federal, dentro do PAC, para termos as obras que forem necessrias para melhorarmos a questo da drenagem naquela regio.
    Houve algum problema detectado na drenagem, ali na Tereza Cristina, porque o que a gente tem visto que muitos moradores reclamam da drenagem aps as obras da Linha Verde. Existe algum projeto de revitalizao disso, de melhorias nesse ponto naquela regio?
    No na Tereza Cristina, na Cristiano Machado. A Cristiano Machado, a obra no alterou em nada, como dizia o secretrio. Ns j tnhamos l problemas graves de enchente antes da obra e os problemas continuam por diversos fatores, especialmente porque ali concentram algumas bacias de alguns crregos e ribeires.  Ento, num volume muito grande de chuva, naturalmente aquilo sobe.

    Ento, temos de fazer uma obra maior l, uma obra de drenagem, que no tem nada a ver com obra rodoviria. E essa obra de drenagem, como fizemos na Tereza Cristina, tem que ser feito ali tambm, uma obra de algumas centenas de milhes de reais. Ns vamos avanar no projeto porque toda a regio no s Belo Horizonte como o Estado inteiro, com essa mudana climtica e tendo chuvas mais intensas e mais concentradas, elas passam a ter essa necessidade das obras de drenagem.  Por isso precisamos sempre do concurso e do apoio do governo federal, principalmente da Caixa Econmica, que tem  recursos para essas obras grandes de drenagem.
    Governador, sobre o radar meteorolgico O senhor disse que at o final do ano ele pode funcionar, mas tem especialistas, algumas pessoas comentando que seria s para o perodo chuvoso, de 2011 e 2012. Ele chega este ano?
    Eu perguntei ontem Defesa Civil, ao tenente-coronel Eduardo e ele me disse que ao final deste ano o radar est disponvel. Eu espero que sim, foi a informao que me deu, vou at confirmar com ele a informao de que o radar estar operacional j ao final deste ano.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Novembro 25, 2010

    Justssimo!!!








    DEFENSORIA PBLICA
    COMEMORA O DIA INTERNACIONAL
    DA NO VIOLNCIA
    CONTRA AS MULHERES EM VRIAS FRENTES
     
     





    25 de novembro: "Dia Internacional de No-Violncia contra a Mulher". Esta data, com o reconhecimento da Organizao das Naes Unidas-ONU, existe desde 1999. A mobilizao para comemor-la ocorre em todo o mundo, em forma de protesto aos crimes contra as mulheres e tambm com as reivindicaes para a garantia da igualdade de gnero em nossa sociedade.

    Nesta quinta-feira, 25/11, no Plenrio Amynthas de Barros, da Cmara Municipal de Belo Horizonte, a Defensora Pblica Geral de Minas, Andra Tonet, participou da reunio solene para celebrao dos 25 anos de criao da Delegacia Especializada de Atendimento Mulher da Polcia Civil de Minas Gerais. A DPG ocupou assento mesa de honra das autoridades, ento presidida pela vereadora e ex-delegada da Polcia Civil, Elaine Matozinhos, convidada a faz-lo pela presidente da Casa, vereadora Luzia Ferreira, agora eleita deputada estadual.

    Na ocasio, a atual delegada-chefe em exerccio, Margarete de Freitas Assis Rocha, recebeu, das mos da vereadora Elaine, o Diploma de Honra ao Mrito, em nome da unidade, concedido pelo Parlamento.  Elaine Matozinhos foi a fundadora e a primeira a comandar a Delegacia Especializada de Atendimento Mulher de BH e estendeu a homenagem s sete delegadas que estiveram frente da unidade e a todos os seus funcionrios.

    Em seu discurso, a vereadora e ex-delegada da PC tambm lembrou o apoio recebido da Defensoria Pblica, poca da implantao da Delegacia, e a atuao da defensora pblica Maria Helena Santos (hoje, aposentada) e da servidora da DPMG, Umbelina Lopes (j falecida), nas dependncias da unidade. A vereadora agradeceu DPG Andra Tonet, elogiou-a e desejou sucesso a sua administrao.



    Fotos: Rodrigo de Oliveira / CMBH

    camarabh1.jpg




    A DPG entre as autoridades da mesa de  honra do evento
    camarabh2.jpg






    A delegada em exerccio, Margarete Rocha, e a vereadora Elaine Matozinhos exibem o Diploma de Honra ao Mrito concedido pela Cmara Municipal de BH

    camarabh.jpg

    A DPG Andra Tonet e a presidente da Cmara Municipal de BH e deputada estadual eleita, Luzia Ferreira

    NUDEM em foco


    Os Ncleos de Defesa da Mulher-NUDEMs da Defensoria Pblica de Minas Gerais, em Varginha, Montes Claros, Contagem e Itajub manifestaram-se com eventos comemorativos ao Dia Internacional da No-Violncia contra a Mulher ou com depoimentos sobre a importncia da data.

    Varginha

    A defensora pblica Priscilla Anglica do Nascimento, coordenadora do NUDEM de Varginha, conta que os defensores locais e estagirios, nesta quinta-feira, ocupam a Praa Getlio Vargas, para dar publicidade Lei Maria da Penha, que um avano na proteo das mulheres vtimas de violncia domstica e familiar. Segundo a coordenadora, "os defensores vo mostrar que o homem que comete violncia fsica, psicolgica e moral contra a mulher comete crime, vai preso e fica proibido de se aproximar da vtima. A finalidade mobilizar a populao para que todos protestem e digam no violncia contra a mulher". Durante o atendimento na Praa, so distribudas cartilhas e outras peas orientadoras dos direitos de defesa da mulher.

    Montes Claros

    A Defensoria Pblica da Comarca de Montes Claros, com outros parceiros, realiza a "1 Conferncia Regional pelo fim da Violncia contra as Mulheres", que vai at o dia 1 de dezembro. (Matria publicada ontem, 24/11, no site da DPMG e na Intranet).

    Itajub


    O atendimento especializado mulher carente, vtima de violncia domstica ou familiar, de extrema importncia, pois tais vtimas, sempre fragilizadas e com muito medo, investem no Ncleo de Defesa da Mulher, que a acolhe, todas as suas esperanas, em ter uma famlia estruturada. Este o comentrio da coordenadora do NUDEM de Itajub, defensora pblica Jacqueline Carneiro Roque, que garante ainda que a divulgao do atendimento especializado imprescindvel para o crescimento da luta de combate violncia domstica ou familiar, "pois, diante de um Ncleo forte e cada vez mais conhecido, a mulher, que muitas vezes j sofre a violncia de gnero h anos, acaba se encorajando e denunciando seu agressor."

    A coordenadora de Itajub tambm considera que o aumento do nmero de denncias de violncia domstica ou familiar deixa ntida a credibilidade da sociedade na Lei 11.340/06, alcunhada de Lei Maria da Pena, pois, na realidade, a violncia sempre existiu, mas as vtimas no se encorajavam em denunciar. A defensora afirma: "Atualmente, a coragem das vtimas aumenta a cada dia e trabalhamos duro para que cada vez mais as mulheres denunciem seus agressores."

    Jacqueline Roque ressalta ainda que "a lei tem como escopo salvar e reestruturar a famlia, e temos como certo que, se a mulher vtima denuncia seu agressor, desde o primeiro ato de violncia domstica, grandes so as chances de se alcanar a finalidade de ter uma famlia reestruturada". A defensora considera que, "na data de hoje comemoramos o Dia Internacional da No Violncia contra a Mulher e, certamente, estamos no caminho para a eliminao de tal mal, infelizmente, ainda presente na sociedade."

    Contagem

    A coordenadora do NUDEM de Contagem, na Regio Metropolitana de BH, defensora Ana Cludia Braga Aras Pinheiro, comenta que a Defensoria Pblica, atravs dos NUDEMs, desempenha papel fundamental na assistncia jurdica, proteo, informao, amparo, encorajamento e fortalecimento da mulher vitimada. E afirma: "Entretanto, como cidados, defensores pblicos ou no, devemos trabalhar juntos para criar um ambiente em que a violncia contra as mulheres no seja tolerada. Precisamos combater a violncia no dia-a-dia, atravs do dilogo na famlia, com vizinhos, no ambiente de trabalho, escolas, igrejas, enfim, todos os locais e espaos em que convivemos e promovemos a nossa sociabilidade."

    A Campanha: 16 Dias de Ativismo

    O perodo de 25 de novembro a 10 de dezembro foi definido como foco da ao da "Campanha 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violncia contra as Mulheres", por compreender quatro datas significativas na luta pela erradicao da violncia contra as mulheres e garantia dos direitos humanos. No Brasil, a Campanha comea no dia 20 de novembro, quando se comemora o Dia Nacional da Conscincia Negra, institudo em 1978 e dia do assassinato de Zumbi dos Palmares, cone da resistncia negra ao escravismo e da luta pela liberdade (1695).

    As outras datas so: Dia Internacional da No Violncia contra as Mulheres (25/11), em homenagem s irms Mirabal, opositoras da ditadura de Rafael Lenidas Trujillo, na Repblica Dominicana, que foram brutalmente assassinadas em 1960. Dia Mundial de Combate Aids (1/12), quando o mundo inteiro se mobiliza para estimular a preveno e diminuir a disseminao do vrus HIV. Massacre de Mulheres de Montreal/Canad (06/12), quando 14 meninas da Escola Politcnica de Montreal foram assassinadas, em 1989. Dia Internacional dos Direitos Humanos (10/12), quando a ONU, em resposta violncia da Segunda Guerra Mundial, adotou a Declarao Universal dos Direitos Humanos, em 1948.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 24, 2010

    HOJE 20 horas...

    Nesta quarta-feira, indito,
    no Talk Show do Joo Carlos Amaral na Rede Super.

                                                     Indito.
                                                     REDE SUPER.
                                                     Talk Show imperdvel!!!

    Nesta quarta-feira, dia 24, s 20 horas na REDE SUPER.
    No Talk Show Joo Carlos Amaral Entrevista"
    o executivo da Universo Tintas, com sede em SoPaulo,
    ARY MACHADO
    destaca a atuao pioneira da empresa,
    que est em Minas h mais de 30 anos.
    E que ganhou prmio ecolgico atuando
    no programa da Prefeitura de BH,
    contra as pixaes na capital.

    HOJE 8 da noite na REDE SUPER
    voc tem encontro marcado com o TALK SHOW
    do Joo Carlos Amaral. Para ASSISTIR
    o programa s colocar sua TV sintonizada no canal 23 a cabo em BH.
    E pela internet:
    www.redesuper.com.br
    (clicar no cone ASSISTA ON LINE). 

                                                      Nossso entrevistado 
                                       fala tambm das tintas higincicas.
                                            
    A linha de Tintas Higinicas Universo foi lanada no mercado no final de agosto. O produto destinado a ambientes que necessitam de maior higienizao e cuidado com a proliferao de microrganismos.
    A nova linha contm um componente, desenvolvido pela indstria qumica Clariant, que repele os microrganismos da superfcie.
    A Tinta Higinica Universo est disponvel em trs verses: ltex acrlico, para acabamentos acetinados e semibrilho, esmalte base de gua, ideal para superfcies de madeira, metais ferrosos e alvenaria e epxi base de gua indicado para pinturas deterioradas e cinco cores, branco neve, azul diamante, amarula, menta e amarelo. O produto, de cloreto de prata em dixido de titnio, possui um excelente perfil ecotoxicolgico, termoestvel e ativo em ampla faixa de PH.
    Durante o lanamento das tintas, o Diretor Comercial da Universo Tintas, Ary Machado, contou um pouco da histria da empresa e destacou a importncia de desenvolver produtos benficos para o cliente.
    "Ns da Universo temos grande satisfao em apresentar no s mais uma tinta, mas sim uma tinta que tambm se preocupa com a qualidade de vida.", comentou Ary Machado, Diretor Comercial da Universo Tintas.
    As tintas j esto disponveis no mercado e podem ser encontradas em baldes plsticos de 18 litros e 3,6 litros.




    O "Programa Joo Carlos Amaral Entrevista"
     vai ao ar na TV  REDE SUPER,
    canal 23 da NET,
    toda quarta-feira,s 20 horas,
    com reprise:
    s sextas-feiras
    s 9:00 hs da manh.
     

    ATENO!!!



    No dia 30 de agosto de 2010, a REDE SUPER
    passou a operar em novo satlite  o Star One C2 -,  
    que tem maior abrangncia e mellhor qualidade de sinal.
    Desde ento, so mais de 16 milhes de antenas parablicas
    recebendo nossa programao em todo o Brasil,
    Amrica do Sul, Mxico e Flrida (EUA).

    Para receber a REDE SUPER
    em sua antena parablica
    voc deve ajustar o seu receptor em:
    Frequncia: 3648
    SR: 2170
    Fec: 3/4
    Polaridade vertical
    Para quem j assite a REDE SUPER pelo satlite B4,
    ser necessrio realinhar a antena para o satlite C2
    e ajustar o receptor de acordo com os dados acima.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 24, 2010

    INDITO!!! Prestamos aqui nossa homenagem memria do ex-prefeito de BH, JORGE CARONE - que morreu esta semana - e fez histria na capital mineira. Eu o entrevistei pela REDE GLOBO vrias vezes. A agora, pinei a ltima entrevista dele, em junho, a Jlio Csar, presidente do PMN de Leopoldina na zona da mata. Vale conferir!!!

    leiacarone
    Jlio Cesar entrevistou* no ltimo dia 17 de junho, o ex-prefeito de Belo Horizonte Jorge Carone Filho, aclamado e respeitado homem pblico, cuja biografia inicia-se na primeira metade do sculo passado.
    "O projeto de entrevistar Jorge Carone foi delineado no comeo de 2009, mas somente agora conseguimos a coincidncia de nossas agendas", adiantou Jlio Cesar, que faz questo de registrar o carinho com que foi recebido pelo Dr. Jorge Carone Filho, advogado, hoje um senhor de 90 anos de idade.
    Um dos ltimos remanescentes do "queremismo" movimento poltico que em maio de 1945 surgiu com o objetivo de defender a permanncia de Getlio Vargas na presidncia da Repblica Jorge Carone Filho liderou o movimento na Zona da Mata mineira. A expresso vem do slogan utilizado pelo movimento: "Queremos Getlio", e significava o adiamento das eleies presidenciais, com o lanamento da candidatura de Vargas, e a convocao da Assemblia Nacional Constituinte. Sem atingir seu objetivo, a Constituio de 1946 foi elaborada sob a presidncia de Eurico Gaspar Dutra, eleito em 2 de dezembro de 1945 para suceder Getlio.
    A seguir, Jorge Carone participou da fundao do PTB getulista em Minas Gerais, e foi prefeito de Visconde do Rio Branco (1954 a 1958). Elegeu-se deputado estadual para a 4 e 5 Legislaturas (1959-1967). Renunciou ao mandato parlamentar quando elegeu-se prefeito da Capital, em 1963, mas a 31 de janeiro de 1965 foi cassado pela Cmara Municipal de Belo Horizonte. Carone Filho voltou militncia poltica aps a Anistia, em 1979, sendo eleito deputado federal em 1982 para o perodo 1983-1987.
    Foi casado com dona Nsia Coimbra Flores Carone, nascida em Muria deputada federal eleita pelo MDB para a 6 Legislatura (1967-1971), faleceu em 2009, aos 80 anos. Dona Nsia foi cassada em 1969 pelo AI-5, editado pelo General Costa e Silva no apagar das luzes de 1968, episdio considerado como o mais drstico e violento de todos os Atos do governo militar, cerceando os mais elementares direitos e liberdades civis.
    O pai de Jorge Carone Filho Jorge Carone foi vereador e prefeito de Visconde do Rio Branco (em 1939, nomeado pelo ento governador Benedito Valadares), e deputado estadual Constituinte em 1935 e 1 Legislatura (1935-1937). Tambm a famlia de sua saudosa esposa, Dona Nsia, era vinculada poltica. Ela era filha de Orlando Barbosa Flores, que foi prefeito de Muria em 1931 e tambm deputado estadual Constituinte em 1935 e 1 Legislatura ( 1935-1937). 
    Recentemente, esteve em Leopoldina a nos prestigiar, seu filho Antnio Carlos Flores Carone Secretrio Estadual do PMN Partido da Mobilizao Nacional, que seguindo os passos do pai foi vereador em Belo Horizonte, chegando a assumir a prefeitura da capital em decorrncia de ser, na ocasio, o presidente da Cmara Municipal. Jorge Carone perdeu em 2008 seu filho Jorge Orlando Flores Carone, ex-vereador pela Cmara Municipal de BH no perodo de 1970 a 1974 e deputado estadual de 1975 a 1979, integrando a 8 Legislatura.
    Tambm pai de Marco Aurlio Flores Carone que atua na imprensa de Minas Gerais e de Nysia Flores Carone.
    Em uma hora e meia de entrevista, concedida em sua residncia no bairro Santo Antnio em Belo Horizonte, Jorge Carone relembrou sobre o Projeto de sua autoria, enquanto deputado estadual, que criou o Mineiro, um marco para Minas Gerais; falou de vrias obras por ele empreendidas quando prefeito de Visconde do Rio Branco, uma delas o calamento de vrias ruas daquele municpio, cujas pedras mandou comprar em Leopoldina, j quela poca, fornecedora de paralelos de excelente qualidade.
    Jorge Carone, que apesar da avanada idade conserva o mpeto do jovem prefeito da capital, o vigor do atuante deputado estadual e a sabedoria dos bons polticos mineiros, ainda exerce a advogacia, e faz questo de comentar o cenrio poltico no estado e no pas.
    "Ele no concorda com o fim da Geral no Mineiro, prevista nas reformas do estdio para receber os jogos da Copa do Mundo de 2014, por entender que sua extino ir limitar ou impedir o acesso dos trabalhadores de menor poder aquisitivo ao "Gigante da Pampulha", " informou JCM.
    "A entrevista foi enriquecedora, sob todos os aspectos", comentou Jlio Cesar, que desempenhou uma dupla misso: jornalstica e histrica. Graduado em Histria pela Faculdade de Filosofia, Cincias e Letras de Cataguases, Jlio Cesar escreve desde o ano de 2003 uma Tese sobre CARLOS LUZ, que de acordo com o autor, aps conclu-la, ir transform-la em livro e documentrio udiovisual.
    "No perdi a oportunidade de perguntar sobre Carlos Luz ao prefeito Jorge Carone, seu contemporneo. Ele relembrou sua forte ligao com o saudoso ex-presidente, que foi seu padrinho de casamento, com quem tinha um excelente relacionamento. "Indaguei sobre o golpe ao qual foi submetido Carlos Luz, levando-o a deixar a presidncia, tema principal de minha pesquisa que objetiva um desagravo histrico memria desta incontestvel figura pblica leopoldinense, mineira e nacional", ilustrou Jlio Cesar, ao que ouviu de Jorge Carone que "Carlos Luz era um homem de bem, uma pessoa honrada, que foi vtima destes movimentos que acontecem na poltica".
    "Ningum melhor do que o prefeito Carone para avaliar uma situao dessa monta, afinal, ele prprio foi derrubado do Poder Executivo municipal, conforme registra a histria", avaliou Jlio Cesar ao anunciar que a parte desta entrevista que destaca Carlos Luz integrar a obra que vem desenvolvendo.
    "O depoimento do Dr. Carone, juntamente com a entrevista feita recentemente com o Dr. Fernando Luz, filho de Carlos Luz, durante uma de suas vindas Chcara do Desengano, em Leopoldina, iluminar muitos detalhes do perodo compreendido a partir do suicdio de Getlio Vargas e a posse de Juscelino", afirmou Jlio Cesar. 
    "Terminei a entrevista emocionado, pois estava diante de um monumento vivo da histria poltica mineira, que conviveu com Getlio Vargas, JK, Carlos Luz, Bias Fortes, Clvis Salgado, Magalhes Pinto, Tancredo Neves, Hlio Garcia, Renato Azeredo, Celso Brant, Benedito Valadares, dentre tantos personagens", revelou Jlio Cesar.
    "Todos da equipe tcnica que participaram da gravao, realizada na residncia do ex-prefeito, no bairro Santo Antnio em Belo Horizonte, se divertiram, se emocionaram, e ouviram atentamente as histrias, as opinies e assim, puderam compreender o grande carter deste verdadeiro smbolo para todos ns mineiros", acrescentou Jlio Cesar, agradecendo publicamente famlia Carone, em especial ao ex-prefeito Jorge Carone Filho por abrir as portas de sua residncia e compartilhar conosco esta pgina da histria, cada vez mais viva e mais presente. "Imaginem o legado de Jorge Carone vida pblica mineira.
    Outro dia, pesquisando discursos na internet, encontrei um pronunciamento de autoria do Dr. Nagib Slaibi Filho, magistrado no Rio de Janeiro, professor da EMERJ e UNIVERSO, datado de 25 de setembro de 2004, s 10:00 horas, em Visconde do Rio Branco, (http://www.nagib.net/discursos_texto.asp?id=10) discorrendo sobre seu pai Nagib Slaibi falecido em 1979, onde menciona a relevante frase:
    "Entre os homens pblicos que apontava como exemplo estavam, entre outros, Winston Churchill, Arthur Bernardes, Jorge Carone, pai e filho".
    Esta apenas uma pequena, porm, irrefutvel manifestao do que representa Jorge Carone para quem o conheceu", concluiu Jlio Cesar.

    Fonte:
    Jornal Leopoldinense




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 24, 2010

    Tortura no!!!









    MINAS VAI ASSINAR PACTO NACIONAL CONTRA A TORTURA AT O FINAL DO ANO

     gustavoalmgnovembro.jpg

    Gustavo Corgosinho Alves de Meira (Coordenador de Direitos Humanos da Defensoria Pblica do Estado de Minas Gerais)

     






    O Governo do Estado deve assinar, at o final do ano, o Plano de Aes Integradas para a Preveno e o Combate Tortura no Brasil (Paict), criado em 2006. O anncio foi feito pelo secretrio adjunto de Defesa Social, Robson Lucas da Silva, que participou, na tarde desta segunda-feira (22/11/10), do Debate Pblico Preveno e Combate Tortura em Minas Gerais, no Plenrio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. O "pacto contra a tortura", como est sendo chamado, prev a instalao de comits estaduais de extino da tortura, assim como a melhoria e o aperfeioamento do sistema de justia criminal. De acordo com a Secretaria de Defesa dos Direitos Humanos da Presidncia da Repblica, 16 Estados j assinaram o termo de adeso ao Paict.

    A adeso de Minas Gerais ao pacto foi cobrada pelos participantes do debate. O coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Defesa dos Direitos Humanos e de Apoio Comunitrio, Rodrigo Filgueira de Oliveira, chegou a argumentar que os pontos questionados por Minas j haviam sido sanados na nova verso do plano, o que foi confirmado pelo prprio secretrio adjunto. O presidente da Comisso de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MG), William Santos, chegou a sugerir que caso o Estado continuasse omisso, as instituies ligadas aos direitos humanos criassem, por si mesmas, os comits previstos no Paict.

    Robson Lucas informou que o Governo do Estado ouviu as polcias mineiras e outros rgos de defesa para ajustar os termos do pacto legislao e realidade de Minas. Segundo ele, a ltima verso que contempla as mudanas foi enviada pela Secretaria Nacional em 1 de outubro. "Os pontos de divergncias foram praticamente todos superados", afirmou. Ele completou que o Governo Federal continua disposto a ter uma conversa final para quaisquer outros ajustes necessrios. O secretrio ainda pontuou algumas medidas tomadas pelo governo para tentar reduzir a violncia, como o fim da carceragem sob responsabilidade da Polcia Civil e a criao da prpria Secretaria de Defesa Social, que est voltada construo de polticas de maneira mais integrada.

    Especialistas apontam fatores que estimulam a tortura


    A falta de um monitoramento preventivo em locais de deteno como presdios e centros de internao de menores, e ainda o receio de vtimas, parentes ou mesmo agentes pblicos de denunciar prticas de tortura so fatores que contribuem para a permanncia dessa prtica no Brasil. A anlise do promotor Rodrigo Filgueira de Oliveira. Ele enfatizou que a cultura brasileira ainda a da reao, e no da preveno.

    Ele citou como outros fatores que contribuem para a prtica da tortura a ausncia de estatsticas e diagnsticos que direcionem a atuao do poder pblico, a ineficincia na investigao e na percia forense, a falta de treinamento de agentes e, como consequncia, o baixo ndice de condenao e a sensao de impunidade. H tambm, segundo Rodrigo Filgueira, uma certa tolerncia da sociedade em relao tortura praticada pelo Estado. O promotor cita pesquisa da Universidade de So Paulo, realizada em 1999, que constatou, por exemplo, que, em Manaus, essa tolerncia chega a 23%. "Mesmo o ndice pequeno de cidades como Belo Horizonte (1%) ou Rio de Janeiro (3%) no leva reduo de casos", completa.

    J o defensor Gustavo Corgozinho, coordenador de direitos humanos da Defensoria Pblica de Minas Gerais, reclamou de torturas fsicas e psicolgicas cometidas contra pessoas presas ou sujeitas a medidas de segurana. Ele citou que durante um trabalho de monitoramento em unidades prisionais de Minas Gerais, foram ouvidas as mais variadas denncias de maus tratos contra os presos, como falta de gua, celas superlotadas, comidas servidas com bichos, total falta de higiene, presena de roedores e animais peonhentos, ausncia de assistncia mdica, entre outras tantas condies que propiciam o surgimento de doenas e provocam sofrimento fsico e emocional aos apenados. "O tratamento desumano ou degradante j constitui tortura", advertiu.

    Corgozinho reclamou, ainda, da dificuldade que a Defensoria enfrenta em ter acesso a documentaes e mesmo s unidades prisionais, e tambm da morosidade do governo em responder a questionamentos. Segundo ele, muitos presos denunciaram que sofriam represlias e ameaas para esconder a realidade. "Vamos abrir as portas e permitir as crticas para aperfeioar o sistema", sugeriu ele ao representante do Governo do Estado.


    Ouvidoria apura queda em denncias de tortura


    O nmero de denncias de tortura apresentadas Ouvidoria de Polcia de Minas Gerais caiu em 2010, na comparao com os anos anteriores. o que aponta levantamento apresentado pelo ouvidor Paulo Vaz Alkmin. Mesmo com dados parciais, at 31 de outubro, o ano de 2010 traz oito denncias de tortura, contra 28 em 2009, 39 em 2008, 22 em 2007, 25 em 2006 e 64 em 2005. O prprio ouvidor argumenta, porm, que os nmeros podem ter migrado para o Sistema de Defesa Social, uma vez que a guarda de presos deixou de ser tarefa da Polcia Civil e passou para a responsabilidade de agentes penitencirios.

    Entre as aes preventivas realizadas pelo Ouvidoria, Paulo Alkmin citou a parceria com a Comisso de Direitos Humanos da ALMG e com o Ministrio Pblico para acompanhamento de casos, e o trabalho de ouvidoria itinerante desenvolvido em conjunto com a Defensoria Pblica. Ele avaliou ainda que a Justia Militar no d conta dos casos de tortura e que, muitas vezes, esses crimes so reclassificados como leso corporal, por exemplo. "A impunidade um dos motivos de permanncia da tortura", afirmou.

    J o corregedor-geral da Polcia Civil, Geraldo de Morais Jnior, salientou que preceitos constitucionais como a dignidade humana impem limite ao estatal. "Assim como cabe ao Estado cuidar da segurana pblica, ele responsvel tambm por promover a vida com dignidade para todos", afirmou. Ele ressaltou o trabalho do colegiado de corregedores, apontou para a reduo de denncias tambm na Corregedoria, mas salientou que todos os casos so tratados com toda a seriedade.

