Clique e 

envie-nos seu e-mail Volta para a página inicial Clique e conheça Clique e acompanhe-nos 

no twitter Página do 

Programa João Carlos Amaral Entrevista Canal no youtube Clique e 

envie-nos seu e-mail Clique e 

envie-nos seu e-mail Volta para a página inicial Clique e conheça Clique e acompanhe-nos 

no twitter
___________________________


___________________________
Clique para conhecer
___________________________


__________________________


__________________________

__________________________


______________________________
Clique para conhecer
______________________________
Clique para conhecer
______________________________

Sinapro MG
______________________________
Clique para conhecer
______________________________
Clique para conhecer



+ Categorias

  • Todos (16281)
  • POLTICA (5929)
  • GERAL (2057)
  • ARTIGOS (285)
  • ENTREVISTAS (36)
  • ECONOMIA (3754)
  • GENTE (1210)
  • TURISMO (842)

  • + Links
    + Arquivos

    Fevereiro, 2006
    Maro, 2006
    Abril, 2006
    Maio, 2006
    Junho, 2006
    Setembro, 2006
    Julho, 2006
    Agosto, 2006
    Novembro, 2006
    Outubro, 2006
    Janeiro, 2007
    Dezembro, 2006
    Fevereiro, 2007
    Maro, 2007
    Abril, 2007
    Maio, 2007
    Outubro, 2007
    Junho, 2007
    Julho, 2007
    Agosto, 2007
    Setembro, 2007
    Dezembro, 2007
    Novembro, 2007
    Janeiro, 2008
    Maio, 2008
    Fevereiro, 2008
    Maro, 2008
    Julho, 2008
    Abril, 2008
    Junho, 2008
    Setembro, 2008
    Agosto, 2008
    Outubro, 2008
    Novembro, 2008
    Dezembro, 2008
    Janeiro, 2009
    Fevereiro, 2009
    Maro, 2009
    Abril, 2009
    Maio, 2009
    Junho, 2009
    Julho, 2009
    Agosto, 2009
    Setembro, 2009
    Outubro, 2009
    Novembro, 2009
    Dezembro, 2009
    Novembro, 2012
    Janeiro, 2010
    Fevereiro, 2010
    Maro, 2010
    Abril, 2010
    Maio, 2010
    Junho, 2010
    Julho, 2010
    Agosto, 2010
    Setembro, 2010
    Outubro, 2010
    Novembro, 2010
    Fevereiro, 2011
    Maro, 2011
    Abril, 2011
    Maio, 2011
    Junho, 2011
    Julho, 2011
    Agosto, 2011
    Setembro, 2011
    Outubro, 2011
    Novembro, 2011
    Dezembro, 2011
    Janeiro, 2012
    Fevereiro, 2012
    Maro, 2012
    Abril, 2012
    Maio, 2012
    Junho, 2012
    Julho, 2012
    Agosto, 2012
    Setembro, 2012
    Outubro, 2012
    Dezembro, 2012
    Agosto, 2015
    Janeiro, 2013
    Fevereiro, 2013
    Maro, 2013
    Abril, 2013
    Maio, 2013
    Setembro, 2015
    Junho, 2013
    Julho, 2013
    Agosto, 2013
    Setembro, 2013
    Julho, 2016
    Outubro, 2013
    Novembro, 2013
    Dezembro, 2013
    Janeiro, 2014
    Fevereiro, 2014
    Maro, 2014
    Abril, 2014
    Maio, 2014
    Junho, 2014
    Julho, 2014
    Agosto, 2014
    Setembro, 2014
    Outubro, 2014
    Novembro, 2014
    Dezembro, 2014
    Janeiro, 2015
    Fevereiro, 2015
    Maro, 2015
    Abril, 2015
    Maio, 2015
    Junho, 2015
    Julho, 2015
    Outubro, 2015
    Novembro, 2015
    Dezembro, 2015
    Janeiro, 2016
    Fevereiro, 2016
    Maro, 2016
    Abril, 2016
    Maio, 2016
    Junho, 2016
    Agosto, 2016
    Setembro, 2016
    Outubro, 2016
    Novembro, 2016
    Dezembro, 2016
    Janeiro, 2017
    Fevereiro, 2017
    Maro, 2017
    Abril, 2017
    Maio, 2017
    Junho, 2017
    Julho, 2017
    Agosto, 2017
    Setembro, 2017
    Outubro, 2017
    Novembro, 2017
    Dezembro, 2017
    Janeiro, 2018
    Fevereiro, 2018
    Maro, 2018
    Abril, 2018
    Maio, 2018
    Junho, 2018
    Julho, 2018
    Agosto, 2018
    Setembro, 2018
    Outubro, 2018
    Novembro, 2018
    Dezembro, 2018
    Janeiro, 2019
    Fevereiro, 2019
    Maro, 2019
    Abril, 2019
    Maio, 2019
    Junho, 2019



    _______________________________________________________________
    .

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 31, 2007

    TELEFONIA CELULAR no Interior de Minas. Desterro do Mello - que fica a 200 kms de BH e 32 de Barbacena, no caminho do meio da Estrada Real na zona da Mata - j est com sinal da Operadora Claro. mais uma das mais de 450 cidades do interior de Minas, que at o final de 2008 tero sinal de telefone celular. O programa do governo Acio Neves. Parabns ao prefeito Ruy Fernandes, que deu iseno tributria para a Claro operar no municpio.

                                                OPERADORA  CLARO J OPERA NA CIDADE

    FAZENDO BEM FEITO

    Na tarde do sbado, 27, a empresa de telecomunicaes BCP/SA - Claro, realizou a liberao do sinal de telefonia mvel, projeto que estava sendo desenvolvido desde setembro, fruto da parceria entre os Governos do Estado de Minas Gerais e do Municpio de Desterro do Melo com a gigante multinacional das telecomunicaes.
    A operadora, que est levando o seu sinal a 127 municpios mineiros, conta com o financiamento do Fundo de Universalizao do Acesso a Servios de Telecomunicao em Minas Gerais (Fundomic), criado especificamente para dar suporte financeiro ao programa Minas Comunica, com recursos do Tesouro Estadual e Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O governo estadual destinou R$ 180 milhes ao Fundomic, mas o modelo adotado na licitao dos lotes, onde venceriam aqueles que demandassem menor quantidade de recursos do fundo, garantiu uma economia de R$ 16,5 milhes. J o governo municipal disponibilizou a rea onde est instalada a antena de transmisso, maquinrio e a iseno de tributos para facilitar o funcionamento da empresa de telefonia celular.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 31, 2007

    " O PAS DE CHUTEIRAS". MINEIRO vai receber Brasil X Argentina, primeiro jogo da Copa do Mundo de 2010. HOJE, quarta-feira, o Mineiro vai se colorir de verde e amrelo para comemorar a escolha do Brasil para sedir a Copa do Mundo de 2014. As comemoraes sero durante os jogos: Atltico X Paran ( hoje) e Cruzeiro X Flamengo, no domingo tarde.











                                                 Festa no Mineiro comemora o Brasil como sede da Copa

     

    O Mineiro vai se colorir de verde-amarelo, no jogo desta quarta-feira (31), noite, entre Atltico e Paran, e no domingo (04), tarde, no clssico Cruzeiro e Flamengo. Para comemorar a indicao do Brasil como sede da Copa do Mundo 2014 e do Estdio Governador Magalhes Pinto como um dos palcos do torneio, o Governo do Estado e a Administrao de Estdios do Estado de Minas Gerais (Ademg), com o apoio da Federao Mineira de Futebol (FMF) e de Atltico e Cruzeiro, esto preparando uma festa para quem for ao Gigante da Pampulha. Antes das partidas, shows de fogos de artifcio, bales, bandas de msica da Polcia Militar e do Exrcito, desfile de modelos com faixas e banners alusivos Copa, e milhares de bandeiras para os torcedores.
    Para o diretor-geral da Ademg, Jos Eustquio Natal, o Brasil ter a chance de receber, pela segunda vez, uma copa em seu territrio, (a primeira, foi em 1950) e Minas Gerais vai contribuir da melhor maneira possvel para que isso acontea: J estamos trabalhando h mais de um ano, nos preparando para garantir as melhores condies para transformar o complexo esportivo Mineiro-Mineirinho no melhor do pas. Tudo com quatro anos de antecedncia, em relao Copa do Mundo.  Para isso, contamos com o apoio e as aes indispensveis do governador Acio Neves e do Secretrio de Esportes e da Juventude, Gustavo Corra.
    Entre as providncias de Acio Neves, esto as negociaes para garantir Brasil x Argentina, pelas eliminatrias da Copa de 2010, no Mineiro. O governador luta contra presses de outros estados interessados em sediar a partida, principalmente So Paulo e Rio Grande do Sul, mas teve, nesta tera-feira (30), em Zurique, a confirmao do presidente da CBF Ricardo Teixeira, de que honrar o compromisso assumido com os mineiros.
    Sobre as obras de modernizao e adequao do Mineiro, a idia lanar a licitao no segundo semestre do ano que vem, aps Brasil e Argentina, e apresentar o estdio, ainda em 2010, como o primeiro pronto para a Copa do Mundo. Isso, certamente, nos permitir sonhar, quem sabe, com a abertura da Copa de 2014, com 2 bilhes de telespectadores do mundo com os olhos em Minas e em Belo Horizonte, projeta o governador Acio Neves.

     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 31, 2007

    Governador Acio Neves na Europa. Em tempos de preparao para as Copas do Mundo de 2010 e 2014( esta ser mesmo no Brasil) Na foto abaixo o presidente Lula e o governador Acio. Enntre eles REPARE - a bola smbolo do futebol, ou no caso, Poltica...






                                                Acio recebe confirmao para Brasil e Argentina no Mineiro












    Soraya Ursine/Imprensa MG
     








    Governador obteve confirmao de que Mineiro sediar partida pelas Eliminatrias da Copa 2010. Na solenidade que confirmou o Brasil como sede da Copa 2014, Acio Neves oficializou candidatura de Minas para abrir jogos.

        

     

      


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 31, 2007

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. O governador em exerccio de Minas, deputado Alberto Pinto Coelho, do PP, presidente da Assemblia, recebe colgio de lderes do Parlamento, em audincia no Salo Azul do Palcio da Liberdade, aqui em Belo Horizonte. O deputado Alberto Pinto Coelho est no cargo de governador desde segunda-feira, devido viagem do governador Acio Neves Suia, aonde foi participar da reunio da FIFA que aprovou o nome do Brasil para sediar a Copa do Mundo de 2014. J o vice-governador Antonio Anastasia est na Europa, s que na Itlia em visita de trabalho.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 31, 2007

    Giro pelo Interior de Minas.Plano Plurianual de Ao Governamental.

                                                    Juiz de Fora sedia 3 audincia regional para discutir PPAG
    Protagonismo juvenil, vida saudvel, qualidade ambiental e inovao, tecnologia e qualidade so reas de resultados do Plano Plurianual de Ao Governamental (PPAG) a serem discutidas em Juiz de Fora, nesta quarta-feira (31/10/07). Promovida pela Assemblia Legislativa de Minas Gerais e pelo Executivo, a audincia na Zona da Mata pretende colher sugestes do setor produtivo, movimentos sociais e autoridades para aprimorar o Plano, que traz as prioridades de investimentos e obras do governo para os prximos quatro anos. O PPAG 2008/2011 prev 11 reas de resultados e cada uma delas possui um conjunto de objetivos estratgicos, indicadores, projetos estruturadores e metas de desempenho que materializam a estratgia de Minas para 2007/2023. A audincia ser na Escola de Governo (rua Maria Perptua, 72/3 andar - bairro Ladeira).
    Juiz de Fora sede da terceira audincia regional a ser promovida pela ALMG em parceria com o Executivo para aprimorar o PPAG - que tramita no Legislativo estadual sob a forma do Projeto de Lei (PL) 1.615/07. As outras audincias so em Araua (26) e Frutal (29), alm da etapa final no Plenrio da Assemblia, dos dias 6 a 8 de novembro. As propostas de alterao do PPAG devero ser apresentadas por escrito, em formulrio prprio, durante a realizao dos trabalhos de grupo, que tero incio s 10h30, em Juiz de Fora. Elas sero encaminhadas s comisses de Participao Popular e de Fiscalizao Financeira e Oramentria, encarregadas da anlise do PPAG. Se aprovadas, as sugestes de emendas sero incorporadas ao projeto.
    Entre os parlamentares que vo participar do evento em Juiz de Fora esto os deputados Sebastio Helvcio (PDT), representando a Presidncia da ALMG; Andr Quinto (PT), presidente da Comisso de Participao Popular, Lafayette de Andrada (PSDB), relator do PPAG; Brulio Braz (PTB), Maria Lcia Mendona (DEM) e Sebastio Costa (PPS). Os parlamentares enfatizam que os debates regionais podem contribuir para aperfeioar o texto encaminhado pelo governo ALMG. Afirmam, ainda, ser este um momento estratgico, j que o PPAG a grande referncia quando se fala em polticas pblicas, alm de orientar a elaborao do Oramento para 2008 - contido no PL 1.616/07.
    Para se ter idia da importncia do PPAG e de como ele pode ser aperfeioado nas audincias, basta lembrar o debate sobre o ltimo Plano, que vigorou de 2004 a 2007. Por sugesto popular, foi incorporado ao texto da lei o projeto estruturador "Incluso social de famlias vulnerabilizadas", que teve aporte crescente de recursos nas sucessivas revises.
    Estado planeja investir R$ 24 bilhes em quatro anos
    A secretria de Estado de Planejamento e Gesto, Renata Vilhena, ressalta a vinculao entre as 11 reas de resultados j definidas no Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI) e os 57 projetos estruturadores do PPAG. Esses projetos estabelecem quanto e como o governo pretende investir em reas como sade, educao, segurana, meio ambiente e estradas. Em quatro anos, o Estado planeja investir R$ 24 bilhes do Tesouro estadual e de suas empresas nos projetos estruturadores. Apenas em 2008 sero R$ 9 bilhes de investimentos, a somados R$ 4,2 bilhes das empresas estaduais e R$ 4,8 bilhes de recursos prprios do Tesouro.
    De acordo com Renata Vilhena, foram criados no PPAG instrumentos de monitoramento, diretrizes para setorizao do choque de gesto e reservados recursos para um prmio de produtividade. "A grande novidade este ano a construo integrada do planejamento plurianual com a lei oramentria", afirma a secretria.
    O PPAG o instrumento normatizador do planejamento da administrao pblica de mdio prazo. Referencia a formulao dos demais planos e programas governamentais do quadrinio, orientando, acima de tudo, as proposies de diretrizes oramentrias e as leis oramentrias anuais. O PPAG 2008-2011 prev 11 reas de resultados: Educao de Qualidade; Protagonismo Juvenil; Investimento e Valor Agregado da Produo; Inovao, Tecnologia e Qualidade; Desenvolvimento do Norte de Minas, Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce; Logstica de Integrao e Desenvolvimento; Rede de Cidades e Servios; Vida Saudvel; Defesa Social; Reduo da Pobreza e Incluso Produtiva; e Qualidade Ambiental.
    * Informaes tcnicas: Gerncia-Geral de Projetos Institucionais da ALMG - (31) 2108-7686* Sobre os projetos estruturadores: www.planejamento.mg.gov.br e www.geraes.mg.gov.br.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 30, 2007

    ARTIGO ESPECIAL, enviado ao nosso BLOG DE NOTCIAS, pelo advogado tributarista Dalmar Pimenta. Confira!

                                                                   REFORMA TRIBUTRIA, UMA UTOPIA
                                                                                   *Dalmar Pimenta
    Nos ltimos 12 anos, vrias foram as propostas encaminhadas ao Congresso Nacional para realizao da Reforma Tributria. Nenhuma foi aprovada!
    Neste ano de 2007 (limiar de novas eleies) novamente um dos assuntos que vem dominando o discurso do Governo Federal , Reforma Tributria. Na verdade, com este discurso de "Zeca Loreno" o Governo Federal quer aprovar a emenda constitucional que prev a prorrogao da vigncia da CPMF e a desvinculao de 20% da arrecadao federal.
    Esta a verdadeira Reforma Tributria do Governo Federal. O resto mera utopia.
    Fato que o prprio Governo Federal reconhece, atravs do Secretrio de Poltica Econmica do Ministrio da Fazenda as dificuldades em se realizar a to sonhada e esperada Reforma Tributria ao dizer que: "o que queremos desburocratizar o sistema tributrio e, como conseqncia, aumentar a base de contribuintes". Tenham pacincia, isto Reforma Tributria????
    Como diz o Prof. Jos Souto Maior Borges, "enquanto existir este monstrengo chamado ICMS, vamos continuar a fazer remendos na legislao tributria". O grande problema do ICMS que ele de competncia dos Estados. So 27 legislaes diferentes e que concorrem entre si. Acabar com esta "balburdia" sim, realizar uma Reforma Tributria.
    Mas onde est a fora do Governo Federal para alterar este quadro? Infelizmente, para realizar a Reforma Tributria haver que ter o apoio de todos os Governadores, pois, afinal, somos uma Federao.
    O Governo Federal tambm reconhece (pelo menos nos discursos) a necessidade de uma reforma do sistema tributrio nacional, pois sabe que a nossa carga tributria bem superior a carga tributaria de outros Pases com economias similares que do a seus sditos um melhor retorno em questes fundamentais como sade, educao, infra-estrutura e saneamento bsico.
    Porm, teme em concordar com mudanas que possam colocar em risco o atual patamar de arrecadaes sucessivas. No se v um esforo claro e organizado para se alterar o atual cenrio.
    Entretanto, para no se imiscuir de sua obrigao, elabora, incentiva a discusso e encaminha projetos para o Congresso Nacional, com o nico objetivo de dizer sociedade tomou as iniciativas e apoiou as reformas, mas, o Congresso.... os Governadores....os Prefeitos. o velho novo ditado: "se collar, collou".
    Lembrem-se, que o ltimo projeto de reforma tributria proposto pelo Governo Federal, aps longos e insistentes debates resultou apenas e to somente na prorrogao da desvinculao da rendas da Unio (DRU) e da safada da CPMF.
    A parte do projeto que visava a efetiva reforma do sistema constitucional tributrio soou como verdadeiras palavras "jogadas ao vento".
    No nos iludamos mais uma vez! Na verdade, com esta nova proposta, querem apenas prorrogar a CPMF.
    Ingnuos so aqueles que acreditam ainda em uma Reforma Tributria.
    Acordem!!! Por favor, acordem!!!
    Reforma Tributria no mantm os cartes de plstico do Governo Federal (bolsa famlia, bolsa escola, etc.etc.). O que mantm este absurdo que vem criando uma verdadeira "bolha assassina" de endividamento das classes menos favorecidas a CPMF. Esta a verdadeira Reforma Tributria do Governo Federal.
    Tanto isto verdade que o Min. Guido Mantega j enviou o recado de que no havendo prorrogao da CPMF o Governo ser forado a aumentar tributos. A contrario sensu, porque no disse que realizaria a Reforma Tributria.
    Pelas entrelinhas da fala do Senhor Ministro, o Governo Federal quer dizer que no tem a menor inteno de reduzir de maneira significativa, no curto prazo, o tamanho da carga tributria que ns brasileiros pagamos. Traduzindo para o portugus: No haver Reforma Tributria.
    Novamente o antigo discurso da Reforma Tributaria se repete.
    Pensar em uma efetiva e real Reforma Tributria que reduza carga e simplifique o sistema utopia.
    Aprovada a prorrogao da CPMF, que com o Congresso Nacional que temos hoje, com certeza no h duvidas de sua aprovao, o Governo Federal vir com o velho discurso de que est fazendo o possvel, mas o Congresso... os Governadores.... os Prefeitos..., mas, porm, prorrogando e criando novos mecanismos que propiciem o aumento de sua arrecadao.
    No de se estranhar se a reforma tributria to desejada pela sociedade nunca sair do papel (se que ela exista no papel). Neste cipoal de normas que se tornou a legislao brasileira, necessitamos antes mudar a mentalidade de nossos governantes. Na verdade, o Brasil precisa rever toda a sua cultura tributria.
    O Grande jurista Jos Souto Maior Borges j dizia que: "Esperamos a reforma tributaria como se ela fosse instaurar o paraso na terra. No entanto, se for ver a essncia das propostas apresentadas, sempre aumento da carga tributria".
    Est cada vez mais evidente que a proposta do Governo Federal manter os supervits primrios, objetivando no assustar os investidores e, correndo na paralela, garantir as verbas necessrias para execuo do PAC e ampliar recursos para investimentos nos decisivos anos eleitorais que se aproximam atravs de seus programas sociais (bolsa famlia, etc. etc.).
    Em vista de tudo isto, brasileiros, melhor esquecermos de vez este sonho de Reforma Tributria e pensarmos em como rechear nossas burras para pagar a CPMF.
    Tambm ns em nossos devaneios, somos de opinio e qui tambm seja a de nossos Governantes, que estamos no melhor momento para se realizar uma Reforma Tributaria estruturada e com mudana de mentalidade, pois estamos com a economia e a arrecadao em vertiginosa expanso, sem que o Governo corra o risco de perder receita. Vamos ansiosamente aguardar!
                                                                                        Dalmar Pimenta
                                                                * Advogado tributarista em Belo Horizonte,
                                                                   scio do escritrio DALMAR PIMENTA 
                                                                         ADVOGADOS ASSOCIADOS.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 30, 2007

    Em Zurich, Suia, governador Acio Neves em conversa com o presidente da FIFA, Joseph Blatter, oficializa a candidatura de Minas para sediar a abertura da Copa de 2010.









                                                 Acio recebe confirmao para Brasil e Argentina no Mineiro

     









    Soraya Ursine/Imprensa MG

    O governador de Minas, Acio Neves, obteve a confirmao da Confederao Brasileira de Futebol (CBF), nesta tera-feira (30), em Zurique (Sua), de que o Mineiro sediar a partida entre Brasil e Argentina pelas Eliminatrias da Copa de 2010, em junho do prximo ano. Na manh de hoje, durante a solenidade que confirmou o Brasil como sede da Copa de 2014, Acio Neves, em conversa com o presidente da Fifa, Joseph Blatter, oficializou a candidatura de Minas para sediar a abertura dos jogos do mundial.