    Revista vexatria - No encerramento, a representante do Comit de Familiares e Amigos das Pessoas em Privao de Liberdade, Maria Teresa dos Santos, denunciou, em um depoimento emocionado e contundente, no s a tortura contra os presos, mas tambm "a tortura contra os familiares de presos durante as revistas vexatrias e humilhantes". Indignada, ela se disse disposta, inclusive, a tirar a roupa e reproduzir, em um prximo evento, "todos os procedimentos vexatrios" a que as mulheres so submetidas nas unidades prisionais antes de entrarem para as visitas. "Como o secretrio pode aqui falar em humanizao, se nesses estabelecimentos, donas de casa, senhoras e mes de famlia so tratadas como vagabundas e prostitutas?", indagou.

    Crimlia Alice Schmidt de Almeida, da Comisso de Familiares de Mortos e Desaparecidos Polticos, lamentou que ainda hoje, passados tantos anos, os integrantes do grupo que representa no tenham direito aos corpos dos seus mortos nem a informaes. Acrescentou que o caso foi levado Organizao dos Estados Americanos (OEA) e o Brasil dever ser condenado a esclarecer os crimes do Araguaia.

    Helosa Greco, coordenadora do Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania, denunciou o sistema carcerrio brasileiro como "um sistema de masmorra, medieval", acrescentando que "at incendiar presidirios prtica no Estado de Minas Gerais". Segundo ela, o Brasil tem a terceira maior populao carcerria do mundo, s perdendo para a China e os Estados Unidos, e Minas Gerais tem, hoje, em torno de 100 mil encarcerados. "O perfil dessa populao de pobres, negros, moradores de periferia e de favelas", afirmou, acrescentando que a polcia do Brasil a que mais mata no mundo. Contradizendo os que afirmaram, durante o debate, que a polcia de Minas Gerais exemplo e referncia, indagou: "Exemplo? S se for de marketing. Referncia? S se for de represso".

    Em suas consideraes finais, o secretrio Robson Lucas da Silva, justificou "o rigor das revistas" em razo do trnsito de celulares e do trfico de drogas no interior dos presdios. E concluiu que, "considerando a realidade do oramento e do material humano, o Estado vem alcanando resultados satisfatrios".
    Fonte: ALMG

    FOTOS: GUILHERME DARDANHAN

    gustavoalmgnovembro1.jpg

    Virglio De Mattos (Graduado Especialista, Mestre em Direito pela Ufmg e Doutor pela Universit Degli Studi Di Lecce), Emely Vieira Salazar (Coordenadora da Pastoral de Direitos Humanos), Gustavo Corgosinho Alves De Meira (Coordenador de Direitos Humanos da Defensoria Pblica do Estado de Minas Gerais), Durval ngelo (Deputado Estadual Pt/Mg), Rodrigo Filgueira de Oliveira (Promotor de Justia e Coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justia e Defesa dos Direitos Humanos e de Apoio Comunitrio - Caodh), Helosa Greco (Coordenadora do Instituto Helena Greco de Direitos Humanos e Cidadania)gustavoalmgnovembro.jpg


    Gustavo Corgosinho Alves de Meira (Coordenador de Direitos Humanos da Defensoria Pblica do Estado de Minas Gerais)



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 24, 2010

    Governo Anastasia assina PPP com a LIZ - empresa cimenteira de Vespasiano.

            Wellington Pedro/Imprensa MG

           Governador Anastasia e o presidente da Cimentos Liz, Paulo Vasconcelos

                        Governador Anastasia e o presidente da Cimentos Liz, Paulo Vasconcelos

    O governador Antonio Anastasia assinou nesta tera-feira (23), no Palcio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, contrato de Parceria Pblico-Privada (PPP) com a empresa Cimentos Liz, instalada em Vespasiano, na Regio Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).
    Com investimento estimado em R$ 9,8 milhes, o projeto consiste na construo de uma via que ligar a avenida Portugal, onde est localizada a sede da empresa, rodovia MG-010, retirando o trnsito de caminhes pesados do Centro de Vespasiano. A nova via ter extenso de 2,1 quilmetros.
    Caber ao Governo do Estado, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER/MG), a realizao da licitao para a contratao das obras e execuo do projeto. A Cimentos Liz participar como pagadora e a Prefeitura de Vespasiano se encarregar da questo ambiental e desapropriaes necessrias para a realizao das obras. Segundo a diretoria da empresa, a obra tem um prazo de realizao previsto de 10 a 12 meses.
    "S o fato de podermos fazer por essa nova via todo o escoamento da produo direto para a MG-010, vai aliviar de uma forma muito significativa o trnsito na avenida Portugal. Ns movimentamos entre 300 a 400 caminhes por dia, nas 24 horas.
    Todo esse trnsito passar para a nova via. No geral, estimamos que a reduo do fluxo ser de 30% a 35% no centro da cidade", disse o diretor presidente da Cimentos Liz, Paulo Vasconcelos.Instalada nas cidades de Lagoa Santa e Vespasiano, na RMBH, desde 1976, a Cimentos Liz est em processo de expanso, com investimentos estimados em R$ 500 milhes no aumento de produo e logstica.
    Atualmente, a Cimentos Liz produz cerca de 1,8 milho de toneladas de cimento por ano. Aps a expanso, a produo passar para cerca de 3,5 milhes de toneladas.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 23, 2010

    Aberto hoje no Minascentro, aqui em BH o 1 Congresso Mineiro de Conciliao. A Defensora Pblica Geral de Minas, Andra Tonet participou dos trabalhos.

    O 1 Congresso Mineiro de Conciliao vai movimentar o Minascentro, em Belo Horizonte, nestes dois dias, 23 e 24 de novembro, quando participantes e convidados das mais variadas formaes participam de mesas-redondas, debates apresentaes de trabalhos e apresentaes culturais, em torno de um nico interesse: a busca do entendimento e da administrao dos conflitos.

    A abertura dos trabalhos ocorreu na manh desta tera-feira e a Defensora Pblica Geral, Andra Tonet, ao lado de autoridades do Judicirio, participou da mesa de honra que deu incio ao evento. O Copngresso promovido pelo Tribunal de Justia de Minas Gerais, por meio da Escola Judicial Desembargador Edsio Fernandes-EJEF.

    Variaes em torno do mesmo tema

    Entre os temas a serem abordados, dentro da programao do Congresso, esto as conferncias Conciliao e contemporaneidade: a concepo do homem moderno, O Brasil da diversidade: lidando com as diferenas e Conciliao: interesses a servio da paz. As mesas-redondas e painis vo desenvolver atividades em torno de abordagens tais como: Mediao e arbitragem, A conciliao e seu impacto nas metas do CNJ, A performance do conciliador, A tica do conciliador, Conciliador: articulando o saber plural, Aspectos da comunicao verbal e no-verbal: o corpo fala, Tcnicas de conciliao.

    Trabalhos selecionados


    Onze trabalhos foram selecionados para serem apresentados por seus autores: A conciliao enquanto cultura de paz, As implicaes da concepo de conflitos na atuao do conciliador: uma experincia no Juizado Especial Criminal de Belo Horizonte, Central de Conciliao e penso alimentcia, Conciliao exige saber plural: a importncia do saber jurdico, Conciliao e mediao de conflitos: instrumentos garantidores da paz social, Conciliao no direito penal: sem pena nada acaba mal, Habilidades e saberes para alcanar a paz social: consideraes e experincias no mbito da conciliao, Mediao de conflitos nas varas de famlia de Belo Horizonte: o percurso de um projeto inovador, Mediao e planto social: possibilidades para o servio social judicial, Programa de Atendimento Itinerante Jurdico-Social: a conciliao como instrumento de educao jurdica e Projeto Mos dadas: prtica interdisciplinar em prol da pacificao social.



    mineirodeconciliacaonovembro.jpg










    Foto: Renata Caldeira




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 23, 2010

    Na agenda do governador Anastasia - amanh, dia 24 - reunio com a secretria de Educao e as 47 sperintendentes regionais de Ensino de Minas.

    O governador Antonio Anastasia participa, nesta quarta-feira (24), no Palcio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, de reunio de trabalho com a secretria de Estado de Educao, Vanessa Guimares, e com as 47 superintendentes regionais de Ensino de Minas Gerais.
    Durante o encontro, a coordenadora do Centro de Polticas Pblicas e Avaliao da Educao (Caed) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Lina Ktia, apresentar os resultados do Programa de Avaliao da Alfabetizao (Proalfa) 2010.
    O Proalfa mede o nvel de leitura e escrita dos alunos da rede pblica de ensino (escolas estaduais e municipais) de Minas Gerais. Neste ano foram avaliadas 330.231 crianas matriculadas nos anos iniciais do ensino fundamental (1, 2, 3 anos). Desse total, 284.148 alunos esto com 8 anos e cursam o 3 ano, final do ciclo de alfabetizao. O ndice de participao foi em torno de 90%.
    As provas foram aplicadas na ltima semana de agosto e os resultados orientaro escolas e professores sobre as intervenes pedaggicas necessrias em cada sala de aula da rede pblica de Minas Gerais.
    Servio:
    Evento: Apresentao dos resultados do Proalfa 2010
    Local: Palcio Tiradentes - Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves
    Horrio: 11h30
    Data: 24/11/2010


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 23, 2010

    ARTIGO ESPECIAL enviado ao nosso BLOG DE NOTCIAS pelo economista mineiro Srgio Birchal. ELE FAZ UM ALERTA: "Uma nova recesso mundial no ano que vem um cenrio que no pode ser descartado. No h o que aponte na direo de uma recuperao sustentvel da economia mundial. Muito pelo contrrio".

                                                                      O FANTASMA
                                                           DA RECESSO MUNDIAL

    Muito se discute sobre as causas da crise que ronda a economia mundial e as medidas que devem ser tomadas para enfrent-la. Porm, enquanto o tempo passa a percepo da natureza da crise vem mudando. Seno vejamos.
    No primeiro momento, por volta do final de 2006, comeavam a pipocar informaes de que havia problemas com os financiamentos hipotecrios nos Estados Unidos. At agosto de 2008 a crise era vista como restrita ao mercado imobilirio americano.
    No seu momento mais agudo (quando houve a quebra do banco Lehman Brothers, em 15 de setembro de 2008), a crise deixou de ser apenas imobiliria e passou a ser mais sistmica. Desta vez, era uma crise do sistema financeiro norte-americano, intimamente interconectado com os mercados financeiros europeus.
    Apontou-se a ganncia e a falta de escrpulos de banqueiros, alm da falta de regulao adequada por parte das autoridades econmicas daquele pas. A crise tornou-se institucional.
    Na esteira da quebra de vrios bancos norte-americanos, quebraram empresas de servios financeiros, como a Freddie Mac e Fannie May. Quebraram tambm empresas industriais, como foi o caso da General Motors e da Chrysler. E a quebradeira se estendia para a Europa (Zona do Euro e Gr-Bretanha) e para a sia (Japo). O comrcio mundial quase paralisou. No era mais apenas uma crise imobiliria, financeira ou institucional ou restrita apenas economia norte-americana. Ela era mundial.
    A recesso obrigou os governos a orquestrar uma resposta de estmulos fiscais e monetrios para resgatar a economia mundial do precipcio da depresso, no que eles foram bem sucedidos. Houve certa euforia no segundo semestre de 2009. Os Estados Unidos haviam sado tecnicamente da recesso e os pases emergentes estavam rapidamente voltando a produzir e consumir como antes.

    Mas a crise continuou rondando a economia mundial, que agora era puxada pela China. Comeou-se a discutir a questo dos desequilbrios do comrcio internacional. Muitas autoridades diagnosticavam que a China deveria consumir mais para equilibrar as suas enormes exportaes e os seus colossais supervits nas transaes internacionais.
    No entanto, no incio de 2010 a euforia quanto retomada da economia mundial foi cedendo, na medida em que cresciam os temores quanto sustentabilidade das contas dos governos europeus.
    A Grcia era o principal alvo, mas Portugal, Itlia, Irlanda e Espanha (no que ficou conhecido como PIGGs, das iniciais do nome de cada pas em ingls) formavam a bola da vez. Para financiar os seus agora enormes dficits o mercado cobrava juros que tornavam as dvidas impagveis. A hesitao do Banco Central Europeu em ajudar de alguma forma esses pases levou a nova sria crise na Zona do Euro, principalmente.
    Havia, tambm, uma forte resistncia por parte dos alemes em financiar os gastos perdulrios e irresponsveis desses scios do sul da Zona do Euro. Mas em maio os mercados entraram em colapso e foi preciso uma interveno mais decidida do Banco Central Europeu, com o apoio explcito e concreto do Fundo Monetrio Internacional (FMI) e do governo alemo.
    Um pacote de quase um trilho de dlares foi colocado disposio dos pases que precisassem urgentemente de dinheiro, em troca de rigorosas medidas de conteno de gastos e aumento de impostos. A crise no era mais s imobiliria, financeira, institucional, econmica ou mundial. Ela agora tambm das finanas dos prprios governos.
    Ao longo desse perodo os pases emergentes foram sacudidos por esses tremores que vinham do norte, mas seus problemas eram de outra ordem: crescimento muito acelerado. O resultado inflao em alta e elevao das taxas de juros. Com as taxas de juros nos pases desenvolvidos perto de zero, houve um aumento expressivo do fluxo de capitais estrangeiros atrados pelo diferencial das taxas de juros. Esse enorme fluxo financeiro, junto com taxas de juros mais elevadas, apreciaram as moedas de quase todas as economias emergentes. Menos a da China.
    Mas o pacotao na Europa e o vero e no hemisfrio Norte trouxeram alguma calma e esperana para os mercados. No por acaso os nmeros de junho, julho e agosto de 2010 vieram melhores. No entanto, o desemprego nos pases desenvolvidos continuou muito elevado e sem perspectiva de mudana no curto e mdio prazo. A crise passou a ser, tambm, de longo prazo.
    A resposta do governo norte-americano foi inundar o mundo de dlares para desvalorizar a moeda e aumentar a competitividade das exportaes do pas. O tema da guerra cambial foi o foco das discusses da ltima reunio do G-20, mas nada de concreto ficou decidido. A crise passou a ser percebida como uma crise do sistema monetrio internacional.
    Como podemos ver a crise s vem tomando contornos mais complexos e abrangentes na medida em que o tempo passa. Ela vem ganhando contornos de que se trata de uma destruio criativa (uma crise schumpeteriana). Alm disso, a crise deixa clara a paulatina e sofrida mudana do centro do poder econmico mundial.
    H a possibilidade de que haja uma coincidncia no tempo dos efeitos recessivos das medidas de austeridade fiscal nos pases desenvolvidos e das medidas de conteno do crescimento nas economias emergentes (que ameaa criar bolhas de ativos em vrios destes mercados) ainda no primeiro semestre de 2011. Pode ser que os primeiros sinais desta infeliz coincidncia sejam os recentes problemas enfrentados pela Irlanda.
    Uma nova recesso mundial no ano que vem um cenrio que no pode ser descartado. No h o que aponte na direo de uma recuperao sustentvel da economia mundial. Muito pelo contrrio.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 22, 2010

    AMIGO DE IVETE. O jornalista Marcelo Generoso prestigiou o show que Ivete fez na capital mineira. Marcelo, que meu amigo h muitos anos, passou o nver dele em So Luiz, Maranho, a convite da famlia Sarney. De helicptero viu as obras que a governadora Roseane Sarney fez no Estado. Ficou impressionado. Bateu palmas. DETALHE: Marcelo aniversaria no dia 14 de novembro. Mesmo dia do nver da minha me, dona Conceio. Em 2011 ou Marcelo vai a Barbacena ou minha me vem a BH. Seno, nunca vai dar para estar no aniversrio dos dois. E minha me sempre ganha, claro. Deixo aqui o parabns duplo!!!






    Este Colunista e Faberi Travassos, no  show de Ivete Sangalo, em BH


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 22, 2010

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. Pinado da prestigiada coluna de Marcelo Generoso na internet e em mais de 30 jornais espalhados pelo Estado.







    Letcia Weber com seu namorado,
    Acio Neves,senador eleito por Minas.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 22, 2010

    Reconhecimento.








    NA SEMANA DA CONSCINCIA NEGRA,
    SUBDEFENSORA ANA CLUDIA ALEXANDRE
    HOMENAGEADA PELA PBH
     
     




    Na manh desta sexta-feira, 19/11, houve uma solenidade especial no salo nobre da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, onde compareceram vrias lideranas negras, autoridades e convidados para a celebrao da Semana da Conscincia Negra. Na ocasio, a Subdefensora Pblica Geral do Estado, Ana Cludia da Silva Alexandre, foi homenageada e recebeu das mos do prefeito Mrcio Lacerda uma placa em reconhecimento a sua atuao no combate ao racismo e a outras formas de preconceito s minorias.

    A placa entregue pelo Prefeito de BH Subdefensora Ana Cludia traz a seguinte mensagem: "A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Coordenadoria de Promoo da Igualdade Racial, da Secretaria Municipal Adjunta de Direitos de Cidadania, e o Frum Governamental do Municpio de Belo Horizonte homenageiam DRA. ANA CLUDIA DA SILVA ALEXANDRE, Defensora Pblica MG, pela resistncia e perseverana no combate ao racismo, discriminao, xenofobia e intolerncia. Belo Horizonte, novembro de 2010."

    Atuao diversificada em prol dos desfavorecidos


    Ana Cludia Alexandre comentou sua imensa gratido e satisfao com a homenagem recebida do Municpio Mineiro, que prova da eficincia de um trabalho de qualidade, que sempre procurou desempenhar na sua atuao como Defensora Pblica, especialmente aquele realizado com toda a equipe da Defensoria Especializada de Direitos Humanos, Coletivos e Socioambientais, onde titular de um dos cargos, e vem desempenhando ao longo de alguns anos. Ela explicou que seu trabalho sempre foi voltado para defesa das comunidades quilombolas, de terreiros e religies de matriz africana, e da populao sem direito moradia e cidadania plena.



    pbhnovembro.jpg








    A atual Subdefensora Pblica Geral de Minas, Ana Cludia da Silva Alexandre, recebe das mos do prefeito de Belo Horizonte, Mrcio Lacerda, a placa de homenagem por sua atuao em vrias frentes de combate aos preconceitos


    pbhnovembro1.jpg



    Presidente da Federao Quilombola de Minas Gerais, Sandra Silva; defensor de Classe Especial e assessor de gabinete da DPG, Eduardo Cyrino Generoso; defensora pblica Marta Juliana; a homenageada Subdefensora Pblica do Estado de Minas Gerais, Ana Cludia da Silva Alexandre; presidente da Cmara Municipal de BH e deputada eleita, Luzia Ferreira; e Maria das Dores Costa Lemos, assessora de gabinete DPG



    pbhnovembro2.jpg







    Defensora pblica Marta Juliana; a homenageada, Subsedefensora Pblica do Estado de Minas Gerais, Ana Cludia da Silva Alexandre; deputado federal Antnio Roberto; e a Assessora de gabinete DPG, Maria das Dores Costa Lemos



    pbhnovembro3.jpg



    Da direita para a esquerda: a defensora Marta Juliana, a homenageada Ana Cludia, a coordenadora da COMACON (Coordenadoria Municipal de Assuntos da Comunidade Negra), Maria das Graas Sabia; a presidente da Federao Quilombola de Minas, Sandra Silva; a assessora da Comacon; e a assessora de gabinete da DPG, defensora Maria das Dores da Costa Lemos



    pbhnovembro4.jpg





    A homenageada Ana Cludia Alexandre, primeira direita; ao lado da deputada estadual Maria do Carmo Lara, a defensora pblica Marta Juliana; a assessora de gabinete da DPG, Maria das Dores Costa Lemos; a presidente da Federao Quilombola de Minas, Sandra Silva; e o assessor de gabinete da DPG, defensor pblico, Eduardo Cyrino Generoso



    pbhnovembro5.jpg







    A homenageada Ana Cludia Alexandre (ao centro), tendo a sua esquerda, o prefeito de BH, Mrcio Lacerda; e o assessor de gabinete da Defensoria Pblica Geral, defenso, Eduardo Cyrino Generoso. A sua direita, as defensoras pblicas Marta Juliana e Maria das Dores Costa Lemos, esta assessora de gabinete da DPG


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 22, 2010

    PRESENA. Defensoria Pblica de Minas presente na posse do novo desembargador do TJMG, Catta Preta Leal. O Assessor Especial do gabinete da Defenoria Pblica, Eduardo Generoso, representou a Defensora Geral Pblica, dra. Andra Tonet.Ela estava em Campo Grande, MatoGrosso do Sul no IX Congresso Nacional das Defensorias Pblicas.

    A Defensoria Pblica Estadual marcou presena, ontem, 18/11, s 17 horas, na posse do bacharel e professor universitrio Jos Mauro Catta Preta Leal, no cargo de desembargador do Tribunal de Justia de Minas Gerais.
    Foi no auditrio da Unidade Raja Gabaglia, no Luxemburgo, onde o assessor de gabinete e defensor de Classe Especial, Eduardo Cyrino Generoso, representou a Defensora Pblica Geral, Andra Tonet, na mesa de honra da solenidade, presidida pelo desembargador Cludio Costa, presidente do TJMG.
    O novo desembargador foi nomeado pelo governador Antonio Anastasia, preenchendo a vaga do quinto constitucional destinada classe dos advogados. Aps a posse, o desembargador Catta Preta foi condecorado pelo Presidente do TJ com o Colar do Mrito Judicirio.

    josemaurotjmg3.jpg

    O representante da DPMG, Eduardo Generoso (primeiro direita), ocupou lugar na mesa de honra da cerimnia de posse do desembargador Catta Preta

    josemaurotjmg2.jpg


    O novo desembargador Jos Mauro Catta Preta Leal f
    az seu discurso de posse
    josemaurotjmg1.jpg

    Na plateia, autoridades, convidados e familiares do novo desembargador prestigiaram a solenidade de sua posse



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 22, 2010

    MANO Consulting de Belo Horizonte faz 15 anos. E comeora em grande estilo no Museu de Artes e Ofpicios, na praa da Estao, aqui em BH. Ser hoje, dia 22, s 19 horas. Agradeo o convite e e desejo ao empresrio MARCOS NOGUEIRA mais sucesso ainda. Parabns!!!












    'Com o ambiente externo cada vez mais competitivo em todo o mundo e, principalmente no Brasil, tornou premente, seno imprescindvel, a busca de solues que diferenciem os servios das empresas, aumentando sua competitividade, qualidade e lucratividade'.

    'Organizada para agregar valores na implantao de empreendimentos, a Mano Consulting utiliza-se da mais alta tecnologia na prestao de seus servios'.

    'Tendo por finalidade contribuir para a realizao da Misso de sua Empresa, nosso trabalho visa assegurar a gerao de resultados tcnicos e financeiros do empreendimento, considerando, sobretudo, os aspectos de rentabilidade, retorno e risco dentro dos padres de excelncia desejados'.

      
    Marcus Nogueira
    Diretor Presidente

    "GESTO DE RISCO", ESTA A MODALIDADE DE SERVIO QUE MAIS SE COMENTA NOS LTIMOS 08 ANOS NO S AQUI NO BRASIL COMO EM TODO RESTO DO MUNDO, POIS COM OS ESCNDALOS OCORRIDOS EM GRANDES EMPRESAS AMERICANAS E EUROPIAS FORAM IMPOSTAS NOVAS PRATICAS NO CONTROLE DA "GESTO DO NEGOCIO"
    QUANTO A CONTROLAR SEUS RISCOS E NA BUSCA DE MINIMIZAR ESTAS OCORRNCIAS, E NESTE SENTIDO TEM SIDO IMPLANTADA TODA UMA NOVA SISTEMTICA PRINCIPALMENTE NAS EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO, SENDO UMA DELAS O ATENDIMENTO A LEI SOX SARBANES OXLEY ASSINADA EM 30 DE JULHO DE 2002 NOS ESTADOS UNIDOS.
    MAS GERENCIAR RISCOS NO ABRANGE APENAS SUA REA CONTBIL, FINANCEIRA E PATRIMONIAL, ABRANGE SIM E COM MUITA EXPOSIO A RISCOS OS INVESTIMENTOS FEITOS POR ESTAS EMPRESAS E ORGANIZAES, E EM ESPECIAL, DEVIDO A GRANDE EXPOSIO A RISCO, AS OBRAS DE ENGENHARIA.
    TEMOS ACOMPANHADO ROTINEIRAMENTE UMA SERIE ESCNDALOS ENVOLVENDO RGOS PBLICOS, NAS ESFERAS FEDERAIS, ESTADUAIS E MUNICIPAIS, ASSIM COMO EM EMPRESAS ESTATAIS, REFERENTES A FRAUDES, DESVIOS, SUPERFATURAMENTOS, NO RECOLHIMENTO DE TRIBUTOS E ATENDIMENTO A LEGISLAO APLICVEL EM DIVERSAS CONTRATAES DE SERVIOS E FORNECIMENTOS DE PRODUTOS, TANTO NAS REAS DA SADE, EDUCAO, INFRAESTRUTURA, COMUNICAO, ETC., E EM GRANDES VOLUMES ENVOLVIDOS ESPECIALMENTE NA EXECUO DE OBRAS DE DIVERSAS MODALIDADES, SEJA DE ESTRADAS, EDIFICAES, SANEAMENTO E TANTAS OUTRAS.
    QUANDO FALAMOS EM FRAUDES, DESVIOS E SUPERFATURAMENTOS ESTAMOS FALANDO EM SE CONTRATAR UM SERVIO, FORNECIMENTO OU OBRA POR UM VALOR MUITO SUPERIOR AO PRATICADO NO MERCADO (SEJA POR FORMAO DE CARTEL SEJA POR CONIVNCIA DAS PARTES CONTRATANTES), ESTAMOS FALANDO EM SE PAGAR UMA QUANTIDADE DE SERVIO OU FORNECIMENTO MUITO SUPERIOR AO REALMENTE EXECUTADO, ESTAMOS FALANDO EM SE PAGAR POR UM PRODUTO DE BOA QUALIDADE E RECEBER DE QUALIDADE INFERIOR, ESTAMOS FALANDO EM PAGAR POR ADITIVOS CONTRATUAIS COM BASE EM MRITOS QUE NA REALIDADE J ESTAVAM CONTEMPLADO NO CONTRATO E CONSEQUENTEMENTE J INCLUSO NO PREO CONTRATADO,
    ESTAMOS FALANDO DE SONEGAO DE IMPOSTOS E FRAUDES EM GUIAS DE RECOLHIMENTO (QUE NA REALIDADE NO FOI RECOLHIDO), E EM TANTAS MODALIDADES E CAUSAS DE DESVIOS, E POR ESTES MOTIVOS QUE TEMOS UMA SERIE DE OBRAS INACABADAS OU QUE SEU PRAZO SE ESTENDEU POR MUITO MAIS TEMPO QUE O PREVISTO, RESULTANDO EM TER QUE SE APORTAR MAIS RECURSOS QUE O INICIALMENTE PREVISTO PARA O INVESTIMENTO.
    TODAVIA SE ENGANA QUEM PENSA QUE ESTAS OCORRNCIAS SO UMA A PRTICA APENAS DO SETOR PUBLICO, POIS NO SETOR PRIVADO TAMBM ESTAMOS SUJEITOS AS ESTAS MESMAS AES J QUE LIDAMOS COM PESSOAS E EMPRESAS QUE NEM SEMPRE TEM COMO FOCO EM SEU TRABALHO OU NO SERVIO PRESTADO A CONDUTA DE TICA, TRANSPARNCIA E HONESTIDADE, COMO TAMBM MELHOR PRATICA DE GESTO.
    NOS ESTADOS UNIDOS, NAS EMPRESAS PRIVADAS EM ESPECIAL, SE TEM COMO PRATICA J A MAIS DE DUAS DCADA A EXECUO DE "AUDITORIA PREVENTIVA" NA EXECUO DE TODAS SUAS OBRAS E TEMOS CONSTATADO J MAIS DE UMA DCADA ESTA MESMA PRATICA NA EUROPA, E AQUI NO BRASIL ESTAMOS AINDA SOFRENDO ALGUMAS RESISTNCIAS QUANDO SE FALA EM "AUDITAR PREVENTIVAMENTE UMA OBRA".
    TODAVIA ESTA PRATICA VISA PRINCIPALMENTE AGREGAR VALOR AO INVESTIMENTO E A FORMA DE GESTO DOS MESMOS, OFERECENDO SUGESTES E ALTERNATIVAS DE MINIMIZAR SEUS RISCOS, APLICAR AS MELHORES PRTICAS DE GESTO, CERTIFICAR O ATENDIMENTO AS LEGISLAES APLICVEIS (TRIBUTRIA, TRABALHISTA, FINANCEIRA, AMBIENTAL, ETC.) POR PARTE DAS EMPRESAS CONTRATAS, BUSCANDO-SE COM ISTO MINIMIZAR OS RISCOS DO CONTRATANTE QUANTO A RESPONSABILIDADE SOLIDARIA UMA VEZ QUE QUANDO O CONTRATADO NO ATENDE INTEGRALMENTE A LEGISLAO APLICVEL O CONTRATANTE TER QUE ASSUMIR ESTE PASSIVO. RESSALTA-SE NESTA MODALIDADE DE AUDITORIA QUE PODEMOS PREVENTIVAMENTE IDENTIFICAR E CORRIGIR AES INDEVIDAS SEJAM DE DESVIOS NOS PROCESSOS DE CONTRATAES, NA GESTO DAS OBRIGAES CONTRATUAIS DAS PARTES E NA EXECUO DAS OBRAS (QUANTIDADES, QUALIDADES, ADENDOS, PRAZOS, ETC.), SENDO AINDA UM FATOR INIBIDOR A PRESENA DA AUDITORIA DE FORMA PREVENTIVA.
    COM ESTE OBJETIVO DE AGREGAR VALOR E BUSCAR MINIMIZAR RISCOS, BEM COMO VALIDAR E CERTIFICAR AS AES DE SEUS GESTORES QUE TEMOS ATUADO NOS ULTIMO 15 ANOS REALIZANDO "AUDITORIA PREVENTIVA" E MAIS FORTEMENTE NOS LTIMOS 10 ANOS, ONDE J AUDITAMOS MAIS DE 15 BILHES DE DLARES DE INVESTIMENTOS EM OBRAS DE DIVERSAS MODALIDADES, NO BRASIL E EXTERIOR.
    TEMOS TAMBM EM NOSSA EXPERTISE A PRESTAO DOS SERVIOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E OBRAS, SENDO QUE NO EMPREENDIMENTO QUE REALIZAMOS AUDITORIA NO REALIZAMOS GERENCIAMENTO E VICE- VERSA, POIS TERAMOS A UM CONFLITO DE INTERESSES EM NOSSO ESCOPO DE TRABALHO. COMO GERENCIADORA IMPLANTAMOS EMPREENDIMENTOS QUE SUPERAM INVESTIMENTOS SUPERIORES A 05 BILHES DE DLARES NO BRASIL.
    RECENTEMENTE PARTICIPAMOS COMO UM DOS PATROCINADORES DO "CLAI 2010" Congresso Latino Americano de Auditoria Interna, QUE SE REALIZOU NO RIO DE JANEIRO ENTRE OS DIAS 07 E 09 DE NOVEMBRO COM PARTICIPAO DE MAIS DE 1.200 CONGRESSISTAS DE VRIOS PASES DA AMERICA LATINA, ONDE TIVEMOS A OPORTUNIDADE DE PERCEBER QUE NOS DEMAIS PASES DA AMERICA LATINA ESTA PRTICA TAMBM NO AINDA UMA ROTINA DE APLICAO COMO GESTO DE RISCO NAS OBRAS, PRINCIPALMENTE NA REA PUBLICA, COMO TAMBM NA REA PRIVADA.
    AO COMPLETARMOS 15 ANOS TEMOS NOSSA MARCA SOLIDIFICA ESSENCIALMENTE NA CREDIBILIDADE, TRANSPARNCIA, TICA E COMPROMETIMENTO, VALORES ESTES QUE SO CERTAMENTE AVALIZADOS POR TODOS NOSSOS CLIENTES QUE SE ESTENDEM EM TODO TERRITRIO NACIONAL E DA AMERICA DO SUL, POIS TEMOS AINDA UMA FILIAL NA CIDADE DE SO PAULO SP E NA CIDADE DE PORTO VELHO RO, SENDO NOSSA SEDE EM BELO HORIZONTE MG. ATUALMENTE ESTAMOS PRESENTES EM 07 ESTADOS BRASILEIROS ONDE TEMOS CONTRATOS VIGENTES.