    "Posso praticamente garantir, mesmo que no oficializado pela CBF, de que teremos o mais importante jogo das eliminatrias, em 18 de junho do ano que vem, no Mineiro, que a partida entre Brasil e Argentina. Conversei hoje cedo com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Existem algumas presses, especialmente de So Paulo e do Rio Grande do Sul, mas saio confiante de que este jogo mais uma vez, como ocorreu nas eliminatrias de 2006, ser no Mineiro. Tive dele a confirmao de que honrar o compromisso assumido comigo pessoalmente e com os mineiros", afirmou o governador, em entrevista. Segundo Acio Neves, caso se oficialize a deciso da CBF da partida entre Brasil e Argentina, o Governo de Minas iniciar a reforma e modernizao do Mineiro logo aps o jogo, para que se torne o primeiro estdio brasileiro j em condies de receber a partida de abertura da Copa de 2014.
    "Vamos garantir a presena forte de Minas nesse importantssimo evento esportivo internacional. J estamos fazendo tudo no limite dos investimentos necessrios para transformar o Mineiro no primeiro estdio brasileiro em condies de sediar um dos grupos da Copa do Mundo", disse. E completou: "Isso nos permitir sonhar com a abertura da Copa, com 2 bilhes de telespectadores do mundo com os olhos em Minas e em Belo Horizonte. Minas candidata sim abertura da Copa. Obviamente, essa deciso ser tomada um pouco mais adiante, mas o prximo passo nosso garantirmos Minas como uma das mais importantes sub-sedes. A partir da, vamos nos preparar para defender a candidatura de Minas abertura da Copa do Mundo", afirmou.
    Reforma e modernizao
    Acio Neves afirmou que o processo de licitao para a obra de adequao do Mineiro ser iniciado ainda este ano para que as obras sejam iniciadas logo aps a realizao da partida entre Brasil e Argentina. Segundo ele, a reforma do estdio dever ser concluda em 2010, quatro anos antes da realizao do mundial no Brasil.
    "A nossa idia lanarmos a licitao para a modelagem do que vai ocorrer no estdio para que, logo aps esse jogo Brasil e Argentina, o Mineiro possa iniciar a sua recuperao, a sua modernizao, para que, ainda em 2010, possamos apresentar o nosso estdio como o primeiro dos estdios brasileiros pronto para a Copa do Mundo", disse.
    Em 2004, o Mineiro passou por ampla reforma, o que o credenciou a sediar a partida eliminatria entre Brasil e Argentina para o mundial de 2006. Na poca, foram investidos mais de R$ 5 milhes para instalao de 56 mil cadeiras nas arquibancadas superiores, melhorias no setor de segurana, preveno de incndios, alm de reformas nos banheiros, cabines para a imprensa e tribuna de honra, vestirios, hall de entrada e elevadores.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 30, 2007

    " A PTRIA QUE PARIU" & outros poemas" - livro do jornalista e poeta JOS EDWARD, ser lanado hoje, 20 horas, no Museu de Artes e Ofcios na Praa da Estao Ferroviria, aqui em BH. Jos Edward mineiro de Braslia de Minas, tem 42 anos de idade e Chefe de Sucursal/correspondente da REVISTA VEJA em Minas.

    O poeta e jornalista Jos Edward lana hoje, tera-feira, 30 de outubro, o livro "Ptria Que Pariu! & Outros Poemas". O evento ser no Museu de Artes & Ofcios, na Praa da Estao, a partir das 20 horas. A obra, que est sendo publicada pela Autntica Editora em co-produo com o Selo Literrio Hipotrlico traz uma seleo de 28 poemas produzidos pelo autor ao longo das duas ltimas dcadas.

    Como o prprio ttulo sugere, a maioria faz aluso crise tica e aos (maus) costumes polticos vigentes no Brasil. Este o enfoque, por exemplo, do poema-ttulo ("Ptria Que Pariu!") e de outros, como "Por quanto se vende um pas?", "De quantos cupinchas de faz um rei" e "Margens Prfidas". H tambm poemas que fogem dessa temtica, como "100 anos sem solido", no qual o autor homenageia o centenrio arquiteto Oscar Niemeyer, e "Internetudo", que versa sobre o que Jos Edward chama de "cibernTICO mundo novo".

    Uma primeira verso do livro "Ptria que Pariu!" foi lanada em 1989, quando Jos Edward era estudante do curso de jornalismo da PUC-MG e militante de movimentos culturais e estudantis. O livro fez sucesso e chegou a ganhar uma pgina no antolgico semanrio carioca O PASQUIM, que ento vivia seus ureos tempos. Na chamada para a reportagem, o editor e cartunista Hlio Jaguaribe, o Jaguar, comparou o estilo potico de Jos Edward ao de um dos mentores do movimento beatnik, o americano William (Bill) Burroughs, sobre quem tinha tambm uma matria naquela edio: "Jos Edward e Bill Burroughs so dois poetas que tm uma coisa em comum: o nojo do sistemo", assinalou Jaguar.

    Na (re)edio do livro "Ptria Que Pariu!", Jos Edward, que h dez anos correspondente da Revista VEJA em Minas Gerais, faz uma releitura de alguns poemas da primeira verso. Segundo o autor, os versos antigos foram lapidados no contedo e na linguagem. "Para mim, a poesia como um diamante bruto, cujo burilamento faz-se eternamente mister, em busca do verso perfeito", ele afirma. Os demais poemas so inditos e foram construdos luz de "informaes e inspiraes" garimpadas pelo autor ao longo da ltima dcada quando se dedicou quase que exclusivamente ao jornalismo. " Meus poemas geralmente abordam, de forma custica e direta,  as mazelas, as excrescncias e as corruptelas de uma nao que, entra governo sai governo, est sempre no porvir", afirma Edward.

    "Mesmo aqueles versos compostos h duas dcadas - e isto foi o que me motivou a revisitar esta obra - parecem ter sado do forno em meio atual farra patrocinada pela horda de polticos corruptos, insensveis e incompetentes que trucidaram toda e qualquer esperana de que dias melhores viro". O formato do livro tambm original. Todos os poemas foram dispostos em lminas de papel reciclado, soltos dentro de uma caixa.

    No prefcio primeira edio, que est sendo republicado, o escritor e jornalista Fausto Wolff faz, entre outros, o seguinte comentrio sobre a obra potica de Jos Edward: "Este livro, desta ptria que transformaram em puta de luxo, um primeiro ensaio para novos olhos. Novos olhos que continuaro a enxergar o que vem depois da trilha aberta e iluminada por Gregrio de Mattos, Castro Alves, Drummond, Murillo Mendes, Paulo Mendes Campos, Mrio Quintana, Millr Fernandes... gente que, como Jos Edward, sabe que no basta ver o inslito da rvore, do cachorro, do leite, do homem, da mulher. preciso denunci-lo, ilumin-lo como princpio do exerccio de re-humanizao".

    Jos Edward Lima tem 42 anos de idade. Mineiro, de Braslia de Minas, est radicado h 20 anos em Belo Horizonte. Alm de poeta, jornalista. Trabalha h dez anos como chefe de sucursal/correspondente da Revista VEJA em Minas Gerais. Antes de ingressar na VEJA foi assessor de imprensa nos sindicatos dos Mdicos e dos Bancrios de Belo Horizonte, teve uma rpida passagem pelo jornal "Estado de Minas" (editorias de poltica, internacional e opinio) e, por alguns anos, atuou como produtor cultural. Nesta rea, destacou-se na produo de discos dos artistas Z Cco do Riacho ("Vo das Garas", 1987), Mark Ribas ("Autctone", 1991) e Fernando ngelo (1995). autor tambm do songbook "Arteso de Sons - Vida e Obra do Mestre Z Cco do Riacho", lanado em 1988. 

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 30, 2007

    "O PAS DE CHUTEIRAS!" Hotelaria. Repercute em BH a deciso da FIFA de conceder ao Brasil o privilgio de sediar a Copa de 2014. Hoje, o gerente-geral do CEASER BUSINESS Belvedere - fica em frente ao BH Shopping - Maarten Van Sluys enviou ARTIGO ESPECIAL ao nosso BLOG DE NOTCIAS falando do impacto da escolha do Brasil para ser a sede da Copa de 2014.

    Tenham a mais absoluta certeza que os destinos deste pas, em especial nosso segmento de negcios (turismo), ganha a partir de hoje (mrito inquestionvel de Ricardo Teixeira) a MAIOR oportunidade que j tivemos em fazer do Brasil uma potncia turstica de larga sustentabilidade.

    Agora depende de nossa capacidade organizativa, nossa capacidade poltica e uso de nossos recursos intelectuais. Sabemos receber bem as pessoas e isto j temos em nosso DNA.
    A contar de HOJE teremos milhares de minutos na mdia mundial nos quais nossos atuais aspectos negativos (como sempre foram) mas tambm positivos sero exibidos. Isto nos gerar um ganho de imagem incomensurvel.

    Digo isso pois estive em 2 copas (Itlia e Estados Unidos) e 1 Olimpada (Barcelona) e posso afirmar que, em especial no caso de Barcelona poderemos transformar para SEMPRE nosso pas como opo interessante para o turismo.

    Nossos recursos naturais dispensam comentrios. 

    No pensem que vamos ganhar por somente 30 dias (durao da Copa), vamos ter negcios desde j pois a Copa do mundo comea logo aps ser anunciada.

    Empregos, mdia, negociaes, entendimentos... Its Show time !!!

    Vamos usar deste bordo criado pelos "pais" do espetculo (os americanos) para fazer a coisa bem feita e do nosso jeito.

    Vamos ao trabalho amigos !!!

    Ainda escreverei e falarei muito sobre este tema para o qual tenho algumas teses muito consistentes.

                                                                                        Maarten Sluys,
                                                                                         gerente-geral
                                                                                  do Ceaser Park Hotel
                                                                        em Belo Horizonte - Minas Gerais.   


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 30, 2007

    VIOLNCIA EM Beag. Projeto do vereador Fred Costa, do PHS, em votao esta tarde. BENEFCIOS: se for aprovado estaro regulamentadas 600 guaritas j existentes na capital, mantendo cerca de 2 mil empregos - garante o vereador Fred Costa.

    Guaritas em votao -
    Deciso sobre projeto 
    ser nessa tera-feira

     

    Vereadores votam projeto de lei que pretende contribuir para a reduo da violncia na cidade de Belo Horizonte

    A Cmara Municipal de Belo Horizonte votar nessa tera-feira, dia 30/10, em Reunio Extraordinria, o Projeto de Lei n. 843/06, de autoria do vereador Fred Costa (PHS), que dispe sobre a regulamentao e instalao de guaritas de segurana no municpio. A reunio ter incio s 14h30 e ser realizada no Plenrio Amynthas de Barros. Ao todo, sero votados 4 vetos, originados de propostas de parlamentares, e 4 projetos de lei, de autoria do Executivo.

    Em 9 de setembro de 2007, o PL 843/06 foi vetado integralmente pelo Executivo, sob a alegao de inconstitucionalidade. Mas em 9 de outubro, o projeto recebeu parecer unnime da Comisso Especial de Veto pela constitucionalidade. A relatora do parecer, vereadora Elaine Matozinhos (PTB), certificou que a proposta nada tem de inconstitucional. "O projeto trata de algo que competncia do legislador municipal, o mobilirio urbano, e tem previso no Cdigo de Posturas da cidade", disse a Matozinhos, que ex-delegada.

    Quando foi apresentado, em 24 de fevereiro de 2006, o PL 843/06 tramitou, primeiramente, pela Comisso de Legislao e Justia, que analisou os aspectos constitucional, legal e jurdico e os aprovou, por unanimidade. Depois, a proposta recebeu aval positivo das Comisses de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor e de Meio Ambiente e Poltica Urbana.

    Para se tornar lei, o Projeto necessita de aprovao por maioria simples, ou seja, 21 vereadores. Com a Lei em vigor, a proposta regulamentar cerca de 600 guaritas j existentes na cidade, e permitir que quase dois mil empregos sejam mantidos. Outro ponto importante permitir que haja luz eltrica, esgoto, gua e telefone, proporcionando melhores condies de trabalho aos vigias. A instalao dos novos equipamentos de segurana seguir as regras indicadas pelo Executivo, conforme descrito no projeto de lei.

    Clique no link abaixo para acessar a proposta na ntegra:

    http://www.cmbh.mg.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=5064&Itemid=319&filter=843&nj=1



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 30, 2007

    Os 20 anos do Tau Hotel & Convention. O ex-deputado Joo Pinto Ribeiro, hoje um empresrio de sucesso tambm na rea de hotelaria, movimentou a noite de segunda-feira na Casa Bernardi, no bairro Cidade Jardim. Fomos l para conferir!






    A bela festa dos 20 anos do Tau reuniu jornalistas como o colunista Mrio Fontana do jornal Estado de Minas, Paulo Csar de Oliveira, renomado colunista, diretor do jornal Hoje em Dia e editor da Revista Enontro; o presidente do Jornal da Cidade, nosso amigo Humberto Alves Pereira, dentre outros.
     Presentes tambm executivos e executivas de vrias empresas que promovem seminrios, reunies e econtros profissionais nas confortveis instalaes do Hotel Tau em Roas Novas, que fica a 45 kms de BH, indo pela BR-381 no sentido de Joo Monlevade e Ipatinga.
    Este BLOGUEIRO foi recebido pelo nosso amigo e ssia - para nosso orgulho - o ex-deputado Joo Pinto Ribeiro e sua simptica Lisete. E pelos filhos do casal de empresrios.
    .Conversamos longamente com um dos fiulhos dele, o administrador de Empresas - e dos bons - Joo Luiz. Ele foi nosso cliente no media trainning "Socorro, Estou na TV". Jovem inteligente e conectado com a economia do conhecimento. Homem de vrias e inteligentes idias.
    Da conversa com o brilhante Joo Luiz saiu a possibilidade de fazermos um Workshop Empresarial. "Socorro, Estou na TV" - "Como usar sua IMAGEM para fazer sucesso na carreira". Aguardem notcias sobre o assunto!
    EM TEMPO: confira detalhes do Tau Hotel & Convention, na internert. Acesse: www.taua.com.br
     

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 30, 2007

    Uma TIMA notcia para ns brasileiros. A COPA DO MUNDO de 2014 ser mesmo no Brasil. A deciso foi anunciada, agora a pouco, pelo presidente da FIFA, em Zurique, na Suia. Notcia que funcionou como uma sinfonia aos ouvidos do presidente Lula, o governador Acio Neves e mais 12 governadores presentes no auditrio da FIFA. Com isso, o nosso Mineiro vai receber alguns jogos da Copa de 2014. O governador Acio luta para a abertura seja, aqui em BH, no velho Estdio Magalhes Pinto, que vai ser todo remodelado.

                                "A ptria de chuteiras" novamente, decorridos quase seis dcadas, desde a ltima Copa do Mundo no pis, em 1950 no Maracan. De l sairam chorando os brasileiros e brasileiras com a derrota para o Uruguai. Pgina virada! De l pr c, o Brasil foi cinco vezes campeo do mundo. Lavamos a alma.
                                E agora a grande chance de projetar o Brasil no cenrio internacional. Um pis bem diferentedaquele de 1950, quando era uma economia agrria e a TV, ah! a TV comeava a caminhar, tmida, movida pelo gnio empresarial de Assis Chateubriand, que inaugurou a TV no Brasil em setembro de 1950. 
                                E nessa Copa de 2014, os jogos j estaro sendo transmitidos pelo sistema digital. Imagem limpa, ntida, moderna e bela. Mais bela ainda se a seleo brasileira - acredito na vitria movida pelos coraes de mais de 200 milhes de brasileiros e brasileiras. Quem venha a Copa de 2014!


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 30, 2007

    PPAG - Plano Plurianual de Ao Governamental para o perodo 2008 a 2011 - comeou a ser discutido no interior de Minas. No Tringulo Mineiro foram anotadas 36 sugestes feitas por representantes de nove municpios da regio. Confira os detalhes vindo do www.almg.gov.br

    Mais de cem pessoas de nove municpios do Tringulo Mineiro participaram, nesta segunda-feira (29/10/07), em Frutal, da segunda audincia pblica para discutir o Plano Plurianual de Ao Governamental (PPAG) para o perodo de 2008 a 2011. Entre os participantes, estiveram prefeitos, vereadores, lderes comunitrios e estudantes. O encontro, promovido pela Assemblia Legislativa de Minas Gerais em parceria com o Executivo, foi realizado no auditrio da UEMG e teve por objetivo colher sugestes de movimentos sociais, representantes de poderes pblicos e da sociedade em geral para o plano de investimentos, metas e obras do Executivo para os prximos quatro anos.
    Na audincia de Frutal foram discutidos apenas 5 dos 57 projetos estruturadores do Estado, considerados mais afetos regio. As discusses foram divididas em trs grupos: Logstica de integrao e desenvolvimento, Investimento e valor agregado da produo e Defesa Social. Os participantes apresentaram 36 propostas de aes que, se acatadas, podem se transformar em emendas ao Projeto de Lei 1.615/07, que dispe sobre o PPAG.
    A maioria das propostas sobre construo, reforma ou melhoria de rodovias da regio, e ainda assuntos como construo de casas-abrigo para mulheres vtimas de violncia, incentivo para atrair empresas para a regio, em especial para a indstria de biocombustvel, criao de um centro-dia (uma espcie de asilo diurno) para idosos, ampliao da merenda escolar para estudantes do ensino mdio, fortalecimento da agricultura familiar, ampliao da dotao oramentria da UEMG e outras melhorias para a universidade.
    O relator do projeto do PPAG, deputado Lafayette de Andrada (PSDB), considerou todas muito pertinentes e afirmou que vai avaliar cada uma para ver se so acatadas como emendas. "Nosso objetivo que todas as sugestes, ou a maioria delas, sejam incorporadas ao PPAG", disse.
    O deputado Z Maia (PSDB), que representou o presidente da Assemblia Legislativa, deputado Alberto Pinto Coelho (PP) e coordenou os trabalhos, tambm elogiou as proposies apresentadas pelos participantes. Lembrou que algumas delas j so contempladas pelo projeto original e, por isso, podem no ser aproveitadas. O parlamentar ressaltou a importncia das audincias pblicas para o aprimoramento do processo democrtico e de tomada de decises. Segundo ele, se as aes do governo visam s pessoas " fundamental que todos sejam ouvidos antes".
    Tambm elogiaram as consultas pblicas os deputados Dalmo Ribeiro Silva (PSDB), presidente da Comisso de Constituio e Justia, e Eros Biondini (PHS). "Estamos buscando a ferramenta para o desenvolvimento de nossos municpios e regies", afirmou Dalmo. "Queremos que os investimentos gerem resultados prticos e positivos para a sociedade", completou Biondini.
    Tcnicos do Executivo explicam projetos e investimentos para o Tringulo
    Pela manh, os gerentes dos projetos estruturadores fizeram explanaes sobre cada um. Na rea 1, foi abordado o Pr MG Pleno - Programa de Recuperao e Manuteno Rodoviria do Estado de Minas Gerais e o Programa de Potencializao da Infra-Estrutura Logstica da Fronteira Agroindustrial. O primeiro pretende ampliar o percentual de rodovias em boas condies, propiciando uma movimentao mais gil e segura de pessoas e produtos, alm da reduo dos custos de transporte rodovirio. At o prximo ano, a previso investir R$ 100 milhes na recuperao de 1,3 mil quilmetros de rodovias.
    O segundo projeto tambm prev investimentos na recuperao de rodovias pavimentadas para melhorar o escoamento da produo. Para o Tringulo, as previses so de investir R$ 201,5 milhes para recuperar 4,2 mil quilmetros. O terceiro projeto estruturador apresentado, que fez parte do grupo 2, foi o de Promoo e Atrao de Investimentos Estratgicos e Desenvolvimento das Cadeias Produtivas das Empresas-ncora, cujo objetivo aumentar a competitividade das empresas mineiras j instaladas e atrair novos investimentos privados. Para o Tringulo, as aes do governo nesse sentido devem superar R$ 1,7 bilho, entre 2008 e 2011. Somente para ampliao e melhoria do servio de energia para as empresas, devem ser investidos mais de R$ 300 milhes.
    J o projeto Cresce Minas - Oferta e Distribuio de Energia Eltrica, tambm do grupo 2, pretende recuperar a capacidade de atendimento em energia, para atender demanda de 774 municpios do Estado. No Tringulo, j esto em fase de contratao projetos para construir uma nova subestao de energia eltrica em Perdizes, outra em Prata e ampliao das subestaes de Carneirinho, Campina Verde, Tupaciguara, Arapor e Coqueiros, totalizando 94 quilmetros de linhas de transmisso. Os investimentos devem superar os R$ 100 milhes nos prximos quatro anos.
    Menos violncia - Com o objetivo de reduzir ou coibir a violncia na regio, o Executivo est planejando investir, sobretudo nos adolescentes do Tringulo Mineiro. O grupo 3 ouviu as perspectivas para o projeto de Atendimento s Medidas Socioeducativas, que prev garantir a efetividade do atendimento ao adolescente infrator, rompendo o processo de criminalidade juvenil e promovendo a ressocializao do jovem.
    Outra vertente do programa destinar recursos s prefeituras para que executem aes preventivas ou punitivas com os jovens infratores. Nessa parceria, o Executivo prev aplicar cerca de R$ 20 milhes no Tringulo.
    Como so os planos de aes do Executivo
    Tambm pela manh, o subsecretrio de Planejamento e Oramento da Secretaria de Estado, Planejamento e Gesto (Seplag), Manuel Carvalho da Silva Neto, explicou como a estratgia do Executivo mineiro para executar seus programas e aes. O planejamento estadual dividido em quatro arranjos institucionais: o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI), o Plano Plurianual de Ao Governamental (PPAG), a Lei de Diretrizes Oramentrias (LDO) e a Lei de Oramento Anual (LOA).
    O PMDI um plano estratgico de longo prazo, que consolida as grandes metas desejadas para 20 anos e o atual tem validade at 2023. Ele divide a ao do Estado em 11 reas de resultados que visam a um principal objetivo: transformar Minas no melhor Estado para se viver.
    O PPAG, por sua vez, tem vigncia de quatro anos e a funo de estabelecer as diretrizes, objetivos e metas da administrao pblica para as despesas de capital e outras delas decorrentes. Funciona como um coordenador das aes da sociedade e do governo, com vistas a assegurar as metas do PMDI. Nos prximos quatro anos, o governo planeja investir R$ 24 bilhes do Tesouro estadual nos 57 programas estruturadores que abrangem reas como sade, educao, transporte, segurana e meio ambiente.
    J a LDO seleciona, anualmente, os programas do PPAG que tero prioridade de execuo no oramento subseqente. Ela deve conter as metas e prioridades da Administrao Estadual, as despesas correntes e de capital para o exerccio financeiro, disposies sobre alteraes tributrias, poltica de aplicao das agncias financeiras oficiais e orientaes para elaborao da LOA.
    Por fim, a LOA tem como principal objetivo estimar a receita e fixar a programao das despesas para o exerccio financeiro.
    O subsecretrio fez um relato das conquistas do atual governo e citou vrios exemplos de sucesso como a melhoria nos ndices de escolarizao que passou de 75,4%, em 2002, para 84,1%, em 2004, ultrapassando a mdia nacional. Tambm ressaltou a queda do nvel de violncia em todo Estado, destacando a queda de 19% dos casos de homicdio em Belo Horizonte, aps oito anos consecutivos de aumento. O PIB de Minas, segundo ele, cresceu 3,7%, superando pelo segundo ano consecutivo a mdia nacional.
    Presenas: Deputados Z Maia (PSDB); Dalmo Ribeiro Silva (PSDB), Eros Biondini (PHS) e Lafayette de Andrada (PSDB). Tambm compuseram a mesa, o subsecretrio citado na matria, a prefeita de Frutal, Maria Ceclia Macchi Borges; o vice-presidente do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas, Eduardo Bernis; o presidente da Cmara municipal de Frutal, vereador Joob de Paula Alves; o diretor da UEMG, Ronaldo Wilson Santos; o diretor do projeto Central de Alocao Estratgica de Recursos e Aes da Seplag, Joo Vtor Resende.





                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 29, 2007

    Ateno EMPRESARIADO. Debate na Assemblia de Minas DESMISTIFICOU a monocultura da cana-de-acar em Minas. Leia em DETALHES a matria vinda do www.almg.gov.br

    O debate pblico sobre o etanol realizado pela Comisso de Poltica Agropecuria e Agroindustrial da Assemblia Legislativa de Minas Gerais, nesta segunda-feira (29/10/07), teve o mrito de desmistificar a preocupao com a monocultura de cana-de-acar no Brasil e em Minas. A opinio do presidente da comisso, deputado Vanderlei Jangrossi (PP), que coordenou o debate no Plenrio. Os expositores convidados demonstraram que a rea de cultivo da cana insignificante em relao a outras culturas e, por outro lado, a atividade representa grandes oportunidades para os produtores e para o desenvolvimento do Estado. O debate pblico foi requerido pelos deputados Jangrossi, Padre Joo (PT), Chico Uejo (PSB), Getlio Neiva (PMDB) e Antnio Carlos Arantes (PSC).
    O secretrio de Estado de Agricultura, Pecuria e Abastecimento, Gilman Viana Rodrigues, disse que a demanda mundial pelo etanol resultado de uma busca por combustveis que prejudiquem cada vez menos o meio ambiente. Segundo ele, o desafio que se coloca para a sociedade moderna garantir a preservao das prximas geraes, e isso passa pelo controle ambiental, aumento da quantidade de alimentos disposio da populao e enfrentamento das alteraes climticas do planeta.
    Gilman apresentou dados que mostram que Minas Gerais o 2 maior produtor agrcola do Pas, e que a cana-de-acar ocupa 0,8% da rea do Estado, ou 499,8 mil hectares. O percentual muito pequeno em relao ao espao ocupado pela cultura de gros (4,53%) e pastagens (43,02%). "Quando foi que nos preocupamos com a monocultura do caf?", questionou o secretrio, ao informar que a produo cafeeira ocupa 1,074 milho de hectares em Minas, mais que o dobro da rea utilizada para a cana. Ele ainda alertou para a necessidade de se investir na escolarizao para impulsionar o desenvolvimento do Pas. Segundo Gilman, o trabalho braal em setores como o sucroalcooleiro vai cada vez mais perder espao para a mecanizao.
    Tcnico destaca potencial energtico do etanol
    A exposio do diretor do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi), Maurcio Ceclio, foi na mesma direo. Ele apresentou dados tcnicos sobre a produo de cana-de-acar no Brasil e em Minas, comparando com outras culturas, e mostrou que o potencial energtico representado pelo etanol produzido a partir da cana no pode ser desprezado. Segundo ele, as usinas de energia existentes, somadas s que esto em fase de implantao, tero capacidade de gerao de 1.500 megawatts/hora, cinco vezes mais que a recentemente inaugurada Usina Hidreltrica de Irap, no Norte de Minas.
    O diretor pediu ateno s novas oportunidades de negcios que podero surgir com o crescimento do etanol como combustvel, como a integrao com o biodiesel e a indstria alcooqumica, que poder substituir a indstria petroqumica na produo de plsticos e outros criados com base no petrleo.
    O superintendente tcnico da Federao da Agricultura e Pecuria do Estado de Minas Gerais, Affonso Damsio Soares, manifestou o apoio da entidade, que representa 380 sindicatos rurais no Estado, s iniciativas de incremento da produo de cana-de-acar. Ele tambm concordou com a opinio de que o setor dever se deparar com inmeras novas oportunidades.
    Deputados vo propor ICMS menor
    O deputado Getlio Neiva afirmou, ao final de debate, que os integrantes da Comisso de Poltica Agropecuria e Agroindustrial devero apresentar uma emenda ao Projeto de Lei 1.585/07, do governador, que autoriza redues de alquotas do ICMS em diversos setores. A emenda, segundo o deputado, propor uma alquota de 12% para o ICMS sobre a venda de lcool combustvel.
    Outra iniciativa anunciada por Getlio Neiva foi a proposta de realizao de um seminrio parlamentar sobre biocombustveis, a fim de questionar fatos como a instalao de uma usina de biocombustvel em Montes Claros, pela Petrobras. "Ela instalou a fbrica mas no plantou mamona. Agora, ela no pode ser inaugurada", afirmou o deputado.
    O deputado Chico Uejo defendeu estudos que avaliem a proibio imediata da queima da cana nos empreendimentos agrcolas instalados em Minas. "Ficou claro que precisamos de um marco regulatrio que estabelea limites para essa produo", afirmou. J o deputado Antnio Carlos Arantes recorreu ao exemplo do sudoeste de Minas, regio onde atua, para citar alguns problemas gerados pelo cultivo da cana: desemprego, trabalho escravo, queimadas descontroladas. "O caf gerava muito mais emprego. Os biocombustveis so um grande avano, mas a sociedade no pode pagar o preo", disse o parlamentar.
    Fetaemg cobra medidas que compensem o desemprego
    Um documento produzido pela Federao dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg), e lido durante a reunio pelo presidente da entidade, Vilson da Silva, chamou ateno para o desemprego que ser provocado pela mecanizao do cultivo da cana. "No verdade que as inovaes tecnolgicas vo gerar mais empregos que os atuais", criticou o documento. A Fetaemg cobrou, para enfrentar o problema, polticas pblicas para reencaminhar os desempregados ao mercado. Durante o debate, a platia tambm cobrou aes em relao ao desemprego. Vilson ainda comentou sobre a necessidade de ter a Secretaria de Estado do Trabalho nas discusses sobre o tema. "A secretaria j foi importante na construo de muitas polticas pblicas", comentou. O deputado Antnio Carlos Arantes concordou com o representante da Fetaemg.
    O documento encaminhado pela Fetaemg tambm citou o exemplo de Gois para sugerir a elaborao de um zoneamento da produo agrcola mineira, a fim de reduzir os riscos para a produo agropecuria e tambm para o meio ambiente. O texto tambm pede o cuidado com a alienao da tecnologia do lcool combustvel, a fim de evitar que o setor venha a ser dominado por "conglomerados estrangeiros".
    O pr-reitor da Universidade Federal de Lavras, Jos Roberto Scolforo, fez uma apresentao do Zoneamento Ecolgico e Econmico de Minas Gerais, um projeto da instituio, feito em parceria com o governo do Estado. Ele comentou os critrios e mecanismos de avaliao das diversas regies de Minas e de licenciamento de empreendimentos. "O interessante desse sistema que orienta o empreendedor e o governo em que investir para aumentar o potencial de produo", afirmou o pesquisador.
    Minas poder ser 2 produtor em 2009
    Dentro de dois anos, Minas Gerais dever tornar-se o segundo maior produtor de lcool do Brasil, atrs apenas de So Paulo, que hoje concentra 62% da cultura de cana. A previso foi feita pelo presidente do Sindicato da Indstria de Acar e lcool de Minas Gerais, Lus Custdio Cotta Martins, durante a reunio realizada nesta segunda-feira. Ele apresentou nmeros que indicam a expanso do setor no Estado. Nos ltimos cinco anos, a produo de lcool em Minas cresceu 19,72% ao ano, enquanto o crescimento foi apenas de 8,91% ao ano em todo o Brasil. "J subimos da quinta para a terceira maior produo do Pas", afirmou Martins.
    Ele ressalvou, no entanto, que o Brasil precisa buscar mercados que absorvam essa produo. " preciso incentivar a produo em outros pases, porque nenhum pas vai querer sair da dependncia do Oriente Mdio para cair na dependncia do Brasil e Estados Unidos, nicos que produzem etanol atualmente", afirmou o representante do setor sucro-alcooleiro.
    Lus Cotta Martins sugeriu que os mais de 70 municpios mineiros que hoje cultivam cana-de-acar se organizem em uma associao, o que facilitaria a luta por polticas pblicas que beneficiem o setor. Quanto mecanizao, ele afirmou que a inteno implant-la, a princpio, em regies onde haja carncia de mo-de-obra, a fim de evitar o desemprego. Tambm disse que o sindicato j est fechando uma parceria com o Senai e o poder pblico para implantar um plano de qualificao de mo-de-obra.
    Outra medida cobrada por Martins a construo de um alcoolduto, que evite o transporte por caminhes. "Este ano, vamos exportar 250 milhes de litros de lcool pelo porto de Santos, levados de caminho. um absurdo", afirmou. Por fim, ele elogiou a iniciativa do deputado federal Virglio Guimares (PT-MG) de propor uma emenda ao projeto de reforma tributria do governo federal, determinando que a alquota do Imposto sobre o Valor Agregado (IVA) dos biocombustveis nunca seja superior menor alquota de um combustvel fssil. Hoje, a menor alquota de ICMS para combustveis fsseis a do leo diesel, que 12%. " uma emenda ecologicamente correta", defendeu Martins.
    Presenas - Deputados Vanderlei Jangrossi (PP), presidente da comisso; Antnio Carlos Arantes (PSC), Chico Uejo (PSB), Getlio Neiva (PMDB), Weliton Prado (PT) e Wander Borges (PSB), alm dos convidados citados na matria.





                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 29, 2007

    ETANOL foi debatido durante quase 5 horas no plenrio da Assemblia de Minas. Foi o Debate Pblico promovido pela Comisso de Poltica Agropecuria e Agroindustrial, presidida pelo deputado Vanderlei Jangrossi, do PP. O secretrio de Agricultura de Minas, Gilmam Vianna, disse que preciso equilibar a produo de lcool com a de alimentos e que em Minas, no h monocultura. Disse ainda que preciso investir em Educao, Treinamento de mo-de-obra para atender demanda por qualificao profissional na produo de lcool.

      


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 29, 2007

    Ateno EMPRESARIADO. Debate na Assemblia de Minas DESMISTIFICOU a monocultura da cana-de-acar em Minas. Leia em DETALHES a matria vinda do www.almg.gov.br

    O debate pblico sobre o etanol realizado pela Comisso de Poltica Agropecuria e Agroindustrial da Assemblia Legislativa de Minas Gerais, nesta segunda-feira (29/10/07), teve o mrito de desmistificar a preocupao com a monocultura de cana-de-acar no Brasil e em Minas. A opinio do presidente da comisso, deputado Vanderlei Jangrossi (PP), que coordenou o debate no Plenrio. Os expositores convidados demonstraram que a rea de cultivo da cana insignificante em relao a outras culturas e, por outro lado, a atividade representa grandes oportunidades para os produtores e para o desenvolvimento do Estado. O debate pblico foi requerido pelos deputados Jangrossi, Padre Joo (PT), Chico Uejo (PSB), Getlio Neiva (PMDB) e Antnio Carlos Arantes (PSC).
    O secretrio de Estado de Agricultura, Pecuria e Abastecimento, Gilman Viana Rodrigues, disse que a demanda mundial pelo etanol resultado de uma busca por combustveis que prejudiquem cada vez menos o meio ambiente. Segundo ele, o desafio que se coloca para a sociedade moderna garantir a preservao das prximas geraes, e isso passa pelo controle ambiental, aumento da quantidade de alimentos disposio da populao e enfrentamento das alteraes climticas do planeta.
    Gilman apresentou dados que mostram que Minas Gerais o 2 maior produtor agrcola do Pas, e que a cana-de-acar ocupa 0,8% da rea do Estado, ou 499,8 mil hectares. O percentual muito pequeno em relao ao espao ocupado pela cultura de gros (4,53%) e pastagens (43,02%). "Quando foi que nos preocupamos com a monocultura do caf?", questionou o secretrio, ao informar que a produo cafeeira ocupa 1,074 milho de hectares em Minas, mais que o dobro da rea utilizada para a cana. Ele ainda alertou para a necessidade de se investir na escolarizao para impulsionar o desenvolvimento do Pas. Segundo Gilman, o trabalho braal em setores como o sucroalcooleiro vai cada vez mais perder espao para a mecanizao.
    Tcnico destaca potencial energtico do etanol
    A exposio do diretor do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (Indi), Maurcio Ceclio, foi na mesma direo. Ele apresentou dados tcnicos sobre a produo de cana-de-acar no Brasil e em Minas, comparando com outras culturas, e mostrou que o potencial energtico representado pelo etanol produzido a partir da cana no pode ser desprezado. Segundo ele, as usinas de energia existentes, somadas s que esto em fase de implantao, tero capacidade de gerao de 1.500 megawatts/hora, cinco vezes mais que a recentemente inaugurada Usina Hidreltrica de Irap, no Norte de Minas.
    O diretor pediu ateno s novas oportunidades de negcios que podero surgir com o crescimento do etanol como combustvel, como a integrao com o biodiesel e a indstria alcooqumica, que poder substituir a indstria petroqumica na produo de plsticos e outros criados com base no petrleo.
    O superintendente tcnico da Federao da Agricultura e Pecuria do Estado de Minas Gerais, Affonso Damsio Soares, manifestou o apoio da entidade, que representa 380 sindicatos rurais no Estado, s iniciativas de incremento da produo de cana-de-acar. Ele tambm concordou com a opinio de que o setor dever se deparar com inmeras novas oportunidades.
    Deputados vo propor ICMS menor
    O deputado Getlio Neiva afirmou, ao final de debate, que os integrantes da Comisso de Poltica Agropecuria e Agroindustrial devero apresentar uma emenda ao Projeto de Lei 1.585/07, do governador, que autoriza redues de alquotas do ICMS em diversos setores. A emenda, segundo o deputado, propor uma alquota de 12% para o ICMS sobre a venda de lcool combustvel.
    Outra iniciativa anunciada por Getlio Neiva foi a proposta de realizao de um seminrio parlamentar sobre biocombustveis, a fim de questionar fatos como a instalao de uma usina de biocombustvel em Montes Claros, pela Petrobras. "Ela instalou a fbrica mas no plantou mamona. Agora, ela no pode ser inaugurada", afirmou o deputado.
    O deputado Chico Uejo defendeu estudos que avaliem a proibio imediata da queima da cana nos empreendimentos agrcolas instalados em Minas. "Ficou claro que precisamos de um marco regulatrio que estabelea limites para essa produo", afirmou. J o deputado Antnio Carlos Arantes recorreu ao exemplo do sudoeste de Minas, regio onde atua, para citar alguns problemas gerados pelo cultivo da cana: desemprego, trabalho escravo, queimadas descontroladas. "O caf gerava muito mais emprego. Os biocombustveis so um grande avano, mas a sociedade no pode pagar o preo", disse o parlamentar.
    Fetaemg cobra medidas que compensem o desemprego
    Um documento produzido pela Federao dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg), e lido durante a reunio pelo presidente da entidade, Vilson da Silva, chamou ateno para o desemprego que ser provocado pela mecanizao do cultivo da cana. "No verdade que as inovaes tecnolgicas vo gerar mais empregos que os atuais", criticou o documento. A Fetaemg cobrou, para enfrentar o problema, polticas pblicas para reencaminhar os desempregados ao mercado. Durante o debate, a platia tambm cobrou aes em relao ao desemprego. Vilson ainda comentou sobre a necessidade de ter a Secretaria de Estado do Trabalho nas discusses sobre o tema. "A secretaria j foi importante na construo de muitas polticas pblicas", comentou. O deputado Antnio Carlos Arantes concordou com o representante da Fetaemg.
    O documento encaminhado pela Fetaemg tambm citou o exemplo de Gois para sugerir a elaborao de um zoneamento da produo agrcola mineira, a fim de reduzir os riscos para a produo agropecuria e tambm para o meio ambiente. O texto tambm pede o cuidado com a alienao da tecnologia do lcool combustvel, a fim de evitar que o setor venha a ser dominado por "conglomerados estrangeiros".
    O pr-reitor da Universidade Federal de Lavras, Jos Roberto Scolforo, fez uma apresentao do Zoneamento Ecolgico e Econmico de Minas Gerais, um projeto da instituio, feito em parceria com o governo do Estado. Ele comentou os critrios e mecanismos de avaliao das diversas regies de Minas e de licenciamento de empreendimentos. "O interessante desse sistema que orienta o empreendedor e o governo em que investir para aumentar o potencial de produo", afirmou o pesquisador.
    Minas poder ser 2 produtor em 2009
    Dentro de dois anos, Minas Gerais dever tornar-se o segundo maior produtor de lcool do Brasil, atrs apenas de So Paulo, que hoje concentra 62% da cultura de cana. A previso foi feita pelo presidente do Sindicato da Indstria de Acar e lcool de Minas Gerais, Lus Custdio Cotta Martins, durante a reunio realizada nesta segunda-feira. Ele apresentou nmeros que indicam a expanso do setor no Estado. Nos ltimos cinco anos, a produo de lcool em Minas cresceu 19,72% ao ano, enquanto o crescimento foi apenas de 8,91% ao ano em todo o Brasil. "J subimos da quinta para a terceira maior produo do Pas", afirmou Martins.
    Ele ressalvou, no entanto, que o Brasil precisa buscar mercados que absorvam essa produo. " preciso incentivar a produo em outros pases, porque nenhum pas vai querer sair da dependncia do Oriente Mdio para cair na dependncia do Brasil e Estados Unidos, nicos que produzem etanol atualmente", afirmou o representante do setor sucro-alcooleiro.
    Lus Cotta Martins sugeriu que os mais de 70 municpios mineiros que hoje cultivam cana-de-acar se organizem em uma associao, o que facilitaria a luta por polticas pblicas que beneficiem o setor. Quanto mecanizao, ele afirmou que a inteno implant-la, a princpio, em regies onde haja carncia de mo-de-obra, a fim de evitar o desemprego. Tambm disse que o sindicato j est fechando uma parceria com o Senai e o poder pblico para implantar um plano de qualificao de mo-de-obra.
    Outra medida cobrada por Martins a construo de um alcoolduto, que evite o transporte por caminhes. "Este ano, vamos exportar 250 milhes de litros de lcool pelo porto de Santos, levados de caminho. um absurdo", afirmou. Por fim, ele elogiou a iniciativa do deputado federal Virglio Guimares (PT-MG) de propor uma emenda ao projeto de reforma tributria do governo federal, determinando que a alquota do Imposto sobre o Valor Agregado (IVA) dos biocombustveis nunca seja superior menor alquota de um combustvel fssil. Hoje, a menor alquota de ICMS para combustveis fsseis a do leo diesel, que 12%. " uma emenda ecologicamente correta", defendeu Martins.
    Presenas - Deputados Vanderlei Jangrossi (PP), presidente da comisso; Antnio Carlos Arantes (PSC), Chico Uejo (PSB), Getlio Neiva (PMDB), Weliton Prado (PT) e Wander Borges (PSB), alm dos convidados citados na matria.





                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 29, 2007

    Minas tem novo governador. Por trs dias, o deputado estadual do PP, Alberto Pinto Coelho, presidente da Assemblia, ocupa o cargo de governador INTERINO no Palcio da Liberdade, aqui em BH. O motivo que o governador Acio Neves est em viagem oficial Europa e o vice-governador Antonio Augusto Anastasia, tmbm est em viagem oficial Itlia. Na foto arquivo abaixo, da esquerda para a direita, o governador interino de Minas, deputado Alberto Pinto Coelho e o presidente da Fiat, Cledorvino Belini, em solenidade no plenrio da Assemblia em setembro, quando Belini recebeu o Ttulo de Cidado Honorrio de Minas.

     

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 29, 2007

    O Boom do lcool. Presidente do Siamig/sindacar, Luiz Custdio Cotta Martins, falou hoje sobre a necessidade da reduo do ICMS de 25% para 12% para beneficiar os motoristas que tm carro flex. Ele disse que as usinas - como a dele em Ponte Nova - esto vendendo o litro do lcool a 75 centavos, abaixo do custo de produo. O empresrio participou no plenrio da Assemblia no Debate Pblico sobre o lcool.




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 29, 2007

    Reunio Especial agora noite no plenrio presidente JK. Neste momento a Assemblia Legislativa de Minas est homenageando A UFMG. A transmisso poder ser conferida, AO VIVO, pela TV Assemblia. Ligue: em BH no canal 11 a cabo. No Interior: UHF.

                                    Assemblia comemora 80 anos da UFMG e 30 anos da APUBH
    Na prxima segunda-feira (29/10/07), s 20 horas, ser realizada uma Reunio Especial em comemorao aos 80 anos de fundao da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e dos 30 anos da associao Profissional dos Docentes da UFMG (APUBH), no Plenrio da Assemblia Legislativa de Minas Gerais. A iniciativa parte de um requerimento dos deputados Andr Quinto (PT) e Carlin Moura (PCdoB). Os dois parlamentares, que so ex-alunos da instituio, justificam a homenagem destacando a importncia da UFMG para a educao do Estado e do Pas, sendo hoje uma das maiores e melhores universidades nacionais.
    No evento, ser homenageado com entrega de placa o Magnfico Reitor da UFMG, professor Ronaldo Tadu Pena. Tambm na ocasio, haver apresentao de um vdeo institucional sobre a UFMG, e do coral da universidade.
    UFMG - A UFMG possui atualmente 49 cursos de graduao, alm de 67 programas de ps-graduao, envolvendo 57 cursos de doutorado e 65 de mestrado, distribudos em todas as reas do conhecimento. A entidade conta com 19 unidades acadmicas, 13 delas sediadas no campus da Pampulha, em Belo Horizonte.
    Segundo o site da UFMG, os Inconfidentes j possuam um projeto poltico para a criao de uma universidade no Estado, idia que s se concretizou em 1927, com a fundao da Universidade de Minas Gerais (UMG), uma instituio privada, subsidiada pelo Estado e surgida da unio de quatro escolas de nvel superior que existiam em Belo Horizonte na poca. A UMG permaneceu como uma universidade estadual at 1949, quando foi federalizada. Tambm na dcada de 40, a extensa rea na regio da Pampulha foi incorporada instituio, para a construo do campus posteriormente, j na dcada de 60. A partir da, a maior parte das unidades acadmicas foi transferida para o campus da Pampulha. O nome atual - UFMG - s foi adotado em 1965.
    APUBH - A APUBH foi criada em 1977 para coordenar as aes polticas dos professores universitrios de Belo Horizonte, passando, na prtica, a reunir apenas os professores da UFMG. Como entidade, a APUBH tem as dimenses acadmica, poltica e corporativa e ligada a associaes de professores de vrias universidades federais brasileiras que tm, como representao nacional, a Andes (Associao Nacional de Docentes de Ensino Superior).



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 29, 2007

    COPA DO MUNDO. Governador Acio Neves, que est na Suia, confirmou a candidatura do Mineiro para sediar o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014. O clima foi positivo: confira a foto abaixo do governador Acio Neves e o tcnico da Seleo Brasileira, o ex-jogador Dunga.