                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Novembro 21, 2010

    O FATO E AS FOTOS. Matria pinada da coluna do meu amigo o colunistas Csar Romero da Tribuna de Minas de Juiz de Fora.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Novembro 20, 2010

    Vivo, cad vo?

    Estou incomunicvel no meu i-phone, desde as 13 horas! S aparece na minha tela "Sem Sevio". Socorro, Vivo - porque estou morrendo de raiva!!!

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Novembro 20, 2010

    O COLRIO deste sbado vem mais uma vez da coluna do Csar Romero da Tribuna de Minas de Juiz de Fora.


    Paula Abranches
    na movimentada balada do Privilge
    em Juiz de Fora.
    ta terra de mulher bonita, s!!!

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Novembro 20, 2010

    Rescaldo das eleies. Governador Antnio Anastasia recebe bancada estadual do PMDB.



    Omar Freire/Imprensa MG
    Governador Antonio Anastasia (C) durante encontro com deputados do PMDB
    Governador Antonio Anastasia (C) durante encontro com deputados do PMDB

    BELO HORIZONTE (19/11/10) - O governador Antonio Anastasia se reuniu, nesta sexta-feira (19), no Palcio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, com deputados da bancada estadual do Partido do Movimento Democrtico Brasileiro (PMDB). Estiveram presentes os deputados Antnio Jlio, Svio Souza Cruz, Getlio Neiva, Ivair Nogueira, Adalclever Lopes, Jos Henrique e Vanderlei Miranda. Tambm estiveram presentes o secretrio de Estado de Governo, Danilo de Castro, e o deputado eleito Luiz Tadeu Martins Leite.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Novembro 20, 2010

    Novidade!!! Em primeira mo para voc. Vem a a criao da ESCOLA SUPERIOR DA DEFENSORIA PBLICA EM MINAS. Vale conferir!!!








    2011 SER O ANO DE CRIAO DE ESCOLAS SUPERIORES DA DEFENSORIA PBLICA  
     




    A reunio das Diretorias das Escolas Pblicas realizada na manh desta quinta-feira (18/11) durante o IX Encontro Nacional dos Defensores Pblicos, definiu que o ano de 2011 ser dedicado a criao de novas Escolas da Defensoria Pblica. No encontro tambm ficou acertado que haver novas reunies para a criao de um colegiado para o fortalecimento das escolas.

    Diretores de Escolas Superiores, Defensores Pblicos e presidente de Associaes que buscam a criao e o fortalecimento das escolas em seus estados participaram da reunio. Os trabalhos resultaram na criao de uma pauta de encontros para efetivao das escolas, troca de experincias e oportunidade de se firmar o compromisso de um esforo em conjunto.

    Desde 2005, a Escola Superior da Defensoria Pblica da Bahia, veiculada a instituio, vem trabalhando na qualificao dos servidores e Defensores Pblicos, alm de fomentar projetos para melhor aproveitamento da instituio. Segundo a Defensora Pblica da Bahia e diretora da Escola Superior, Maria Clia Nery Padilha, o trabalho das escolas superiores proporciona o fortalecimento da Defensoria e qualifica seus servidores. "A Escola funciona como o corao de cada instituio. ela que capacita os Defensores, os estagirios, servidores e oferece proposta de planejamento para a instituio", disse a diretora.

    A Defensora Pblica lembra ainda que a Escola Superior de seu estado um rgo auxiliar da administrao e conta com o apoio da Defensora Pblica Geral. A Escola realiza seminrios, cursos de capacitao e especializao para Defensores Pblicos, servidores, estagirios do nvel superior e mdio, alm de ter convnio com faculdades para que estudantes de outras reas possam auxiliar no trabalho dos Defensores Pblicos.

    Para o Diretor Presidente da FESDEP (Fundao Escola Superior da Defensoria Pblica do Rio Grande do Sul), Lisandro Lus Wottrich, a criao de novas escolas deve ser uma luta em conjunto para aumentar a capacitao dos Defensores Pblicos. "Assim como a gente luta pela criao da Defensoria Pblica nos estados onde faltam, temos que fazer um esforo conjunto para a criao das escolas para aumentar a capacitao de Defensores, alargamento da criao de eventos e do prprio saber", disse o Defensor Pblico.

    Criada em 1999 por 50 defensores pblicos que investiram recursos financeiros pessoais e por meio de doaes, a Fundao Escola Superior da Defensoria Pblica do Rio Grande do Sul uma das mais bem estruturadas do pas. Independente, a Fundao tem seus recursos financeiros obtidos por meio das mensalidades dos alunos e de doaes, no recebendo nenhum aporte da Defensoria Pblica nem da associao.

    O gerenciamento da Fundao Escola feito por um conselho superior,integrado pelo Defensor Pblico Geral, Corregedor Geral, trs membros da associao local e dois membros do Conselho Instituidor, escolhidos por chapa em eleio para o exerccio de trs anos.

    Os cursos de aperfeioamento e preparao para o concurso da Defensoria Pblica contam com uma grade curricular expressiva e um corpo docente formado por mestre e doutores. A Fundao tem ainda um sistema de bolsas para os melhores estudante de algumas universidades locais, principalmente do interior do estado. Hoje est sendo firmado um convnio com a Defensoria Pblica e a Unisinos para um realizao de curso de captao para 50 defensores pblicos sem custos.

    Minas Gerais


    O Presidente da Associao dos Defensores Pblicos de Minas Gerais (ADEP-MG), Felipe Soledade, participou da reunio para dos diretores de Escolas Superiores para recolher mais informaes sobre o funcionamento das escolas. Soledade revelou que h mais de um ano realizada a coleta de informaes para a criao da Fundao da Escola Superior de Minas Gerais, e que, provavelmente, em 2011 seja possvel a realizao de uma assembleia para a criao da escola. "A criao da Escola Superior de Minas Gerais ser uma verdadeira revoluo dentro da Defensoria, com a melhor qualificao de seus prprios quadros, futuros egressos, e tambm de influir no meio acadmico e em outros setores com o modo de ver dos Defensores, da Defensoria Pblica, e de todo sistema de Justia e Direito em geral", disse Soledade.

    A Defensora Pblica Geral de Minas Gerais, Andra Abrita Garzon Tonet afirmou que est conversando com a ADEP-MG para formatao em conjunto do projeto da Escola Superior. Segundo a Defensora Pblica Geral, a criao da Escola fundamental. "A escola pode socorrer a instituio em vrios momentos, seja curso de formao, curso jurdico para ingresso na carreira de Defensor Pblico. Ela ilumina a instituio, d um brilho para a Defensoria Pblica. Hoje um projeto da administrao, a fundao da Escola Superior", disse Andrea Tonet.




    congressomgs18.jpg


    O presidente da ADEP-MG, Felipe Soledade, e a DPG Andra Tonet, no IX CNDP, em Campo Grande-MS
    Fonte: ADEP/MG



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Novembro 20, 2010

    Terminou nesta sexta-feira, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, o IX Congresso Nacional das Defensorias Pblicas. Estivemos l a semana toda,acompanhando a Defensora Geral Pblica de Minas. Dra. Andra Tonet. Minas, alis, teve uma presena marcante no Congresso. Cobr tudo para voc que nos acessa e para a homepage da Defensoria.








    COORDENADOR DE DIREITOS HUMANOS DA DPMG COMANDA DEBATE SOBRE "DEFENSORIA PBLICA NO SISTEMA INTERAMERICANO", NO IX CONGRESSO NACIONAL  
     




    O coordenador de Direitos Humanos da Defensoria Pblica de Minas, defensor Gustavo Corgosinho, presidiu o painel sobre "Defensoria Pblica no Sistema Interamericano", no IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos, que termina nesta sexta-feira, 19/11, em Campo Grande-MS. Todos os palestrantes desse painel ressaltaram a importncia do fortalecimento da atuao das Defensorias Pblicas de todos os pases do continente americano perante o Sistema Interamericano de Proteo dos Direitos Humanos.

    Entre os palestrantes do tema, o juiz Srgio Ramirez, da Corte Interamericana de Direitos Humanos, a qual presidiu no perodo de 2003 a 2005, e autor de mais de 50 obras sobre o assunto; Victor Abramovich, membro da Comisso Interamericana de Direitos Humanos, no perodo de 2006-2009, tendo sido nomeado, em 2010, para o cargo de Secretrio Executivo do Instituto de Polticas de Direitos Humanos do MERCOSUL, para um mandato de dois anos.

    Foram debatedores, nesse painel presidido pelo defensor mineiro, a Defensora Geral da Nao Argentina e defensora do Supremo Tribunal de Justia daquele pas, Stella Maris Martinez; e o defensor pblico do Estado de So Paulo, Antnio Maffezoli, escolhido pela Associao Interamericana de Defensores Pblicos - AIDEF para integrar a equipe de Defensores Pblicos Interamericanos.

    Acompanhamento de processos


    Alm do convnio j firmado entre a AIDEF e a Corte Interamericana, os integrantes do painel apresentaram proposta para a celebrao de convnio de mesma natureza com a Comisso Interamericana, para que haja o acompanhamento de processos naqueles dois rgos integrantes da Organizao dos Estados Americanos (OEA).

    Criao e fortalecimento de ncleos

    Durante o debate do painel "Defensoria Pblica no Sistema Interamericano", foi ressaltada a necessidade de fortalecimento da atuao de todas as Defensorias Pblicas na rea de Direitos Humanos, com a criao de ncleos especializados, onde no existem, e o fortalecimento daqueles j existentes, com a ampliao do nmero de defensores pblicos com atuao nesta temtica.

    Conselho e Comisso de DH

    No mesmo painel, noticiou-se tambm a criao da Comisso Nacional de Defensores Pblicos com atuao em Direitos Humanos, vinculada ao Conselho Nacional de Defensores Pblicos Gerais-CONDEGE, que ter por objetivo o estabelecimento de maior articulao entre esses defensores pblicos com atuao na referida temtica, em cada um dos Estados brasileiros.



    Fotos: ANADEP

    congressomgs33.jpg

    congressomgs34.jpg

    congressomgs35.jpg



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Novembro 18, 2010

    Nesta sexta-feira, 9 da manh.

    EXCLUSIVO: o novo diretor regional da AMIL,
    Emerson Fidelis d entrevista exclusiva
    ao nosso Talk Show na Rede Super,
    Nesta sexta-feira, 9 horas. Noperca!!!

    Indito. REDE SUPER.
    Talk Show imperdvel!!!

    Nesta sexta, 9 horas na REDE SUPER.
    No Talk Show Joo Carlos Amaral Entrevista"
    o entrevistado o novo diretor da AMIL em Minas,
    mdico Emerson Fidelis Campos,
    que foi presidente da Unimed BH e da Federao das Unimeds.



    Agora no novo Plano de Sade - a AMIL - o maior do pas
    o dr. Emerson vai destacar as aes estratgicas para alavancar a AMIL
    em todo o Estado.
    Mais detalhes, vale conferir no nosso Programa na Rede Super.

    Nesta sexta-feira, 9 horas na REDE SUPER
    voc tem encontro marcado com o TALK SHOW
    do Joo Carlos Amaral. Para ASSISTIR
    o programa s colocar sua TV
    sintonizada no canal 23 a cabo em BH.
    E pela internet:
    www.redesuper.com.br
    ( clicar no cone ASSISTA ON LINE).







    O "Programa Joo Carlos Amaral Entrevista"
     vai ao ar na TV  REDE SUPER,
    canal 23 da NET,
    toda quarta-feira,s 20 horas,
    com reprise:
    s sextas-feiras
    s 9:00 hs da manh.
     

    ATENO!!!


    No dia 30 de agosto de 2010, a REDE SUPER
    passou a operar em novo satlite  o Star One C2 -,  
    que tem maior abrangncia e mellhor qualidade de sinal.
    Desde ento, so mais de 16 milhes de antenas parablicas
    recebendo nossa programao em todo o Brasil,
    Amrica do Sul, Mxico e Flrida (EUA).

    Para receber a REDE SUPER
    em sua antena parablica
    voc deve ajustar o seu receptor em:
    Frequncia: 3648
    SR: 2170
    Fec: 3/4
    Polaridade vertical
    Para quem j assite a REDE SUPER pelo satlite B4,
    ser necessrio realinhar a antena para o satlite C2
    e ajustar o receptor de acordo com os dados acima.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Novembro 18, 2010

    Presidente da Associao dos Defensores Pblicos de Minas Gerais, FGelipe Soledade e a Defensora Pblica Geral de Minas, Andra Tonet participam at sbado do IX Congresso Nacional das Defensorias em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. Estou aqui cobrindo o evento para nosso BLOG.

    congressomgs18.jpg

      



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Novembro 18, 2010

    De olho no Congresso das Defensorias em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.








    PROGRAMAO INTENSA E DISPOSIO NA BUSCA DO FORTALECIMENTO DA INSTITUIO MARCAM O IX CONGRESSO NACIONAL DOS DEFENSORES PBLICOS EM CAMPO GRANDE  
     




    Em andamento no Estado do Mato Grosso do Sul, o IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos rene, pela primeira vez, na capital Campo Grande, defensores pblicos de diversos Estados Brasileiros e de outros pases da Amrica do Sul, alm de outros operadores do Direito, assim como acadmicos de Direito, estagirios das Defensorias Pblicas e demais profissionais da rea jurdica.

    Representando Minas Gerais, 26 profissionais marcam presena em toda a programao do evento, que tem como objetivo central a troca de experincias e o debate sobre os desafios e as limitaes impostas boa atuao da Defensoria Pblica. O fortalecimento da unidade entre os defensores e a consolidao das Associaes da Classe tambm permeiam as metas desse encontro em MS.

    Investir e fortalecer para igualar


    A presidente da ADEP-MS, defensora Mnica De Salvo Fontoura, declarou: Se ns buscamos uma sociedade justa, com igualdade de tratamento das partes, quando do acesso Justia, independentemente da camada social a qual pertenam, temos que investir e fortalecer as Defensorias Pblicas de todo o pas.

    Programa movimentado


    A abertura do evento foi festiva, com representaes de grupos artstico-musicais e pronunciamentos de autoridades. Ao final, foi servido um coquetel aos presentes. O IX CNDP vai at a prxima sexta-feira, 19/11, e, alm das reunies temticas e os onze painis, haver concursos de teses e prticas exitosas, lanamento de livros e mesas redondas, que contaro com os maiores especialistas do Brasil e da Amrica Latina.



    congressomgs28.jpg






























    Mesa de honra e pblico da solenidade de abertura do IX CNDP, em Campo Grande



    congressomgs25.jpg






























    Autoridades como o governador do Mato Grosso do Sul, Andr Puccinelli, e a presidente do Condege, Tereza Cristina Almeida Ferreira ocuparam a primeira fila durante as apresentaes artsticas do IX CNDP, em Campo Grande



    congressomgs24.jpg






    congressomgs26.jpg








    Representao artstica para brindar os participantes da cerimnia de abertura do IX CNDP, no Mato Grosso do Sul

    congressomgs27.jpg






    Defensores mineiros aplaudem a arte dos campograndenses, na abertura do IX CNDP. Da esquerda p/direita: a chefe de gabinete, Marolinta Dutra; o Corregedor Geral Eduardo Carneiro; a DPG Andra Tonet e Marcelo Tadeu de Oliveira

    congressomgs21.jpg


    O presidente da ANADEP, Andr Castro; a vice-presidente da ANADEP e presidente da ADEP-CE, Mariana Lobo; e a DPG de Minas, Andra Tonet

    congressomgs19.jpg


    Defensores mineiros na noite da abertura do IX CNDP, em Campo Grande-MS: Luciana Moura, Bruno Barcala, DPG Andra Tonet; chefe de gabinete, Marolinta Dutra; e Rodrigo Delage

    congressomgs18.jpg


    O presidente da ADEP-MG, Felipe Soledade,
    e a DPG Andra Tonet, no IX CNDP, em Campo Grande-MS

    congressomgs17.jpg


    Mais representantes de Minas, no IX CNDP, no Mato Grosso do Sul: defensores Gustavo Pimenta, DPG Andra Tonet, Samantha Vilarinho, Renata Martins, Ludmila Fanuchi, Jos Henrique Ribeiro e Rodrigo Delage



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Novembro 18, 2010

    Novo SECRETARIADO MINEIRO ser anunciado s no final de dezembro. Fala governador Antnio Anastasia!!!



     
    Governador Antonio Anastasia -
    Foto Alessandro Carvalho/PSDB-MG

    Assuntos:
    Programa Estadual
    de Controle Permanente da Dengue,
    Reforma Tributria
    e Secretariado
     

    Em primeiro lugar, fundamental conscientizarmos as pessoas da importncia do combate Dengue. Por isso, a campanha tem como slogan 'Agora guerra, todos contra a Dengue', porque acreditamos que as pessoas j sabem o que precisam fazer e a Dengue se combate com uma ao efetiva no dia-a-dia, por isso, precisamos fazer agora a mobilizao, que as pessoas se conscientizem que tm de agir dentro de suas casas, combatendo a figura das latas, do pneu, dos entulhos e, claro, com a participao efetiva do poder pblico.
    Ento, estamos lanando aqui vrias aes, aes de informao, ao de mobilizao, aes governamentais, parcerias com o governo federal, parceria com as prefeituras, acabei de reunir aqui 80 prefeitos das cidades maiores de Minas que tm problemas com a Dengue, reunimos a sociedade civil, estamos mobilizando, portanto, de modo completo, toda Minas Gerais para termos uma melhoria no ano de 2011. Temos que comear agora, porque no ano que vem certamente teremos ento notcias melhores. o nosso esforo, agora, para isso, no basta a ao do governo, por isso esse lanamento.
    fundamental que haja a participao da imprensa, que haja a participao das organizaes da sociedade civil, das escolas, ou seja, toda a sociedade, todas das foras vivas tm de participar dessa verdadeira guerra. 
    Agradeo aqui, publicamente, s Foras Armadas Brasileiras, que esto conosco desde o primeiro momento, Exrcito e Aeronutica, em especial aqui em Minas Gerais, participando tambm dessa guerra.
    Manifesto o meu agradecimento s prefeituras e quero mais uma vez dizer que estamos dando aqui o primeiro passo para uma campanha muito efetiva de mobilizao social contra a Dengue para reduzirmos o nmero de doentes e naturalmente evitarmos mortes. 
    As campanhas vo ser diferenciadas, governador, porque a gente v, por exemplo, cidades como Caetanpolis que tem o Lira de 4 e vemos tambm o ndice de Belo Horizonte de 0,9. Vai ser diferenciado esse plano? 
    Claro, cada cidade tem a sua peculiaridade, cada regio tem a sua caracterstica. Na reunio que acabamos de fazer com os prefeitos isso foi muito debatido, claro que a experincia de um pode funcionar em outro municpios ou tem que ser adaptada em relao determinada realidade. Vamos fazer em um primeiro momento um grande esforo naquelas 20 cidades que congregam quase dois teros do nmero de notificaes porque temos conhecimento e sabemos onde agir num primeiro momento. claro que a ao depender fundamentalmente da mobilizao das pessoas. 
    Governador, o que muda em relao aos outros planos? 
    Na verdade estamos dando um passo adiante. Tendo um pressuposto que a informao j chegou bem, estamos agora partindo para uma mobilizao maior. A palavra chave dessa guerra talvez seja exatamente essa, a mobilizao, mostrando s pessoas que no basta a ao do governo, no basta meramente os anncios na televiso, porque as pessoas sabem o que devem fazer e por muitas vezes no fazem. Ento, temos de mostrar a elas que fundamental fazer.
    O governo vai se mobilizar na sua inteireza, todos os rgos de Governo, e esperamos que a sociedade tambm tenha essa mesma mobilizao e consiga, inclusive com prmios, apresentando nos 'Dengmetros' que vamos fazer nas cidades, nas diversas caravanas, dando prmios para aqueles que nos entregam os pneus, aqueles materiais que so materiais, potencialmente, para recriao do mosquito.
    Por falar em prmios, como o senhor v o incentivo que est sendo dado pela prefeitura, de pagar um 14 salrio para os agentes que cumprirem suas metas no combate ao mosquito? 
    Muito boa a iniciativa. No h dvida que todas as iniciativas que venham para subsidiar e estimular o combate dengue tem que receber o nosso aplauso. No h dvida que a Prefeitura de Belo Horizonte apresentou uma boa sugesto, e nessa reunio, como acabei de dizer, que fizemos com os prefeitos, tivemos diversas sugestes e muitas outras vo surgir. Porque exatamente esse o nosso objetivo, que todos participem, conheam as experincias recprocas das realidades e possamos fazer uma guerra bastante coordenada contra a dengue em Minas Gerais. 
    Haver um aumento no investimento, governador?
    So R$ 60 milhes colocados s para essa guerra.
    Antes era quanto, para dengue? 
    Eu no tenho o valor do ano passado, mas temos um valor muito expressivo desse ano, que um valor que, em termos de poltica pblica de sade, muito alto. E mesmo assim, sabemos que pode ser aqum do que precisaramos. Mas um valor, est lembrando o secretrio, mais que trs vezes. Mas um valor importante, que demonstra a nossa mobilizao.
    Ou seja, por parte do Governo do Estado, estamos nos esforando bastante, e registro, estamos tendo participao efetiva do governo federal, participao efetiva dos municpios, mas o mais importante a participao da sociedade.
    A imprensa, de modo especial, as organizaes governamentais, as escolas, no s as pblicas, mas tambm as privadas, e todos que possam permitir, clubes, servio, associaes de vizinhos, sindicatos, universidade, igrejas, para mobilizarmos a sociedade para que as pessoas atuem, para que as pessoas ajam, em favor de uma limpeza completa para que no haja dengue. 
    Governador, por falar em sade, ontem o senhor falou, deu uma declarao dizendo que o senhor contrrio volta da CPMF, que o senhor favorvel a uma reforma tributria, que, inclusive, contempla a sade tambm. Essa foi uma declarao que o senhor deu ontem
    Eu j voltei a explicar o que tinha dito antes, de maneira muito clara. Eu tinha feito um histrico da questo da CPMF, depois viajei, houve uma grande polmica sobre o tema. O governo federal desistiu do tema, pelo que eu li na imprensa, a manifestao do ministro do Planejamento. Ento, claro que a nossa posio, desde o incio e durante a campanha, foi isso muito claro, a favor de uma ampla reforma fiscal.
    Porque hoje, no Brasil, temos uma concentrao muito forte de recursos na Unio. Estados e municpios tm um quinho menor, pouco mais de 30%, e quase 70% na esfera federal. Ento temos que fazer uma reforma tributria, e criar um tributo federal, isoladamente, no seria o caso.
    Ento, naturalmente, como a carga fiscal j alta, e isso, todo mundo reconhece, temos que modificar. E nessa reforma, tenho certeza, a questo de financiamento da sade, que importantssima, deve ser discutida. Porque, de todas as polticas pblicas, a sade aquela que tem sempre uma demanda maior, o que chamamos de demanda infinita, e mais do que isso. aquela que sempre apontada nas pesquisas de opinio como a mais demandada, e estamos vendo, no s no caso da dengue, mas de outras reas, que a sade precisa permanentemente de investimentos.
    Sobre a reforma administrativa, governador, queria que o senhor comentasse se foi feita uma equipe interna para ser discutido esse assunto e se o senhor pretende anunciar o secretariado todo de uma vez ou se o senhor vai anunciar por partes, a partir de quando?
    Bem, a equipe que est incumbida dos estudos, ainda totalmente interna, ela da prpria Secretaria de Estado do Planejamento, e, naturalmente, com a participao de algumas pessoas que colaboraram conosco ao longo da campanha. O secretariado ser anunciado no final do ms de dezembro, de modo nico.