                                  Acio Neves defende abertura da Copa de 2014 no Mineiro

     









    Soraya Ursine

    O governador de Minas Gerais, Acio Neves, participou, nesta segunda-feira (29), em Zurique, Sua, de jantar com o presidente da Confederao Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira. Durante o encontro, o governador confirmou a candidatura do Estdio Governador Magalhes Pinto, o Mineiro, para sediar o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014.

    Segundo Acio Neves, pelos investimentos j realizados pelo Governo de Minas no estdio e o aporte previsto para os prximos anos, o Mineiro ser o primeiro estdio brasileiro a ser readequado para sediar o Mundial. O Mineiro, que completou 42 anos em setembro, passar por ampla reforma para modernizao de suas instalaes atendendo s exigncias da Fifa. O processo de licitao para as obras ser lanado ainda este ano.

    "Pela reforma que ter passado o Mineiro, Minas est plenamente qualificada para sediar a abertura dos jogos, j que existe um consenso de que o Maracan dever sediar a partida final da Copa", afirmou o governador.

    Acio Neves est na Sua, ao lado do presidente da Repblica, Luiz Incio Lula da Silva, e de outros governadores. Eles participam, na sede Fifa, da apresentao oficial da candidatura do Brasil a sede da Copa de 2014. Na manh desta segunda-feira, o governador almoou com o tcnico da Seleo Brasileira, Dunga.

    Mais conforto e segurana

    A modernizao do Mineiro para o Mundial de 2014 prev ampliao da cobertura externa do estdio, melhorias nos acessos do pblico; construo de paredes de proteo transparentes prximas ao campo; instalao de 120 camarotes; proteo com vidro blindex em todo o entorno do estdio nas reas que atualmente separam os bares; painis eletrnicos de ltima gerao.

    Para garantir a segurana do pblico e dos atletas, o Mineiro ganhar moderno projeto de segurana como vdeo-monitoramento e radiopatrulhamento areo. Tambm ser instalado no Mineiro um Centro Integrado de Operaes (Ciop), onde, durante 24 horas, atuar um representante de cada rgo de Defesa Social polcias Civil e Militar e Corpo de Bombeiros.

    Em 2004, o Mineiro passou por reforma com investimento de R$ 5,32 milhes, o que possibilitou sediar a partida entre Brasil e Argentina, vlida pelas Eliminatria da Copa de 2006. Foram instaladas 56 mil cadeiras nas arquibancadas superiores. O estdio tambm recebeu melhorias no setor de segurana, preveno de incndios, alm de reformas em 70 banheiros, nas cabines para a imprensa, nos vestirios, no hall de entrada, nos elevadores e na tribuna de honra. O custo total dessa obra.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 29, 2007

    ECOLOGICAMENTE correta. o caso da EMBALLAGGIO do empresrio mineiro Antnio Eduardo Baggio. A empresa uma das primeiras no Brasil, a receber o selo IRSA - Instituto Responsabilidade Scio-Ambiental. Confira!

                 
    Imballaggio uma das primeiras empresas no Brasil a receber o selo do IRSA - Instituto Responsabilidade Scio-Ambiental que atesta as empresas que adotam prticas scio-ambientalmente corretas, como somente a utilizao de matrias-primas renovveis, reciclveis, compostveis e bio-degradveis, com gerao mnima de resduos com impacto ambiental controlado e dispersado pela destinao ambiental e socialmente correta para fins de reciclagem.

    Atesta ainda que a Empresa 100% correta com relao s prticas fiscais e trabalhistas, no utilizando de mecanismos jurdicos de eliso fiscal.

    A par e alm disso, a Imballaggio utiliza-se de mo-de-obra formada em cursos ministrados pela prpria empresa ou pelas oficinas do Senai, para funcionrios e apenados da Penitenciria Jos Maria Alkmim num convnio firmado com a Secretaria de Estado de Defesa Social, alm de no utilizar-se de mo-de-obra infantil em nenhuma etapa da sua produo.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 29, 2007

    Giro pelo Interior. Vem da coluna do nosso amigo - JAL - Jos Antonio Lopes - do barbacenaonline a notcia sobre um evento no Automvel Clube de Barbacena, o nver de Maria Brbara, filha do ex-deputado estadual Z Bodeco e Carla Martoni. Evento que movimentou os meios sociais e as conversdas polticas na cidade. Vale conferir os detalhes da conversa do JAL com o conselheiro Antonio Carlos Andrada, do tribuna de Contas do Estado e, que continua com a poltica no sangue. Agindo, articulando!

                                                                       Maria Brbara
    A juventude barbacenense, acompanhada de alguns mais antigos, lotou o salo de festas do Automvel Clube para participar da festa de 14 anos - e no 15 como noticiei anteriormente - de Maria Brbara, filha de Carla Martoni e do ex-deputado Jos Bonifcio. Estive presente compartilhando uma mesa com Ruth Esteves, Eric Mouro e Lo Prenassi, da rea jornalstica, e com o casal Mariazinha/Renato Oliveira.











    Maria Brbara com as amigas durante as comemoraes de seus 14 anos

    Jos Augusto Penna Naves, Toninho Andrada, este colunista, Jos Bodeco e Tininho Grossi na festa de Maria Brbara

    Conversas polticas
    Na festa de Maria Brbara conversei durante um bom tempo com o ex-deputado Toninho Andrada, hoje Conselheiro do Tribunal de Contas, onde corregedor sobre assuntos do tribunal e tambm sobre poltica. Mesmo distncia, Toninho adiantou-me, confirmando o que j sabia, que um apaixonado por poltica. "Ela est no meu sangue", afirmou o ex-parlamentar, que disse tambm que a eleio do ano que vem em Barbacena vai ser uma das mais importantes do pas.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 29, 2007

    Comea agora, 14horas, no plenrio da Assemblia Legislativa, o Debate sobre ETANOL. Acompanhe AO VIVO pela TV Assemblia. Em BH, ligue no canal 11 a cabo. A no Interior no canal UHF.








                       Poltica Agropecuria discute impactos dos investimentos em etanol

    A Comisso de Poltica Agropecuria e Agroindustrial promove hoje (29), s 14 horas, no Plenrio, o Debate Pblico Etanol - Investimentos e impactos em Minas Gerais, a requerimento do presidente da comisso, deputado Vanderley Jangrossi (PP). Entre os convidados esto representantes da Faemg, da Fetaemg, do Sindicato das Indstrias do lcool e Acar de Minas Gerais e da Fundao Biodiversitas.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 29, 2007

    INCLUSO DIGITAL . Aes do Ministrio das Comunicaes, pilotado pelo senador Hlio Costa, do PMDB mineiro.

                            Internet chega ao serto do Nordeste

    Programa de incluso digital beneficia localidades
    de baixo ndice de Desenvolvimento Humano

    Uma das regies mais pobres do pas, o semi-rido nordestino, j conta hoje com 27 comunidades conectadas internet banda larga por meio do Programa Gesac (Governo Eletrnico Servio de Atendimento ao Cidado). Isso resultado de uma parceria entre o Ministrio das Comunicaes e o COEP (Comit de Entidades no Combate Fome e pela Vida).
    Sero instalados mais 14 pontos na regio at o fim do ano. A parceria prev a instalao de at 100 pontos at junho de 2008. Marcos Carmona, coordenador de projetos do COEP, conta que o acesso internet tem sido muito til para as comunidades atendidas, todas de baixa renda. "O Gesac foi fundamental. O telecentro fortalece a possibilidade de uma rede entre as comunidades, onde elas possam se integrar e trocar informaes", afirma.  A prioridade do Gesac, segundo  o ministro das Comunicaes, Hlio Costa, conectar as escolas, unidades de sade e as comunidades de baixa renda, rurais e distantes dos grandes centros.
    O resultado do programa imediato. Para o agricultor Joo Sobrinho, do Assentamento Jos Rodrigues Sobrinho, em Nova Cruz (RN), a novidade ajuda nos negcios. "Com o computador ligado internet, podemos saber o preo das mercadorias com que trabalhamos. uma coisa rpida, eficiente, sem burocracia".  Robervnia do Nascimento, moradora do Assentamento Margarida Maria Alves, em Juarez Tvora (PB),  conseguiu um emprego numa lan house por causa de um curso que ela fez pelo programa. "Se no fosse isso, ainda estaria desempregada", disse a estudante. 
    COEP
    O comit existe desde 1993 e atua no semi-rido desde 1999, abrangendo municpios em sete estados: Pernambuco, Paraba, Rio Grande do Norte, Sergipe, Alagoas, Cear e Piau. Alm da incluso digital, o programa atua na organizao comunitria, gerao de trabalho e renda por meio da agricultura familiar, educao e cidadania.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 28, 2007

    ETANOL tema de Debate, amanh, dia 29, no plenrio da Assemblia legislativa de Minas. A iniciativa do deputado Vanderlei Jangrossi, presidente da Comisso de Pltica Agropecuria e Agroindustrial da ALMG. O presidente do Sindamig/Sindacar, Luiz Custdio, participa do Debate. TV Assemblia transmite AO VIVO o Debate Pblico. Em BH, ligue no canal 11, a cabo. No Interior de Minas; canais UHF.

    A Comisso de Poltica Agropecuria e Agroindustrial da Assemblia Legislativa do Estado de Minas Gerais vai realizar, na prxima segunda-feira (29/10/07), s 14 horas, no Plenrio, o Debate Pblico Etanol - Investimentos e impactos em Minas Gerais, a requerimento do presidente da comisso, deputado Vanderley Jangrossi (PP). O parlamentar, que far a abertura do debate, disse que pretende "esclarecer o mito de que os investimentos na produo da cana-de-acar vo estagnar outras culturas, como a de gros, e a pecuria". Segundo ele, o setor sucroalcooleiro representa apenas 0,8% das terras cultivadas em todo o Estado.
    O parlamentar lembrou que Minas Gerais tem inmeras propostas de investimentos em novas usinas de etanol e plantaes de cana-de-acar. Por isso, preciso aproveitar a oportunidade histrica e a vantagem competitiva alcanada na produo de lcool combustvel. O deputado disse ainda que o estado o terceiro produtor de etanol no Brasil (a partir da cana), perdendo para o Paran, que est em segundo lugar, e para So Paulo, que ocupar a primeira posio. A expectativa para o prximo ano, segundo Vanderlei Jangrossi, que Minas seja o segundo maior produtor do pas.
    O diretor de Articulao Regional e Promoo de Minas Gerais, do Instituto de Desenvolvimento Integrado do estado (Indi), Maurcio Ceclio, vai representar o secretrio de Desenvolvimento Econmico, Mrcio Arajo de Lacerda, no evento. Ele vai falar sobre "os impactos socioeconmicos e ambientais dos investimentos no setor". Maurcio Ceclio disse que vai fazer um panorama sobre a produo do etanol: nmero de empregos gerados, localizao dos empreendimentos, critrios adotados pelo estado para apoiar novos investimentos, entre outros. Segundo informaes do diretor, o Brasil o maior exportador do produto derivado da cana-de-acar, e os EUA o maior produtor do etanol derivado do milho.
    O secretrio de Estado de Agricultura, Pecuria e Abastecimento (Seapa), Gilman Viana, ser um dos debatedores do evento. Na opinio dele, combustveis renovveis, como etanol, metanol e biodiesel, sero os substitutos dos no-renovveis ou fsseis. Ele defende uma convivncia responsvel entre a utilizao de reas agricultveis para a agroenergia, as reas utilizadas para produo de alimentos, e a preservao das reas de reserva ambiental como a Amaznia e o Pantanal. "O Brasil tem absoluta condio de manter este equilbrio", observou.
    Os outros debatedores convidados so o presidente Federao da Agricultura e Pecuria do Estado de Minas Gerais (Faemg), Roberto Simes; o presidente da Federao dos Trabalhadores na Agricultura do Estado (Fetaemg), Vilson da Silva; o presidente do Sindicato das Indstrias de lcool e Acar de Minas Gerais (Siamig/Sindacar), Luiz Custdio Cotta Martins; o pr-reitor de Pesquisa da Universidade Federal de Lavras (Ufla), Jos Roberto Scolforo; e a superintendente tcnica da Fundao Biodiversitas, Glucia Moreira.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 28, 2007

    Vem a o MELOTECO. 1 Festival de Comida Tpica de Desterro do Mello - municpio que fica a 200 kms de BH e 32 de Barbacena, no Caminho do Meio da Estrada Real. O MELOTECO comea dia 2, sexta-feira e vai at domingo.





    1 Festival de Comida Tpica

    Programao:

    Abertura dia 02 de novembro, a partir das 20h;
    Dia 03 a partir das 10h;
    Dia 04, de 11h s 16h.

    O 1 Festival de Comida Tpica ser realizado no Terminal Rodovirio Dona Carminha Tafuri, na Praa Carlos Jaime, regio central da cidade.

    Venha saborear as nossas delcias!!!!!




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 28, 2007

    ARTIGO ESPECIAL, enviado ao nosso BLOG DE NOTCIAS por Wagner Gomes. Ele mineiro de Montes Claros e foi superintendente do Banco do Brasil em Minas.

                                                                        Norte de Minas:
                                                  Estariam aqui os Emirados rabes do futuro?

                                                                        Wagner Gomes


    Quando se l o noticirio mais recente, percebe-se que empresas de todo o mundo esto interessadas na construo de refinarias de biodiesel no Brasil. H menos de um ms,  o Primeiro Ministro da Itlia, Romano Prodi, firmou acordo com o Presidente Lula nesse sentido. O Brasil virou moda na bioenergia, pois detentor do mercado mais avanado do mundo, com mais de 30 mil postos de abastecimento que vendem etanol puro ou misturado com gasolina na proporo de 20 a 25 por cento do biocombustvel.  

    A partir de 2008, o Pas pretende determinar a mistura obrigatria  de 2 por cento de biodiesel no diesel comercial. Por conta de tudo isto, nosso mercado tornou-se um alvo de grandes investidores domsticos  e internacionais, nos ltimos anos. Players do porte de George Soros, Mitsui e Mitsubishi e, mais recentemente, interessados da gigante China, anunciam sua disposio de participar desse empreendimento monumental. 

    Recentemente, esteve em Minas Gerais, onde foi recebido pela Secretria de Estado Extraordinria para o Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas, deputada Elbe Brando, e pelo Presidente do Indi, Reginaldo Arcuri, o Sr. Paul Bottril Director of Busines Development da D1 Oils Plc -, sediada no Reino Unido, acompanhado do empresrio sino-brasileiro Mike Lu da Curcas Diesel do Brasil, em visita exploratria que pode mudar o destino do Norte de Minas. Os prefeitos municipais de Capito Enas e Janaba estiveram tambm reunidos com aludidos empresrios, e puderam conhecer seus planos para a nossa regio. 

    Ambos possuem interesse especfico na obteno do biodiesel em larga escala, a partir do Jatropha curcas L, mais conhecido entre ns como pinho manso. A empresa britnica D1 Oils ( http://www.d1plc.com) necessita, a cada ano, agregar 140.000ha. de pinho manso ao seu processo produtivo, e oferece, para assegurar esse crescimento,  contratos de longo prazo para compra dessa matria prima, a quantos desejarem participar desse empreendimento. E no descarta a hiptese de investimentos na regio, caso a usina de beneficiamento que a Petrobrs se prope a montar, aqui, seja insuficiente para o escoamento da produo.  

    Desde a reunio em Kyoto de 1997, havia a recomendao das autoridades ambientais ali reunidas, para que se procurassem dirigir esforos para a substituio de fontes energticas fsseis, pelas fontes energticas renovveis. E nesse sentido, o Brasil lanou o seu programa Nacional de Biodiesel, cuja obteno pode se dar a partir do pinho manso, que j possui plantio experimental  em nossa regio, supervisionado pela Epamig e NNE Minas Agroflorestal, com apoio do Governo do Estado.  

    Outra regio que vem, em carter experimental, ensaiando seus primeiros passos para o cultivo em larga escala dessa oleaginosa a de Jales, em So Paulo, cuja infra-estrutura , sem sombra de dvidas, melhor que a nossa. L, a Universidade Federal de So Carlos mantm centro de pesquisas, j com estudos em estgio avanado sobre o pinho manso. 

    Nossa regio encontra-se diante do bonde da histria, podendo, se optar por nele embarcar, mudar radicalmente o seu futuro, fazendo daqui os Emirados rabes das fontes de energia renovvel. Creio que chegada a hora de nossas autoridades se reunirem sob os auspcios da Associao dos Municpios da rea Mineira da Adene Amans e estudarem essa perspectiva seriamente, em conjunto com os rgos de planejamento do Estado de Minas Gerais.


    A propsito, dentre as caractersticas apontadas pelos pesquisadores que distinguem o pinho manso das demais oleaginosas na obteno do biodiesel, destacam-se:

    a viscosidade do leo de pinho manso a que mais se aproxima da viscosidade do leo diesel convencional, constituindo esse aspecto grande vantagem sobre a mamona;

    est entre as oleaginosas de maior produtividade na obteno de leo (litros por hectare);

    a planta das mais resistentes a condies edafoclimticas pouco favorveis (baixa umidade, temperatura elevada);

    gera, como subproduto na obteno do leo, substrato ("torta") rico em produtos de fertilizao agrcola (clcio, fsforo e potssio). O Brasil carente em reservas de potssio;

    o pinho manso no tem, ao contrrio da soja, por exemplo, utilidade na indstria de alimentos, podendo estar seu cultivo destinado, portanto, totalmente fabricao de biodiesel. A unio europia condena a utilizao de produtos agrcolas alimentares na fabricao de combustveis. A postura da unio europia poder tornar-se uma tendncia mundial;

    trata-se de cultura permanente, que no exige, portanto, os ciclos de replantio tpicos das culturas temporrias;

    o pinho manso pode ser cultivado simultaneamente com outro produto agrcola em pequenas propriedades, viabilizando com seu rendimento, a manuteno de uma agricultura familiar. 

    Desta forma, por admitir a  coexistncia com outras culturas em pequenas propriedades, o plantio do pinho manso vem sendo considerado como atividade propcia para se desenvolver como se fora um conceito de desenvolvimento regional integrado e sustentado, em sintonia, portanto, com a preservao e equilbrio ambientais.  

    Nesse sentido, criticam-se, em contraposio, as grandes culturas como a da soja e da cana, que se constituem em monoculturas, incompatveis, portanto, com os princpios de desenvolvimento integrado e equilibrado, hoje valorizados em nvel mundial em face das ameaas que se apresentam preservao ambiental. Culturas como a do pinho manso tambm atenderiam ao objetivo de carter social de dar oportunidade de gerao de renda ao pequeno agricultor.  

    Importante ressaltar que a produo de biodiesel a partir de pinho manso encontra-se em processo de validao nos Ministrios da Agricultura e do Desenvolvimento Agrrio, condio necessria para o deslanche de projetos nessa rea.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 28, 2007

    Plano Plurianual discutido em Araua. Foram apresentadas 48 propostas trazidas para a Assemblia de Minas.

    Vinte cidades foram representadas na primeira de uma srie de quatro audincias pblicas, organizadas pela Assemblia Legislativa de Minas Gerais e Secretaria de Planejamento e Gesto (Seplag), para avaliar o Plano Plurianual de Ao Governamental 2008/2011. O encontro desta sexta-feira (26/10/07), em Araua, no Vale do Jequitinhonha, reuniu prefeitos, vereadores, deputados estaduais, integrantes do Executivo e representantes da sociedade civil. Foram apresentadas 48 propostas, as quais foram acolhidas pela Comisso de Participao Popular da ALMG. Depois de analisadas, as sugestes podem se tornar emendas ao Projeto de Lei 1615/07, que dispe sobre o PPAG, em tramitao na Assemblia.

    Propostas - Em Araua, estavam na pauta duas grandes reas de resultado: desenvolvimento do Norte, Rio Doce, Vales do Jequitinhonha e Mucuri e Reduo da Pobreza e Incluso Produtiva. A ONG Ascai (Associao da Criana e do Adolescente de Itaobim) apresentou duas propostas: o acompanhamento de psiclogos nas instituies de ensino do projeto "Escola em Tempo Integral" e a integrao desse programa com o "Minas Sem Fome". "Os dois programas juntos podem trazer resultados muito melhores no campo social. No adianta a criana ficar o dia inteiro na escola e a me totalmente desassistida na rua", opinou a coordenadora da ONG, Mnica Bezerra. Em Araua, estavam na pauta duas grandes reas de resultado: desenvolvimento do Norte, Rio Doce, Vales do Jequitinhonha e Mucuri e Reduo da Pobreza e Incluso Produtiva. A ONG Ascai (Associao da Criana e do Adolescente de Itaobim) apresentou duas propostas: o acompanhamento de psiclogos nas instituies de ensino do projeto "Escola em Tempo Integral" e a integrao desse programa com o "Minas Sem Fome". "Os dois programas juntos podem trazer resultados muito melhores no campo social. No adianta a criana ficar o dia inteiro na escola e a me totalmente desassistida na rua", opinou a coordenadora da ONG, Mnica Bezerra.

    O Rotary Club de Joama, por sua vez, sugeriu a criao do Comit da Bacia Hidrogrfica do Vale do Jequitinhonha, com o intuito de atuar na preservao do rio e de criar projetos de proteo ambiental.

    Economia - A preocupao com a economia da regio ficou clara na audincia desta sexta. Foram apresentadas sugestes quanto ao impacto ambiental e a organizao da atividade mineradora; apoio tcnico agricultura e pecuria, transporte escolar e saneamento bsico. O atual critrio de atendimento da Copanor, subsidiria da Copasa criada para atender a regio, que deixa de fora comunidades com menos de 200 pessoas tambm foi questionado. A preocupao com a economia da regio ficou clara na audincia desta sexta. Foram apresentadas sugestes quanto ao impacto ambiental e a organizao da atividade mineradora; apoio tcnico agricultura e pecuria, transporte escolar e saneamento bsico. O atual critrio de atendimento da Copanor, subsidiria da Copasa criada para atender a regio, que deixa de fora comunidades com menos de 200 pessoas tambm foi questionado.

    Resultados - O deputado Adalclever Lopes (PMDB) lembrou a importncia do PPAG para reduzir as desigualdades sociais em Minas, que tem a terceira maior economia do Pas, mas o 8 estado em distribuio de renda e o 19 em relao ao IDH municipal. O deputado Adalclever Lopes (PMDB) lembrou a importncia do PPAG para reduzir as desigualdades sociais em Minas, que tem a terceira maior economia do Pas, mas o 8 estado em distribuio de renda e o 19 em relao ao IDH municipal.

    J o deputado Andr Quinto (PT) lembrou os resultados concretos obtidos por meio de audincias pblicas anteriores que discutiram o plano. "Graas s sugestes apresentadas, o programa Minas Sem Fome, por exemplo, recebeu verba adicional de R$ 5 milhes, e a merenda escolar foi estendida aos alunos de 2 grau. Desde 2003, a populao tem a chance de se manifestar e aprimorar o PPAG com a ajuda da Comisso de Participao Popular", afirmou.

    A deputada Elisa Costa (PT) prometeu lutar para que as propostas apresentadas em Araua se transformem em polticas pblicas. Ela destacou o fato de o Vale do Jequitinhonha estar entre as 11 reas de resultado que compem o PPAG.

    Para entender o Plano - O PPAG o instrumento normatizador do planejamento da administrao pblica estadual de mdio prazo. Referencia a formulao dos demais planos e programas governamentais do quadrinio, orientando, acima de tudo, as proposies de diretrizes oramentrias e as leis oramentrias anuais. O PPAG o instrumento normatizador do planejamento da administrao pblica estadual de mdio prazo. Referencia a formulao dos demais planos e programas governamentais do quadrinio, orientando, acima de tudo, as proposies de diretrizes oramentrias e as leis oramentrias anuais.

    O PPAG 2008-2011 prev 11 reas de resultados, e cada uma delas possui um conjunto de objetivos estratgicos, indicadores finalsticos, projetos estruturadores, agenda setorial do Choque de Gesto e metas de desempenho setorial que materializam a estratgia de Minas para o perodo 2007-2023.

    As reas de resultados definidas pelo governo so: Educao de Qualidade; Protagonismo Juvenil; Investimento e Valor Agregado da Produo; Inovao, Tecnologia e Qualidade; Desenvolvimento do Norte de Minas, Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce; Logstica de Integrao e Desenvolvimento; Rede de Cidades e Servios; Vida Saudvel; Defesa Social; Reduo da Pobreza e Incluso Produtiva; e Qualidade Ambiental.

    Presenas - Deputados Andr Quinto, presidente da Comisso de Participao Popular; Adalclever Lopes e deputada Elisa Costa. Deputados Andr Quinto, presidente da Comisso de Participao Popular; Adalclever Lopes e deputada Elisa Costa.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 26, 2007

    Notcia enviada ao nosso BLOG DE NOTCIAS pelo Sindamig/Sindacar, presidido pelo competente empresrio Luiz Custdio Cotta Martins.

    IMPRENSA DESTACA NOVOS INVESTIMENTOS EM MG


     

     Todos os jornais locais: ESTADO DE MINAS, DIRIO DO COMRCIO, O TEMPO E HOJE EM DIA (23/10) publicaram o investimento de R$ 1,3 bilho em novas quatro unidades em Minas Gerais (Cemam, Platina Bioenergia, Companhia Energtica Vale do So Simo e Destilaria Vale do Paracatu Bioenergia), com protocolo assinado na segunda-feira (22/10), no BDMG, em solenidade coordenada pelo Secretrio de Desenvolvimento Econmico, Mrcio Lacerda.

                .O presidente do Siamig/Sindacar-MG, Luiz Custdio Cotta Martins, esteve presente reunio e destacou a importncia dos empreendimentos para o estado, porm, enfatizou a necessidade de investimentos em logstica e equalizao da alquota do ICMS do lcool combustvel, que permanece em 25%. Ele disse que j nesta safra o estado ter um excedente de 800 milhes de litros de lcool, volume que poder atingir a casa dos 3,5 bilhes de litros na safra 2012/13. Segundo ele, h necessidade de se acelerar o alcoolduto e viabilizar os transportes ferrovirios para destinar este excedente para as exportaes. O projeto que est sendo desenvolvido pela Petrobrs prev a instalao de um duto ligando os municpios de Senador Canedo (GO) a Paulnia (SP), passando pelos municpios de Uberaba (Tringulo Mineiro) e Ribeiro Preto (SP) at o porto de So Sebastio (SP).

                .O vice-presidente do Siamig e presidente da Maubisa, Maurlio Biagi Filho, que assinou o protocolo da Central Energtica Monte Alegre de Minas (Cemam), reiterou que a proposta do governo mineiro de reduzir a alquota de ICMS de 25% para 12%, j encaminhada Assemblia Legislativa no Estado, contempla apenas a reduo do tributo entre as usinas e as distribuidoras, havendo necessidade de atingir toda a cadeia produtiva, tendo em vista que Minas um dos estados que menos consome lcool no pas e possui um grande volume de carros flex. Ele destacou que a reduo da alquota de ICMS do lcool combustvel de vital importncia para Minas e a medida que o governo enviou a Assemblia um primeiro passo.

                .Tambm presente reunio o presidente da Destilaria Vale do Paracatu Agroenergia, Luiz Antnio Sabonge, afirmou que a empresa ser a primeira do setor na regio de Paracatu e que o grupo tem longa experincia com o plantio irrigado de gros e ir apostar tambm na cana irrigada. Segundo ele, a empresa no deixar de cultivar gros e a cana ser implantada em terrenos de pastos deteriorados, aproveitando a rea. Eles esto apostando, tambm, numa eficincia vertical da cana, aumentando a produtividade por hectare. Nos planos, a venda de crditos de carbono no mercado.

                .O presidente da Companhia Energtica de Minas Gerais (Cemig), Djalma Morais, ressaltou que a empresa pretende negociar com as usinas de lcool a compra de energia futura como permuta para instalao de pontos de conexo com a rede de distribuio da estatal. A idia no foi oficialmente apresentada aos empresrios que esto frente dos projetos, mas j aceita por algumas empresas, que podero negociar a energia excedente produzida do bagao de cana. Segundo o diretor de Novos Negcios da Cemig, Jos Carlos de Matos, a primeira vez que a empresa pensa no negcio com essa formatao. Alm da conexo, a estatal est interessada em negociar a energia excedente e participar, pela Sociedade de Propsito Especfico (SPEs) na co-gerao proveniente da biomassa. De acordo com a regulamentao do setor eltrico, as obras na infra-estrutura teriam que ser feitas pelos prprios empresrios e a empresa pode permutar esses gastos.


     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 25, 2007

    FLASHES colhidos pelo competente colunista Idinando Borges, do barbacenaonline, da solenidade da entrega do Mrito Santos Dumont nao Museu de Cabang, no comea desta semana. Nas fotos baixo os barbaceneneses(as) ilustres condecorados pelo governador Acio Neves. Confira!

                                                       O Mrito Santos Dumont










    Em Cabamgu, a fazenda onde nasceu Alberto Santos Dumont um verdadeiro santurio ecolgico, belo e bem cuidado. No passado, pertencia Barbacena. Hoje, patrimnio da cidade que recebeu o nome do ilustre brasileiro. A administrao da fazenda e do museu da Escola Preparatria de Cadetes do Ar, a nossa Epcar. A cerimnia, sempre bela foi presidida pelo governador Acio Neves e teve como orador o governador do Estado do Esprito Santo, Paulo Hartung, que falou com eloqncia da histria de Minas Gerais, mas centrou sua mensagem na necessidade de mais igualdade e fraternidade nas aes dos governos. O prefeito anfitrio, Evandro Nery, tambm agraciado com Grau Ouro, registrou as aes do Governo Federal e Estadual em prol da cidade. Entre os agraciados, o ministro das cidades, Mrcio Fortes, religiosos, senadores, deputados, educadores, profissionais liberais, entidades e inmeros militares.
    A Tenente Fernanda de Castro Ferreira, portando o Pavilho Nacional e a esfinge de Santos Dumont  













    O Brigadeiro-do-ar Ivani Ado Silva e
    o Prefeito Martim Andrada

    O Prefeito Nilzio Barbosa Tiradentes e
    o vereador Amarlio Andrade

    E Barbacena fez bonito com inmeros agraciados. Os irmos Andradas: o Conselheiro Antnio Carlos Doorgal de Andrada, em Grau Ouro, o Prefeito Martim Francisco Borges de Andrada e o deputado Lafayette Luiz Doorgal de Andrada. O Brigadeiro-do-Ar Alvani Ado da Silva, o Cel PM, Geraldo Magela Moreira de Freitas, o mdico Jlio Csar Andrade, a promotora de Justia Dilma Jane Couto Carneiro Santos, o major Jos Luiz Pinto Marques Filho, o diretor da UEMG, Eduardo Luiz Costa Garcia Leo, entre outros.


    Os irmos Andrada: Lafayette, Antnio Carlos e o Prefeito Martim Francisco

    Pela Lei 165, de 5 de dezembro de 1947, Santos Dumont foi eleito patrono da Aeronutica. Em 1956, o Exrcito Brasileiro, elegeu o mineiro como o patrono da mais tradicional Unidade da Infantaria Pra-quedista, o Regimento Santos Dumont, nos dias atuais, 26 BI, que comandada pelo Major de Cavalaria, Andr Luiz Baumgratz Andrino, barbacenense e como outros conterrneos, engrandece nossa cidade pela honradez com que integra s Foras Armadas. Ele foi agraciado no Grau Bronze para a alegria das vibrantes tias: Maria das Graas Passos, Sandra Baumgratz, a me Dorinha Baumgratz e a jovem esposa, Ellen Andrino.












    O major Jos Luiz Pinto Marques Filho e
    Maria Anglica de Almeida Pinto Marques

    O major EB, Andr Luiz Baumgratz Andrino e o major-mdico Jlio Csar Andrade

    O simbolismo de uma condecorao representa o reconhecimento do trabalho, principalmente em prol da comunidade. Impossvel retratar, mesmo que em sntese, o trabalho de todos, mas o do mdico, Jlio Andrade, que acompanhamos de perto, todos os dias, engrandece seus familiares, amigos e colaboradores, principalmente por sua luta em prol do Ncleo do Cncer. Os jornalistas Srgio Bara e Isabel Pequeno presentearam os governadores com o livro intitulado "Santos Dumont" que vamos comentar em breve. Parabns a todos!







                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 25, 2007






          

    Em primeira mo! Senac, agora BIG.


    A agncia de publicidade BIG GRANDES IDIAS, acaba de ganhar a licitao para atender o Senac. A BIG j atende com competncia as Prefeituras de BH e de Ipatinga.


    O resultado da licitao foi divulgado hoje. Na sede da BIG no bairro Belvedere, ao lado do BH Shopping, est sendo um dia de largos sorrisos dos donos da BIG e de seus funcionrios, orgulhosos do desempenho da agncia.

    Atravs do nosso BLOG DE NOTCIAS parabenizamos o Senac, que ter um construo de imagem criativa, competente, conectada com a modernidade. E BIG, atravs do publicitrio Paulo lvares, cumprimentamos os outros scios da BIG Grandes Idias: Mrio Ribeiro, Roberto Bastianetto, Wagner Bennaton e Ricardo Fantoni. 




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 25, 2007

    O Transporte de Minrio, por caminhes, na BR-040, entre BH e Congonhas. O assunto foi discutido na Comisso de Meio Ambiente da Assemblia de Minas. O presidente da Cmara Mineral da Fiemg, Fernando Coura, falou sobre a proposta para ajudar na soluo do assunto que preocupa quem trafega pela BR-040, al perto da antiga Ferteco, gua Limpa, at perto de Congonhas. Um perigo ameador vida dos motoristas.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 25, 2007

    Presidente do Sindiextra, Fernado Coura, esteve na Comisso de Meio Ambiente e Recursos Naturais, esta semana. E deu uma boa notcia para os motoristas que trafegam na BR-040, enfrentando os caminhes de minrio.

                                       Nova estrada pode tirar transporte de minrio da BR-040
    A construo de uma estrada para acabar com o problema de transporte de minrio de ferro na BR-040, entre o bairro Belvedere, em Belo Horizonte, e a cidade de Conselheiro Lafaiete. Essa foi a proposta apresentada pelo presidente do Sindicato da Indstria Mineral do Estado (Sindiextra), Jos Fernando Coura, durante reunio da Comisso de Meio Ambiente e Recursos Naturais da Assemblia Legislativa de Minas Gerais, realizada nesta quarta-feira (24/10/07). O deputado Fbio Avelar (PSC), vice-presidente, disse que solicitou a reunio porque o transporte de minrio tem causado transtorno para os motoristas que utilizam a estrada e para os moradores da regio.
    O presidente do Sindiextra lembrou que 90% do trnsito da BR-040 ser transferido para a nova estrada. O trecho ser construdo dentro do terreno Companhia Siderrgica Nacional (CSN) que investir na obra US$10 milhes. Um terminal ferrovirio tambm ser construdo com uma verba de US$ 8 milhes. O projeto no foi implementado ainda por falta de licenciamento ambiental e autorizao do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transporte (Dnit). A expectativa que as obras comecem em janeiro de 2008 e sejam concludas em agosto do mesmo ano.
    Jos Fernando Coura destacou tambm os procedimentos determinados pela Cmara da Indstria Mineral da Fiemg: todos os caminhes que transportam minrio devem ser devidamente lavados, pesados e devem passar por uma plataforma de lonamento. Ele explicou que as rodovias so utilizadas somente para o transporte de pequenas quantidades de ferro gusa. J o presidente da comisso, deputado Svio Souza Cruz (PMDB), defendeu a utilizao de correia transportadora para resolver o problema de transporte de minrio nas estradas.
    Questionado pelo deputado Wander Borges (PSB) sobre as providncias que estariam sendo tomadas com relao poluio causada pelo minrio na cidade de Congonhas, Jos Fernando afirmou que j est sendo criada uma rede de monitoramento de qualidade do ar para o municpio. O deputado Padre Joo (PT) lembrou que, em junho deste ano, a Comisso de Transportes da ALMG discutiu a situao da BR-040 e destacou que inmeros acidentes ocorriam na regio devido lama formada a partir do minrio. O deputado Djalma Diniz (PPS) destacou que o Sindiextra tem feito grande esforo para melhorar a qualidade de vida das pessoas que convivem com a atividade mineradora. O deputado Doutor Viana (DEM), presidente da Frente Parlamentar de Indstria Minerria, lembrou que o sindicato tem participado das reunies sobre o tema na Assemblia Legislativa.
    J o deputado Antnio Jlio (PMDB) afirmou que a fiscalizao tributria e ambiental do Estado est prejudicando os empresrios, e que novos empreendimentos j deixaram de vir para Minas Gerais devido alta tributao. O deputado Svio Souza Cruz defendeu a criao de uma comisso permanente de minerao e metalurgia na Assemblia Legislativa. Ele disse que a idia foi bem recebida pelo presidente da Casa, mas que este no o momento ideal para a mudana.
    Presenas - deputados Svio Souza Cruz (PMDB), presidente; Fbio Avelar (PSC), vice-presidente; Incio Franco (PV); Wander Borges (PSB); Antnio Jlio (PMDB); Padre Joo (PT); Djalma Diniz (PPS); Doutor Viana (DEM); Hely Tarqinio (PV).



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________
    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 25, 2007

    O mdico barbacenense, Jlio Csar de Andrade - filho do nosso amigo o vereador Amarlio de Andrade - recebeu das mos do governador Acio Neves, a Medalha Santos Dumont, esta semana na Fazenda-Museu de Cabang. Parabns dr. Jlio, presidente do Ncleo de Combate ao Cncer de Barbacena, do qual temos a honra de ser conselheiro. Na foto abaixo, do barbacenaonline, o casal mdicos Irina, nossa prima da famlia Amaral e Jlio Csar, com lindo filhinho de 1 ano de idade, o Julinho.




    O pequeno Jlio na festa para crianas com seus pais,
    os mdicos Irina Coelho e Jlio Csar Andrade





                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 25, 2007

    Governador Acio recebido pelo deputado federal, Luiz Fernando Faria, para almoo em sua fazenda em Santos Dumont, depois da entrega da Medalha Santos Dumont em Cabang. Foto e texto do colunista Csar Romero da Tribuna de Minas de Juiz de Fora.

                                                         
    O secretrio Danilo de Castro, o presidente da Assemblia Legislativa Alberto Pinto Coelho, Mrio Negromonte, Ciro Nogueira, governador Acio Neves, Jos Otvio Germano, Joo Leo e o deputado Luiz Fernando Faria, anfitrio, aps a entrega da Medalha Santos Dumont, de um almoo em sua fazenda, que reuniu a alta cpula nacional do PP


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 25, 2007

    PINGA FOGO! Plenrio da Assemblia de Minas cria Comisso Especial que vai passar a limpo contratos de muturios da COHAB; O pedido foi feito da tribuna, durante o PINGA FOGO, pelo deputado Iran Barbosa.

    Os deputados aprovaram, na Reunio Ordinria de Plenrio desta quarta-feira (24/10/07), requerimento dos deputados Irani Barbosa (PSDB) e Dinis Pinheiro (PSDB) pedindo a criao de uma Comisso Especial na Assemblia Legislativa de Minas Gerais para analisar os contratos entre muturios e a Companhia de Habitao do Estado de Minas Gerais (Cohab).

    Segundo o deputado Irani Barbosa, existe uma lei federal de dezembro de 2000, sancionada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, dando direito de quitao aos muturios que compraram imveis antes de 1987. S que at hoje, milhares de muturios no tiveram o direito reconhecido pela Cohab e continuam pagando as prestaes sem necessidade. "Desde ento vrios presidentes passaram pela Compahia de Habitao e simplesmente negligenciaram a situao dessas pessoas. E o pior, em um conjunto habitacional em Matozinhos, tem gente sendo despejada, mesmo sendo amparada por esta lei", afirmou indignado.

    Para Irani Barbosa, a Comisso Especial vai fazer algo que a Cohab no fez, embora fosse de sua obrigao: rever um por um dos contratos, buscar aqueles que tm o direito quitao e, principalmente, devolver o dinheiro a quem pagou a mais. "A Cohab virou um banco, na direo da companhia est uma equipe de banqueiros que s pensa em saquear os muturios", acrescentou.

    Cefet - A deputada Elisa Costa (PT) foi tribuna para elogiar o governo federal, que dobrou os investimentos na ampliao da rede dos Centros Federais de Educao Tecnolgica (Cefets). De acordo com a lder do PT, o ano de 2007 ser encerrado com a construo de 79 unidades, e outras 80 escolas sero inauguradas em 2008. Alm de ressaltar a importncia do ensino tcnico no Pas, a parlamentar lembrou ainda investimentos de infra-estrutura a serem feitos em bairros pobres de Governador Valadares por meio do Programa de Acelerao do Crescimento (PAC). A deputada Elisa Costa (PT) foi tribuna para elogiar o governo federal, que dobrou os investimentos na ampliao da rede dos Centros Federais de Educao Tecnolgica (Cefets). De acordo com a lder do PT, o ano de 2007 ser encerrado com a construo de 79 unidades, e outras 80 escolas sero inauguradas em 2008. Alm de ressaltar a importncia do ensino tcnico no Pas, a parlamentar lembrou ainda investimentos de infra-estrutura a serem feitos em bairros pobres de Governador Valadares por meio do Programa de Acelerao do Crescimento (PAC).

    Judicirio - O deputado Ivair Nogueira (PMDB), por sua vez, pediu mudanas na estrutura do Poder Judicirio mineiro e criticou a morosidade da justia. "Belo Horizonte, por exemplo, tem 34 varas cveis, com um total de155.408 processos, ou seja, um nico juiz tem que dar conta de mais de 4 mil processos, o que humanamente impossvel", argumentou. Ivair Nogueira apelou ao Tribunal de Justia para que aceite ou pelo menos concorde em discutir as emendas parlamentares ao projeto de lei em tramitao na Assemblia que trata da organizao e diviso judicirias. O deputado Ivair Nogueira (PMDB), por sua vez, pediu mudanas na estrutura do Poder Judicirio mineiro e criticou a morosidade da justia. "Belo Horizonte, por exemplo, tem 34 varas cveis, com um total de155.408 processos, ou seja, um nico juiz tem que dar conta de mais de 4 mil processos, o que humanamente impossvel", argumentou. Ivair Nogueira apelou ao Tribunal de Justia para que aceite ou pelo menos concorde em discutir as emendas parlamentares ao projeto de lei em tramitao na Assemblia que trata da organizao e diviso judicirias.

    Ele lembrou ainda que, nesta quarta-feira, deputados do PMDB e representantes da Associao de Magistrados Mineiros (Amagis) fizeram uma reunio onde foram discutidas a possibilidade da contratao de um assessor direto para cada juiz, o concurso para juzes leigos temporrios e a adoo de vigilncia armada para dar mais segurana a servidores e magistrados nos fruns.

    So Francisco - O deputado Paulo Guedes (PT) mostrou-se indignado com a degradao do Rio So Francisco, que est prejudicando a populao ribeirinha. "As pessoas no podem pescar, nadar, nem utilizar a gua para nada. bom lembrar que, em muitas regies do Estado, a populao s tem a gua do So Francisco para beber. Mas parece que Januria, Manga e o Norte no fazem parte do Estado, pois ningum se preocupa. Mas eu no vou ficar calado vendo a populao ribeirinha morrendo mngua", afirmou. Para Paulo Guedes, grande parte da responsabilidade da Copasa, que no toma providncias em relao ao esgoto de Belo Horizonte, que cai no Rio das Velhas e acaba indo parar no So Francisco. O deputado Paulo Guedes (PT) mostrou-se indignado com a degradao do Rio So Francisco, que est prejudicando a populao ribeirinha. "As pessoas no podem pescar, nadar, nem utilizar a gua para nada. bom lembrar que, em muitas regies do Estado, a populao s tem a gua do So Francisco para beber. Mas parece que Januria, Manga e o Norte no fazem parte do Estado, pois ningum se preocupa. Mas eu no vou ficar calado vendo a populao ribeirinha morrendo mngua", afirmou. Para Paulo Guedes, grande parte da responsabilidade da Copasa, que no toma providncias em relao ao esgoto de Belo Horizonte, que cai no Rio das Velhas e acaba indo parar no So Francisco.

    O deputado tambm no poupou a Cemig ao criticar a companhia energtica por no fazer ligaes que permitiro o funcionamento de dezenas de poos artesianos no Norte do Estado. "J fizemos uma reunio em Montes Claros e um diretor da Cemig prometeu resolver o problema, mas at agora nada. Est tudo pronto, mas a populao est sem gua por falta de energia. Um absurdo!", reclamou. Em aparte, o deputado Antnio Jlio (PMDB) concordou com o colega e classificou como "caso de polcia" o descaso da empresa.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 25, 2007

    Ateno EMPRESARIADO. Vale conferir notcia enviada ao nosso BLOG DE NOTCIAS pelo escritrio de advocacia DPimenta & Advogados Associados.

    NORMA DA RECEITA FEDERAL LIMITA DEDUO DO FRETE NO PIS E NA COFINS




     

    Em mais uma medida arbitrria a Receita Federal do Brasil, por meio de uma soluo de divergncia da Coordenao Geral do Sistema de Tributao (Cosit),  determinou que o frete relativo a transporte entre o estabelecimento e as instalaes da pessoa jurdica no pode ser deduzido dos 9,25% da contribuio ao Pis e da Cofins.



     

    Esse tipo de norma exarada pela Receita Federal quando duas ou mais regies fiscais possuem opinies divergentes em consultas de contribuintes sobre o mesmo tema.



     

    A soluo de divergncia representa a interpretao oficial da Receita Federal que deve ser aplicada a todas as empresas e seguida pela fiscalizao.



     

    Todavia, esse ato da administrao pblica manifestamente ilegal e inconstitucional na medida em que fere importantes princpios e regras de nosso ordenamento jurdico, precipuamente o princpio da legalidade.