    Estado lana Programa de Controle Permanente da Dengue Estado lana Programa de Controle Permanente da Dengue Estado lana Programa de Controle Permanente da Dengue
    Estado lana Programa de Controle Permanente da Dengue



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Novembro 18, 2010

    Continuo em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul - aonde cubro o IX Congresso Nacional das Defensorias Pblicas. Alm do Congresso participamos do II Encontro Nacional de Assessores de Comunicao da cateria. Confira. no link anexo a CARTA DE CAMPO GRANDES que rene as principais decises dos mais de 25 jornalistas tomadas e aprovadas no encontro.








    ASSESSORES DE COMUNICAO
    REAFIRMAM COMPROMISSO
    COM A DIFUSO E CONSCIENTIZAO
    DOS DIREITOS HUMANOS

     
     




    CONVITE_ENCONTRO_frente.jpg O I I Encontro Nacional de Assessores de Comunicao Social de Associaes de Defensores e Defensorias Pblicas reuniu 25 jornalistas de diversos estados para discutir estratgias de divulgao e fortalecimento da Defensoria Pblica para a imprensa e sociedade, durante o IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos.


    Na ocasio, os jornalistas reafirmaram o compromisso de lutar pela efetivao do artigo 6 da Lei Complementar n 132/2009, que inseriu como funo da Defensoria Pblica a difuso e a conscientizao dos direitos humanos, da cidadania e do ordenamento jurdico.

    O encontro deu continuidade ao processo de implantao de uma poltica nacional de comunicao para a Defensoria Pblica, com destaque para a importncia da estruturao e funcionamento de Assessorias de Comunicao em todas as Defensorias estaduais e Associaes de Defensores Pblicos. Foram debatidas tambm diretrizes, conceitos e normas tcnicas necessrias integrao dos assessores para o estabelecimento de um bom fluxo de informao com a populao e aproximao com os veculos de comunicao.

    Ao final do encontro, foi elaborada a Carta de Campo Grande com propostas de implantao de estratgias e polticas de comunicao que visam o aprimoramento das assessorias e consequente fortalecimento da imagem da Defensoria Publica.

    A Carta de Campo Grande foi entregue pelos jornalistas ao presidente da Associao Nacional dos Defensores Pblicos, Andr Castro, e presidente do Conselho Nacional de Defensores Pblicos Gerais, Tereza Cristina Ferreira.

    Confira a ntegra da Carta de Campo Grande.

    Fonte: ANADEP


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 17, 2010

    Congresso Nacional das Defensorias Pblicas - que cubro em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul - tem a presena de 800 defensores(as). De Minas Gerais, est aqui partidcipando dos importantes debates que comearam nesta ter-feira, a dra. Andrea Tonet, Defensora Pblica Geral do Estado acompanhada de assessores e do corregedor geral Eduardo Oliveira. Junto com o presidente da ANADEP, Andr de Castro e outros defensores pblic0s gerais, com o governador Andr Puccinelli, PMDB. Ela fica at sbado, quando ser encerrado o IX Congresso Nacional das Defensorias Pblicas do Brasil.


    Dra. Andrea Tonet tem agenda cheia
    no Congresso que vai at sbado
    em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 16, 2010

    Aberto agora noite no Centro de Convenes de Campo Grande no Mato Grosso do sul, o IX Congresso Nacional das Defensorias Pblicas do Brasil. Foi aberto na parte oficial pelo presidente da ANADEP< Andr de Castro, com a presena do governador de MS, Andr Puccinelli, PDMB. Minas foi representada pela Defensora Pblica Geral do Estado, Andra Tonet. Com ela uma delegao de defensores e defensores mineiros. Na abertura do Congresso de Defensorias mais de 800 defensores de todo o pas. Na parte cultura e de msica, se apresentaram a Orquestra mantida pela Associao dos Defensores Pblicos de Mato Grosso do Sul, formda por jovens. Belssima apresntao. E o espetculo do TOURO CANDIU - que faz parte do folclore sul-mato-grossense. Anotei e fotografei tudo. Pinei fotos a agncia Contexto Mdia, de Renato Lima, contratada para cobrir o evento.

     
    Andr de Castro, presidente da ANADEP
    e outras autoridades estavam no evento.
     



    Touro Candiu - do folclore sul-mato-grossense,
    agradou em cheio.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 16, 2010

    EM CIMA DA HORA!!! Estou em Mato Grosso do Sul na capital do Estado Campo Grande. Terminou agora - 13 horas, horrio local - que aqui estamos a UM HORA DE ATRASO do resto do pas, o II Encontro Nacional dos Assessores de Comunicao Social das Defensorias Pblicas.

    O jornalista Manuel Chaparro  fez a palestra de encerramento
    do II ENCONTRO NACIONAL
    DOS ASSESSORES DE COMUNICAO SOCIAL

    das Defensorias Pblicas.
    O ENCONTRO, que comeou ontem foi ecerrado agora tarde.
    CONFIRA!!!

    II Encontro Nacional 
    de Assessores de Comunicao Social
    foi encerrado a pouco aqui em Campo Grande,
    Mato Grosso do Sul.

                                                              


                                                                    Evento teve incio 
                                                               ontem dia 15 de novembro
                                                                   em Campo Grande.
                                                           A palestra de encerramento 
                                                                        hoje tarde
                                                                    foi do jornalista
                                                             Manuel Carlos Chaparro


    Promovido pela Associao Nacional dos Defensores Pblicos (ANADEP) e Associao dos Defensores Pblicos de Mato Grosso do Sul, o evento d continuidade ao processo de implantao de uma poltica nacional de comunicao para a Defensoria Pblica, alm de propor a organizao e funcionamento de estruturas de comunicao em todas as defensorias estaduais e associaes com diretrizes, princpios, conceitos e normas tcnicas necessrias integrao.
    Com uma programao voltada para a atualizao e aprimoramento do trabalho desenvolvido pelos assessores de comunicao, o Encontro foi encerrado hoje tarde, dia 16 de novembro, com a palestra do jornalista Manuel Carlos Chaparro, que falou sobre
    "tica e credibilidade nas assessorias
     O papel do jornalista na assessoria de comunicao social".


    De acordo com Chaparro, "um dos pontos mais importantes tratado durante a palestra foi o tratamento jornalstico das notcias desde suas origens, pois em um mundo onde a comunicao instantnea, os contedos praticamente no passam mais pelas redaes", destaca o professor, ressaltando a importncia de um bom trabalho realizado pelos assessores de comunicao. Ele defende que os profissionais de comunicao que trabalham em assessorias atuem sempre jornalisticamente, de forma a garantir a qualidade dos contedos divulgados.
    "Quando o jornalista trabalha junto com a fonte, ele tem que ser um educador. No pode apenas pensar apenas em difundir a imagem da instituio ou da fonte. A tica fundamental", explica.
    O jornalista tambm registrou a importncia de se discutir o trabalho das assessorias de comunicao dentro de um Congresso de Defensores Pblicos. "As informaes provenientes da Defensoria Pblica so de interesse da sociedade. fundamental haver um enriquecimento intelectual de seus assessores diretamente proporcional ao contedo que precisam divulgar", enfatizou.
    Manuel Carlos Chaparro doutor em Cincias da Comunicao e professor associado (aposentado) da Universidade de So Paulo. tambm jornalista, desde 1957. Com trabalhos de reportagem, ganhou quatro vezes o Prmio Esso de Jornalismo. Tem quatro livros publicados, sobre jornalismo. Entre 1969 e 1989, dedicou-se comunicao empresarial e institucional, que ajudou a desenvolver no Brasil, como mercado de trabalho e especializao jornalstica. Entre 1989 e 1991 foi presidente da INTERCOM, da qual hoje membro do Conselho Curador. o editor do blog "O Xis da Questo", sobre Jornalismo, Mdia e Atualidade.

    O II Encontro Nacional de Assessores de Comunicao Social antecede o IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos, que acontece em Campo Grande, no perodo de hoje e vai at sexta-feira 19 de novembro.

    Servio 1:
    II Encontro Nacional de Assessores de Comunicao Social
    Data: 15 a 16 de novembro de 2010
    Local: Novotel - Avenida Mato Grosso, 5555 - Jardin Copacabana, Campo Grande, Mato Grosso do Sul.
    Informaes: www.congressoanadep.org.br

    Servio 2:
    IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos
    Data: 16 a 19 de novembro de 2010
    Local: Centro de Convenes "Arquiteto Rubens Gil De Camillo"
    Informaes: www.congressoanadep.org.br
    Programao do vento: http://www.congressoanadep.org.br/programacao.php
    Veculo: Comunique-se
    Estado: RJ


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 16, 2010

    EXCLUSIVO: o novo diretor regional da AMIL, Emerson Fidelis d entrevista exclusiva ao nosso Talk Show na Rede Super, AMANH, s 20 horas. Noperca!!!

    Indito. REDE SUPER.
    Talk Show imperdvel!!!

    AMANH, s 20 horas na REDE SUPER.
    No Talk Show Joo Carlos Amaral Entrevista"
    o entrevistado o novo diretor da AMIL em Minas,
    mdico Emerson Fidelis Campos, que foi presidente da Unimed BH e da Federao das Unimeds.

    Agora no novo Plano de Sade - a AMIL - o maior do pas
    o dr. Emerso vai destacar as aes estratgicas para alavancar a AMIL em todoo Estado.
    Mais detalhes, vale conferir o nosso Programa na Rede Super.

    Nesta quarta-feira, 20 horas na REDE SUPER
    voc tem encontro marcado com o TALK SHOW
    do Joo Carlos Amaral. Para ASSISTIR
    o programa s colocar sua TV sintonizada no canal 23 a cabo em BH.
    E pela internet:
    www.redesuper.com.br
    ( clicar no cone ASSISTA ON LINE).







    O "Programa Joo Carlos Amaral Entrevista"
     vai ao ar na TV  REDE SUPER,
    canal 23 da NET,
    toda quarta-feira,s 20 horas,
    com reprise:
    s sextas-feiras
    s 9:00 hs da manh.
     

    ATENO!!!


    No dia 30 de agosto de 2010, a REDE SUPER
    passou a operar em novo satlite  o Star One C2 -,  
    que tem maior abrangncia e mellhor qualidade de sinal.
    Desde ento, so mais de 16 milhes de antenas parablicas
    recebendo nossa programao em todo o Brasil,
    Amrica do Sul, Mxico e Flrida (EUA).

    Para receber a REDE SUPER
    em sua antena parablica
    voc deve ajustar o seu receptor em:
    Frequncia: 3648
    SR: 2170
    Fec: 3/4
    Polaridade vertical
    Para quem j assite a REDE SUPER pelo satlite B4,
    ser necessrio realinhar a antena para o satlite C2
    e ajustar o receptor de acordo com os dados acima.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 16, 2010

    Recomeou agora a pouco - 9 da manh, horrio de Campo Grande, Mato Grosso do Sul - uma hora a menos - o II Encontro dos Assessores de Comunicao das Defensorias de todo o pas. noite ser aberto o IX Congresso das Defensorias, com cerca de 800 defensores e defensoras. A Defensora Pblica Geral de Minas, Andrea Tonet, chega aqui em Campo Grande por volta de 13 horas. Neste momento estamos no Encontro dos Assessores elaborando a CARTA DE CAMPO GRANDE. Na carta estaro os posicionamentos dos comuniclogos em relao s suas atribuies no trabalho de comunicao nas defensorias. Confira os temas do Congresso dos Defensores que comea hoje noite e vai at sexta-feira.

    "DEFENSORIA PBLICA:
    NECESSRIA AO ESTADO DEMOCRTICO,
    IMPRESCINDVEL AO CIDADO".

    TEMAS:


    • "Direito Ambiental e a Defesa dos Grupos Vulnerveis"

    • "A judicializao e o papel da Defensoria Pblica na efetivao de direitos"

    • "Atuao Extrajudicial dos Defensores Pblicos. Participao em Conselhos, conscientizao em Diretos e interlocuo com a Sociedade civil."

    • "A Vulnerabilidade como Critrio de Hipossuficincia"

    • "Reforma do processo Civil"

    • "Prises provisrias luz dos princpios constitucionais"

    • "Defensoria Pblica no Sistema Interamericano"

    • "Sistema Acusatrio: Direitos e Garantias Processuais"

    • "Globalizao tica e Direito"

    • "Direito Moradia Adequada"

    • "Execuo penal e ressocializao"

    • "Concurso de Teses" (Acesse o edital)

    • "Concurso de Prticas Exitosas" (Acesse o edital)

    A ANADEP (Associao Nacional dos Defensores Pblicos), as Associaes Estaduais de Defensores Pblicos e as Defensorias Pblicas Estaduais realizam, anualmente, o Congresso Nacional dos Defensores Pblicos, com participao de operadores do Direito, entre Defensores Pblicos, demais profissionais da rea jurdica e acadmicos, trazendo sempre discusso temas que fazem parte da atuao diria desses profissionais.

    O tema central deste ano, "DEFENSORIA PBLICA: NECESSRIA AO ESTADO DEMOCRTICO, IMPRESCINDVEL AO CIDADO" traduz a importncia da Defensoria Pblica para o Estado Democrtico de Direito, como garantia da ordem e da pacificao social. Alm disso, trata da necessidade de se proporcionar um trabalho de excelncia no atendimento s reivindicaes e aos direitos da grande massa do povo brasileiro, visando assegurar o exerccio do constitucional direito de acesso Justia, com a verdadeira igualdade dos cidados, independentemente de suas classes sociais.

    A cidade de Campo Grande foi escolhida para sediar o Congresso por ser uma Capital nobre, em amplo e clere desenvolvimento, que concentra os mais diversos ramos de negcios e oportunidades. Por tais razes, os Defensores Pblicos sul-mato-grossenses escolheram nela receber seus honrosos convidados para o debate e o aperfeioamento de novas teses e prticas referentes s suas importantes atribuies.

    O evento acontecer no Centro de Convenes "Arquiteto Rubens Gil De Camillo", com a solenidade de abertura no dia 16 de novembro de 2010, s 19h30, e encerramento no Buffet Yotedy, no dia 19 de novembro de 2009, s 21h.

    O Congresso tem como objetivo discutir temas de interesse em prol do desenvolvimento dos Defensores Pblicos. O encontro nacional ir reunir profissionais do Brasil e de toda a Amrica Latina, visto que ser amplamente divulgado dentro do continente para todos os profissionais da rea.

    O IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos tem vital importncia nessa consolidao, por ser um importante espao destinado ao dilogo com a sociedade civil, articulao de aes conjuntas entre as Defensorias Pblicas Estaduais, troca de experincias exitosas entre os Defensores Pblicos e ao aprimoramento cientfico realizado por meio do debate de novos e valiosos temas para a atuao profissional dos Defensores Pblicos e dos demais intrpretes do Direito perante o Estado e perante o cidado.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 15, 2010

    A Defensora Pblica Geral de Minas, Andrea Tonet, estar nesta tera-feira em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, do Congresso IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos de todo o pas. Vo participar cerca de 800 defensores e defensoras. DETALHE: estamos cobrindo o evento que antecipa o Congresso - o II Encontro dos Assessores de Comunicao das Defensorias.

                                                   servidor20102.jpg
    Dra. Andrea Tonet, defensora pblica geral do Estado
    - e sua equipe de defensores -
    de malas prontas para participar do Congresso
    em Campo Grande, 
    capital do Mato Grosso do Sul

    Campo Grande 
    ser a capital da 
    Defensoria Pblica no pas



    Evento vai debater os meios mais eficazes
     para fortalecer e democratizar o acesso Justia

    A partir de amanh, tera-feira, dia 16 de novembro, a cidade de Campo Grande ser a capital da Defensoria Pblica no pas. Durante 4 dias, cerca de 800 Defensores Pblicos brasileiros e de diversos pases da Amrica Latina vo se reunir no IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos, que ser realizado pela primeira vez em Mato Grosso do Sul.

    Promovido pela Associao Nacional dos Defensores Pblicos (ANADEP) e Associao dos Defensores Pblicos de Mato Grosso do Sul (ADEP-MS), o evento, que tem como tema central "Defensoria Pblica: Necessria ao Estado Democrtico, imprescindvel ao cidado", vai reunir cerca de 60 palestrantes-convidados que representam a essncia do pensamento jurdico nacional e internacional.

    Direitos Humanos
    Um dos pilares do IX CNDP a continuidade do processo de aproximao da Defensoria Pblica com as entidades que trabalham em prol da efetivao dos direitos humanos no Brasil e no exterior. O debate acerca do desenvolvimento e promoo de campanhas de difuso do conhecimento sobre direitos e sobre os meios para tornar esses direitos efetivos a partir da troca de experincias com a sociedade civil, j faz parte da pauta dos Defensores Pblicos brasileiros.

    Teses e Prticas Exitosas
    Ponto alto dos dois ltimos congressos, os concursos de Teses e de Prticas Exitosas prometem reunir as grandes idias e principais inovaes na atuao dos Defensores Pblicos em todo o pas.

    Ferramentas de promoo do intercmbio de idias e troca de informaes acerca da atuao dos defensores, os concursos estimulam a produo terica e a criao de novas prticas, o que permite que o Defensor Pblico aprimore a cada dia as polticas pblicas desenvolvidas em benefcio da populao.

    Temas a serem abordados durante o IX CNDP:

    DIREITO MORADIA ADEQUADA
    EXECUO PENAL E RESSOCIALIZAO
    REFORMA DO CDIGO DE PROCESSO CIVIL
    SISTEMA ACUSATRIO: DIREITOS E GARANTIAS PROCESSUAIS
    GLOBALIZAO, TICA E DIREITO
    DIREITO AMBIENTAL E A DEFESA DOS GRUPOS VULNERVEIS
    A JUDICIALIZAO E O PAPEL DA DEFENSORIA PBLICA NA EFETIVAO DE DIREITOS
    ATUAO EXTRAJUDICIAL DOS DEFENSORES PBLICOS / PARTICIPAO EM CONSELHOS, CONSCIENTIZAO EM DIRETOS E INTERLOCUO COM A SOCIEDADE CIVIL
    A VULNERABILIDADE COMO CRITRIO DE HIPOSSUFICINCIA
    PRISES PROVISRIAS LUZ DOS PRINCPIOS CONSTITUCIONAIS
    DEFENSORIA PBLICA NO SISTEMA INTERAMERICANO

    A solenidade de abertura do IX CNDP ser realizada no dia 16 de novembro, s 19h30, no Centro de Convenes "Arquiteto Rubens Gil De Camillo", em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

    Encontro de Assesores de Comunicao
    Os Assessores de Comunicao Social de Associaes de Defensores Pblicos e Defensorias Pblicas de todo o pas tambm vo se reunir em Campo Grande/MS.

    Nos dias 15 e 16 de novembro, o II Encontro Nacional de Assessores de Comunicao Social d continuidade ao processo de implantao de uma poltica nacional de comunicao para a Defensoria Pblica, alm de propor a organizao e funcionamento de estruturas de comunicao em todas as defensorias estaduais e associaes com diretrizes, princpios, conceitos e normas tcnicas necessrias integrao.

    Com uma programao voltada para a atualizao e aprimoramento do trabalho desenvolvido pelos jornalistas/assessores, o Encontro vai ser encerrado, no dia 16 de novembro, com a palestra do Doutor em Cincias da Comunicao Manuel Carlos Chaparro, que vai falar sobre "tica e credibilidade nas assessorias O papel do jornalista na assessoria de comunicao social".

    Servio 1:
    II Encontro Nacional de Assessores de Comunicao Social
    Data: 15 a 16 de novembro de 2010
    Local: Novotel - Avenida Mato Grosso, 5555 - Jardin Copacabana, Campo Grande,
    Mato Grosso do Sul.
    Informaes: www.congressoanadep.org.br

    Servio 2:
    IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos
    Data: 16 a 19 de novembro de 2010
    Local: Centro de Convenes "Arquiteto Rubens Gil De Camillo"
    Informaes: www.congressoanadep.org.br

    Veculo: ANADEP
    Estado: DF

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 15, 2010

    Estamos em Campo Grande, Mato Grosso do Sul participando do II Encontro dos Assessores de Defensorias Pblicas de cada Estado e do Distrito Federal. O Encontro acaba de ser aberto - so 15 horas. Aqui o fuso horrio de uma hora a menos. Para se ter uma idia do impacto na minha mente do fuso horrio: saimos de So Paulo s 10h15m da manh. Chegamos a Campo Grande s 10h30m pelo meu relgio analgico. DETALHE: brinquei com o comandante da TAM: olha, como o sr. consegue sair e chegar na mesma hora, embora tenha voado a 850 kms por hora? Parece que o sr. veio voando com o seu Aibus 320 de r - guiando pelo retrovisor. Ele riu gostosamente!!! AGORA voltando ao Encontro de Assessores de Comunicao das Defensorias Pblicas: foi aberto pelo presidente da ANADEP, Andr Castro. E na prxima quinta-feira, no Congresso Nacional das Defensorias Pblicas de todo o pas, vai fazer palestra, o ex-presidente da Corte Interamericana de Direitos Humanos, Srgio Garcia Ramirez. Confira detalhes.

    Ex-presidente da Corte Interamericana de Direitos Humanos
    participa de Congresso de Defensores Pblicos







     




                                                           Carlos Garcia Ramirez

    Na prxima quinta-feira, dia 18 de novembro, o Ex-presidente da Corte Interamericana de Direitos Humanos Srgio Garcia Ramirez participa do IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos, que est sendo realizado na cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

    Ramirez participa do painel "Defensoria Pblica no Sistema Interamericano" que acontece a partir das 14 horas no auditrio Manoel de Barros, no Centro de Convenoes "Arquiteto Rubens Gil De Camillo".

    Para o Coordenador-Geral da Associao Interamericana de Defensorias Pblicas (AIDEF) e presidente da Associao Nacional dos Defensores Pblicos (ANADEP), Andr Castro, receber um Juiz da Corte Interamericana de Direitos Humanos em um evento de Defensores Pblicos uma oportunidade nica e fundamental. O convnio entre a Corte IDH e a AIDEF um marco que possibilita aos Defensores Pblicos brasileiros a atuao junto Corte na defesa de todas as pessoas que carecem de representao legal por falta de recursos financeiros, introduzindo o modelo publico de defesa como referncia para os Estados Americanos.

    A Corte Interamericana de Direitos Humanos um rgo judicial autnomo com sede em San Jos (Costa Rica), que aplica e interpreta a Conveno Americana de Direitos Humanos e outros tratados de Direitos Humanos. A CorteIDH faz parte do chamado Sistema Interamericano de Proteo aos Direitos Humanos.

    De acordo com Srgio Ramirez, "em 30 anos de efetivo exerccio, a jurisdio interamericana teve um desenvolvimento notvel. Envolvendo temas que figuram entre os mais importantes direitos humanos, a jurisprudncia tem sido recepcionada por diversos ordenamentos nacionais, o que um sinal, dos mais relevantes, do sucesso do trabalho realizado. E isso significa dizer que o trabalho da CorteIDH infuencia cada vez mais na legislao interna dos pases da Amrica Latina. So particularmente relevantes as decises em matria de reparaes ou consequncias jurdicas das violaes dos direitos humanos", detaca o juz..

    Ramirez tambm chama a ateno para a presena de novos "atores" no Sistema Interamericano de Direitos Humanos. "Os Defensores Pblicos contribuiro de maneira significativa para melhorar e ampliar o acesso Justia. Naturalmente, o sistema americano tem de resolver vrias questes pendentes, incluindo a "universalizao" da proteo internacional, e para isso necessrio que todos os Estados membros da OEA figurem como parte da Conveno Americana sobre Direitos Humanos e reconheam a competncia da Corte. Sentimos falta da participao dos Estados Unidos, Canad e vrios pases do Caribe, pois desejvel que o sistema atinja a todos", lamentou.

    AIDEF
    A Associao Interamericana de Defensorias Pblicas (AIDEF) foi criada pela maioria dos pases da Amrica e o Caribe, tendo por finalidade principal o fortalecimento institucional das Defensorias Pblicas dos Estados Associados, estabelecendo uma coordenao interinstitucional em benefcio dos direitos humanos e da defesa jurdica eficiente e de qualidade em favor de seus assistidos.

    O compromisso central da AIDEF fortalecer a Defensoria Pblica, garantindo a toda a sociedade o direito pblico de acesso ao direito e justia, por meio de um servio de alta qualidade tcnica

    Servio:
    IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos
    Data: 16 a 19 de novembro de 2010
    Local: Centro de Convenes "Arquiteto Rubens Gil De Camillo"
    Informaes: www.congressoanadep.org.br

    Mais Informaes:

    Associao Nacional dos Defensores Pblicos
    Luzia Cristina Giffoni (61) 9333-1036
    imprensa@anadep.org.br

    Associao dos Defensores Pblicos de Mato Grosso do Sul
    Contexto Mdia (67) 3325-4113 - www.contextomidia.com.br
    Dilma Bernardes (67) 9207-4496 - dilma@contextomidia.com.br
    Renato Lima (67) 9245-7574 - renato@contextomidia.com.br




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 12, 2010

    Aprimoramento. Congresso em Mato Grosso. O jornalista Manuel Chaparro vai fazer palestra de encerramento do encontro. Estarei l e vou cobrir o evento para voc que nos acessa.

    II Encontro Nacional 
    de Assessores de Comunicao Social

                                                              

                                                                    Evento com incio
                                                               no dia 15 de novembro
                                                                   em Campo Grande.
                                                           A palestra de encerramento
                                                                        ser do jornalista
                                                                Manuel Carlos Chaparro


    Assessores de Comunicao Social de Associaes de Defensores Pblicos e Defensorias Pblicas de todo o pas vo se reunir em Campo Grande/MS, nos dias 15 e 16 de novembro para o II Encontro Nacional de Assessores de Comunicao Social.

    Promovido pela Associao Nacional dos Defensores Pblicos (ANADEP) e Associao dos Defensores Pblicos de Mato Grosso do Sul, o evento d continuidade ao processo de implantao de uma poltica nacional de comunicao para a Defensoria Pblica, alm de propor a organizao e funcionamento de estruturas de comunicao em todas as defensorias estaduais e associaes com diretrizes, princpios, conceitos e normas tcnicas necessrias integrao.

    Com uma programao voltada para a atualizao e aprimoramento do trabalho desenvolvido pelos assessores de comunicao, o Encontro vai ser encerrado, no dia 16 de novembro, com a palestra do jornalista Manuel Carlos Chaparro, que vai falar sobre "tica e credibilidade nas assessorias O papel do jornalista na assessoria de comunicao social".

    De acordo com Chaparro, "um dos pontos mais importantes a ser tratado durante a palestra o tratamento jornalstico das notcias desde suas origens, pois em um mundo onde a comunicao instantnea, os contedos praticamente no passam mais pelas redaes", destaca o professor, ressaltando a importncia de um bom trabalho realizado pelos assessores de comunicao. Ele defende que os profissionais de comunicao que trabalham em assessorias atuem sempre jornalisticamente, de forma a garantir a qualidade dos contedos divulgados. "Quando o jornalista trabalha junto com a fonte, ele tem que ser um educador. No pode apenas pensar apenas em difundir a imagem da instituio ou da fonte. A tica fundamental", explica.

    O jornalista tambm registrou a importncia de se discutir o trabalho das assessorias de comunicao dentro de um Congresso de Defensores Pblicos. "As informaes provenientes da Defensoria Pblica so de interesse da sociedade. fundamental haver um enriquecimento intelectual de seus assessores diretamente proporcional ao contedo que precisam divulgar", enfatizou.