     

    Isto porque a legislao que rege o Pis e a Cofins no cumulativos, Lei 10637/02 e 10833/03, respectivamente, permitem descontar crditos sobre mercadorias, bens e servios adquiridos para utilizao no processo e comercializao, sem restries no o que se refere ao frete.



     

    Porm, a Receita Federal aceita apenas o crdito do Pis e da Cofins pago no transporte de produtos acabados, destinados aos clientes, no computando o crdito no deslocamento da mercadoria dos estabelecimentos industriais para os distribuidores da mesma empresa.



     

    Nesse sentido, sobremodo afirmar que um ato administrativo que probe direitos anteriormente previstos em lei manifestamente inconstitucional, por violao aos princpios da legalidade e da hierarquia das leis. 



     

    O princpio da legalidade, que no seu sentido geral determina que "ningum ser obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa seno em virtude de lei" (Constituio Federal, artigo 5, II) representa uma forma de se dar segurana jurdica aos integrantes da sociedade. Ele assegura que os deveres dos cidados devem estar, necessariamente, previstos em lei.



     

    Desta feita, as empresas oneradas com o ato fiscal assinalado podem ingressar no judicirio com uma medida judicial para resguardar o seu direito utilizao do crdito de Pis e Cofins decorrente do frente no transporte de mercadorias entre estabelecimentos da mesma empresa.  

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 25, 2007

    INCLUSO CULTURAL. Centro de Arte Contempornea Inhotim, em Brumadinho, faz 1 ano e recebe governador de Minas Acio Neves.









                                Governador anuncia novas parcerias com o museu Inhotim

     









    Wellington Pedro/Imprensa MG

    O governador Acio Neves participou, nesta quarta-feira (24), das comemoraes de um ano da abertura oficial ao pblico do Centro de Arte Contempornea Inhotim, em Brumadinho, na Regio Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Durante a visita, o governador anunciou que o Governo de Minas ir ampliar suas parcerias com o centro cultural e ir garantir melhorias na infra-estrutura de acesso ao local com a pavimentao da estrada de acesso ao museu. So cinco quilmetros que ligam a cidade de Brumadinho a Inhotim. O centro de arte completou um ano com 110 mil visitantes e est entre os mais visitados do Brasil.


     J autorizei a licitao para que rapidamente, dentro dos prazos legais, seja iniciada essa obra. Existem outras demandas na rea da cultura, da educao, na rea cientfica e a orientao que o governo esteja se reunindo, a partir de agora, mais periodicamente, com o Conselho Curador para que essas demandas possam ser por ns tratadas com absoluta prioridade, disse o governador, em entrevista.


    Outra parceria que ser firmada em breve entre o Governo de Minas e a direo do Centro de Arte Contempornea que ir possibilitar o aumento de visitas de alunos de escolas pblicas ao local. No primeiro ano de funcionamento, o museu atendeu 25 mil alunos de 232 escolas privadas e pblicas da Grande Belo Horizonte. Na rea cultural tambm j esto em curso parcerias que permitem a elaborao e a publicao de documentos relativos ao acervo que est em exposio.


    A Fapemig, nossa Fundao de Amparo Pesquisa, que agora passa a receber pela primeira vez na sua histria, aquilo que determina a nossa Constituio, 1% das receitas do Estado, poder construir tambm parcerias extremamente importantes nessa rea, afirmou o governador.


    Museu


    Inhotim hoje o maior museu de arte contempornea do Brasil, com um acervo de 300 obras de mais de 60 artistas. Pintura, escultura, desenho, fotografia, vdeo e instalaes de renomados artistas brasileiros e internacionais so exibidos em galerias espalhadas pelo parque botnico. O Parque Ambiental de Inhotim dedicado quase em sua totalidade s espcies ornamentais raras do Brasil e do mundo.


    Inhotim o nico no Brasil, pela dimenso da obra e pela capacidade de conjugar um extraordinrio acervo paisagstico ns estamos aqui revisitando Burle Marx com um acervo cultura absolutamente extraordinrio. Por isso, as parcerias devem se dar em toda ordem, no campo poltico, no campo pblico e tambm no campo privado, definiu Acio Neves em seu discurso.


    muito importante que o setor privado continue apoiando, continue de alguma forma at mesmo patrocinando alguns novos investimentos, j que Inhotim j hoje uma referncia extraordinria, mas um projeto ainda em andamento. Existem outras etapas muito importantes que precisam ser construdas e, no limite da responsabilidade do poder pblico, ns vamos cumprir o nosso papel, garantiu.


    Turismo


    O governador Acio Neves destacou ainda a importncia de locais como Inhotim para o crescimento do turismo em Minas Gerais e lembrou que as cidades mineiras j so o segundo destino mais procurado no Brasil.


    Essa conjuno do acervo paisagstico, ambiental, cultural algo nico no em Minas, no no Brasil. nico no mundo. E com essa dimenso, da importncia que hoje Inhotim tem para o Brasil, mas para Minas em especial, no momento em que o Estado resolve ter uma nova compreenso no que diz respeito ao turismo, no apenas como atividade geradora de riqueza, que o de forma muito expressiva, mas como muitas outras cujo investimento, muitas vezes, maior do que aqueles que se faz no turismo. Ns temos em Minas, hoje, a compreenso de que o turismo pode ser extraordinariamente pedaggico na preparao das novas geraes para os desafios do futuro, definiu o governador.


    Alm da importncia para o turismo, Acio Neves tambm destacou que o museu tem grande relevncia para a cultura de Minas.


    Minas sempre foi um estado com uma forte base cultural. Grande parte do nosso acervo histrico brasileiro, o barroco em especial, est em Minas Gerais. Mas eu vejo hoje Inhotim como o sucedneo natural daquela primeira grande viso que ns tivemos no ltimo sculo, de respeito s artes e cultura em Minas Gerais. Hoje, Inhotim permite o renascimento de Minas, no apenas como o Estado da histria, do respeito cultura, mas o Estado que se coloca na vanguarda no que diz respeito contemporaneidade das artes no Brasil. E talvez, s Minas teria condies de conceber algo to grandioso e de forma to singela, definiu.


    Participaram das comemoraes em Inhotim a secretaria de Cultura, Eleonora Santa Rosa, o presidente do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), Paulo Paiva, alm de empresrios e artistas.




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 24, 2007

    Imagem do dia. Vem do Rio, aonde o Rebouas est interditado por causa de um deslizamento de terra. Para voc que vai ao Rio, principalmente se empresrio e/ou executivo, fica o alerta!

                  










    Prefeitura do RJ/Divulgao    
      Deslizamento de terra interdita o tnel Rebouas, principal ligao entre as zonas norte e sul do Rio de Janeiro.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 24, 2007

    O escndalo do LEITE. O deputado estadual Vanderlei Miranda, PMDB, teve o faro fino e certo. Deu entrevista ao programa Viso Parlamentar da TV Assemblia, a poucos dias e disse: temos indcios de que muito produto qumico est sendo colocado no nosso leite do dia-a-dia. A informao, segundo ele, poca, veio de um pesquisador da UFMG, aonde o parlamentar esteve em busca de informaes sobre impurezas no leite.

                       

      
    E esta semana veio a bomba: na regio sudoeste e tringulo mineiro, em Uberaba, foi comprovado, segundo as autoridades que investigam o assunto, produtos txicos como gua sanitria no leite. 
    Com isso j tem parlamentar estadual defendendo nas conversas em off, a instalao de  uma CPI para apurar em profundidade a situao do leite em Minas.
    Que saudade do tempo do caf com leite na poltica brasileira. Uma poca de caf puro e leite puro de Minas e de So Paulo.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 24, 2007

    O COLRIO desta quarta-feira, vem mais uma vez, da coluna do Csar Romero da Tribuna de Minas de JF. Confira!

                                                           
                                                          Natlia Rano clicada no Privilge


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    OI, em primeira mo. A maior operadora de telefonia celular do pas, a OI, cujo faturamento anual de 15 bilhes de reais compra a Way TV.

    Agora, a operadora, que tem sede no Rio de Janeiro, com um brao operacional emMinas - ela deriva da privatizao da Telemig, virou Telemar e hoje OI, amplia sua participao no mercado brasileiro de comunicao.  Tem 15 milhes de usurios mveis (celular). E com a autorizao pela Anatel para comprar a Way TV, torna-se uma empresa chamada de Quadriplay (dados+fixo+mvel+TV). Fica ainda mais poderosda, j que agora adquiriu tambm a rea de TV a cabo Way. A OI opera ainda no enorme mercado paulista.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    Assista hoje, tera-feira, s 22horas na TV Assemblia. O entrevistado o cientista poltico FBIO CALDEIRA.











    Mundo Poltico

    O programa desta tera-feira (23) apresenta entrevista com o cientista poltico Fbio Caldeira e o secretrio de poltica social da CUT/MG. Caldeira fala sobre a fidelidade partidria para os cargos majoritrios e a expectativa do Congresso para a prxima quinta-feira, quando o TSE divulga resoluo sobre as novas regras eleitorais. O Mundo Poltico vai ao ar s 22h, com reapresentao , s 8h e 13h.







    Comentrios

    #1. Fbio Caldeira - (fabio22222@hotmail.com)
    Amigo Joo Carlos. Obrigado pela divulgao e parabns pelo blog, bem estruturado e fcil de ler.
    Grande abrao
    Fbio




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    GIRO PELO INTERIOR. Destaque para Juiz de Fora. Nota vem do jornal Tribuna de Minas.






    Antnio Olavo Cerezo 22/10/07
     

    MEDALHA SANTOS DUMONT
    Acio confirma incio de obra
    de acesso ao Aeroporto Regional

    O governador Acio Neves garantiu, ontem, o incio das obras do novo acesso ao Aeroporto Regional da Zona da Mata em 2008. Em Santos Dumont, onde participou da entrega de medalhas, ele ressaltou a necessidade de permanncia da Infraero em Goian para que, to logo o acesso seja melhorado, existam condies para outros vos.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    TROPA DE ELITE AQUI. O Artigo Especial vem do deputado Sargento Rodrigues do PDT. Confira!

                                                                      TROPA DE ELITE EST AQUI!
                                                                                 *Sargento Rodrigues

















    Blog Imagem


    O filme tropa de elite chegou como se fosse uma avalanche para todo o Pas, isso porque mostrou a dura realidade cotidiana dos brasileiros que moram no Estado do Rio de Janeiro. Se solicitssemos Rede Globo de televiso algumas das vrias matrias feitas ao longo destes ltimos quinze anos, qualquer um de ns conseguiria, mesmo que de forma amadora, fazer um documentrio semelhante Tropa de Elite, especialmente no que diz respeito s trocas de tiro.
    O "tsunami" de perplexidade e ao mesmo tempo de satisfao que percebido naqueles que assistem ao filme , nada mais nada menos, que uma dose concentrada de realidade, que a grande maioria dos brasileiros ignoram dia a dia em sua rotina frentica, comum aos grandes centros urbanos.
    Ningum tem dvida do belo trabalho realizado pelo diretor Jos Padilha, que conseguiu, de forma mgica, transformar a realidade diria e envi-la para as grandes telas do cinema brasileiro. O grande trunfo deste longa metragem est exatamente na capacidade de seus criadores de traduzirem, de forma muito fidedigna, a realidade sobre os criminosos que comandam o trfico de drogas e o embate constante de parte da Polcia, que sente orgulho em ser e fazer polcia.
    Por outro lado, mostrada de maneira cristalina a relao e o grau de responsabilidade que cada cidado tem quando enrola um "baseado" ou "d uns tirinhos" no p branco, conhecido por cocana. Tambm, na outra ponta e na contra mo, a dura realidade, principalmente da parte corrupta da PM carioca, envolvendo do soldado ao mais alto posto da instituio, o cargo de coronel.
    Para ilustrarmos nossa afirmativa quanto realidade e atualidade do assunto em pauta, reproduzo trecho da matria publicada pela revista Veja, em sua edio de 28 de maio de 2003. A reportagem mostra o absurdo ao qual chegaram os nveis de corrupo e promiscuidade da poltica no Rio de janeiro, dando a uma dimenso de como, ao longo de anos, o poder pblico fingiu que estava fazendo segurana pblica naquele Estado. O tenente coronel Eirir Ribeiro Costa Filho, ao passar o comando do batalho, acusou seus superiores de estarem atendendo a interesses polticos com seu afastamento.
    "Segundo o comandante, o deputado estadual e secretrio de Esportes, Chiquinho da Mangueira, pediu que a PM parasse de incomodar os bandidos, "tendo em vista que os traficantes estavam acuados e no estariam vendendo nada"".
    H muitos anos temos assistido s trocas de tiros entre traficantes e a polcia carioca que, em algumas vezes, acontecem no asfalto. Sem contar quantas vezes ouvimos e assistimos matrias televisias mostrando os criminosos fazendo blitz na boca dos tneis cariocas, assaltando luz do dia, numa total afronta ao Estado democrtico de direito, estabelecendo, sim, o chamado Estado Paralelo.
    Passadas as cenas do filme, lembramos que estamos em Minas Gerais e que, graas a Deus e muita perseverana, dedicao e amor profisso, nossa polcia mineira no pode e no deve ser comparada quela banda podre que assistimos em Tropa de Elite.
    Para finalizar este artigo, novamente tenho que chamar os mineiros ao exerccio de memria. Sabem por que aqui em Minas os bandidos no ocuparam as favelas com armas de grosso calibre, impondo o terror? Porqu a maioria absoluta de nossa polcia honesta, sria, respeita o cidado e combate o crime com vigor.
    muito fcil para o policial ser corrupto ou optar por apenas patrulhar o asfalto, longe do problema, do embate; muito fcil apenas redigir o Boletim de Ocorrncia e entregar na delegacia, sem se preocupar em desarmar o criminoso. mais fcil para o policial cumprir apenas seu turno de servio, sem compromisso com a sociedade, principalmente num Pas onde o que no falta defensores de bandidos. Para qu correr o risco de morrer em troca de tiros sabendo que poderia ganhar o mesmo que o outro que ficou sentado atrs da mesa? Mas, em Minas Gerais diferente! Mesmo ganhando pouco, mesmo enfrentando todas as intempries da profisso, o policial aqui pensa diferente, age diferente e tem compromisso com a sociedade.
    O cidado precisa aproveitar este surto de lucidez para cobrar de nossas autoridades constitudas um rigor no combate corrupo policial, uma poltica de segurana pblica sria e consistente, sem maquilagem e sem marketing, valorizando os bons policiais com salrios dignos, o que ainda no acontece em Minas, e tambm buscar uma legislao penal que trate bandido como bandido deve ser tratado.
    Por ltimo, devo salientar que, depois de ver o filme por trs vezes, percebo que naquelas condies de enfrentamento urbano no h como discutir o bvio; no h outra forma de combater o crime seno o enfrentando com o devido rigor. Conhecendo as polcias mineiras como eu conheo, principalmente a Militar, corporao na qual tive a honra de servir durante quinze anos, e por todas as suas qualidades, posso afirmar, sem medo de errar, que a tropa de elite esta aqui!

                                                *Deputado Estadual Sargento Rodrigues PDT
                                   Ps Graduado em Criminalidade e Segurana Publica pela UFMG
                                           Presidente da Comisso de Segurana Pblica da ALMG




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    Rosa "VNIA" de Barbacena - Zona das vertentes - faz sucesso em Feira em Holanda ( Europa). Notcia vem do barbacenaonline.










    O presidente da Nirp International, Maurcio Torres, afirmou que, este ano, na Hortifair da Holanda o maior mercado e feira de flores do mundo, em que giram bilhes de euros a rosa mais apreciada foi uma espcie cultivada experimentalmente em Barbacena. Trata-se da "Vnia", rosa de mdia textura e colorao rosa com pigmentaes ao tom de bordeaux.

    Divulgao









    A rosa "Vnia"






    Um dos maiores plantadores de Barbacena, Jair Marciano, confirmou a durabilidade e a qualidade deste produto. Jair est produzindo essa espcie juntamente com outra gama de variedades e afirmou ter a inteno de plantar mais ou menos 30.000 ps, assim que a comercializao estiver certa no mercado europeu. A visita Colmbia, no ano passado, para estudar a exportao para Rssia e Estados Unidos, comeou a dar resultados, pois os dois pases j esto batendo porta.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    ESTA VOC s vai ler nos jornais AMANH! Ex-presidente do Mxico est em BH. AGORA a pouco, esteve no Palcio das Mangabeiras para uma conversa com o governador de Minas.









                           Acio Neves recebe o ex-presidente do Mxico Vicente Fox

     











    Omar Freire/Imprensa
     

    O governador Acio Neves se reuniu, nesta tera-feira (23), no Palcio das Mangabeiras, o ex-presidente do Mxico Vicente Fox, que est em Belo Horizonte para participar de um seminrio.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    MINAS SAI NA FRENTE. Usina de lcool ALVORADA (fica no municpio de Arapor no Tringulo Mineiro), recebe hoje, em So Paulo no Grand Hyatt Hotel, o prmio MASTERCANA BRASIL. Estaro presentes, o presidente do Siamig/Sindacar, LUIZ CUSTDIO Cotta Martins, diretores de outros sindicatos do setor sucroalcooleiro, prestigiando a Usina Alvorada pela conquista do importante prmio.


    USINA ALVORADA CONQUISTA PRMIO NACIONAL  DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2007
    A Usina Alvorada Acar e lcool, de Arapor (Tringulo Mineiro), associada ao Sindicato da Indstria do Acar e do lcool de Minas Gerais (Siamig/Sindacar-MG) a vencedora da premiao mais importante do setor sucroalcooleiro, o MasterCana Desempenho 2007 Brasil, na categoria "Responsabilidade Social". Ela participou da Pesquisa UniEthos de Indicadores de Responsabilidade Social Empresarial, realizada em conjunto pela Unio da Indstria de Cana-de-acar (Unica) e o Instituto Ethos, ficando com nota acima da mdia das usinas participantes. Os investimentos anuais em projetos de Responsabilidade Social e benefcios para os funcionrios somam mais de R$ 3 milhes.
    O presidente da Usina, Alexandre Franceschi, diz que este prmio reflete as aes de responsabilidade social realizadas na empresa no ano de 2006, comprovadas na publicao do Relatrio de Sustentabilidade 2006 e Conquista do Selo Ibase 2007 (.Instituto Brasileiro de Anlises Sociais e Econmicas (Ibase). "Este prmio simboliza a transparncia das nossas aes de RSE, sendo nossa empresa pioneira na premiao dessa categoria no Estado", afirma.
    Desde 2004, a Usina Alvorada possui o Selo Ibase, concedido para empresas que combatem a fome e a desigualdade social, incluindo as reas de educao, cultura, meio ambiente, entre outras. Em 2007, apenas cinco usinas conquistaram o Selo Ibase, entre elas a Alvorada. Pelo segundo ano consecutivo, a empresa publica o Relatrio de Sustentabilidade, mostrando a transparncia em suas aes. A usina possui tambm o Selo Abrinq de "Empresa Amiga da Criana" desde 2001.   
    Destaques
    Um dos destaques das aes sociais desenvolvidas pela Alvorada "Projeto V Amlia", que atende 170 crianas com necessidades de incluso social na faixa de sete a 15 anos, na cidade de Arapor, MG, com aulas de dana, informtica, coral, escolinha de futsal e programa de preveno a drogas, entre outras atividades. Outro projeto o "Vida Equilibrada", que orienta as famlias das comunidades no controle do oramento familiar. O "De Bem com a Vida" executa palestras em escolas e na comunidade, orientando os jovens e adolescentes quanto aos malefcios do uso de drogas. Tem tambm o "Programa Sentinela", que uma parceria com a Prefeitura de Itumbiara no combate explorao sexual infantil e agresso s mulheres. J o "Projeto Vermelho" recuperao de 303 alqueires de rea degradada na construo da Hidreltrica de Furnas em Itumbiara (GO), e Arapor (MG).
    A Alvorada vai receber o Prmio MasterCana Brasil no dia 23 de outubro, no Grand Hyatt Hotel, em So Paulo, juntamente com outras unidades e grupos produtores de acar e lcool, instituies ligadas ao setor sucroalcooleiro, personalidades de destaque, empresas fornecedoras de produtos, equipamentos e servios. A cerimnia ser realizada durante o encerramento da VII Conferncia Internacional Datagro, que acontecer no mesmo local, nos dias 22 e 23, na semana do Sugar Dinner, numa promoo da empresa ProCana.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    MEDALHA SANTOS DUMONT. Na solenidade na Fazenda de Cabang, os governadores de Minas, Acio Neves e do Esprito Santo, Paulo Hartung, defenderam uma reviso do Pacto Federativo. Vejamos os detalhes na cobertura do site do governo: www.mg.gov.br









                                 Acio Neves preside solenidade da Medalha Santos Dumont

     









       

    Wellington Pedro/Imprensa MG

    O governador Acio Neves presidiu, nesta segunda-feira (22), em Santos Dumont, na Zona da Mata, a solenidade de entrega da Medalha Santos Dumont. Em seu discurso, o governador destacou a urgncia da aplicao de mudanas que contribuiro para o aumento da eficincia do servio pblico no pas. O orador oficial da cerimnia, Paulo Hartung, governador do Esprito Santo, tambm cobrou uma reviso do pacto federativo. Os dois lembraram que muitos estados brasileiros vm realizando esforos nos ltimos anos para dar qualidade ao gasto dos recursos pblicos.