    Manuel Carlos Chaparro doutor em Cincias da Comunicao e professor associado (aposentado) da Universidade de So Paulo. tambm jornalista, desde 1957. Com trabalhos de reportagem, ganhou quatro vezes o Prmio Esso de Jornalismo. Tem quatro livros publicados, sobre jornalismo. Entre 1969 e 1989, dedicou-se comunicao empresarial e institucional, que ajudou a desenvolver no Brasil, como mercado de trabalho e especializao jornalstica. Entre 1989 e 1991 foi presidente da INTERCOM, da qual hoje membro do Conselho Curador. o editor do blog "O Xis da Questo", sobre Jornalismo, Mdia e Atualidade.

    O II Encontro Nacional de Assessores de Comunicao Social antecede o IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos, que acontece em Campo Grande, no perodo de 16 a 19 de novembro.

    Servio 1:
    II Encontro Nacional de Assessores de Comunicao Social
    Data: 15 a 16 de novembro de 2010
    Local: Novotel - Avenida Mato Grosso, 5555 - Jardin Copacabana, Campo Grande, Mato Grosso do Sul.
    Informaes: www.congressoanadep.org.br

    Servio 2:
    IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos
    Data: 16 a 19 de novembro de 2010
    Local: Centro de Convenes "Arquiteto Rubens Gil De Camillo"
    Informaes: www.congressoanadep.org.br
    Programao do vento: http://www.congressoanadep.org.br/programacao.php
    Veculo: Comunique-se
    Estado: RJ


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 12, 2010

    Vandalismo atinge sede da Defensoria Pblica do Estado em Barbacena.

    Durante a madrugada desta quinta-feira, 11/10, a Defensoria Pblica de Barbacena foi invadida e teve documentos e equipamentos destrudos. O atendimento foi suspenso durante todo o dia. O coordenador regional, defensor Mrcio Baesso, suspeita que a inteno dos criminosos fosse a destruio de documentos. A DP de Barbacena uma das maiores do interior de Minas Gerais e atende a 12 municpios do Estado.

    DPG: solidariedade e ao


    Comunicado o fato ao gabinete, em Belo Horizonte, a Defensora Pblica Geral, Andrea Tonet, entrou em contato com chefe da Polcia Civil de Minas Gerais, Marco Antnio Monteiro de Castro, solicitando apoio aos defensores pblicos de Barbacena. E, para soluo imediata e normalizao das atividades, a DPG designou o Diretor de Logstica, Cristiano Daher, para proceder ao levantamento patrimonial, a fim de que seja providenciada a reposio de todo material danificado.

    Destruio e furto

    Assustados com o vandalismo sofrido pela Defensoria de Barbacena, os defensores pblicos e servidores no tiveram condies de trabalhar. Os invasores entraram no local quebrando o vidro da janela dos fundos. Foram jogados processos pelo cho e at mesmo a esttua da justia foi quebrada. Em outro cmodo, a agenda de atendimento ao pblico foi rasgada. No tanque, correspondncias oficiais foram encontradas encharcadas. As instalaes eltricas foram arrancadas da parede. Foram furtados um exemplar do Cdigo Penal e dois computadores portteis.

    Primeiras medidas


    Quando chegaram para trabalhar, os funcionrios da Defensoria de Barbacena sentiram um forte cheiro de lcool e logo perceberam o ocorrido. Imediatamente foi feito contato com a Polcia Militar, que registrou Boletim de Ocorrncia e encaminhou solicitao de percia para Polcia Civil local. Todos os materiais pertinentes ao local foram recolhidos; inclusive, as impresses digitais encontradas. Assim, as providncias legais foram tomadas, prontamente, e a coordenadora local, defensora Cssia Rejane Chiericato, acompanhou todo o levantamento realizado, a fim de otimizar os trabalhos de averiguao policial.

    Atendimento suspenso

    O atendimento da Defensoria Pblica de Barbacena fica suspenso, provisoriamente, tendo em vista a impossibilidade de normalizao imediata do atendimento. A reposio de elementos de segurana bsica, como vidros e grades, j foi solicitada.

    Anexo- Jornal Tribuna de Minas


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 12, 2010

    Fala governador - em exerccio - Alberto Pinto Coelho!!!


                                                                      Assuntos: 
                                                 Medalha do Mrito Legislativo,
                                                                  Leis Delegadas
                                                                   e Secretariado

    Sobre o evento.
    Uma festa magnfica, a Comenda do Mrito Legislativo se prope a reconhecer pessoas, instituies, entidades, que contribuem nos segmentos das vrias atividades humanas para o desenvolvimento e o engrandecimento do nosso Estado. Portanto, algo muito expressivo, muito representativo. E nesta data se insere de outro contexto mais amplo porque carrega uma homenagem ao grande estadista Tancredo Neves, na celebrao do seu centenrio.
    Por que uma homenagem especial com a categoria Grande Mrito ao prefeito de Belo Horizonte, ao presidente do Tribunal de Justia e ao presidente do TRE? 
    So figuras que esto numa posio ou de presidncia do Poder ou frente do Executivo da nossa capital, que vm se destacando como exemplos de gestores pblicos, portanto, merecedores do reconhecimento.
    A Assembleia Legislativa deu o primeiro passo para que o governador Anastasia consiga fazer a reforma no Estado, que ele pretende, atravs da aprovao das leis delegadas. A Comisso de Constituio e Justia deu parecer favorvel pela aprovao das leis delegadas. Qual a avaliao do senhor, como presidente da Assembleia, como governador interino e eleito vice-governador?
    Eu diria que um expediente inserido na Constituio, um princpio constitucional, para ser aplicado nos momentos adequados e a prtica tem mostrado a sua utilidade quando inicia-se uma nova gesto do Poder Executivo, e o acerto na introduo dessa medida, que tem os seus limites, os seus contornos. Eu diria que aplicada na forma que a tradio tem mostrado, ela se torna um imperativo importante para a eficincia da gesto pblica.
    O senhor, como presidente da Assembleia e agora como governador interino, est participando ativamente das negociaes para a composio do novo governo?
    Essa misso caber, certamente, ao governador Antonio Anastasia, conduzi-la, analisando esse novo tempo que vai se iniciar com a sua gesto a partir do prximo ano, e naturalmente, estarei ao seu lado sempre solidrio s suas decises.
    J h muita especulao, muita conversa a respeito de criao de novas secretarias, por exemplo, a secretaria de Minas e Energia, no mbito do Governo do Estado. Est confirmado isso mesmo?
    No tive nenhuma conversa com o governador Antonio Anastasia. Naturalmente, ele tem as suas preocupaes em traduzir a nova gesto a exemplo das duas ltimas gestes, com o desenvolvimento do Estado, e vai buscar atravs de uma organizao do Estado, com a dinmica que os tempos impem, algo que possa traduzir no cumprimento daquilo que ele externou no plano de governo e que os mineiros entenderam que era o melhor projeto e esse entendimento foi expresso nas urnas. Portanto, ele vai formatar o Estado com as modificaes que devem ser feitas, que acredito que sejam modificaes pontuais, eventualmente at na composio das prprias pastas, mas isso com a sua experincia, com a sua competncia, com a sua viso, ele deve estar, j, gestando, ouvindo quem ele julga que deva ouvir, para fazer o acerto que to importante.
    O senhor tambm vai servir de conselheiro pra composio desse novo governo? So muito partidos para contemplar. Muitos partidos apoiaram a chapa do senhor e do governador Antonio Anastasia. Como vai ficar essa composio? O senhor vai ajudar nesse processo?So foras polticas que se identificam com o projeto, que trabalharam em prol da nossa vitria e que, naturalmente, tero, legitimamente, a participao no governo. Essa participao se dar com a sua contribuio de ideias, ou mesmo com o oferecimento de quadros para compor o governo. Atendendo a premissas que j conhecemos e que cabe aqui, talvez, ressaltar do comprometimento com a gesto pblica, com a eficcia e eficincia na administrao pblica.
    No pode ter problema de acomodao a entre tantos partidos, entre tantas pessoas ligadas a esses partidos?
    No vejo nenhuma dificuldade em fazer o atendimento a esses partidos da ampla coligao. Naturalmente, como disse, dentro daqueles preceitos, buscando as vocaes, a expertise dos quadros que foram oferecidos e, com certeza, com uma preocupao maior, que um governo eficaz e eficiente - dar resposta aos mineiros e uma gesto pblica que se caracteriza pela transparncia, pela tica, pelo comprometimento.
    Da Assembleia Legislativa pelo menos trs deputados estaduais devem ser alados a secretrios?
    No tenho, disse ainda h pouco, no tenho conhecimento. Naturalmente, o governador retornando do seu descanso dar curso a esses entendimentos, formao do seu governo e, como foi dito aqui, buscando atender esse amplo arco de aliana que comps a nossa coligao, mas tendo como premissas fundamentais, o conhecimento, diria, a competncia e o compromisso com uma gesto eficaz e eficiente.
    O que o senhor tem ouvido dos partidos?
    As conversas so no sentido da expectativa que tem em torno de um novo tempo. Dando continuidade aos dois governos ltimos, do Acio Neves, agora nosso senador, e do governador Antonio Anastasia na expectativa que possamos ter uma continuidade da gesto pblica em Minas Gerais, que continue a ser exemplo no s para os mineiros, mas para o Brasil.
    Mas tem reivindicaes dos partidos?
    Elas sero colocadas e, naturalmente, nas conversas que se seguiro, que tero, mas a conduo nica do governador Antonio Anastasia.
    Mas apontam o senhor como um dos coordenadores polticos do prximo governo. 
    Fui eleito vice-governador e, naturalmente, receberei as misses por delegao que couberem dentro do discernimento do governador Antonio Anastasia. E irei cumpri-las com determinao, com denodo, com dedicao, mas tenho que aguardar as suas definies.
    Sobre esse evento. Como o senhor v a importncia dessa Medalha do Mrito Legislativo? uma medalha que busca distinguir e homenagear pessoas e instituies que deram contribuies efetivas para a melhoria da qualidade da vida dos mineiros. E esse ano ela tem ampliada a sua dimenso porque ela retrata tambm a figura do estadista Tancredo Neves, que uma figura de homem pblico exemplar.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 12, 2010

    Wonderful Age. Pinado da coluna de Csar Romero da Tribuna de Minas de Juiz de Fora.


    Toninho Carvalho (aniversariante desta sexta)
    Beatuladeado por Paulo Ely Pereira, Eduardo
    Villela de Andrade, Henrique Netto e
    Orlando Manera, que tambm em
    2010 chegam aos 70 anos

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 12, 2010

    Mrito Legislativo.


    Omar Freire/Imprensa MG
    Cerimnia de entrega da Medalha do Mrito Legislativo
    Cerimnia de entrega da Medalha do Mrito Legislativo

    Governador em exerccio
    participa da entrega do Mrito Legislativo
    Omar Freire/Imprensa MG
      
    Cerimnia de entrega da Medalha do Mrito Legislativo
    Ver galeria de fotos Contedo Relacionado
    Entrevista do governador em exerccio, Alberto Pinto Coelho, no Expominas
    Transcrio da entrevista do governador em exerccio, Alberto Pinto Coelho BELO HORIZONTE (11/11/10) -
    O governador em exerccio, Alberto Pinto Coelho, participou, nesta quinta-feira (11), da cerimnia de entrega da Medalha do Mrito Legislativo, no Expominas, em Belo Horizonte. Foram agraciadas 200 personalidades que se destacaram por servios prestados ou por mritos excepcionais. Neste ano, a cerimnia trouxe uma homenagem especial ao ex-presidente Tancredo Neves, marcando o centenrio do seu nascimento, tendo ampliada a sua dimenso segundo o governador em exerccio.
    "A comenda do Mrito Legislativo se prope a reconhecer pessoas, instituies e entidades, que contribuem nas vrias atividades humanas para o desenvolvimento e engrandecimento do nosso Estado. algo muito expressivo, muito representativo. E nesta data, se insere em um contexto mais amplo, porque carrega uma homenagem ao grande estadista Tancredo Neves na celebrao do seu centenrio", disse Alberto Pinto Coelho.
    O governador em exerccio foi recebido no Expominas por deputados, magistrados e representantes da sociedade. O orador oficial da cerimnia foi o ex-ministro das Comunicaes, Pimenta da Veiga.
     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 12, 2010

    Reconhecimento.








    DEFENSORA GERAL RECEBE MEDALHA DO MRITO LEGISLATIVO NESTE DIA 11 DE NOVEMBRO  
     




    A Defensora Pblica Geral, Andra Tonet, recebeu nesta quinta-feira, 11/11, s dez horas da manh, a Medalha do Mrito Legislativo categoria Mrito Especial, que, este ano, faz uma homenagem ao poltico Tancredo Neves, um dos responsveis pela consolidao da democracia no Brasil, cujo retrato e referncia ao seu centenrio estaro cunhados na pea.

    A solenidade foi no Expominas de Belo Horizonte Arena Multiuso (Av. Amazonas, 6030 Gameleira) e, alm da medalha, o agraciado tambm recebeu um diploma, assinado pelo presidente da Assembleia e pelo deputado Dinis Pinheiro, secretrio do Conselho da Ordem, que a entidade proponente dos nomes a serem contemplados.

    A Ordem do Mrito Legislativo foi criada em 1982 (Resoluo n 2.778) e concedida nos graus Grande Mrito, Mrito Especial e Mrito, para homenagear pessoas fsicas ou jurdicas, nacionais ou estrangeiras, que tenham se destacado ou por servios prestados ou por mritos excepcionais.



    medalhalegislativa2010.jpg















    A Arena Multiuso do Expominas foi palco da solenidade repleta de autoridades e convidados para a entrega das Medalhas do Mrito Legislativo



    medalhalegislativa1.jpg













    A Defensora Pblica Geral de Minas, Andra Tonet, foi agraciada com a Medalha do Mrito Especial e o Diploma, concedidos pela Assembleia Legislativa Estadual


    medalhalegislativa2.jpg







    Nesta foto histrica, a DPG Andra Tonet aparece junto aos outros agraciados com a mesma comenda



    medalhalegislativa3.jpg









    A DPG Andra Tonet e seu assessor de gabinete, defensor de classe especial Eduardo Cyrino Generoso


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 10, 2010

    Da srie:UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. Pinado dacoluna do Csar Romero


    Na Academia Rio Branco, em Juiz de Fora
    o prefeito Custdio Mattos,
    Luiz Carlos Arajo, Manoel Barbosa
    e o presidente Paulo Cezar de Oliveira Santos

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 10, 2010

    Colrio, em dose dupla, vem mais uma vez do portiflio do colunista Csar Romero da Tribuna de Minas de Juiz de Fora.


    Nicole Leo - reprter da TV Assemblia em BH,
     e Slvia Cruz em noite elegante em Juiz de Fora.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 10, 2010

    Defensora Pblica Geral do Estado, ANDRA TONET, recebe a Medalha do Mrito Legislativo na categoria Mrito Especial. Solenidade ser amanh, quinta-feira, dia 11, s 10 da manh no Expominas.

                              Andra Abritta Garzon Tonet
                                                     A Defensora Pblica Geral do Estado,
                                          dra. Andra Tonet, vai receber o Mrito Legislativo
                                           na categoria Mrito Especial. Um reconhecimento 
                                     que ela divide com todas e todos os Defensores Pblicos
                           que trabalham dia a dia - em todoo Estado - em defesa da populao 
                                           que no tem recursos para se defender na justia.


                                                            Medalha do Mrito Legislativo
                                                      ser entregue na quinta a 200 pessoas

    A Assembleia Legislativa de Minas Gerais realiza na quinta-feira (11/11/10), s 10 horas, a entrega da Medalha do Mrito Legislativo a 200 agraciados. A solenidade ser no Expominas de Belo Horizonte - Arena Multiuso (Avenida Amazonas, 6.030 - Gameleira) e tem o objetivo de homenagear pessoas fsicas ou jurdicas, nacionais ou estrangeiras, que tenham se destacado por servios prestados ou mritos excepcionais.
    O tema da cerimnia deste ano busca inspirao na trajetria poltica de Tancredo Neves junto consolidao da democracia no Brasil. Em homenagem ao poltico que completaria 100 anos em 2010, a medalha entregue aos agraciados ser cunhada com uma foto de Tancredo, destacando a inscrio de seu centenrio. O orador oficial da solenidade ser o ex-prefeito de Belo Horizonte e ex-ministro das Comunicaes, Pimenta da Veiga. Tambm o presidente da ALMG, deputado Alberto Pinto Coelho (PP), discursa na cerimnia.
    Alm da medalha, os agraciados recebem diplomas assinados pelo presidente da Assembleia e pelo deputado Dinis Pinheiro, que secretrio do Conselho da Ordem - formado pelos membros da Mesa, pelas lideranas da Maioria e da Minoria e pelos ex-presidentes da ALMG que estejam no efetivo exerccio do mandato de deputado estadual. As medalhas so concedidas mediante proposta do Conselho da Ordem, que dirigido pelo presidente da ALMG.
    A Ordem do Mrito Legislativo foi criada pela Resoluo 2.778, de 1982, e concedida nos graus Grande Mrito, Mrito Especial e Mrito
    * Grande Mrito: destinado a soberanos, chefes de Estado, chefes de governo e seus sucessores imediatos; governadores; vice-governadores; presidente da Assembleia Legislativa do Estado; presidente do Supremo Tribunal Federal; presidente do Tribunal de Justia do Estado; presidente da Cmara dos Deputados; presidente do Senado Federal; ministros de Estado e outras personalidades de hierarquia equivalente;
    * Mrito Especial: destinado aos membros da Mesa e a deputados estaduais; secretrios de Estado; senadores; deputados federais; ministros de Tribunais Superiores; presidentes de Tribunais; desembargadores; generais; embaixadores; enviados extraordinrios; ministros; reitores; cientistas e outras personalidades de hierarquia equivalente;
    * Mrito: destinado a cnsules; magistrados; membros do Ministrio Pblico; militares; professores; escritores; funcionrios pblicos; desportistas e outras personalidades de hierarquia equivalente.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 10, 2010

    Indito. REDE SUPER. Talk Show imperdvel!!!

    HOJE 8 da noite na REDE SUPER.
    No Talk Show Joo Carlos Amaral Entrevista"
    o empresrio e expert em em informtica, Leonardo Bortoleto, fala sobre o mercado, as inovaes e os impactos das novas tecnologias no perfil das empresas. E da incluso digital.

    HOJE 8 da noite na REDE SUPER
    voc tem encontro marcado com o TALK SHOW
    do Joo Carlos Amaral. Para ASSISTIR
    o programa s colocar sua TV sintonizada no canal 23 a cabo em BH.
    E pela internet:
    www.redesuper.com.br
    ( clicar no cone ASSISTA ON LINE).






     Leonardo Bortoletto: problema  a falta de regulamentao    

    Nosso entrevistado
    o empresrio  e expert em informtica Leonardo Bortoleto,
    scio da Genesys Solutions, junto com nosso amigo,
     o empresrio de viso aguada para negcios
    das novas tecnologias
    que dominam o sculo XXI,
    Marcus Nasser.





    O "Programa Joo Carlos Amaral Entrevista"
     vai ao ar na TV  REDE SUPER,
    canal 23 da NET,
    toda quarta-feira,s 20 horas,
    com reprise:
    s sextas-feiras
    s 9:00 hs da manh.
     

    ATENO!!!


    No dia 30 de agosto de 2010, a REDE SUPER
    passou a operar em novo satlite  o Star One C2 -,  
    que tem maior abrangncia e mellhor qualidade de sinal.
    Desde ento, so mais de 16 milhes de antenas parablicas
    recebendo nossa programao em todo o Brasil,
    Amrica do Sul, Mxico e Flrida (EUA).

    Para receber a REDE SUPER
    em sua antena parablica
    voc deve ajustar o seu receptor em:
    Frequncia: 3648
    SR: 2170
    Fec: 3/4
    Polaridade vertical
    Para quem j assite a REDE SUPER pelo satlite B4,
    ser necessrio realinhar a antena para o satlite C2
    e ajustar o receptor de acordo com os dados acima.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 10, 2010

    Boa notcia, publicada hoje pelo jornal Tribuna de Minas de Juiz de Fora.

    Obra na 040
    reduzir viagem
    entre Rio e JF

    A implantao de uma nova pista de subida da BR-040 entre Xerm (distrito de Duque de Caxias) e Petrpolis deve reduzir o tempo de viagem do Rio de Janeiro a Juiz de Fora. Atualmente, o motorista que trafega em velocidade mdia de 80 km/h gasta em torno de duas horas e meia para cumprir o percurso de 180 quilmetros. Com a interveno, esse tempo tende a ser reduzido em cerca de 20 a 30 minutos.
    Parte do novo trajeto, que ter curvas menos sinuosas, ser instalado ao lado da pista de descida da rodovia, de modo que a obra consistir basicamente na duplicao de cerca de 20 quilmetros a partir do Km 102, em Xerm, com acostamentos em toda a sua extenso.
    O projeto tambm prev a instalao do maior tnel rodovirio do Brasil, entre Belvedere e a entrada de Petrpolis, com cerca de cinco quilmetros de extenso, com adaptaes para reduo de rudos e do risco de deslizamentos.
    As intervenes, que tero incio em maro do ano que vem, j estavam previstas no contrato de concesso firmado em 1996. No entanto, foram inicialmente programadas para o perodo de 2001 a 2006, sofrendo sucessivos adiamentos. O projeto original foi revisto e as obras devem, finalmente, sair do papel, com previso de trmino em 2013, atendendo a demanda de infraestutrura da Copa 2014 e das Olimpadas, dois anos depois.
    Os trabalhos esto orados em R$ 670 milhes. Conforme a assessoria da Concer, h expectativa de obter o restante dos recursos por meio de financiamento do BNDES.
    Alm da instalao da nova pista e do tnel, a Concer prev a construo de um viaduto estaiado (sustentado por cabos de ao), no final da passagem subterrnea, para dar acesso a Petrpolis. A estrada e o tnel devero ser monitorados por cmaras. Um acordo da concessionria com a Polcia Rodoviria Federal deve viabilizar a cesso das imagens para reforar a segurana.
    Mudana
    Outra novidade anunciada a transferncia da praa de pedgio do Km 104 para o Km 102. A Concer informa que a nova localizao visa oferecer comunidade do distrito de Xerm uma ligao direta com o Centro de Duque de Caxias.
    Atualmente, os moradores so obrigados a passar pelo pedgio, embora tenham direito gratuidade. A empresa informa ainda que, logo que o novo traado for aberto, a rodovia atual ser desativada e passar a ser uma estrada parque, voltada para turismo ecolgico, educao ambiental e lazer.
    Aproximadamente 25,6 milhes de veculos leves e pesados trafegam anualmente pela rodovia. A Concer estima que com a reduo na distncia e, consequentemente, na queima de combustvel, cerca de oito mil toneladas a menos de gs carbnico deixem de ser emitidos por ano.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 10, 2010

    AMIL chega a Minas a mil...Foi um sucesso absoluto o lanamento do maior Plano de Sade do Pas em Minas. A AMIL chegou pelas mos do mdico Emerson Fidelis Campos. Quase duas mil pessoas lotaram completamente o Grande Teatro do Palcio das Artes. Foi uma irebatvel demonstrao de prestgio e renome do novo Diretor Regional da AMIL, o dr. Emerson, que foi presidente da Unimed BH e da Federao das Unimeds. Agora com fora total na AMIL.

    O governador em exerccio de Minas, deputado Alberto Pinto Coelho prestigiou a solenidade de lanamento da AMIL no Palcio das Artes ao lado dos diretores da AMIL do Rio de Janeiro e So Paulo...
    A cantora Maria Rita foi um colrio e com sua voz doce e marcante deixou o imenso pblico simplesmente maravilhado. Belo show.
    O presidente dos Dirios Associados, lvaro Teixeira da Costa tambm foi levar seu abrao ao novo diretor regional da AMIL em Minas, dr. Emerson, que estava em estado de graa.
    Anotei ainda entre as personalidades presentes,
    o diretor regional da Embratel, Altivo Oliveira;
    a Defensora Pblica Geral do Estado, Andra Tonet e seu marido o procurador de jutia, Srgio Tonet;
    o secretrio de sade de BH, Z Maria Borges, representando o prefeito Mrcio Lacerda,
    o mdico Jos Salvador Silva do Mater Dei,
    o empresrio Salvador Ohana da Klus,
    o superindente geral do Instituto Mrio Penna, Cssio Resende, Osmnio Pereira...
    ao todo quase de 2 mil personalidades lotaram o Palcio das Artes. Um retumbante sucesso da AMIL/dr. Emerson em Minas. Agora mos obra.


     
    CEO da AMIL em Minas.
    O competente gestor,
     mdico Emerson Fidelis Campos,
    frente da organizao da AMIL em Minas,
    que tem sua sede na av. do Contorno,
    em Lourdes.

    Emerson est levando para a Amil,
     a reconhecida experincia dele que marcou poca
    nas presidncias da Unimed BH
    e na Federao das Unimeds.
    Dois cargos nos quais mostrou
     sua capacidade de liderana.

    EM TEMPO:
    A AMIL acertou na mosca convidado-o
    para cuidar do seu Plano de Sade em Minas.
    Desejo mais sucesso ainda!!!

    O presidente da Amil MG, Emerson Fidelis, ressaltou que a operadora de planos de sade tem como meta conseguir uma carteira de 100 mil clientes em Minas Gerais no prximo ano. 

    A Amil ser lanada hoje, dia 9 de novembro tera-feira - em Belo Horizonte, em um evento que ter como atrao principal o show da cantora Maria Rita.
    Segundo Fidelis, a rea de operadoras de sade em Belo Horizonte ainda muito carente.
    "Vamos chegar com concorrncia leal, nada destrutivo. Estamos preocupados com os 10 mil mdicos da regio que no tm planos de sade para atender", diz.
    Quanto forte expanso da Amil em todo o territrio nacional, Emerson diz que o plano da empresa crescer aos poucos, podendo chegar a locais como Amazonas e Acre, onde a sade suplementar ainda est concentrada nas mos de uma s operadora.
    "A verticalizao da sade suplementar pode trazer melhoria na qualidade dos servios. No entanto, ela depende de cada lugar e no deve ser feita indiscriminadamente", completa. 

    PERFIL da AMILUma histria marcada por inovaes

    A semente que deu origem Amil foi a Casa de Sade So Jos, que, na poca de sua aquisio, em 1972, era uma pequena clnica na cidade fluminense de Duque de Caxias. Cinco anos depois, j se transformava na maior maternidade privada no estado do Rio de Janeiro. Em seguida, foram tambm adquiridas as clnicas Somicol (atual Hospital de Clnicas Mario Lioni) e Santa Rita.

    Para administr-las, foi criada a Empresa de Servios Hospitalares (Esho), cuja finalidade era centralizar o controle de compras, faturamento, pessoal e tesouraria. Aps algum tempo, a So Jos deixou de integrar o grupo, que atravessou a Baa de Guanabara e comprou a Policlnica So Sebastio, no Barreto, em Niteri, em 1976. Os recursos oriundos da Esho permitiram a criao da Amil - AMIL - Assistncia Mdica Internacional, no Rio de Janeiro, em 1978.

    Arte Amil 
     


          Nmeros da Amil em So Paulo





    • 3.555 consultrios mdicos;

    • 697 Servios Auxiliares
      de Diagnstico e Tratamento

    • 195 hospitais

    • 209 clnicas especializadas;

    • Total Care
      Estrutura de Atendimento

    • 5 agncias de atendimento
      e 11 agncias hospitalares


    Nossa Viso:
    "Ser a melhor, a maior e a mais feliz das empresas"



    Muito mais do que uma empresa, a Amil uma idia.