    O esforo de modernizao da mquina pblica no hoje um privilgio de Minas. Se olharmos pelo Brasil inteiro, encontraremos expressivos exemplos de um novo modelo de uma nova compreenso do que o setor pblico, do que a vida pblica espalhados por esse pas inteiro, disse Acio Neves, em seu discurso. Estou certo de que a nossa gerao dar sua contribuio para a realizao das grandes mudanas que o povo vem exigindo nas ruas, desde a memorvel campanha pela redemocratizao e as eleies diretas, em 1984, completou.
    Pacto federativo
    Acio Neves cobrou a reviso do pacto federativo, para que estados e municpios recuperem suas capacidades de investimento, melhorando a qualidade dos servios pblicos prestados populao.
    Os mineiros estaro unidos na busca de um projeto de nao que assegure o retorno ao pacto federativo da Repblica, a fim de que o desenvolvimento econmico beneficie todas as regies do pas, como quis JK, ao criar a Sudene. Mas de nada valer uma Repblica forte em suas instituies, se o povo no dispuser de boas escolas para seus jovens, boa assistncia sade e oportunidades iguais para todos, afirmou.
    O governador do Esprito Santo, Paulo Hartung, tambm cobrou maior diviso de recursos do governo federal com estados e municpios. Ele acredita que a oferta de servios pblicos de qualidade est diretamente ligada ao pacto federativo e redefinio de fontes de financiamento.
    O desafio da reconstruo do servio pblico nacional est ligada a uma questo desafiadora no nosso pas: reestruturao do pacto federativo. mais que urgente a atribuio clara e racional de competncias assim como a fixao das fontes de financiamento com relao ao papel de cada ente federado no nosso pas, disse Hartung.
    Ciclo de Desenvolvimento
    Acio Neves afirmou que o pas necessita buscar um novo ciclo de desenvolvimento a partir novas polticas capazes de diminuir as desigualdades sociais e econmicas do pas.
    Cansamos de contar dcadas e mais dcadas perdidas. hora de fazer o que precisa ser feito, para oferecer aos brasileiros um novo ciclo de desenvolvimento e democratizao das oportunidades. Precisamos mais do que nunca inovar. Buscar novas solues para antigos problemas, disse.
    O governador lembrou que, em Minas Gerais, a reforma administrativa realizada desde 2003, a partir da implementao do Choque de Gesto, tem sido reconhecida como um exemplo por vrios outros estados brasileiros.
    Aqui, ombro a ombro com a populao, aceitamos o desafio da transformao da realidade compartilhando responsabilidades, decises, esforos e mritos. E confirmamos, todos os dias, o acerto dessa postura. Nunca avanamos tanto. E nunca nos preparamos para acolher, de forma to concreta, a chegada do futuro, disse.
    Santos Dumont
    A cerimnia de entrega da Medalha Santos Dumont realizada na Fazenda Cabangu, onde o aviador nasceu. A comenda foi criada em 1956 e comemora o primeiro vo com uma aeronave mais pesada do que ar, em 23 de outubro de 1907, realizado por Santos Dumont. Neste ano, foram entregues mais de 200 medalhas para personalidades de diversas reas que contriburam para o desenvolvimento e o progresso do Brasil. A comenda dividida nos graus bronze, prata e ouro.
    O governador chegou Fazenda Cabangu acompanhado de Paulo Hartung e foi recepcionado com uma apresentao da Guarda de Honra da Escola Preparatria de Cadetes do Ar. Acio Neves foi recebido pelo ministro das Cidades, Mrcio Fortes, pelo presidente do Tribunal de Justia de Minas Gerais, Orlando Ado de Carvalho, pelo presidente da Assemblia Legislativa de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, pelo procurador geral de Justia, Jarbas Soares Jnior e pelo prefeito de Santos Dumont, Evandro Nery.
    Em seu discurso, o governador lembrou da importncia de Santos Dumont para a modernizao da humanidade. Por sua genialidade e sua contribuio modelagem do novo mundo, Alberto Santos Dumont ser sempre uma referncia na histria de Minas e na histria deste Pas, como o na histria do mundo moderno. daqueles poucos que, de tempos em tempos, singularmente aparecem para oferecer um marco novo ao processo civilizatrio. Depois dele, nada e nem um s homem foram e fomos os mesmos, definiu.
    Entre os agraciados estavam o presidente da Assemblia Legislativa de So Paulo, deputado Jos Carlos Vaz de Lima, o presidente da Assemblia Legislativa de Minas Gerais, deputado Alberto Pinto Coelho, o deputado federal Jos Otvio Germano (RS) e os secretrios de Estado de Defesa Social, Maurcio Campos Jnior, e da Agricultura, Gilman Vianna. Tambm estiveram presentes solenidade os secretrios de Estado de Governo, Danilo de Castro, e de Cultura, Eleonora Santa Rosa.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    Vem a, at o final do ano, uma homenagem especial memria do ex-Embaixador Jos Aparecido de Oliveira, que morreu recentemente.

    Quem recolheu as assinaturas hoje tarde no plenrio JK, foi o deputado Carlos Mosconi, do PSDB de Poos de Caldas. Mosconi foi secretrio de Sade do ento governador de Braslia, Z Aparecido. 
    Parabns do nosso BLOG DE NOTCIAS ao deputado Mosconi pela iniciativa, que garanto, vai lotar o plenrio da Assemblia Mineira, quando a reunio especial foi realizada em novembro ou em meados de dezembro, antes do recesso parlamentar.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. Homenagem CEMIG lotou o plenrio da Assemblia de Minas na noite de segunda-feira.

     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    CEMIG recebe homenagem do Parlamento Mineiro. Foi ontem noite. Entre os presentes um convidado especial. O ex-governador de Minas Francelino Pereira.

    A incluso pela oitava vez consecutiva da Companhia Energtica de Minas Gerais (Cemig) no ndice Dow Jones de Sustentabilidade, que avalia empresas de todo o mundo; e sua escolha como lder mundial no supersetor de utilidade pblica ("utilities"), que engloba empresas prestadoras de servios, foi motivo de homenagem da Assemblia Legislativa de Minas Gerais empresa. Para tanto, foi realizada Reunio Especial de Plenrio, nesta segunda-feira (22/10/07), requerida pelo deputado Jayro Lessa (DEM).
    O ndice Dow Jones de Sustentabilidade realiza uma avaliao das empresas de todo o mundo, levando em considerao seus resultados econmicos e a preocupao com o meio ambiente e programas sociais. Atualmente, o ndice considerado um dos indicadores de maior confiabilidade mundial, e tornou-se referncia importante para investidores e administradores que se baseiam em sua performance para tomar decises de investimento. Alm de se manter no ndice j h oito anos como a nica empresa do setor eltrico a fazer parte da lista internacional, a Cemig foi selecionada, este ano, como a lder mundial no supersetor de utilidade pblica, que engloba as empresas prestadoras de servio de energia eltrica, distribuio de gs, saneamento e outros servios de utilidade pblica.
    O presidente da Cemig, Djalma Bastos de Morais, afirmou que apenas 16 empresas de todo o mundo so eleitas lderes de um supersetor. "Permanecemos com esse reconhecimento internacional porque, apesar de todas as adversidades de um pas em desenvolvimento, somos capazes de criar valor para os acionistas em longo prazo, conseguindo aproveitar as oportunidades e gerenciando os riscos associados a fatores econmicos, ambientais e sociais", destacou.
    Djalma Bastos de Morais lembrou que, alm dos resultados econmicos alcanados, fundamental para a sua incluso no ndice os programas ambientais e sociais desenvolvidos pela empresa. Entre os programas ambientais, ele destacou a preocupao da Cemig com a qualidade da gua das represas e rios e com a preservao da natureza, por meio do desenvolvimento de aes de reflorestamento. J entre os programas sociais, ele ressaltou que a empresa a concessionria com o maior nmero de consumidores tarifados como baixa renda. Segundo ele, so mais de dois milhes de consumidores residenciais, ou seja 35% do total de clientes atendidos, que recebem subsdios de at 77%.
    Deputados destacam importncia nacional da empresa
    O presidente da ALMG, deputado Alberto Pinto Coelho (PP), lembrou a importncia e abrangncia que a Cemig possui no territrio brasileiro. De acordo com ele, a empresa atua em 12 estados brasileiros e no Chile, sendo responsvel pela maior rede de distribuio de energia eltrica da Amrica Latina.
    Alberto Pinto Coelho lembrou que a Cemig foi concebida e inaugurada por Juscelino Kubitscheck, mas, ao entrar no mercado internacional, cumpriu um trajeto que no era possvel prever. "No momento em que Juscelino Kubitscheck a criou, para possibilitar seu programa de modernizao e expanso do parque industrial mineiro, nosso maior estadista no poderia imaginar at onde caminharia sua criatura", destacou.
    O deputado Jayro Lessa tambm ressaltou a importncia da empresa no territrio nacional e em Minas Gerais. Segundo ele, a empresa responsvel direta pela melhoria da qualidade de vida da populao, por meio dos servios e programas oferecidos a seis milhes de consumidores. "Seu esforo em prol do desenvolvimento socioeconmico de Minas Gerais percebido em vrios programas, como o Luz para Todos, que j permitiu a ligao de mais de 154 mil novos consumidores rurais, valorizando a vida e a melhoria da renda no campo", afirmou.
    Presenas - Deputados Alberto Pinto Coelho (PP), presidente da ALMG; e Jayro Lessa (DEM); o vice-presidente da Federao das Indstrias de Minas Gerais (Fiemg), Luiz Augusto de Barros; e o ex-governador Francelino Pereira, alm das autoridades citadas na matria.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 23, 2007

    Comea hoje o Festival de Turismo de Gramado no Rio Grande do Sul. A iniciativa da Rede Sol Express e Resorts.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 22, 2007

    O BOOM do lcool combustvel em Minas. Presidente do Siamig/Sindacar, Luiz Custdio Cotta Martins, ressaltaou na solenidade no BDMG, aqui em BH, o crescimento do setor nos ltimos anos e a previso de safra mais que o dobro da atual (37 milhes de toneladas), em 2012. DETALHE: Luiz Custdio voltou a destacar a necessidade de reduo da tributao de ICMS, em Minas, (hoje em 25%), sobre o lcool para aumentar o consumo de lcool combustvel e construo de um ALCOOLDUTO ligando o Tringulo Mineiro a Rio Preto e ao Porto de So Sebatio, em So Paulo. E deu uma boa notcia:a Petrobrs vai adiantar as obras do ALCOOLDUTO. Comeam j em 2011 e no mais em 2014.

    MINAS CONTA COM MAIS QUATRO USINAS

    Foram assinados, ontem, no Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), os protocolos de inteno de instalao de mais quatro usinas em Minas Gerais, com investimentos em torno de R$ 1,3 bilho.
    O diretor do Grupo Santa Elisa, Marcelo Monteiro, assinou o protocolo da usina Platina Bioenergia, em Ituiutaba, no Tringulo Mineiro, com investimentos de R$ 410 milhes e capacidade de produzir, a partir da terceira safra, 105 milhes de litros de lcool e 175 mil toneladas de acar por ano.  A estimativa da empresa que sejam criados 1,5 mil empregos diretos e indiretos. O grupo j conta com duas usinas no Estado: Campina Verde e Ituiutaba Bioenergia Ltda.  

    Outro protocolo assinado foi da Companhia Energtica Vale do So Simo, pelo diretor presidente Jos Carlos de Andrade, que prev a implantao no distrito de Chaveslndia, no municpio de Santa  Vitria, tambm no Tringulo Mineiro. Os investimentos previstos so da ordem de R$ 350 milhes e capacidade de produo de 144 milhes de litros e 300 mil toneladas de acar por safra. Sero gerados cerca de 1,2 mil empregos.  

    O terceiro protocolo foi assinado pela Central Energtica Monte Alegre de Minas (Cemam), de sociedade com a Maubisa, de Maurlio Biagi Filho, e o empresrio, tambm paulista, Jos Mrio Paro. O projeto ir demandar investimentos da ordem de R$ 450 milhes e prev a produo de 150 milhes de litros de lcool a partir do quarto ano de operao e 170 mil toneladas a partir do segundo ano. O nmero de empregos gerados quando a usina atingir sua capacidade mxima chegar a 4,3 mil empregos. A Maubisa j conta com dois empreendimentos em Minas Gerais, a Usina Itapagipe e Frutal Acar e lcool S/A.  

    O quarto protocolo foi da Destilaria Vale do Paracatu Agroenergia Ltda, assinado pelo diretor Carlos Augusto Campos, estando presente, tambm, o presidente do grupo, Luiz Antnio Sabonge. Os investimentos previstos so de R$ 85,2 milhes. A planta industrial ter capacidade produtiva para 94,4 milhes de litros de lcool/ano, a partir do terceiro ano de operaes. Quando atingir a capacidade mxima, empregar 1,8 mil pessoas.  

    A solenidade foi presidida pelo Secretrio de Desenvolvimento Econmico (SEDE),  Mrcio Lacerda, com a presena dos presidentes do BDMG, Paulo Paiva; daCemig, Djalma Bastos; do Indi, Eduardo Lery e da Gasmig, Jos Carlos Mota, com a participao de prefeitos e outras autoridades.  

    O presidente do Siamig/Sindacar-MG, Luiz Custdio Cotta Martins, participou da reunio e saudou as novas empresas, ressaltando o grande crescimento do setor nos ltimos anos e a previso de uma safra mais do que o dobro da atual (37 milhes de t) em 2012. Destacou a necessidade de reduo da tributao para aumentar o consumo de lcool combustvel, alm de investimentos em logstica, principalmente, na construo do alcoolduto, ligando a regio do Tringulo Mineiro a Ribeiro Preto e ao Porto de So Sebastio (SP). 
    Ele afirmou que a Petrobrs ir adiantar as obras do alcoolduto de 2014, como 
    havia previsto, para 2011, conforme reunio ocorrida na estatal na ltima sexta-feira. Informou ainda que  o presidente da Petrobrs, Jos Srgio Gabrielli, j assinou o Protocolo para implantao do alcoolduto em Minas Gerais e encaminhou o documento para colher assinaturas junto ao governo do Estado.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 22, 2007

    CEMIG est asendo homenageada agora noite, aqui no plenrio da Assemblia Legislativa de Minas. A homenagem do deputado Jairo Lesa, do DEM. Sero comemoradas duas conquistas da CEMIG - a ida da empresa estatal - pela 8 vez - para o ndice Dow Jones de Sustentabilidade e escolha dela como lder mundial do setor de "utilites", que engloba empresas de prestao de servios de nergia eltrica, distibuio de gs, saneamento...

    A Assemblia Legislativa de Minas Gerais, a pedido do deputado Jayro Lessa (DEM), est promovendo uma Reunio Especial, no Plenrio, para homenagear a Companhia Energtica de Minas Gerais (Cemig).
    Pela oitava vez consecutiva, a Cemig integra o ndice Dow Jones de Sustentabilidade, alm de ter sido selecionada como lder mundial no setor de "utilities", que engloba as empresas prestadoras de servio de energia eltrica, distribuio de gs, saneamento e outros servios de utilidade pblica.
    Segundo Jayro Lessa, "a homenagem faz jus ao trabalho de destaque da Cemig, por ser reconhecida internacionalmente pela qualidade na prestao de servios e pelo desenvolvimento de aes de responsabilidade ambiental e social."
    O ndice Dow Jones um dos indicadores de maior confiabilidade mundial e tornou-se uma referncia importante para investidores e administradores que se baseiam em sua performance para tomar decises de investimento. A Cemig se mantm no ndice desde que ele foi criado, em 1999, como a nica empresa do setor eltrico a fazer parte da lista internacional.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 22, 2007

    Desembargador Alves de Andrade, do Tribunal de Justia de Minas, vai a Barbacena, quinta-feira. Participa de Audncia promovida pela Associao de Proteo e Assistncia aos Condenados - APAC. A audincia ser na Faculdade de Medicina da Unipac na praa presidente Antnio Carlos, centro de Barbacena.

    A Associao de Proteo e Assistncia aos Condenados (Apac) promove na quinta-feira, dia 25 de outubro, em de Barbacena, uma audincia pblica para discutir a implantao de um centro de reintegrao social para condenados. Estaro presentes ao evento o coordenador do Projeto Novos Rumos na Execuo Penal do Tribunal de Justia de Minas Gerais (TJMG), desembargador Joaquim Alves de Andrade, a juza diretora do Foro da comarca, Maria Aparecida Consentino e outras autoridades jurdicas e religiosas do municpio.
    Durante a audincia, sero expostos os princpios gerais da metodologia apaqueana. O evento ser s 19h30, no Auditrio da Faculdade de Medicina (Praa Presidente Antnio Carlos, n8, centro de Barbacena).
    O mtodo Apac
    A Associao de Proteo e Assistncia aos Condenados (Apac) uma entidade civil que, em parceria com o Poder Judicirio, se dedica reintegrao social dos condenados a penas privativas de liberdade. O trabalho da Associao baseia-se em um mtodo que se desataca pela co-responsabilidade do preso em sua recuperao, pela sinceridade, solidariedade e disciplina para reciclar valores e desenvolver o potencial das qualidades dos condenados.
    O projeto Novos Rumos na Execuo Penal tem como objetivo incentivar a criao e expanso da Apac. Atualmente, 75 comarcas mineiras esto envolvidas com o projeto.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 22, 2007

    Amanh, 9h30m da manh na Assemblia de Minas. Deputado Dalmo Ribeiro Silva preside reunio que vai discutir o Estatuto da Microempresa. Confira detalhes!


    A Comisso de Constituio e Justia promove, amanh, dia 23, s 9h30min, no auditrio da ALMG, audincia pblica para discutir a Lei Complementar 123, de 2006, que institui o novo Estatuto Nacional da Microempresa e institui o Simples Nacional.
    Na audincia, requerida pelo deputado Dalmo Ribeiro Silva (PSDB), a CCJ ir analisar os aspectos da interpretao e aplicao dessa norma, considerando inclusive o aumento da carga tributria decorrente da nova legislao, o que reduz a competitividade das pequenas empresas.
    Esto confirmadas as presenas dos secretrios de Estado da Fazenda e Desenvolvimento Econmico, representantes do Sebrae, Fiemg, Federaminas, Fecomrcio, CRC, associaes comerciais de todo o Estado, entre outros.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 22, 2007

    NO HOSPITAL. O ex-governador de So Paulo, o mdico Geraldo Alkmin, est internado no Instituto do Corao, em SP, com inflamao no intestino delgado - sofre de ilete. Ele foi internado no domingo s 11 da noite. Confira!

    Em nota divulgada pelo Instituto do Corao agora tarde, a assessoria afirma que Alckmin est internado "para tratamento clnico de ilete, caracterizada por inflamao no intestino delgado, da qual decorre, entre outros sintomas, dor abdominal".
    Ainda de acordo com a nota, o quadro clnico " estvel e evolui dentro do previsto.
    O tratamento, que  feito no quarto, consiste em dieta alimentar restrita, hidratao e medicamentos".
    Segundo assessores do ex-governador, ele passa bem. Ainda no h previso de alta.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 21, 2007

    COLRIO, em qudupla, deste domingo, mais uma vez, vem da coleo de gatas da coluna do nosso amigo Csar Romero da Tribuna de Minas de Juiz de Fora.

                                                         
                                                               Marcela Bellini, Mriam Mota, 
                                                            Sabrina Carraro e Paula Missiagia


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 21, 2007

    Daqui a um ano lanaremos o livro " Memrias de um Reprter de TV". Semanalmente vamos escrever os textos do futuro livro. Voc que acessa nosso BLOG DE NOTCIAS tem a oportunidade de ler cada pgina em primeira mo aqui no nosso espao. Confira!

                                                                                  ARTIGO ESPECIAL

                                                                 MEMRIAS DE UM REPRTER DE TV 
                                                                                   Joo Carlos Amaral.

                         Nas vrias vezes que o ex-governador do Rio, Leonel Brizola veio a Minas ns estvamos l o entrevistando, como reprter da Rede Globo. Nos palanques, nas coletivas animadas e engraadas, cheias de ironia que s Brizola sabia dar, ns acompanhvamos cada gesto, cada detalhe. "O velho caudilho", como era conhecido entre ns, jornalistas de poltica, no deixava pedra sobre pedra, quando se tratava dos adversrios e/ou at mesmo inimigos polticos. 

                         O curioso que na maioria das vezes que acompanhamos as entrevistas coletivas do ex-governador Brizola, a matria no ia para o ar na Rede Globo. Como assim? Era o seguinte: Brizola no perdia a oportunidade de estocar o saudoso dono da Globo, dr. Roberto Marinho. que Brizola no conseguia esconder, e nem fazia a menor fora para esconder sua mgoa, com os Marinho, a quem ele atribuia m vontade na eleio dele ao governo do Rio de Janeiro, que gerou o caso Proconsult - que os fatos da poca registrados pela mdia, diziam que a Globo tentou ajudar numa suposta manobra para retirar de Brizola a eleio ( verdade ou no, o que crnica poltica registrou  poca). 

                          Da, sem mais nem menos, Brizola no meio de uma declarao saa com um comentrio maldoso sobre a Rede Globo e o dr. Roberto Marinho. Ns, como reprter Poltico da Rede Globo, ficvamos de saia justa, sem o que dizer. Segurvamos firmes o microfone e no arredvamnos p, sempre com o corao na mo, constrangidos, sem poder nada dizer. Cumprimos a nossa misso, j pensando: como que o editor vai dar esta entrevista falando mal do dono da casa? Eram tempos difceis. E mais, acabava a coletiva e os colegas da mdia sempre provocavam: o governador Brizola disse que a Globo no vai por a entrevista no ar. E a, Joo Carlos? ...

                         Lembro-me uma dessas entrevistas. Foi no Auditrio da Assemblia Legislativa de Minas. L estvamos ns. Como era uma coletiva daquelas formais, colocamos os mcrifones na mesa, lotando a frente do ex-governador Leonel Brizola. Receb a orientao s para gravar. No fazer nenhuma pergunta para no provocar nenhum dos  corriqueiros comentrios maldosos de Brizola sobre a Globo. Tudo ia bem.

                          De repente, a reprter do jornal O Globo, nossa colega Sulamita, se levanta, pega o microfone colocado disposiao dos reprteres. Se identifica e pergunta: dr. Brizola, o presidente Sarney disse que desta vez a economia vai deslanchar. Como que o sr. analisa a fala do presidente da Repblica?

                         Olha minha filha - disse Brizola irnico, com sua fala arrastada - nessa nem o dr. Roberto Marinho acredita! E emendou: mesmo ele sendo o principal avalista do governo Sarney!
    Reao imediata: a reprter de O Globo focou vermelha, sem o que dizer. E como eu era o reprter da TV Globo na coletiva, todos olharam em minha direo, inclusive o ex-governador Brizola, que emendou: olha quero ver voc colocar est no ar! e riu...

                          Foi a maior saia justa que j vesti, sem querer claro! Enfirei o rabo entre as pernas, como se diz aqui em Minas, peguei a equipe e mais uma vez, jurei para mim mesmo: quando eu sair da Globo foi contar este episdio. Confesso que fiquei com raiva do dr. Brizola, mas entend, Como dizia o  presidente Tancredo Neves, " POLTICA NO PARA AMADOR", preciso ter estmago.

                          Pensei: mesmo, poltico e reprter poltico tambm! E como a briga era "entre cachorros grandes", peguei a fita, coloquei debaixo do brao e levei para nossa redao, ainda na rua Rio de Janeiro no bairro de Lourdes, aqui em Beag. 

                          Brizola foi "proftico": a entrevista, claro, no foi para o ar. Mas a fita foi gerada na ntegra para o alto comando da Rede Globo no Rio de Janeiro, para conhecimento dos chefes. 
    Hoje, com internet, os Blogs, os E-mails, como como que seria a reao dos formadores de opinio? E mais: reconheo que se eu fosse o dono da Globo no tinha como colocar no ar uma entrevista ofensiva e, digamos, gratuita, movida pela raiva - justificvel ou no - no sei, do dr. Brizola. Ficou para mim a lio: sem sangue frio, sem tica, sem coragem de suportar saias justas no d para ser reprter, muito menos de TV.

                          Fao este registro, para dar uma fotografia da poca. Mostrar o estilo de um poltico, em um mundo sem globalizao, sem rede mundial de comunicao. De um mundo sem Internet,  E-mail, sem You Tube. O fax tinha acabo de chegar ao mercado e as duas rdios que eram porta-vozes das duas maiores naes do planeta eram a Voz da Amrica, em Washington e a Rdio Moscou em Moscou, em plena guerra fria.  Um registro histrico, que s ficou na minha memria e dos josrnalistas e polticos - muitos j mortos - que estavam naquele auditrio da Assemblia Legislativa naquela tarde  longinqua dos idos de meados dos anos 80. 