    Isso porque empresas crescem e encolhem,
    brilham e desaparecem,
    mas uma idia fica para sempre.
    Uma idia permanece porque no depende de mercado,
    nmeros ou estratgias. Uma idia s precisa que se acredite nela.
    A Amil feita de pessoas que acreditam na idia
    de que possvel vencer a dor e a doena,
    de que possvel levar esperana s pessoas.
    A nossa paixo por essa idia tamanha que,
    sem ela, somos nada. Sem ela, a vida nada.
    A fora e a pureza dessa idia
    nos permitiram ir at onde ningum imaginava,
    at onde nem mesmo ns sonhvamos chegar.
    A grandeza dessa idia fez com que fssemos vistos
    como um grupo de pessoas sonhadoras, pioneiras e,
    acima de tudo, apaixonadas pela Medicina e pelo ser humano.
    E assim que ns seremos sempre percebidos,
    no importa quantos anos se passem.
    Afinal, essa exatamente a idia.
    Essa exatamente a Amil.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 10, 2010

    RECORD MINAS d choque de gesto na TV.

    Record Minas lana campanha
    de reposicionamento desenvolvida pela Feeling





    A Feeling Comunicao responsvel pela nova campanha de reposicionamento da Record Minas, lanada em 25 de outubro em diversas mdias. Com o mote "Record. Mais Minas na TV", o objetivo mostrar populao do Estado que a programao da emissora a que mais aborda temas ligados Minas Gerais. Para isso, a Record reformulou sua grade e incorporou novos nomes mineiros ao elenco.

    Junto ao conceito, que abrange todo o projeto, a Feeling criou assinaturas grficas, em forma de selos de correio, com cones de Minas Gerais. No lanamento da campanha, os novos contratados da emissora aparecem juntos em uma foto com o ttulo "Ns somos de Minas. Ns somos Record". Posteriormente, cada apresentador ganhar um anncio especfico com uma adaptao do ttulo "Eu sou de Minas e agora sou Record".

    De acordo com o diretor executivo da Record Minas, Fabiano Freitas, a nova programao coroa o crescimento contnuo da emissora. "Este um momento de virada. Desejamos que o mineiro descubra a TV Record que o Brasil j descobriu", afirma. "O trabalho de marketing desenvolvido pela Record Minas busca atender e superar as expectativas dos mineiros, tanto no contedo dos programas quanto no retorno para os anunciantes, e nas aes promocionais junto aos telespectadores", diz a gerente de marketing da Record Minas, Mariane Vasconcelos.

    Para os scios da Feeling, Marcus Vinicius, Fredh Guedes e Chris Cabral, a conquista da conta da Record veio consolidar o crescimento da agncia e o reconhecimento do mercado em seu primeiro ano de trabalho.



    Ficha tcnica:

    Direo de Criao: Fredh Guedes e Marcos Camargos
    Redao: Marcos Camargos
    Direo de Arte: Fredh Guedes e Andr Luiz Carvalho
    Atendimento: Chris Cabral / Lorena Moreira
    Produo Grfica: Ronan Almeida
    Mdia: Luciana Silva
    Planejamento: Marcus Vinicius / Carmem Santiago
    RTVC e Multimdia: Tiago Aroeira
    Estdio de Som: S de Som
    Aprovao pelo cliente: Mariane Vasconcelos / Monique Araki / Fabiano Freitas


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 9, 2010

    HOJE noite. AMIL chega Minas na voz de Maria Rita.

                              [Maria+Rita.jpg] 
                                                          A excelente cantora Maria Rita                                    
                                                            ser a grande atrao musical
                                                        na solenidade de lanamento da  AMIL.

    AMIL
    chega a Minas em grande estilo.
    No lanamanto no grande teatro do Palcio das Artes,
    aqui na capital mineira, show nada mais nada menos,
    que da cantora Maria Rita.

    Ser hoje, s 19 horas
    no Palcio das Artes, aqui em BH,
    a solenidade oficial de lanamento
    do mais novo Plano de Sade no Estado:
    AMIL (Assistncia Mdica Internacional)
    tendo frente o competente gestor,
    o mdico EMERSON FIDELIS CAMPOS.




    Hoje 19 horas ser
    lanada a AMIL em Minas
    no Palcio das Artes, aqui em BH.







     
    CEO da AMIL em Minas.
    O competente gestor,
     mdico Emerson Fidelis Campos,
    frente da organizao da AMIL em Minas,
    que tem sua sede na av. do Contorno,
    em Lourdes.

    Emerson est levando para a Amil,
     a reconhecida experincia dele que marcou poca
    nas presidncias da Unimed BH
    e na Federao das Unimeds.
    Dois cargos nos quais mostrou
     sua capacidade de liderana.

    EM TEMPO:
    A AMIL acertou na mosca convidado-o
    para cuidar do seu Plano de Sade em Minas.
    Desejo mais sucesso ainda!!!

    O presidente da Amil MG, Emerson Fidelis, ressaltou que a operadora de planos de sade tem como meta conseguir uma carteira de 100 mil clientes em Minas Gerais no prximo ano. 

    A Amil ser lanada hoje, dia 9 de novembro tera-feira - em Belo Horizonte, em um evento que ter como atrao principal o show da cantora Maria Rita.
    Segundo Fidelis, a rea de operadoras de sade em Belo Horizonte ainda muito carente.
    "Vamos chegar com concorrncia leal, nada destrutivo. Estamos preocupados com os 10 mil mdicos da regio que no tm planos de sade para atender", diz.
    Quanto forte expanso da Amil em todo o territrio nacional, Emerson diz que o plano da empresa crescer aos poucos, podendo chegar a locais como Amazonas e Acre, onde a sade suplementar ainda est concentrada nas mos de uma s operadora.
    "A verticalizao da sade suplementar pode trazer melhoria na qualidade dos servios. No entanto, ela depende de cada lugar e no deve ser feita indiscriminadamente", completa. 

    PERFIL da AMIL

    Uma histria marcada por inovaes
    A semente que deu origem Amil foi a Casa de Sade So Jos, que, na poca de sua aquisio, em 1972, era uma pequena clnica na cidade fluminense de Duque de Caxias. Cinco anos depois, j se transformava na maior maternidade privada no estado do Rio de Janeiro. Em seguida, foram tambm adquiridas as clnicas Somicol (atual Hospital de Clnicas Mario Lioni) e Santa Rita.

    Para administr-las, foi criada a Empresa de Servios Hospitalares (Esho), cuja finalidade era centralizar o controle de compras, faturamento, pessoal e tesouraria. Aps algum tempo, a So Jos deixou de integrar o grupo, que atravessou a Baa de Guanabara e comprou a Policlnica So Sebastio, no Barreto, em Niteri, em 1976. Os recursos oriundos da Esho permitiram a criao da Amil - AMIL - Assistncia Mdica Internacional, no Rio de Janeiro, em 1978.

    Arte Amil 
     

          Nmeros da Amil em So Paulo



    • 3.555 consultrios mdicos;

    • 697 Servios Auxiliares
      de Diagnstico e Tratamento

    • 195 hospitais

    • 209 clnicas especializadas;

    • Total Care
      Estrutura de Atendimento

    • 5 agncias de atendimento
      e 11 agncias hospitalares

    Nossa Viso:
    "Ser a melhor, a maior e a mais feliz das empresas"



    Muito mais do que uma empresa, a Amil uma idia.

    Isso porque empresas crescem e encolhem,
    brilham e desaparecem,
    mas uma idia fica para sempre.
    Uma idia permanece porque no depende de mercado,
    nmeros ou estratgias. Uma idia s precisa que se acredite nela.
    A Amil feita de pessoas que acreditam na idia
    de que possvel vencer a dor e a doena,
    de que possvel levar esperana s pessoas.
    A nossa paixo por essa idia tamanha que,
    sem ela, somos nada. Sem ela, a vida nada.
    A fora e a pureza dessa idia
    nos permitiram ir at onde ningum imaginava,
    at onde nem mesmo ns sonhvamos chegar.
    A grandeza dessa idia fez com que fssemos vistos
    como um grupo de pessoas sonhadoras, pioneiras e,
    acima de tudo, apaixonadas pela Medicina e pelo ser humano.
    E assim que ns seremos sempre percebidos,
    no importa quantos anos se passem.
    Afinal, essa exatamente a idia.
    Essa exatamente a Amil.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 9, 2010

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. Dinmico e competente, o diretor regional dos CORREIOS em Minas, FERNANDO MIRANDA, recebeu homenagem especial de sua equipe de colaboradores na noite dessa segunda-feira no delicioso e luxuoso restaurante O DDIVA, aqui na capital Mineira.Tive a honra de fazer a cobertura com exclusividade para nosso BLOG. Parabns ao Fernando, grande amigo, grande figura humana e administrador nota 1000.




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 9, 2010

    No Brasil das Gerais, o superintendente geral do Instituto Mrio Penna, dr. Cssio Resende, participou do debate sobre o tema "Os direitos do Paciente". Experiente, cirativo e competentente, dr. Cssio deu movimento ao debate, motivando seus colegas na discusso dos assuntos colocados mesa pela bela e competente jornalista Roberta Zampetti. Belo programa de TV esse Brasil das Gerais da Rede Minas. Parabns.

     
    O entrevistado, dr. Cssio Resende e a entrevistadora, Roberta Zampetti,
    que aniversariou esta semana.
    Parabns colega pelo nver e pelo renomado programa de TV,
    orgulho de ns mineiros em rede nacional.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Novembro 7, 2010

    Doe Palavras. Uma ideia genial que nasceu na RC Comunicao, em BH, Minas Gerais, Brasil. E no deu outra: ganhou o prmio BIG IDEA CHAIR organizado pelo YAHOO. Foi a primeira vez que o prmio foi conquistado fora do eixo Rio-So Paulo. A campanha foi criada pela RC, de lvaro Rezende, para o Instituto Mrio Penna da capital mineira - pilotado pelo CEO Cssio Resende, superintendente geral do Instituto - que rene os hospitais Luxemburgo e Mrio Penna, referncia nacional no tratamento do cncer. Parabns pelo prmio.

    Big Idea Chair
    Big Idea Chair


    A RC conquistou o Big Idea Chair 2010. Quer mais uma notcia boa? Conquistamos com o projeto Doe Palavras criado para o Instituto Mario Penna!
    Explicando melhor: o Big Idea Chair um prmio organizado pelo Yahoo em 13 pases, incluindo o Brasil. Esta a quarta edio. De diversos inscritos, apenas 5 cases foram finalistas DM9, Ogilvy, RC e F/Nazca, com 2 trabalhos. Dos 5 finalistas, apenas um vencedor: a grande ideia do ano.
    (clique aqui para saber mais sobre o prmio)
    Este um reconhecimento muito importante para o trabalho que estamos desenvolvendo na agncia, mas principalmente para esta causa que merece todo o nosso respeito. Afinal, ver os resultados do Doe Palavras nos hospitais o maior prmio que o projeto pode receber.

    Obrigado ao Yahoo! (a poltrona linda), s pessoas que torceram e um obrigado especial equipe competente que criou, executou e acreditou no projeto desde aquele fim de semana de trabalho. #vamojunto

                                                   
                                           O renomado publicitrio mineiro, lvaro Rezende, 
                                        feliz da vida com o a genial criatividade de sua equipe,
                                                        que faturou o BIG IDEA CHAIR, 
                                               com a campanha www.doepalavras.com.br

                                                          Click abaixo e assista o vdeo.

                                                                        REMEMBER
                                                              da matria que publiquei,
                                                   aqui no nosso BLOG h poucos meses:

    Doe Palavras / Donate Words
     from RC Comunicao on Vimeo.

    Direo de Criao: Guilherme Arajo
    Criao: Eduardo Arajo, Guilherme Arajo, Gustavo Costa, Mateus Martins, Rafael Gil, Tiago Pereira

    Coordenao de projeto: Tiago Pereira
    Design e programao: 3Bits

    Atendimento: Denise Panisset

    Planejamento: Raquel Ratton, Pedro Souza
    Mdia: Daniella Arajo

    Aprovao: Srgio Prates



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Novembro 7, 2010

    "ASSUNTA LOUNGE". Embratel em Juiz de Fora. Nota pinada da coluna do Csar Romero da Tribuna de Minas.

     

             NO CIRCUITO
    O vice-presidente da Embratel, Ney Acyr de Oliveira, o diretor regional em Minas, Altivo Oliveira e o gerente regional no Tringulo Mineiro, Rogrio Fagundes estaro dia 10, em Juiz de Fora.
    Ao lado do gerente regional da Embratel, Paulo Lovisi, eles participam de um evento empresarial na Assunta Lounge.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Novembro 6, 2010

    O descanso do guerreiro!!! Anastasia rumo ao CARIBE. *Minas tem governador interino at dia 15. o vice eleito, deputado ALBERTO PINTO COELHO. OUTRO ASSUNTO. CPMF: sobre esse assunto polmico comenta hoje em sua coluna no jornal HOJE EM DIA, o articulista Carlos Lindenberg: ANASTASIA se "fosse outro, dos tantos que dizem no quando querem dizer sim, e o governador Anastasia poderia deixar a questo em aberto e voar para os cus do Caribe para s entrar no assunto, se fosse o caso, quando retornasse ao pas. Mas sem ainda os vcios da poltica tradicional, o governador mineiro no se lembrou, provavelmente, de que de oposio, mas engrossa o coro dos governistas que pedem a volta do imposto sobre o cheque. Dizem uns que Anastasia foi ingnuo ao defender a volta do imposto. Dizem outros que ele foi transparente ao dizer o que pensa, pois se favorvel volta do imposto que o dissesse, como o fez" - conclui Lindenberg.

    Presidente da ALMG, Alberto Pinto Coelho, e o governador Antonio Anastasia

    Presidente da ALMG, Alberto Pinto Coelho, e o governador Antonio Anastasia


    BELO HORIZONTE (05/11/10) - O governador Antonio Anastasia reuniu-se nesta sexta-feira (5) com o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado estadual Alberto Pinto Coelho (PP). O encontro marcou a transmisso de cargo ao presidente da Assembleia em funo de viagem do governador ao exterior. Deputados e secretrios de Estado participaram do encontro no Palcio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves. O governador Antonio Anastasia retorna ao Governo de Minas no dia 15 deste ms.


    COLETIVA do gov. Anastasia
    e do vice eleito Alberto Pinto Coelho.
    Confira!!!
    Local: Palcio Tiradentes
    Data: 05/11/2010
    Assuntos:
    Transmisso de cargo,
    CPMF
    e Leis Delegadas
       

                                                                 FALA!!!
                                                                 Antonio Anastasia

    Sobre a transmisso de cargo. 
    um pequeno descanso. Desde que eu assumi o Governo do Estado, tivemos uma agenda muito atribulada de governador, durante todo o perodo, ao mesmo tempo a campanha. Ento, agora eu estou comunicando Assembleia essa sada durante seis noites, quando estarei ausente do pas e, portanto, com muita honra, com muita serenidade, tranquilidade e, mais que tudo, confiana, passando o governo ao presidente Alberto Pinto Coelho, que tambm presidente da Assembleia, por isso me substitui nesse momento, mas a partir do prximo ano, tambm, vai nos substituir nos momentos de ausncia por ser o vice-governador eleito do Estado. 
    Governador, muita polmica ontem na Assembleia, a oposio criticou bastante o pedido da lei delegada que o senhor enviou, dizendo que significa, ento, que o Choque de Gesto no valeu de nada e eles tm receio de dar poderes ilimitados para o senhor. 
    Em primeiro lugar, sempre bom esclarecer. Alis, a exposio de motivos que encaminha a solicitao, ela j diz bastante. Na realidade, so trs etapas. A primeira se deu no final de 2002, a sim com o projeto chamado Choque de Gesto, quando a Assembleia conferiu ao ento governador eleito Acio Neves a competncia para fazer a primeira grande reforma. 
    Passados quatro anos, e o xito do programa Choque de Gesto, fomos para a segunda etapa, o Estado para Resultados, e, mais uma vez, uma adequao da mquina. Eu disse e repito que a administrao pblica ela por natureza dinmica. Veja-se o governo federal. Evidentemente que haver, tambm l, uma reforma administrativa. Vo ser criados e extintos ministrios. S que l se faz por medida provisria, e ns, aqui, temos que fazer por esse processo legislativo.
    A lei delegada foi utilizada, e a imprensa de hoje mesmo demonstra, por todos os governadores nos ltimos vinte anos, e um processo muito adequado questo de reforma administrativa. Ela extremamente limitada no tempo e no objeto. Ela cuidar exclusivamente do desenho administrativo das secretarias, autarquias e fundaes. A lei delegada no permite extino nem criao de empresas, no permite nenhuma alterao em matria salarial dos servidores efetivos, nem para conceder, nem para modificar. Ento, somente nos cargos em comisso.
    Ento, vemos que ela tem exatamente o mesmo objeto das outras duas recentes que foram feitas no Governo Acio Neves e que, ao contrrio do que disse a oposio, deu muito certo. Deu tanto certo que Minas Gerais, hoje, uma vitrine internacional como modelo de governana. E est dando certo porque tivemos o aplauso de quase 63% dos mineiros na nossa reeleio.
    O nosso objetivo, agora, continuar no mesmo caminho, aperfeioando a administrao pblica do Estado para iniciarmos o governo, no ms de janeiro de 2011, com a mquina azeitada conforme as novas propostas, porque estamos dando passos avante na questo social, na questo de infraestrutura, na questo de diminuir as desigualdades sociais, na fixao da questo das redes, que est no nosso plano de governo. Ento, isso que est acontecendo e no tem nada a ver com as anteriores.
    Em termos de secretaria, fundir, criar, extinguir secretria. O senhor vai fazer isso? 
    Sim. Ns vamos modificar, ainda que de maneira, no ser nada muito diferente do que existe hoje, mas ns teremos algumas modificaes da chamada sintonia fina em relao quilo. Por que motivo? Porque existem algumas polticas pblicas que ns vamos tomar como matria principal e fundamental no nosso governo, que precisam ter secretarias especficas para esse assunto. Ns veremos isso com a lei delegada. 
    a criao de emprego, que o senhor falou que uma bandeira?
    Esse um dos temas importantes, junto com outros da questo, como eu dizia, do desenvolvimento, da diminuio da desigualdade regional no Estado. So temas muito importantes, das questes sociais, que ns vamos dar uma nfase muito grande, porque a nfase administrativa j foi dada. Ento, ns temos agora, como eu sempre disse durante a campanha, ns temos de ir evoluindo, j temos hoje uma boa infraestrutura, criou-se um ambiente de negcios, a casa est em ordem, para darmos mais um passo. E esse passo refere-se a essas polticas. 
    Vai criar mais secretarias? 
    Isso ns vamos ver o desenho do que vai acontecer. No posso antecipar porque os estudos esto sendo feitos e ns veremos no momento oportuno.
    O senhor declarou ser favorvel aprovao da CPMF, que uma medida impopular. Por qu? 
    O que eu disse ontem, e repito, que a CPMF, quando foi votada h trs anos, ela teve naquele momento o apoio de todos os governadores, independente de partidos. E nesse momento quando o tema volta pauta, ns achamos que importante discutir o financiamento da sade. Alis, foi um tema discutido exausto aqui durante a nossa campanha.
    E eu dizia, em primeiro lugar, a CPMF competncia e responsabilidade exclusiva do governo federal e do Congresso Nacional. No o estado que vota a CPMF. E no so os governadores de oposio que no temos maioria no Congresso, ao contrrio, o governo tem ampla maioria. Ento, naturalmente, o governo federal quem vai decidir junto com a sua maioria parlamentar se haver ou no esse novo tributo. 
    O que eu disse e repito que um tributo importante em termos de financiamento da sade. importante termos esse financiamento. E claro que devemos tambm cogitar que a melhor das opes que essa contribuio venha no bojo da reforma tributria porque temos em Minas outros problemas alm do financiamento da sade.
    Por exemplo, a questo tributria da minerao que foi objeto da nossa campanha de muitos debates. Sabemos que o minrio em Minas Gerais muito tributado pela Unio federal e pouco tributado pelo Estado. Temos de reequilibrar isso.
    Isso se dar na discusso da reforma tributria.
    Ento, na reforma tributria que vir s questes de financiamento da sade atravs de uma contribuio ou de outra, as questes da minerao tm de ser discutidas porque isso significa o reequilbrio tributrio da federao.
    O senhor no pode aumentar o tributo da minerao? 
    No, porque o tributo da minerao federal porque os royalties so federais. a chamada Cepem que uma contribuio federal especfica da minerao. Ento, uma matria de competncia da Unio. 
    Tem uma informao agora tarde nos sites de que o governador Acio Neves vai trabalhar para ser o presidente do PSDB. O que o senhor acha disso?
    Naturalmente, em primeiro lugar, o governador e senador eleito Acio Neves tem competncia, respeitabilidade e reconhecimento para ocupar todos os cargos nesse pas: presidente da Repblica, senador, governador, presidente do partido, aquele que achar conveniente. Agora, isso uma questo, talvez, para maio do ano que vem. Ento, no sei se est no momento. 
    O senador Acio no me disse nada a respeito deste tema. Se vai ser ou no. Ao contrrio, o que ele me disse foi o que est hoje nos jornais, ele me relata a entrevista que deu imprensa, dizendo da sua sugesto para a criao de uma pequena comisso composta de trs notveis do PSDB para rediscutir os rumos do partido especialmente onde o partido no foi bem, composta pelo ex-presidente Fernando Henrique, pelo ex-governador Jos Serra e pelo ex-senador Tasso Jereissati, que discutiriam questes programticas. Mas a questo de presidente do partido ser discutida no tempo oportuno.

                                                                    FALA!!!
                                                                   Alberto Pinto Coelho

    O senhor apesar de estar aqui no exerccio da governana, o senhor vai trabalhar para esse pedido do governador que foi encaminhado Assembleia? 
    Eu acho que tem a legitimidade de um dispositivo constitucional, muito prprio, e adequado, como bem colocou o governador Antonio Anastasia, no incio de um novo governo, fazer as adequaes para acolher a dinmica da prpria gesto pblica.
    Os momentos se alternam na intensidade e mesmo nos programas de governo. A estrutura tem que espelhar essa nova realidade. Eu diria que algo que est previsto na Constituio, legtimo, e o momento oportuno e adequado. E os exemplos da aplicao desse dispositivo s nos levam a enaltec-los, porque a eficincia e a eficcia da gesto pblica teve, foi estribada nesse princpio, no incio das duas gestes do Governo Acio Neves e Antonio Anastasia. 
    Como o governo tem a maioria no vai ter problema para a aprovao. 
    Eu diria que tem que existir a discusso como est existindo. O que no podemos por um rescaldo de emoo ou mesmo trazer um processo, recente, eleitoral concluso em cima dessa questo. No tenho dvidas que mesmo a oposio, de maneira consciente, vai entender o momento e a importncia desses dispositivos. 
    O senhor vai ficar durante uma semana no comando do Governo do Estado. Algum trabalho especfico nesse perodo?
    Recebo essa interinidade com o senso de responsabilidade do cargo de governo e com a honra de substituir o governador Antonio Anastasia, procurando cumprir a rotina estabelecida e atento aos acontecimentos.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 5, 2010

    Defensora Pblica Geral Pr-ativa.








    DEFENSORA PBLICA GERAL
    VISITA PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DE MINAS
     
     




    novembro20103.jpg

    Em continuidade s suas visitas aos representantes de rgos pblicos, a Defensora Pblica Geral do Estado, Andra Tonet, foi recebida na manh desta quinta-feira, 04/11, pelo presidente do Tribunal de Contas de Minas Gerais, Wanderley vila, em seu gabinete. A dirigente da Defensoria Pblica Mineira falou das novas metas da instituio e reafirmou o propsito de manter um relacionamento harmnico e possveis parcerias com os demais rgos da administrao pblica mineira.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 5, 2010

    Ministrio das Comunicaes - pilotado pelo mineiro Z Artur Filardi - aumenta velocidade da internet.

                                       O Ministrio das Comunicaes ser comandado a partir desta quarta pelo chefe de gabinete do ministro Hlio Costa, Jos Artur Filardi 
                                               Contratos aditivos melhoram acesso internet 
                                  e garantem 1.460 novos pontos de conexo para telecentros. 
                                                   Investimento de mais de R$ 17 milhes

     
    O Ministrio das Comunicaes vai aumentar em 50% a velocidade mdia de acesso internet em todos os pontos atendidos pelo programa Gesac (Governo Eletrnico Servio de Atendimento ao Cidado). Alm disso, vai instalar mais 1.460 pontos de conexo em todo o pas, que sero destinados a telecentros comunitrios do Minicom, a unidades do programa Telecentros.BR e a escolas rurais. Com a ampliao, a quantidade total de pontos de conexo do Gesac passar dos atuais 11.919 para 13.379.
    Os dois contratos aditivos que prevem a ampliao do programa, assinados entre o Ministrio das Comunicaes e a Embratel, foram publicados nesta quinta-feira (4), no Dirio Oficial da Unio, e somam um valor total de R$ 17.629.806,87. A previso de que os usurios comecem a ser beneficiados pelas novas conexes a partir de dezembro.
    "Priorizamos o aumento da velocidade do acesso internet em relao a um maior nmero de pontos", explica o Diretor do Departamento de Servios de Incluso Digital do MC, Heliomar Medeiros. Com os aditivos contratuais, a velocidade mnima nos pontos de conexo Gesac ser dobrada e passar dos atuais 256 kpbs para 512 kbps. Com essa velocidade, devero ser contemplados 8.141 pontos.
    J as conexes acima de 1 Mbps, que atendem atualmente 140 unidades, tero uma grande ampliao e vo chegar a 4.847 pontos. Os acessos com velocidade mdia de 2 Mbps vo atingir 391 unidades.
    Heliomar Medeiros acrescenta que, alm de melhorar as conexes, os aditivos ao edital do Gesac vo garantir uma quantidade de pontos suficientes para atender a demanda dos programas Telecentros.BR e completar a conexo dos telecentros implantados pelo Ministrio das Comunicaes. Das 1.460 novas conexes, 910 sero feitas por satlite e 550 via terrestre.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 5, 2010

    Inovando!!! DEFENSORIA PBLICA PREPARA ESTAGIRIOS PARA NOVO PROJETO DO ATENDIMENTO AO PBLICO








    DEFENSORIA PBLICA PREPARA ESTAGIRIOS PARA NOVO PROJETO DO ATENDIMENTO AO PBLICO  
     




    A Central Permanente de Capacitao-CPC, que tem o objetivo de dar treinamento ininterrupto aos estagirios e atendentes da Defensoria Pblica Estadual, iniciou nesta sexta-feira, 05/11, suas atividades, j preparando os estagirios de Direito, recentemente aprovados, para o projeto do novo atendimento ao pblico, na sede da DPMG, em Belo Horizonte. 

    De acordo com o coordenador do Atendimento, defensor Marco Paulo Denucci Di Spirito, " essencial a estruturao do atendimento ao pblico, com o emprego de pessoal capacitado, de modo a aprimorar a qualidade da coleta de informaes e o preparo dos documentos que sero destinados ao defensor pblico."

    O que era bom ficou melhor

    Reunidos no salo nobre da Casa, onde recebem as primeiras instrues, os estagirios iniciantes, segundo o Coordenador, sero responsveis tambm pela alimentao do novo sistema informatizado da Defensoria, o SIGED, que j se encontra disponibilizado para uso. Denucci anuncia ainda que, no decorrer de suas atividades, os estagirios tero aulas com os mais renomados defensores pblicos e, periodicamente, recebero certificados referentes aos cursos jurdicos que assistiro. Para o Coordenador, "se o estgio na Defensoria j era um bom investimento, agora ser ainda melhor."

    Marco Paulo explica que o atendimento, a ser realizado pelos estudantes de Direito, ser possvel, no apenas em razo do treinamento constante desses estagirios, mas tambm em virtude dos questionrios, disponveis no SIGED, para as mais diversas reas, que serviro de guia para o atendente colher as informaes juridicamente relevantes.





    ciclodecapacitacao20101.jpg

     



    Marco Paulo Denucci, coordenador da CPC/DPMG, instrui os novos estagirios do Curso de Direito sobre as inovaes no Atendimento aos assistidos da instituio

     

     

    ciclodecapacitacao2010.jpg




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 5, 2010

    DE OLHO Plano Plurianual do governo de Minas.







    So Joo Nepomuceno foi a segunda
    a receber audincia sobre PPAG;
    inscries para encontro na Capital
    terminam hoje (5)



    A cidade de So Joo Nepomuceno (Zona da Mata) foi sede hoje (5) da segunda reunio que a ALMG realiza para debater a reviso do Plano Plurianual de Ao Governamental (PPAG) 2008/2011. So quatro audincias, sendo uma em Belo Horizonte e trs no interior. Na Capital, as propostas de reviso sero discutidas de segunda a quarta (8 a 10), contemplando os programas estruturadores que compem o PPAG.
    Ontem,
    Itapagipe (Tringulo Mineiro) discutiu o tema. A cidade de Itaobim (Jequitinhonha/Mucuri) encerra no dia 12 de novembro essa etapa de debates. Para a audincia da Capital, as inscries terminam hoje. As inscries institucionais, que do direito a voto na plenria final, podem ser feitas clicando aqui, e as individuais, para participao nos grupos de trabalho, aqui.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Novembro 5, 2010

    MEDALHA DO MRITO LEGISLATIVO, quinta-feira, s 10 da manh. Onde? EXPOMINAS, aqui em BH. O tema deste ano ser: os 100 anos de nascimento do presidente Tancredo Neves.

    O ex-prefeito de BH,
    Pimenta da Veiga
    ser o orador oficial.

                           Medalha do Mrito Legislativo
                      ser entregue na quinta a 200 pessoas

    A Assembleia Legislativa de Minas Gerais realiza na quinta-feira (11/11/10), s 10 horas, a entrega da Medalha do Mrito Legislativo a 200 agraciados. A solenidade ser no Expominas de Belo Horizonte - Arena Multiuso (Avenida Amazonas, 6.030 - Gameleira) e tem o objetivo de homenagear pessoas fsicas ou jurdicas, nacionais ou estrangeiras, que tenham se destacado por servios prestados ou mritos excepcionais.
    O tema da cerimnia deste ano busca inspirao na trajetria poltica de Tancredo Neves junto consolidao da democracia no Brasil. Em homenagem ao poltico que completaria 100 anos em 2010, a medalha entregue aos agraciados ser cunhada com uma foto de Tancredo, destacando a inscrio de seu centenrio. O orador oficial da solenidade ser o ex-prefeito de Belo Horizonte e ex-ministro das Comunicaes, Pimenta da Veiga. Tambm o presidente da ALMG, deputado Alberto Pinto Coelho (PP), discursa na cerimnia.
    Alm da medalha, os agraciados recebem diplomas assinados pelo presidente da Assembleia e pelo deputado Dinis Pinheiro, que secretrio do Conselho da Ordem - formado pelos membros da Mesa, pelas lideranas da Maioria e da Minoria e pelos ex-presidentes da ALMG que estejam no efetivo exerccio do mandato de deputado estadual. As medalhas so concedidas mediante proposta do Conselho da Ordem, que dirigido pelo presidente da ALMG.
    A Ordem do Mrito Legislativo foi criada pela Resoluo 2.778, de 1982, e concedida nos graus Grande Mrito, Mrito Especial e Mrito
    * Grande Mrito: destinado a soberanos, chefes de Estado, chefes de governo e seus sucessores imediatos; governadores; vice-governadores; presidente da Assembleia Legislativa do Estado; presidente do Supremo Tribunal Federal; presidente do Tribunal de Justia do Estado; presidente da Cmara dos Deputados; presidente do Senado Federal; ministros de Estado e outras personalidades de hierarquia equivalente;
    * Mrito Especial: destinado aos membros da Mesa e a deputados estaduais; secretrios de Estado; senadores; deputados federais; ministros de Tribunais Superiores; presidentes de Tribunais; desembargadores; generais; embaixadores; enviados extraordinrios; ministros; reitores; cientistas e outras personalidades de hierarquia equivalente;
    * Mrito: destinado a cnsules; magistrados; membros do Ministrio Pblico; militares; professores; escritores; funcionrios pblicos; desportistas e outras personalidades de hierarquia equivalente.
    TV Assembleia - O evento da Ordem do Mrito Legislativo ser transmitido ao vivo pela TV Assembleia e pelo site www.almg.gov.br.
    EXPOMINAS.Medalha do Mrito Legislativo
    ser entregue na quinta a 200 pessoas
    A Assembleia Legislativa de Minas Gerais realiza na quinta-feira (11/11/10), s 10 horas, a entrega da Medalha do Mrito Legislativo a 200 agraciados. A solenidade ser no Expominas de Belo Horizonte - Arena Multiuso (Avenida Amazonas, 6.030 - Gameleira) e tem o objetivo de homenagear pessoas fsicas ou jurdicas, nacionais ou estrangeiras, que tenham se destacado por servios prestados ou mritos excepcionais.
    O tema da cerimnia deste ano busca inspirao na trajetria poltica de Tancredo Neves junto consolidao da democracia no Brasil. Em homenagem ao poltico que completaria 100 anos em 2010, a medalha entregue aos agraciados ser cunhada com uma foto de Tancredo, destacando a inscrio de seu centenrio. O orador oficial da solenidade ser o ex-prefeito de Belo Horizonte e ex-ministro das Comunicaes, Pimenta da Veiga. Tambm o presidente da ALMG, deputado Alberto Pinto Coelho (PP), discursa na cerimnia.
    Alm da medalha, os agraciados recebem diplomas assinados pelo presidente da Assembleia e pelo deputado Dinis Pinheiro, que secretrio do Conselho da Ordem - formado pelos membros da Mesa, pelas lideranas da Maioria e da Minoria e pelos ex-presidentes da ALMG que estejam no efetivo exerccio do mandato de deputado estadual. As medalhas so concedidas mediante proposta do Conselho da Ordem, que dirigido pelo presidente da ALMG.
    A Ordem do Mrito Legislativo foi criada pela Resoluo 2.778, de 1982, e concedida nos graus Grande Mrito, Mrito Especial e Mrito
    * Grande Mrito: destinado a soberanos, chefes de Estado, chefes de governo e seus sucessores imediatos; governadores; vice-governadores; presidente da Assembleia Legislativa do Estado; presidente do Supremo Tribunal Federal; presidente do Tribunal de Justia do Estado; presidente da Cmara dos Deputados; presidente do Senado Federal; ministros de Estado e outras personalidades de hierarquia equivalente;
    * Mrito Especial: destinado aos membros da Mesa e a deputados estaduais; secretrios de Estado; senadores; deputados federais; ministros de Tribunais Superiores; presidentes de Tribunais; desembargadores; generais; embaixadores; enviados extraordinrios; ministros; reitores; cientistas e outras personalidades de hierarquia equivalente;
    * Mrito: destinado a cnsules; magistrados; membros do Ministrio Pblico; militares; professores; escritores; funcionrios pblicos; desportistas e outras personalidades de hierarquia equivalente.
    TV Assembleia - O evento da Ordem do Mrito Legislativo ser transmitido ao vivo pela TV Assembleia e pelo site www.almg.gov.br.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Novembro 4, 2010

    FIEMG abriu a Mega Feira da Moda.










    Desfile em homenagem ao Grupo Corpo
    marca abertura do Minas Trend Preview



    A abertura oficial da 7 edio do Minas Trend Preview foi realizada na noite desta tera-feira (2/11), em evento na Serraria Souza Pinto. Alm do coquetel para a imprensa e convidados, a abertura foi marcada por um desfile que reuniu 28 marcas de vesturio, calados e acessrios.
    Toda a concepo do desfile, comandado por Ronaldo Fraga, foi inspirado e homenageou o Grupo Corpo, que comemora 35 anos em 2010. No por acaso o tema dessa edio do Minas Trend Preview Moda, Corpo, Moda, que prope a unio do pensamento sobre o universo fashion com o vasto patrimnio da companhia de dana mineira.
    Presente na cerimnia de abertura, o presidente da Fiemg, Olavo Machado Jr, fez questo de ressaltar o vis econmico do evento. "O Minas Trend ajuda a impulsionar um setor responsvel por 20% das contrataes da indstria no estado, e que acaba influenciando diversos outros segmentos", afirmou.
    O governador de Minas, Antonio Anastasia, destacou a grandiosidade do MTP. "A iniciativa da Fiemg digna de aplausos. A moda em Minas vem se tornando referncia dentro e fora do pas", disse. A opinio foi corroborada pelo prefeito de Belo Horizonte, Mrcio Lacerda. "Estamos presenciando um evento que coloca a capital mineira no mapa da moda nacional e internacional".
    A programao do Minas Trend Preview prossegue nesta quarta-feira com mais quatro desfiles, de sete grifes:
    16h urea Prates e Blue Banana
    17h30 Mary Design e Faven
    19h Cavalera e Rogrio Lima
    20h30 Fause Haten
    Para mais informaes, acesse o site www.minastrendpreview.com


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Novembro 4, 2010

    EM ALTA. Exportaes mineiras atingiram em outubro 17,45% do volume exportado pelo Brasil.

    Graas a um desempenho excepcional de suas exportaes, que acumulam at outubro ltimo (US$ 24,963 bilhes) valor superior ao total exportado ao longo de 2008 (US$ 24,412 bilhes), o comrcio exterior mineiro atingiu no ms passado a participao recorde de 17,45% da corrente de comrcio nacional.
    Os dados foram divulgados no final da tarde desta quarta-feira (3), pela Central Exportaminas, rgo vinculado Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econmico (Sede), com base no levantamento preliminar elaborado pelo Ministrio do Desenvolvimento, Indstria e Comrcio Exterior (MDIC).
    As exportaes mensais atingiram valor superior a US$ 3 bilhes, em outubro, pelo terceiro ms consecutivo e tendem a superar a marca dos US$ 30 bilhes no acumulado de 2010. As vendas externas registraram, no ms passado, crescimento de 70,6% em comparao com idntico ms de 2009, atingindo o valor de US$ 3,21 bilhes. Se comparado com o valor alcanado em setembro, porm, houve uma pequena queda no valor exportado de 0,2%.
    J as importaes mineiras alcanaram US$ 903,71 milhes em outubro ltimo, sendo que este valor representou um crescimento nas importaes da ordem de 22,1% em relao ao mesmo ms do ano anterior e uma retrao do valor importado da ordem de 17,6% se comparado a setembro de 2010.
    O saldo comercial mineiro atingiu US$ 2,03 bilhes em outubro ltimo, contabilizando crescimento de 102,1% em relao ao valor do mesmo ms em 2009. J em relao a setembro de 2010, houve crescimento de 5,8%. J a corrente de comrcio de outubro deste ano, que alcanou os US$ 4,11 bilhes, apresentou expanso de 56,9% em relao a outubro de 2009, mas retrao de 5,9% na comparao com o saldo do ms anterior.
    O Panorama do Comrcio Exterior de Minas Gerais elaborado pela Central Exportaminas revela alguns destaques importantes no acumulado janeiro a outubro de 2010. Enquanto as exportaes acumuladas superam o valor exportado no ano de 2008, o saldo comercial mineiro tambm evoluiu significativamente e foi superior ao saldo nacional em US$ 1,59 bilho, alcanando o patamar de US$ 14,37 bilhes.
    Conforme o levantamento, Minas Gerais registrou um valor exportado de US$ 24,96 bilhes entre janeiro e outubro de 2010 e contabilizou uma expanso das vendas externas em 56,2% na comparao com o mesmo valor verificado entre janeiro e outubro de 2009. A participao das exportaes mineiras sobre as nacionais (ver quadro abaixo) chegou a 15,3%, estabelecendo um novo recorde neste indicador.
    No acumulado do ano as importaes mineiras totalizaram US$ 8,29 bilhes, respondendo por 5,6% das importaes nacionais, registrando-se um crescimento de 37,4% em relao ao valor contabilizado em igual perodo do ano anterior. O saldo comercial mineiro, que correspondeu a 114,0% do total brasileiro, atingiu US$ 16,68 bilhes. Tal valor foi 67,5% superior ao valor verificado em igual perodo de 2009.
    Outro dado destacado no levantamento da Central Exportaminas mostra que, entre janeiro e outubro ltimo, a corrente de comrcio mineira alcanou US$ 33,25 bilhes, valor 51,0% superior ao mesmo perodo de 2009. O comrcio exterior estadual correspondeu a 10,7% do comercio exterior do pas.
    alt


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Novembro 3, 2010

    HOJE 8 da noite na REDE SUPER. Talk Show Joo Carlos Amaral Entrevista" o empresrio Jos Adalto Silva. NOVIDADE: a criao da maior dede de hotis com capital nacional no Brasil: a REDE ALLIA. Ele d detalhes da parceria entre a rede Bristol e mais duas redes de hotis - uma de So Paulo e outra de Gois.

    HOJE 8 da noite na REDE SUPER
    voc tem encontro marcado com o TALK SHOW
    do Joo Carlos Amaral. Para ASSISTIR
    o programa s colocar sua TV sintonizada no canal 23 a cabo em BH.
    E pela internet:
    www.redesuper.com.br
    ( clicar no cone ASSISTA ON LINE).






    Nosso entrevistado
    o empresrio JOS ADALTO SILVA,
    presidente da Rede BRISTOL Hotels.








    ALISSON J. SILVA
    Jos Adalto Silva prev crescimento de 12% no faturamento da rede Bristol neste ano
    Jos Adalto Silva prev crescimento de 12% no faturamento da rede Bristol neste ano



    Vale conferir entrevista dada por Jos Adalto ao jornal "Dirio do Comrcio" de BH, sobre a rede Bristol.

    MAIS DETALHES LIGUE NA rede super. HOJE, 20 HORAS. CANAL 23 A CABO EM BH. e PELA INTERNET:
    www.redesuper.com.br

    A Organizaes Bristol Ltda. (Bristol Hotels), rede mineira de hotis, com sede na regio central de Belo Horizonte, ir investir R$ 98,086 milhes na construo de quatro unidades na Capital. Os empreendimentos tendem a atender o turismo de negcios da cidade e os grandes eventos esportivos que devem ocorrer nos prximos anos. A previso de que as obras sejam iniciadas no segundo semestre deste ano e concludas em maio de 2013.

    De acordo com o presidente da rede, Jos Adalto Silva, a expanso dos negcios visa inicialmente Copa das Confederaes. "O evento ser um teste para a hotelaria brasileira e as unidades sero instaladas em pontos estratgicos que facilitem o acesso. Apesar do foco ser o turismo de negcios, a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpadas de 2016 deixaro o Brasil na vitrine mundial e tendem a alavancar a hotelaria do pas", avaliou.

    Os quatro novos empreendimentos iro disponibilizar 1,3 mil leitos e os terrenos j foram adquiridos. O Bristol Stadium ser construdo na regio da Pampulha, prximo ao Mineiro. Para esta unidade as inverses esto na ordem de R$ 52,5 milhes. O Bristol Jaragu Hotel tambm ser instalado na regio da Pampulha, com aporte de R$ 7 milhes.

    J o Bristol Convention Hotel ser construdo no bairro Gameleira, na regio Oeste de Belo Horizonte, com investimento de R$ 21,586 milhes. "O empreendimento ir atender ao pblico das grandes feiras e eventos do Expominas, alm dos alunos das universidades prximas", afirmou.

    A quarta unidade, o Bristol Center Hotel, ser instalada na regio Central e ter inverses da casa dos R$ 17 milhes. Segundo Silva, as obras sero feitas em reas em que j existe demanda, mesmo sem a ocorrncia dos grandes eventos. "A construo dos empreendimentos ser feita em tempo recorde. Alm do uso de capital prprio, teremos a contribuio das construtoras e investidores parceiros", revelou.

    Com os empreendimentos sero gerados 300 postos diretos de emprego e 640 indiretos na construo das unidades. Atualmente, a taxa anual de ocupao da rede de 72% e, com a concluso das obras, o ndice deve recuar para 65%. "O mercado hoteleiro est em expanso e depois de dois anos teremos um maior nmero de hotis", avaliou.
    a economia mineira, brasileira e internacional.


    REDE SUPER:
    Audincia globalizada:
    A entrevista com o empresrio Jos Adalto Silva,
    vai atingir 16 milhes de parablicas
    pelo mais novo satlite da REDE SUPER,
    o STAR ONE C2
    que manda sinal para todo o Brasil,
    Amrica do Sul, Mxixo e Flrida.




    O "Programa Joo Carlos Amaral Entrevista"
     vai ao ar na TV  REDE SUPER,
    canal 23 da NET,
    toda quarta-feira,s 20 horas,
    com reprise:
    s sextas-feiras
    s 9:00 hs da manh.
     

    ATENO!!!

    No dia 30 de agosto de 2010, a REDE SUPER
    passou a operar em novo satlite  o Star One C2 -,  
    que tem maior abrangncia e mellhor qualidade de sinal.
    Desde ento, so mais de 16 milhes de antenas parablicas
    recebendo nossa programao em todo o Brasil,
    Amrica do Sul, Mxico e Flrida (EUA).

    Para receber a REDE SUPER
    em sua antena parablica
    voc deve ajustar o seu receptor em:
    Frequncia: 3648
    SR: 2170
    Fec: 3/4
    Polaridade vertical
    Para quem j assite a REDE SUPER pelo satlite B4,
    ser necessrio realinhar a antena para o satlite C2
    e ajustar o receptor de acordo com os dados acima.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 2, 2010

    Presidenta DILMA ROUSSEFF vai manter poltica econmica. DETALHE: 33% DOS PAULISTAS ASSISTIRAM ENTREVISTA DE DILMA AO JORNAL NACIONAL. Nota pinada da VEJA on line.

    Dilma  a primeira mulher na Presidncia (Agncia Estado)

    Presidenta tem posio em relao
    poltica ecnmica brasileira bem recebida
    Ainda bem.

    Agncia internacional apoia a deciso de Dilma de manter poltica econmica
    As diretrizes econmicas que a presidente eleita Dilma Rousseff traou em suas primeiras entrevistas aps a eleio receberam na segunda-feira o primeiro aval de uma agncia internacional de classificao de risco.
    Ao Jornal Nacional e ao Jornal da Record, Dilma afirmou que manter a poltica econmica do governo anterior. Enfatizou, sobretudo, a manuteno das metas de inflao e taxa de juros - herana da administrao do presidente Fernando Henrique Cardoso.

    Ela ainda deu nfase questo da guerra cambial e criticou a postura dos pases que desvalorizam suas moedas artificialmente.
    Dilma se comprometeu a manter a poltica de cmbio flutuante e relembrou o fracasso do cmbio fixo - que enfraqueceu a economia a argentina e tambm a brasileira. "No iremos modificar nenhum dos pilares que sustentam nossa poltica econmica", disse.

    Em nota divulgada na segunda, a agncia Standard & Poor's avalia que a adoo de polticas de controle fiscal como as prometidas pela petista em um ambiente como o atual, de crescimento econmico e inflao sob controle, permitem prever uma elevao da classificao de risco do Brasil.

    Sobre os gastos pblicos, a presidente eleita reiterou que implantar medidas para conter a sangria nos cofres, mas descartou cortar verba de programas sociais. "A caracterstica principal de um governo no mundo de hoje no gastar aquilo que no pode, mas manterei os gastos sociais e os investimentos", afirmou.
    Nem o mercado nem os analistas esperam que Dilma d incio a grandes reformas, sobretudo em um momento em que a economia brasileira tem acelerado fundo.

    (Com agncia EFE)



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 2, 2010

    FALA GOVERNADOR ANASTASIA!!!








    Entrevista do governador Antonio Anastasia
    Eleies 2010

    Assuntos:
    Resultado da eleio 2010



    Na opinio do senhor, o que levou derrota do Serra?
    Em primeiro lugar, mais uma vez, registrar a nossa satisfao pela vitria expressiva que tivemos no primeiro turno e lembrando que foi em primeiro turno nas eleies em Minas Gerais, no s para o Governo do Estado, mas tambm para as duas vagas no Senado e a maioria na Assembleia e a nossa bancada federal, na Cmara dos Deputados.
    Em segundo lugar, naturalmente, desejar felicidades presidente eleita, declarar que vamos ter um relacionamento administrativo, sempre com muita serenidade, como alis foi o relacionamento do presidente Lula com o governador Acio e comigo, nesses meses.
    Em terceiro lugar, dizer que, como se antevia, ns tivemos uma deciso dos brasileiros e dos mineiros tambm pela continuidade. Isso j era discutido h mais tempo e percebeu-se que os mineiros decidiram, juntamente com os brasileiros e a maioria dos estados, pela continuidade, ou seja, pela manuteno dos governos estaduais e do governo federal por razes que, naturalmente, sero estudadas e explicadas pelos especialistas.
    Acreditamos que o nosso candidato, Jos Serra teve uma boa performance em relao as outras candidaturas nos outros anos e observamos tambm, com certa satisfao, no caso especial de Minas Gerais, um resultado muito bom aqui em Belo Horizonte, onde basta ver a evoluo de 2002, 2006 e agora 2010 que ns tnhamos tido indicadores bem menores do PSDB na capital e agora tivemos a vitria.
    E reiterar que, naturalmente, terminada as eleies, hora de trabalhar e mantermos firmes as nossas disposies. 
     
    Fala-se muito, todo mundo tem falado "a presidente mineira, belorizontina" e que ser bom no apenas para Belo Horizonte, mas para Minas. Outras pessoas dizem que no, que Dilma esqueceu de Minas, que s agora com a campanha lembrou que mineira. O que o senhor espera desse governo, dessa mulher, dessa mineira para Minas Gerais?
    Em primeiro lugar, eu volto a dizer que a minha funo principal como governador de Minas Gerais apresentar as reivindicaes e os interesses de Minas e dos Mineiros. E tenho certeza que a presidente da Repblica tratar Minas como o Estado importante que .
    Naturalmente, mineira e por isso mesmo teve o reconhecimento dos seus conterrneos tambm e as grandes obras que ns estamos esperando j h muito tempo, que j foram aqui compromissadas,
    como a BR 381,
    o nosso anel rodovirio,
    o rodoanel,
    a questo do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins,
    entre outros, devem ser implementados. E ns vamos, juntamente com nossos senadores, juntamente com o vice-governador Alberto Pinto Coelho que est aqui, juntamente com nossos deputados federais, levarmos e continuarmos cobrando e mostrando essa necessidade.

    Naturalmente, eu fao votos que seja um governo de realizaes e que tenhamos esse trabalho que um trabalho integrado e, volto a dizer, harmonioso, mas sempre com autonomia dos estados, no s Minas Gerais, mas os demais estados, porque vivemos numa federao. 
     
    Quais so as prioridades do Estado agora, terminada a eleio com relao a projetos para a Assembleia e tambm em relao gesto do Estado?
    Em relao ao nosso governo, ns continuamos governando o Estado normalmente, quer no perodo da nossa campanha eleitoral quer depois da nossa vitria em primeiro turno. Estamos apresentando j os estudos relativos implementao do nosso plano de governo.
    Eu disse que aproveitaria esses meses, outubro, novembro e dezembro at a minha posse, em 1 de janeiro, para aperfeioar os novos programas e projetos de governo que apresentamos no plano de governo.
    Isso vai ser encaminhado, alguns projetos, naturalmente, sero apresentados Assembleia Legislativa, dependem de lei e esto sendo ultimados para que isso fique concludo para o incio do mandato. 
    Minas e So Paulo, dois estados importantes e governados pelo PSDB, dois estados que teriam qual importncia numa oposio ao governo federal?
    Em primeiro lugar, o nosso partido de oposio, far oposio. O nosso senador Acio Neves, o senador Itamar, do PPS, senador Elizeu, dos Democratas, far oposio, mas sempre uma oposio que, como ns mineiros conhecemos, sempre de respeito e, volto a dizer, apresentado aquilo que de interesse do nosso Estado.
    Agora, o relacionamento administrativo vai existir. Uma coisa oposio poltica e outra coisa o relacionamento administrativo, como eu disse e repito, como ns tivemos com o governo federal ao longo dos ltimos anos. Eu acredito que as questes polticas vo existir, mas tambm haver o relacionamento administrativo.
    Eu acredito que a presidente da Repblica, como disse, inclusive, publicamente vrias vezes ela prpria, manter com os estados governados por governadores de oposio um relacionamento de respeito e, naturalmente, um relacionamento de integrao administrativa.  
    Alguns polticos do PSDB, como Xico Graziano, por exemplo, esto fazendo declaraes pblicas de pouco empenho do Acio, do PSDB de Minas e chamando de lavada o que a Dilma fez aqui em Minas e fazendo reclamaes. Como o senhor v isso?
    Eu no vi essas declaraes, mas ns observamos, pelos nmeros colocados, que repetiu-se aqui o que aconteceu em 2002 e em 2006. Ns ficamos cerca de 4% em relao a mdia nacional. No acho que houve lavada.
    Na realidade, manteve-se o mesmo percentual do primeiro turno, o empenho foi visto, eu posso at evocar at o depoimento de vocs mesmos do que ns fizemos de esforo.  Mas eu acredito que essa tendncia de continuidade ficou muito marcante nessas eleies. E outra coisa importante, bom lembrar, que eu tambm j vinha dizendo h mais tempo, inclusive antes da minha eleio no primeiro turno, que ns temos duas esferas.
    Ns temos uma esfera que federal, outra esfera que estadual em relao s eleies tambm. Ento, a questo da transferncia de votos, ela se d muito na respectiva esfera. Tanto assim que o governo Lula, com grande aprovao popular, reconhecimento de mais de 80%, inclusive em Minas Gerais, no teve no seu candidato ao Governo do Estado grande desempenho.
    Ao contrrio, teve 34% dos votos. Ento, no se transfere essa questo entre as esferas federal e estadual. Isso um dado que deve ser sempre analisado pelos especialistas. 
    O senhor citou os anos de 2002, 2006, as ltimas eleies. O que o senhor acha que foi a dificuldade que o PSDB teve nesses anos e tambm nessa campanha presidencial para conseguir arregimentar esses votos que foram para o PT. H uma dificuldade que o senhor v na questo social por tudo que o PT faz nesse sentido, pelo discurso que colocado, o senhor acha que esse um ponto que o PSDB precisa apresentar um pouco mais de proposta?
    Eu acho que no, porque ns tivemos uma vitria aqui em Minas Gerais com 63% dos votos. Se fosse assim, nossa vitria no seria to esmagadora como foi, uma vitria massacrante. Ai sim, houve lavada, com quase 30 pontos de frente.
    Agora, de observar que as eleies, apesar de ter os mesmos percentuais, tiveram cada qual o seu histrico, As eleies de 2002, todos se lembram foi uma eleio marcada pela vontade de mudana e renovao, que veio depois de oito anos de governo Fernando Henrique, com a eleio de Lula.
    Depois tivemos a continuidade tanto aqui quanto l e mais uma vez, agora, com boas condies econmicas e boa avaliao dos governos. E essa questo que h pouco eu mencionei da esfera federal e da esfera estadual. Ento, no acredito que haja nenhum equvoco em termos de proposta de programa.
    Naturalmente, at porque ningum controla mesmo os votos, os eleitores, felizmente. Ns vivemos uma plena democracia. Ento, acredito que no h nenhum equvoco em relao a essa postura, mas claro que todos os partidos, o meu inclusive, que o PSDB, deve permanentemente se renovar, j que perdemos a eleio presidencial, fazermos uma avaliao do que no saiu to bem, o que deve ser aprimorado, verificar as questes regionais.
    interessante ver o mapa, eu estava observando agora pela televiso, o mapa do Brasil, a vitria de Jos Serra no Sul do Brasil, em So Paulo, venceu no Centro-Oeste e em alguns estados do Norte, perdeu com uma margem muito grande no Nordeste. O que significa isso, qual a fora de fato, que programas que tm mais presena no Nordeste?
    E Minas Gerais acaba sendo, como todo mundo sabe, um reflexo, um espelho da realidade brasileira. Ns somos exatamente esse reflexo, com a vitria de Serra no Sul do Estado, com a vitria maior da Dilma na regio Norte do Estado, na regio do Jequitinhonha. Ento, acaba sendo um reflexo daquilo que ocorre em relao eleio, em relao a Minas Gerais que um Estado que se apresenta como uma espcie de um exemplo muito claro do que o Brasil.  
    A gente viu no segundo turno uma campanha bastante tensa, acirrada, com acusaes de ambos os lados. Essa campanha tensa no segundo turno no poderia prejudicar de alguma maneira o relacionamento com a futura presidente?
    No acredito, at porque de nossa parte no houve e a campanha acabou. Ento, temos que pensar nisso. A prpria candidata disse ontem em Belo Horizonte sobre isso, o candidato Serra tambm disse a mesma coisa.
    Muitas vezes os nimos podem se acirrar daqui e dali, mas acho que entre os prprios candidatos, eu assisti ao debate, notei entre eles um clima de respeito. Ento, naturalmente, a campanha j foi encerrada, agora hora de trabalhar, de colocar nossas propostas avante, volto a dizer, sempre mantida a autonomia, as posies polticas de cada partido, a presena da oposio que uma posio firme por parte do nosso partido, mas tambm colocando, no meu caso especfico, os interesses de Minas Gerais sempre em primeiro lugar como governador do Estado. 
    Depois que quatro anos de governo Dilma, daqui a quatro anos j d para pensar num tucano forte para as prximas eleies em 2014 e sairia de Minas e So Paulo, na opinio do senhor?
    A eleio acabou no tem nem 30 minutos. Ento, eu acho que um pouco cedo para ns cogitarmos isso.  
    Mas estava rolando um adesivo falando "mais pra frente Acio presidente".
    Mas isso, naturalmente, isso j estava cogitado aqui em Minas h muitos anos atrs e natural que as nossas lideranas mais expressivas tenham sempre essa vontade. Mas no o momento de discutir isso, at porque, como eu disse, no tem nem 30 minutos que foi oficializado pelo Tribunal Superior Eleitoral a vitria da candidata Dilma Rousseff.
    Isso vai muito tempo pela frente para discutir e, naturalmente, muitas especulaes surgiro. Agora hora, como eu disse, dos cumprimentos vitoriosa, de mais uma vez celebrar a democracia, que muito importante, porque um dado relevante. Ns estamos desde 1989 com as eleies continuadas no Brasil, permanentemente sem problemas.
    A eleio hoje transcorreu em clima de absoluta e total harmonia, tranqilidade. Conversei com o comandante-geral da Polcia duas vezes durante o dia e ele me relatou que foi a eleio mais tranqila da histria de Minas Gerais. Isso muito positivo, que demonstra tambm maturidade, sobriedade dos nossos eleitores. 
    O senhor pretende se reunir com ela (presidente eleita, Dilma Rousseff), antes de acabar o ano?
    Tem 30 minutos que saiu o resultado. Naturalmente, vou fazer os cumprimentos que devem ser feitos, mas ainda vamos agora tomar os passos aqui no Estado, no primeiro momento e, claro que vamos ter, volto a dizer, com a presidente um relacionamento administrativo sempre necessrio.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 2, 2010

    Presidente da TAM recebe Medalha Santos Dumont no Palcio Tirtandentes da Cidade Administrativa Tancredo Neves.

    Omar Freire/Imprensa MG
    A homenagem aconteceu na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves

    O governador Antonio Anastasia concedeu, nesta segunda-feira (1), a Medalha Santos Dumont 2010, grau Ouro, ao presidente da TAM, Lbano Miranda Barroso. A Medalha Santos Dumont uma homenagem do Governo de Minas a pessoas e entidades que tenham contribudo para o desenvolvimento e o progresso de Minas Gerais e do pas.
    A TAM vem aumentando ao longo dos ltimos anos o seu investimento em Minas Gerais. No dia 2 de dezembro a empresa area comea com um novo voo internacional trs vezes por semana ligando Belo Horizonte a Miami, nos Estados Unidos, partindo do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Regio Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).
    A partir do ano que vem os voos devem ser dirios, segundo o presidente da TAM, Lbano Miranda Barroso.
    "A partir do ano que vem receberemos mais dois avies novos, dois A330, e teremos a oportunidade de avaliar a mudana desse voo para dirio, dependendo da taxa de ocupao. Ento estamos muito animados, a receptividade tem sido alta, de toda a comunidade do turismo, tanto turismo de negcios, quanto turismo de lazer", disse Lbano Barroso.
    A TAM aumentou os voos dirios para Belo Horizonte de 35 para 39, nos ltimos quatro meses, e ampliou as ligaes internacionais a partir do Aeroporto Internacional Tancredo Neves. O investimento significa no s mais conforto para os usurios, como tambm tarifas mais competitivas, segundo Lbano Barroso. 
    "Conforto, convenincia, utilizao de toda nossa linha, atravs da Star Alliance conseguimos dar conectividade e distribuio a partir de Miami. Tarifas extremante competitivas, porque queremos desenvolver o mercado e ter ganhos ao longo do tempo e no numa nica viagem", destaca Lbano Barroso. 
    Santos Dumont
    O presidente da TAM, Lbano Miranda Barroso, recebeu a Medalha Santos Dumont das mos do governador Antonio Anastasia, no Palcio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves. Para ele, a medalha um grande orgulho para os brasileiros e Santos Dumont elevou o Brasil na escala mundial h quatro sculos, sendo reconhecido como empreendedor e pela sua capacidade. 
    " um grande orgulho. Santos Dumont, patrono da aviao, foi ele que elevou o Brasil na escala mundial j h um sculo atrs e , como um empreendedor, ele um homem reconhecido pela sua capacidade e o Governo de Minas cultivar isso e lembrar da aviao e a TAM recebendo, em nome da TAM eu recebo com muito orgulho porque ns estamos crescendo, crescendo em Minas Gerais, crescendo no Brasil e j somos a a maior companhia do Hemisfrio Sul e iniciaremos a ligao direta de Minas Gerais com os Estados Unidos agora no dia 2 de dezembro. Ento o momento excelente para ns".


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Novembro 2, 2010

    Medalha Santos Dumont. Pinado da coluna de Csar Romero da Tribuna de Minas.


    O presidente da Assembleia Legislativa
    (e vice-governador eleito)
    Alberto Pinto Coelho
    com os homenageados,
    deputado Luiz Fernando Faria
    e Ibrahim El-Khoury,
    o secretrio de Governo,
    Danilo de Castro, Yone El-Khoury,
    Joseph El-Khoury e Kalil El-Khoury


    Paulo Ely Pereira, o secretrio de Governo,
    Danilo de Castro e Carlos Alberto Makla,
    na solenidade em Cabangu


    MEDALHA SANTOS DUMONT
    A bonita e concorrida solenidade
    de entrega da Medalha Santos Dumont,
    presidida pelo governador reeleito Antonio Anastasia,
    teve nomes da cidade entre os homenageados.
    Diversos integrantes da Academia Rio Branco
    foram levar seu abrao ao 'sheik' Ibrahim El-Khoury,
    que aps a homenagem foi recebido com almoo
    no reduto de Lgia e Dalton Abud
    (ele-ex-vice-prefeito de Santos Dumont).


    O homenageado Antnio Inhan
    com os filhos Wagner, Terezinha e Ftima


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 1, 2010

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS.



    O jornalista, amigo e colega de Faculdade de Comunicao Social na UFJF,
    o ubaense Kak Guilhermino, um dos fundadores do PT
    e afinado com a presidenta eleita Dilma Rousseff.
    Eu e o Kak ouvimos a presidenta declarar
    uma verdeira msica aos nossos ouvidos de jornalistas
     - amantes da liberdade de expresso:
    "Quem, como eu, lutou pela democracia e pelo direito de livre opinio arriscando a vida;
    quem, como eu e tantos outros que no esto mais entre ns,
    dedicamos toda nossa juventude ao direito de expresso,
    ns somos naturalmente amantes da liberdade.
    Por isso, no carregarei nenhum ressentimento.

    Disse e repito que prefiro o barulho da imprensa livre
    ao silencio das ditaduras",
     frisou a presidenta Dilma Rousseff.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 1, 2010

    Pimentel no Planalto. Com cotao alta no futuro governo da presidenta DILMA. O ex-prefeito de BH, Fernando Pimentel e Palocci - so os dois primeiros coordenadores para a formao da Equipe de Transio de Lula para Dilma. S escuto que Pimentel vai mesmo ser ministro: Planejamento?


    Pimentel no ganhou para o senado. Mas obteve mais de 4 milhes e meio de votos.
    Capital eleitoral que o credencia, sem dvidas, no fututo governo Dilma. Pode apostar.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 1, 2010

    UFA!!! Uma MINEIRA no Planalto. PELO VOTO DIRETO!!! Depois de JK a vez da mineira Dilma ocupar o Palcio do Planalto. Finalmente UMA MINEIRA de Belo Horizonte vira PRESIDENTE da Repblica. Dilma colocou um ponto final na longa tradio de Minas dar sempre o vice. Vamos l: Pedro Aleixo, Aureliano Chaves, Itamar Franco, Z Alencar...

           Dilma  a primeira mulher na Presidncia (Agncia Estado)

                                                    Presidenta  Dilma promete honrar as mulheres


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 1, 2010

    Deputado federal do PT mineiro, ODAIR CUNHA est na bica de virar MINISTRO da nova presidenta DILMA.

     Deputado federal Odair Cunha,
                                              PT de Minas.                                          odair cunha concede entrevista  tv plan de poos de  caldas-mg.jpg       
    Margarida Salomo.
    Ex-reitora da UFJF
    e suplente de deputada fedetal
    do PT de JF

    Se Odair virar ministro, a ex-reitora da UFJF Margarida Salomo, suplente de deputada, vai assmumir a vaga de Odair na Cmara Federal em Braslia.

    Detalhe da fora do PT em Juiz de Fora: l Dilma colocou 103 mil votos de frente em cima de Serra. E olha que o prefeito do PSDB, o ex-deputado Custdio Mattos. E o senador eleito Itamar Franco, do PPS, apoiou Serra.
    Outro detalhe anotado pelo jornalista, meu amigo, Kak Guilhermino: em Uberlndia Dilma ganhou de Serra com uma diferena de 110 mil votos.
    E mais: Kak, petista de primeira hora, observou que a vitria de Dilma em Minas, anulou a frente de Serra em So Paulo - que foi de 50 mil votos.
    Finalizou: " Minas acabou com o sonho de So Paulo chegar presidncia da Repblica".
    E eu completo: Serra acusou o golpe. No agradeceu o apoio do senador eleito Acio Neves.
    Pano rpido!!!


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 1, 2010

    FALA PRESIDENTA DILMA!!!

     LIBERDADE DE IMPRENSA:                        




             Presidenta vai erradicar a misria e fortalecer a economia

    FOTO: Roberto Stuckert Filho



    Presidenta vai
    erradicar a misria
    e fortalecer a economia



    A presidenta Dilma Rousseff, eleita com mais de 55,7 milhes de votos, afirmou aps sua vitria que far um governo com foco na erradicao da pobreza, no fortalecimento da economia nacional e far esforos por uma reforma poltica que eleve os valores republicanos. A primeira mulher a assumir o comando do Brasil abriu seu discurso assumindo o compromisso de "honrar as mulheres brasileiras, para que este fato, at hoje indito, se transforme num evento natural", disse.
    "Reforo aqui meu compromisso fundamental: a erradicao da misria e a criao de oportunidades para todos os brasileiros e brasileiras. Ressalto, entretanto, que esta ambiciosa meta no ser realizada pela vontade do governo. Ela um chamado nao, aos empresrios, s igrejas, s entidades civis, s universidades, imprensa, aos governadores, aos prefeitos e a todas as pessoas de bem.
    No podemos descansar enquanto houver brasileiros com fome, enquanto houver famlias morando nas ruas, enquanto crianas pobres estiverem abandonadas prpria sorte. A erradicao da misria nos prximos anos , assim, uma meta que assumo, mas para a qual peo humildemente o apoio de todos que possam ajudar o pas no trabalho de superar esse abismo que ainda nos separa de ser uma nao desenvolvida", afirmou.
    A presidenta tambm alertou a nao que o reforo da economia brasileira ter que se dar pelo mercado interno, j que as naes desenvolvidas esto em dificuldades e continuaro assim por mais alguns anos e seguiro adotando medidas protecionistas. "No curto prazo, no contaremos com a pujana das economias desenvolvidas para impulsionar nosso crescimento. Por isso, se tornam ainda mais importantes nossas prprias polticas, nosso prprio mercado, nossa prpria poupana e nossas prprias decises econmicas", salientou.
    Pr-sal
    Dilma frisou que a riqueza do petrleo do pr-sal ser direcionada principalmente para o desenvolvimento da nao e no ser usado com projetos "efmeros". "O Fundo Social mecanismo de poupana de longo prazo, para apoiar as atuais e futuras geraes. Ele o mais importante fruto do novo modelo que propusemos para a explorao do pr-sal, que reserva Nao e ao povo a parcela mais importante dessas riquezas. Definitivamente, no alienaremos nossas riquezas para deixar ao povo s migalhas", disse.
    Ela reafirmou que se empenhar para melhorar a conduta poltica do Brasil e pediu apoio dos partidos polticos para aprovar uma reforma poltica. "Nosso pas precisa ainda melhorar a conduta e a qualidade da poltica. Quero empenhar-me, junto com todos os partidos, numa reforma poltica que eleve os valores republicanos, avanando em nossa jovem democracia", discursou.
    A petista tambm reforou seu compromisso com a liberdade de imprensa, de expresso e de credo.
    "Quem, como eu, lutou pela democracia e pelo direito de livre opinio arriscando a vida; quem, como eu e tantos outros que no esto mais entre ns, dedicamos toda nossa juventude ao direito de expresso, ns somos naturalmente amantes da liberdade. Por isso, no carregarei nenhum ressentimento. Disse e repito que prefiro o barulho da imprensa livre ao silencio das ditaduras", frisou.
    Lula
    Emocionada, Dilma falou sobre sua relao com o presidente Luiz Incio Lula da Silva e contou o que aprendeu com o maior lder que o pas j teve.
    "Ter a honra de seu apoio, ter o privilgio de sua convivncia, ter aprendido com sua imensa sabedoria, so coisas que se guarda para a vida toda. Conviver durante todos estes anos com ele me deu a exata dimenso do governante justo e do lder apaixonado por seu pais e por sua gente. A alegria que sinto pela minha vitria se mistura com a emoo da sua despedida. Sei que um lder como Lula nunca estar longe de seu povo e de cada um de ns. Baterei muito a sua porta e, tenho certeza, que a encontrarei sempre aberta", concluiu.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Novembro 1, 2010

    Temos presidenta. A mineira DILMA ROUSSEF a primeira mulher eleita para o mais alto cargo do pas. No seu primeiro discurso destaco: "DISSE E REPITO QUE PREFIRO O BARULHO DA IMPRENSA LIVRE AO SILNCIO DAS DITADURAS". Confira os detalhes, na ntegra, do discurso da nova presidenta do Brasil.

                                                             ntegra do pronunciamento
                                                              da presidente eleita Dilma




                ntegra do pronunciamento da presidente eleita Dilma

    FOTO: Roberto Stuckert Filho



    ntegra do pronunciamento
    da presidente eleita Dilma



    31.10.2010

    Minhas amigas e meus amigos de todo o Brasil,
    imensa a minha alegria de estar aqui. Recebi hoje de milhes de brasileiras e brasileiros a misso mais importante de minha vida. Este fato, para  alm de minha pessoa, uma demonstrao do avano democrtico do nosso pas: pela primeira vez uma mulher presidir o Brasil. J registro portanto aqui meu primeiro compromisso aps a eleio: honrar as mulheres brasileiras, para que este fato, at hoje indito, se transforme num evento natural. E que ele possa se repetir e se ampliar nas empresas, nas instituies civis, nas entidades representativas de toda nossa sociedade.
    A igualdade de oportunidades para homens e mulheres um principio essencial da democracia. Gostaria muito que os pais e mes de meninas olhassem hoje nos olhos delas, e lhes dissessem: SIM, a mulher pode!
    Minha alegria ainda maior pelo fato de que a presena de uma mulher na presidncia da Repblica se d pelo caminho sagrado do voto, da deciso democrtica do eleitor, do exerccio mais elevado da cidadania. Por isso, registro aqui outro compromisso com meu pas:
    Valorizar a democracia em toda sua dimenso, desde o direito de opinio e expresso at os direitos essenciais da alimentao, do emprego e da renda, da moradia digna e da paz social.


    • Zelarei pela mais ampla e irrestrita liberdade de imprensa.

    • Zelarei pela mais ampla liberdade religiosa e de culto.

    • Zelarei pela observao criteriosa e permanente dos direitos humanos to claramente consagrados em nossa constituio.

    • Zelarei, enfim, pela nossa Constituio, dever maior da presidncia da Repblica.

    Nesta longa jornada que me trouxe aqui pude falar e visitar todas as nossas regies. O que mais me deu esperanas foi a capacidade imensa do nosso povo, de agarrar uma oportunidade, por mais singela que seja, e com ela construir um mundo melhor para sua famlia. simplesmente incrvel a capacidade de criar e empreender do nosso povo. Por isso, reforo aqui meu compromisso fundamental: a erradicao da misria e a criao de oportunidades para todos os brasileiros e brasileiras.
    Ressalto, entretanto, que esta ambiciosa meta no ser realizada pela vontade do governo. Ela um chamado nao, aos empresrios, s igrejas, s entidades civis, s universidades, imprensa, aos governadores, aos prefeitos e a todas as pessoas de bem.
    No podemos descansar enquanto houver brasileiros com fome, enquanto houver famlias morando nas ruas, enquanto crianas pobres estiverem abandonadas prpria sorte. A erradicao da misria nos prximos anos , assim, uma meta que assumo, mas para a qual peo humildemente o apoio de todos que possam ajudar o pas no trabalho de superar esse abismo que ainda nos separa de ser uma nao desenvolvida.
    O Brasil uma terra generosa e sempre devolver em dobro cada semente que for plantada com mo amorosa e olhar para o futuro. Minha convico de assumir a meta de erradicar a misria vem, no de uma certeza terica, mas da experincia viva do nosso governo, no qual uma imensa mobilidade social se realizou, tornando hoje possvel um sonho que sempre pareceu impossvel.
    Reconheo que teremos um duro trabalho para qualificar o nosso desenvolvimento econmico. Essa nova era de prosperidade criada pela genialidade do presidente Lula e pela fora do povo e de nossos empreendedores encontra seu momento de maior potencial numa poca em que a economia das grandes naes se encontra abalada.
    No curto prazo, no contaremos com a pujana das economias desenvolvidas para impulsionar nosso crescimento. Por isso, se tornam ainda mais importantes nossas prprias polticas, nosso prprio mercado, nossa prpria poupana e nossas prprias decises econmicas.
    Longe de dizer, com isso, que pretendamos fechar o pas ao mundo. Muito ao contrrio, continuaremos propugnando pela ampla abertura das relaes comerciais e pelo fim do protecionismo dos pases ricos, que impede as naes pobres de realizar plenamente suas vocaes.
    Mas preciso reconhecer que teremos grandes responsabilidades num mundo que enfrenta ainda os efeitos de uma crise financeira de grandes propores e que se socorre de mecanismos nem sempre adequados, nem sempre equilibrados, para a retomada do crescimento.
    preciso, no plano multilateral, estabelecer regras mais claras e mais cuidadosas para a retomada dos mercados de financiamento, limitando a alavancagem  e a especulao desmedida, que aumentam a volatilidade dos capitais e das moedas. Atuaremos firmemente nos fruns internacionais com este objetivo.
    Cuidaremos de nossa economia com toda responsabilidade. O povo brasileiro no aceita mais a inflao como soluo irresponsvel para eventuais desequilbrios. O povo brasileiro no aceita que governos  gastem acima do que seja sustentvel.
    Por isso, faremos todos os esforos pela melhoria da qualidade do gasto pblico, pela simplificao e atenuao da tributao e pela qualificao dos servios pblicos. Mas recusamos as vises de ajustes que recaem sobre os programas sociais, os servios essenciais populao e os necessrios investimentos.
    Sim, buscaremos o desenvolvimento de longo prazo, a taxas elevadas, social e ambientalmente sustentveis. Para isso zelaremos pela poupana pblica.
    Zelaremos pela meritocracia no funcionalismo e pela excelncia do servio pblico. Zelarei pelo aperfeioamento de todos os mecanismos que liberem a capacidade empreendedora de nosso empresariado e de nosso povo. Valorizarei o Micro Empreendedor Individual, para formalizar milhes de negcios individuais ou familiares, ampliarei os limites do Supersimples e construirei modernos mecanismos de aperfeioamento econmico, como fez nosso governo na construo civil, no setor eltrico, na lei de recuperao de empresas, entre outros.
    As agncias reguladoras tero todo respaldo para atuar com determinao e autonomia, voltadas para a promoo da inovao, da saudvel concorrncia e da efetividade dos setores regulados.
    Apresentaremos sempre com clareza nossos planos de ao governamental. Levaremos ao debate pblico as grandes questes nacionais. Trataremos sempre com transparncia nossas metas, nossos resultados, nossas dificuldades.
    Mas acima de tudo quero reafirmar nosso compromisso com a estabilidade da economia e das regras econmicas, dos contratos firmados e das conquistas estabelecidas.
    Trataremos os recursos provenientes de nossas riquezas sempre com pensamento de longo prazo. Por isso trabalharei no Congresso pela aprovao do Fundo Social do Pr-Sal. Por meio dele queremos realizar muitos de nossos objetivos sociais.
    Recusaremos o gasto efmero que deixa para as futuras geraes apenas as dvidas e a desesperana.
    O Fundo Social mecanismo de poupana de longo prazo, para apoiar as atuais e futuras geraes. Ele o mais importante fruto do novo modelo que propusemos  para a explorao do pr-sal, que reserva Nao e ao povo a parcela mais importante dessas riquezas.
    Definitivamente, no alienaremos nossas riquezas para deixar ao povo s migalhas. Me comprometi nesta campanha com a qualificao da Educao e dos Servios de Sade. Me comprometi tambm com a melhoria da segurana pblica. Com o combate s drogas que infelicitam nossas famlias.
    Reafirmo aqui estes compromissos. Nomearei ministros e equipes de primeira qualidade para realizar esses objetivos. Mas acompanharei pessoalmente estas reas capitais para o desenvolvimento de nosso povo.
    A viso moderna do desenvolvimento econmico aquela que valoriza o trabalhador e sua famlia, o cidado e sua comunidade, oferecendo acesso a educao e sade de qualidade. aquela que convive com o meio ambiente sem agred-lo e sem criar passivos maiores que as conquistas do prprio desenvolvimento.
    No pretendo me estender aqui, neste primeiro pronunciamento ao pas, mas quero registrar que todos os compromissos que assumi, perseguirei de forma dedicada e carinhosa. Disse na campanha que os mais necessitados, as crianas, os jovens, as pessoas com deficincia, o trabalhador desempregado, o idoso teriam toda minha ateno. Reafirmo aqui este compromisso.
    Fui eleita com uma coligao de dez partidos e com apoio de lideranas de vrios outros partidos. Vou com eles construir um governo onde a capacidade profissional, a liderana e a disposio de servir ao pas ser o critrio fundamental.
    Vou valorizar os quadros profissionais da administrao pblica, independente de filiao partidria.
    Dirijo-me tambm aos partidos de oposio e aos setores da sociedade que no estiveram conosco nesta caminhada. Estendo minha mo a eles. De minha parte no haver discriminao, privilgios ou compadrio.
    A partir de minha posse serei presidenta de todos os brasileiros e brasileiras, respeitando as diferenas de opinio, de crena e de orientao poltica.
    Nosso pas precisa ainda melhorar a conduta e a qualidade da poltica. Quero empenhar-me, junto com todos os partidos, numa reforma poltica que eleve os valores republicanos, avanando em nossa jovem democracia.
    Ao mesmo tempo, afirmo com clareza que valorizarei a transparncia na administrao pblica. No haver compromisso com o erro, o desvio e o malfeito. Serei rgida na defesa do interesse pblico em todos os nveis de meu governo. Os rgos de controle e de fiscalizao trabalharo com meu respaldo, sem jamais perseguir adversrios ou proteger amigos.
    Deixei para o final os meus agradecimentos, pois quero destac-los. Primeiro, ao povo que me dedicou seu apoio. Serei eternamente grata pela oportunidade nica de servir ao meu pas no seu mais alto posto. Prometo devolver em dobro todo o carinho recebido, em todos os lugares que passei.
    Mas agradeo respeitosamente tambm aqueles que votaram no primeiro e no segundo turno em outros candidatos ou candidatas. Eles tambm fizeram valer a festa da democracia.
    Agradeo as lideranas partidrias que me apoiaram e comandaram esta jornada, meus assessores, minhas equipes de trabalho e todos os que dedicaram meses inteiros a esse rduo trabalho. Agradeo a imprensa brasileira e estrangeira que aqui atua e cada um de seus profissionais pela cobertura do processo eleitoral.
    No nego a vocs que, por vezes, algumas das coisas difundidas me deixaram triste. Mas quem, como eu, lutou pela democracia e pelo direito de livre opinio arriscando a vida; quem, como eu e tantos outros que no esto mais entre ns, dedicamos toda nossa juventude ao direito de expresso, ns somos naturalmente amantes da liberdade. Por isso, no carregarei nenhum ressentimento.
    Disse e repito que prefiro o barulho da imprensa livre ao silencio das ditaduras.
    As criticas do jornalismo livre ajudam ao pais e so essenciais aos governos democrticos, apontando erros e trazendo o necessrio contraditrio.
    Agradeo muito especialmente ao presidente Lula. Ter a honra de seu apoio, ter o privilgio de sua convivncia, ter aprendido com sua imensa sabedoria, so coisas que se guarda para a vida toda. Conviver durante todos estes anos com ele me deu a exata dimenso do governante justo e do lder apaixonado por seu pais e por sua gente. A alegria que sinto pela minha vitria se mistura com a emoo da sua despedida.
    Sei que um lder como Lula nunca estar longe de seu povo e de cada um de ns. Baterei muito a sua porta e, tenho certeza, que a encontrarei sempre aberta. Sei que a distncia de um cargo nada significa para um homem de tamanha grandeza e generosidade. A tarefa de suced-lo   difcil e desafiadora. Mas saberei honrar seu legado. Saberei consolidar e avanar sua obra.
    Aprendi com ele que quando se governa pensando no interesse pblico e nos mais necessitados uma imensa fora brota do nosso povo. Uma fora que leva o pas para frente e ajuda a vencer os maiores desafios.
    Passada a eleio agora hora de trabalho. Passado o debate de projetos agora hora de unio. Unio pela educao, unio pelo desenvolvimento, unio pelo pas. Junto comigo foram eleitos novos governadores, deputados, senadores. Ao parabeniz-los, convido a todos, independente de cor partidria, para uma ao determinada pelo futuro de nosso pas.
    Sempre com a convico de que a Nao Brasileira ser exatamente do tamanho daquilo que, juntos, fizermos por ela.
    Muito obrigada.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________




    ___________________________


    Clique para conhecer

    ___________________________


    Clique para conhecer

    ______________________________

    Clique para conhecer

    ______________________________
    Clique para conhecer
    ______________________________
    Clique para conhecer
    ______________________________

         
     
    Clique e envie-nos 

seu e-mail