                          EM TEMPO: a fita com a coletiva de Brizola, certamente, est nos arquivos da Rede Globo no Rio de Janeiro. E um dia, quem sabe, vai virar histria, de um tempo que ensaiva a democracia, haviam s quatro canais de TV no Pas, com a Globo absolutamente na frente e, ns reprter polticos ensaiavamos os primeiros passos na carreira. Uma vitrine - a Globo era e ainda - fundamental para um jovem que buscava a fama, o reconhecimento. como disse Fernando Pessoa;" tudo vale a pena se alma no pequena". E a minha era grande! A nossa pacincia bem maior. Mas, valeu a pena!
                           



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 21, 2007

    Comisso de Transporte da Assemblia Legislativa vai a Mateus Leme na Regio Metropolitana de BH. Captao de gua da chuva na BR-050. Reunio ser na Cmara, amanh, s 10 horas.

    A Comisso de Transporte, Comunicao e Obras Pblicas da Assemblia Legislativa de Minas Gerais) vai realizar uma audincia pblica para debater a captao pluvial na Rodovia MG-050, que corta a cidade de Mateus Leme, Regio Metropolitana de Belo Horizonte. A reunio ser na Cmara Municipal do municpio, na prxima segunda-feira (22/10/07), s 10 horas, a pedido do deputado Neider Moreira (PPS).
    Segundo a assessoria de imprensa do deputado, Neider Moreira recebeu uma solicitao da Prefeitura Municipal, de vereadores e da populao pedindo a incluso da captao das guas de chuva no projeto de revitalizao da MG-050. Esse projeto ser executado atravs de Parceria Pblico-Privada (PPP), entre o governo do Estado e a concessionria Nascente das Gerais, a qual ganhou licitao no segundo semestre deste ano para realizar a obra.
    Ainda de acordo com a assessoria do parlamentar, em dias de chuva, a gua inunda os comrcios e as casas do municpio, o que justifica a necessidade de incluir a obra de captao pluvial no projeto. 
    Convidados - Sero convidados para a reunio: o prefeito de Mateus Leme, Slvio Csar de Oliveira; o presidente da Cmara Municipal de Mateus Leme, vereador Jlio Cesar Nogueira Fares Jnior; o presidente da Associao Comercial da cidade, Werlley Rony Gonalves de Freitas; o diretor-geral do DER, Jos Elcio Santos Monteze; o diretor-presidente da Concessionria Nascentes das Gerais, Bencio Torres; e o gestor de Operaes da Concessionria Nascentes das Gerais, Carlos Napolitano.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 21, 2007

    A morte do nosso Z Aparecido de Oliveira. O ministro Hlio Costa nos enviou, via E-mail, seus psames famlia do nosso ex-Embaixador em Portugal, ex-governador de Braslia, primeiro ministro da Cultura do Pas. DESTACO aqui no nosso BLOG DE NOTCIAS que o poltico Z Aparecido foi o vice na chapa de Hlio Costa na primeira disputa pelo Palcio da Liberdade em 86, quando o candidato Hlio Garcia ganhou apertado no segundo turno das eleies em Minas. Leia a nota do senador Hlio Costa em homenagem memria do Z, um homem que sabia fazer amigos, como o imortalizou, o cartunista mineiro de Caratinga, Ziraldo.

    "Jos Aparecido de Oliveira foi um daqueles raros homens pblicos, da maior integridade, que dedicou toda a sua vida ao Brasil, e em especial a Minas Gerais. As histrias do Estado e do pas nas ltimas dcadas passam obrigatoriamente por ele, que participou ativamente dos momentos mais importantes. Sua partida nos deixa triste, mas com a certeza que nunca esqueeremos suas valiosas lies e trajetria brilhante, que tanto engradeceram a Minas e nossa ptria."
     
     Hlio Costa, Ministro das Comunicaes e Senador da Repblica


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 19, 2007

    Morreu hoje em BH, o ex-embaixador Jos Aparecido de Oliveira. Ele tinha 78 anos de idade. Ele estava internado no Hospital Madre Teresa'.

    Jos Aparecido de Oliveira (Conceio do Mato Dentro, 17 de fevereiro de 1929). Foi governador do Distrito Federal de 1985 a 1988 e ministro da Cultura do governo do presidente Jos Sarney. Embaixador do Brasil em Portugal, foi um dos fundadores da Comunidade dos Pases de Lngua Portuguesa, deputado federal dos mais votados em Minas Gerais, secretrio particular de Jnio Quadros.
    Em Minas, Jos Aparecido foi secretrio de Cultura no governo Tancredo Neves.
    Pai do deputado federal, Jos Fernando Aparecido.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 19, 2007

    Em Juiz de Fora, comea, amanh, dia 20, o Primeiro FEST ART 2007. frente da movimentao cultural esto: o artista plstico barbacenense Mrio Carvalho e o ator e carnavalesco Caz Rocha. Desejamos Sucesso!!!

    O I FEST ARTE 2007 ser realizado na cidade de Juiz de Fora/MG; Nos dias 20 e 21 de Outubro de 2007, sendo Sbado e Domingo, nos horrios de 10h s 18h, no sbado e no domingo. Com a Organizao do Artista Plstico, Monitor da TIM Arte Educao, Cengrafo e Carnavalesco Mrio Carvalho; O Ator, Auto Didata e Carnavalesco Caz Rocha; Apoio Adryana Ryal. Contando com a presena de Grupos, Cia.s, Diretores, Atores e outros Artistas de nossa cidade e das cidades circunvizinhas.
    O I FEST ARTE ir nos mostrar e nos levar a troca de experincias de Diversas com Diretores, Atores e Atrizes, proporcionando uma gostosa e divertida reciclagem no campo Teatral.
    * Palestras; Jogos de Perguntas e Respostas , com o Tema: "Experincias e Propostas Teatrais"; Com a Presena da Diretora e Gestora Cultural Patrcia Vicenzia; O Diretor, Ator e Professor Anderson Ferigate; A Atriz, Produtora e Advogada Mrcia Mello; Professora de Dana Contempornea; e os Organizadores: Caz Rocha e Mrio Carvalho.
    Momento de Congraamento dos Atores, Atrizes, Diretores e Convidados;
    Oficinas de Expresso Corporal e Facial
    Interpretao, Aquecimento Vocal e Corporal; Exerccios Teatrais Com: Diretor; Ator e Professor: Anderson Ferigate;
    Maquiagem Com: Artista Plstico; Monitor da TIM Arte Educao, Cengrafo e Carnavalesco Mrio Carvalho ;
    CONTATOS:
    Mrio Carvalho - (32) 3061-5045
    Caz Rocha - (32) 9194-3944 cjgrocha@ig.com.br / fest.arte2007@gmail.com
    LOCAL: ASSOCIAO CULTURAL E RECREATIVA ACADMICOS DO MANOEL HONRIO RUA: AMRICO LOBO, 674; BAIRRO: MANOEL HONRIO / JUIZ DE FORA MG;
    INTERESSADOS SOLICITAR POR E-MAIL A FICHA DE INSCRIO


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 19, 2007

    O Casamento que vai marcar esta sexta-feira. o de Katiana e Willer Ps. Ela engenheira. Ele, doutor em Engenharia Qumica Ambiental e diretor de Meio Ambiente da poderosa Anglogold Ashanti. O casamento ser s 21h30m de hoje no elegante buffet Salaberry s margens da Lagoa da Pampulha, aqui em BH. Eu e minha mulher, a decoradora Cida Amaral, para nossa honra, seremos padrinhos do noivo, Willer Ps, meu grande amigo desde os tempos que ele foi diretor do Igam e presidente da Feam. Felicidades ao casal Katiana e Willer. Nossos afilhados.

                                                         

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 19, 2007

    Usina Mineira ganha o MASTER-CANA Desempenho 2007. Empresa afliada ao Sindicato da Indstria do Acar e do lcool, presidido pelo empresrio Luiz Custdio Cotta Martins.


    USINA ALVORADA CONQUISTA PRMIO NACIONAL          DE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2007
    A Usina Alvorada Acar e lcool, de Arapor (Tringulo Mineiro), associada ao Sindicato da Indstria do Acar e do lcool de Minas Gerais (Siamig/Sindacar-MG) a vencedora da premiao mais importante do setor sucroalcooleiro, o MasterCana Desempenho 2007 Brasil, na categoria "Responsabilidade Social". Ela participou da Pesquisa UniEthos de Indicadores de Responsabilidade Social Empresarial, realizada em conjunto pela Unio da Indstria de Cana-de-acar (Unica) e o Instituto Ethos, ficando com nota acima da mdia das usinas participantes. Os investimentos anuais em projetos de Responsabilidade Social e benefcios para os funcionrios somam mais de R$ 3 milhes.
    O presidente da Usina, Alexandre Franceschi, diz que este prmio reflete as aes de responsabilidade social realizadas na empresa no ano de 2006, comprovadas na publicao do Relatrio de Sustentabilidade 2006 e Conquista do Selo Ibase 2007 (.Instituto Brasileiro de Anlises Sociais e Econmicas (Ibase). "Este prmio simboliza a transparncia das nossas aes de RSE, sendo nossa empresa pioneira na premiao dessa categoria no Estado", afirma.
    Desde 2004, a Usina Alvorada possui o Selo Ibase, concedido para empresas que combatem a fome e a desigualdade social, incluindo as reas de educao, cultura, meio ambiente, entre outras. Em 2007, apenas cinco usinas conquistaram o Selo Ibase, entre elas a Alvorada. Pelo segundo ano consecutivo, a empresa publica o Relatrio de Sustentabilidade, mostrando a transparncia em suas aes. A usina possui tambm o Selo Abrinq de "Empresa Amiga da Criana" desde 2001.     Destaques
    Um dos destaques das aes sociais desenvolvidas pela Alvorada "Projeto V Amlia", que atende 170 crianas com necessidades de incluso social na faixa de sete a 15 anos, na cidade de Arapor, MG, com aulas de dana, informtica, coral, escolinha de futsal e programa de preveno a drogas, entre outras atividades. Outro projeto o "Vida Equilibrada", que orienta as famlias das comunidades no controle do oramento familiar. O "De Bem com a Vida" executa palestras em escolas e na comunidade, orientando os jovens e adolescentes quanto aos malefcios do uso de drogas. Tem tambm o "Programa Sentinela", que uma parceria com a Prefeitura de Itumbiara no combate explorao sexual infantil e agresso s mulheres. J o "Projeto Vermelho" recuperao de 303 alqueires de rea degradada na construo da Hidreltrica de Furnas em Itumbiara (GO), e Arapor (MG).
    A Alvorada vai receber o Prmio MasterCana Brasil no dia 23 de outubro, no Grand Hyatt Hotel, em So Paulo, juntamente com outras unidades e grupos produtores de acar e lcool, instituies ligadas ao setor sucroalcooleiro, personalidades de destaque, empresas fornecedoras de produtos, equipamentos e servios. A cerimnia ser realizada durante o encerramento da VII Conferncia Internacional Datagro, que acontecer no mesmo local, nos dias 22 e 23, na semana do Sugar Dinner, numa promoo da empresa ProCana.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 19, 2007

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. Em Juiz de Fora, nosso amigo, o colunista e apresentador de TV, Csar Romero, da Tribuna de Minas, movimenta a sexta-feira, s 19h30m com suas inteligentes entrevista na TVE.

                                                           
                                                     A pediatra Ivana Moutinho bate um papo
                                                                com CR hoje, no programa 
                                                que vai ao ar s 19h30, na TVE em Juiz de Fora.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 19, 2007

    FESTA DAS ROSAS e Flres de Barbacena. Cobertura do nosso amigo, o competente colunista do barbacenaonline, Idinando Borges, especial para nosso BLOG DE NOTCIAS. Confira!

                                            Para no dizer que no falei de flores


    O estande denominado Spao 40, o preferido do pblico

    Elas so lindas e encantam! So companheiras dos homens desde o nascimento, passando por todos os momentos felizes e todas as conquistas e at mesmo no ato final da vida, mesmo que seja com um discreto crisntemo, para suavizar o momento.

    Quem cultiva, acima da tcnica e do retorno financeiro, quase sempre limitado, ama o que faz. No se pode esquecer de nossos antepassados, os imigrantes italianos, dedicados terra, trouxeram tcnicas e acima de tudo, o devotamento ao trabalho rduo para a terra produzir flores.











    Flvio Borges de Medeiros e Mrio Raimundo Melo

    Juara e Cleber Jos Moraes da Silva


    Este ano, a cidade comemorou a sua 40 Festa das Rosas e Flores e o evento foi realizado pela Abarflores, ou seja, pelos donos da festa, os floricultores, cujo presidente o tambm floricultor, Cleber Jos Moraes da Silva.
    Nem tudo foram flores, os donos das barracas reclamaram que venderam menos, os prprios associados no concordaram com os resultados da seleo dos estandes, o que natural. Por ser a primeira vez, a Abarflores merece alm do respeito, aplausos por estar procurando acertar. Para a realizao do evento, a Cenatur empreendeu um trabalho de recuperao dos galpes, coisa invisvel, mas necessrio e o apoio logstico s aes. O Sebrae, de reconhecimento nacional, h trs anos atuando em parceria, vai proporcionando melhorias significativas nos ganhos para a entidade e para a cidade como um todo. Os nmeros no mentem e so a certeza do caminho certo.


    Richard Viol, Mariane Pacheco e Elton Belo Reis

    Criatividade no faltou aos nossos decoradores, nem sempre reconhecidos com tal. Eles so inteligentes, criativos e sem eles, festas e eventos, no teriam o glamour necessrio. Na categoria - tratores, o 1 lugar foi para Carlinhos e Jos Svio (Sitio Invernada) com o tema Igreja Matriz da Piedade em crisntemos e Rosas. O 2 lugar foi para Jos de Andrade Alves (Chcara So Jos) com o tema Cristo Redentor. Projeto e execuo de Eloisio Jos Campos com Crisntemos e rosas. E o 3 lugar foi para Elton Belo e Richard Viol (Orquidrio Mantiqueira) com o tema Reflexo e Meditao. Projeto de Richard Viol com orqudeas, estaticias, rosas, antrios. Com base (os elefantes) em topiaria tolamente revestidos com linhas e musgos.













    1 lugar Matriz, Categoria: trator

    Detalhe Spao 40


    Na categoria estandes, o 1 lugar foi para Jos Luciano, (Chcara Recanto das Mudas) com o tema Inatura com projeto e execuo de Celso Souza a base de bambu, rosas, lisiantus e grbera. O 2 lugar foi para Richard Viol e Elton Belo Reis (Orquidrio Mantiqueira) com o tema Spao 40 homenagem aos 40 anos da festa com projeto de Richard Viol. Uma imaginria sala para jantar com forrao de fundo em tecido francs tema flores. Aparador com buf de bolo e at o famoso bem-casado. Duas mesas redondas para os comensais, revestida com forro preto e cobertura branca, linho com desenhos Richelieu e todo o romantismo e a influncia Art Nouveau. Lustres de cristal e vidro e flores brancas: orqudeas phaelenopsis, grberas, Hortncia-branca, boca de leo, lisiantus. Cadeiras de madeira com estofamento e assento em grberas naturais. Segundo apuramos, visitantes do Rio de Janeiro, o elegeu em primeiro lugar. O 3 colocado foi Mrio Raimundo de Melo (Sitio Candeias) com o tema Recanto Oriental projeto e execuo de Richard Viol com rosas, copo-de-leite, Ikebanas, orqudeas, strelitzia, bambu mosso e ardizia. O 4 colocado, sem premiao foi o Ricardo Jos Pacheco Montes e famlia (Kamar Mudas) com o tema Capela Secular bodas de rubi e esmeralda que ganhou voto de louvor do pblico. Projeto e execuo Richard Viol com rosas, begnias, petnias, murta e avenco e frmio. E a 41 Festa, em 2008, comea amanh. . . .


    Maria ngela Pacheco Montes, Maria Aparecida Amaral, Ricardo Jos Pacheco Montes da Kamar Mudas e o jornalista Joo Carlos Amaral que vai reproduzir a coluna em seu disputado Blog



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 18, 2007

    MUDANA. Os 541 mil e 800 funcionrios dos trs poderes, Tribunal de Contas e Ministrio Pblico pblicos de Minas, a partir de DEZEMBRO, ser s pelo BANCO DO BRASIL.









                          Acio assina contrato com o BB para pagamento dos servidores

     









    Omar Freire/Imprensa MG

    O pagamento da folha dos servidores pblicos do Estado, a partir de dezembro, ser exclusivamente feito por meio do Banco do Brasil. O contrato de prestao do servio, que inclui o pagamento a 541,8 mil servidores pblicos ativos, inativos e pensionistas, do Executivo, Legislativo, Tribunal de Contas, Ministrio Pblico e empresas vinculadas ao Estado, foi assinado, nesta quarta-feira (17), no Palcio da Liberdade, pelo governador Acio Neves e pelo presidente do Banco do Brasil, Antnio Francisco de Lima Neto. O primeiro recebimento via Banco do Brasil ser referente ao pagamento de novembro, a ser feito no quinto dia til de dezembro.
    "Ao longo dos ltimos meses temos buscado, numa intensa negociao, com avaliaes internas e conversas com outros poderes, chegar a uma deciso que melhor atendesse aos interesses de Minas e, de forma muito especial, dos seus servidores", disse Acio Neves, em seu pronunciamento.
    O contrato com o Banco do Brasil trar aos servidores do Estado uma srie de benefcios, como a iseno de tarifa para manuteno de conta corrente, consultas ilimitadas de saldo bancrio, dois extratos impressos por ms sem custo, at cinco saques por evento de crdito e talo de cheques. Por enquanto, os servidores, sejam da ativa, inativos ou pensionistas, no precisam tomar qualquer providncia quanto abertura de conta no Banco do Brasil. O Governo do Estado, por meio das secretarias de Fazenda e de Planejamento, juntamente com o banco, est acertando os ltimos detalhes para a abertura das novas contas.
    Uma srie de aes de comunicao ser tomada nas prximas semanas, orientando o funcionalismo sobre a mudana, que na prtica acontecer somente no incio de dezembro. O prprio Estado se encarregar de enviar os dados dos servidores para que as contas correntes sejam abertas, o que acontecer na agncia mais prxima ao domiclio de recebimento atual de cada um.
    Alm de contar com a maior rede bancria do Brasil, com mais de 15 mil pontos de atendimento e 39 mil terminais de auto-atendimento em todo o Pas. Em Minas, o Banco do Brasil tem 1,6 mil pontos de atendimento, sendo 454 agncias. A instituio se comprometeu a abrir, de imediato, mas 60 pontos de atendimento no Estado.
    "O Banco do Brasil, pela sua histria, pela sua capilaridade, pelo profissionalismo daqueles que o compem, certamente dar a mesma tranqilidade ou ainda melhores condies aos servidores do Estado de Minas Gerais", disse Acio Neves.
    Transparncia
    O governador explicou que, a partir de uma interpretao do Tribunal de Contas e tambm da Advocacia-Geral do Estado, no haveria a possibilidade de aditivar e prorrogar o contrato com o Banco Ita, at ento responsvel pelo pagamento dos servidores.
    "Devo uma palavra de reconhecimento ao esforo, capacidade e ao profissionalismo do Banco Ita. Buscamos o caminho transparente e exemplar que preservasse o interesse pblico e ao mesmo nos permitisse, a partir da venda dessa folha, um ativo hoje valorizado e tambm vendido em outras unidades da federao, fortalecer o caixa estadual", afirmou o governador.
    O acordo com o Banco do Brasil sustenta a poltica do Governo de Minas, de identificar novas fontes de receitas para o Estado. Com o novo marco regulatrio, a partir de novas normas editadas pelo Conselho Monetrio Nacional, em dezembro de 2006, verificou-se a oportunidade de ganhos financeiros a partir da alienao da folha, a exemplo do que j havia sido feito por outros municpios e estados brasileiros, entre eles os governos de So Paulo, Rio de Janeiro e Gois, alm da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte.
    O Banco do Brasil pagar ao Estado R$ 1,23 bilho para concentrar todos os pagamentos da folha de pessoal, cujo volume mensal gira em torno de R$ 800 milhes. O contrato com o BB tem prazo de 60 meses (cinco anos), a contar da data de assinatura. Como o contrato com o Ita havia sido prorrogado em 2002 e teria vigncia at 31 de dezembro de 2010, o Governo do Estado fez um acordo rescisrio com a instituio.
    O Ita continuar a centralizar os recebimentos do Estado e o pagamento a parte dos fornecedores.
    "Com esse acordo que assinamos hoje, somos responsveis pela folha de pagamento em 11 estados da federao. O Banco do Brasil tem a capacidade e habilidade necessrias para lidar com o pagamento dos servidores do Estado de Minas. O Estado de Minas significa o principal negcio de folha de pagamento no Sudeste brasileiro para o Banco do Brasil", disse o presidente do Banco do Brasil, Antnio Francisco de Lima Neto.
    Novo acordo
    Em maro deste ano, aps identificar que os servios relacionados ao pagamento da folha salarial dos servidores pblicos estaduais, no contexto do ambiente financeiro no Pas, representavam oportunidade de ganhos financeiros para o Estado e mais benefcios aos servidores, o Governo de Minas iniciou conversa com os bancos pagadores (Ita, Banco do Brasil e Bradesco), buscando rever a situao vigente.
    Alm de ter oferecido o melhor pacote de benefcios aos servidores, a proposta do Banco do Brasil, de R$ 1,23 bilho, foi a oferta econmica mais vantajosa ao Estado. O processo de contratao direta do Banco do Brasil est fundamentada juridicamente no inciso VII do artigo 24 da Lei Federal 8.666/93, que dispensa o processo licitatrio na contratao de instituio oficial. A Advocacia-Geral do Estado foi consultada formalmente sobre a possibilidade jurdica de o Estado realizar receitas a partir da alienao do direito de administrar o pagamento da folha salarial e tambm sobre a contratao direta do Banco do Brasil, sob o mbito da Lei 8.666/93. Os dois pareceres da AGE foram favorveis operao.
    "O contrato foi feito dentro estritamente do que determina a legislao e acreditamos que no s realizamos um negcio positivo para os servidores, para o Estado, para o Poder Pblico, mas igualmente cumprimos a deciso oriunda do Tribunal de Contas e igualmente cumprimos a interpretao da Advocacia Geral do Estado", explicou o vice-governador Antonio Augusto Anastasia.
    Precificao
    A SEF/MG realizou trabalhos orientados qualificao e mensurao da folha salarial dos rgos e entidades vinculados ao Executivo e contratou os servios de consultoria especializada da Fundao de Pesquisas Contbeis, Atuariais e Financeiras (Fipecapi), vinculada Universidade de So Paulo (USP), para precificao da folha de pagamento. O estudo levou em conta o valor presente lquido do ativo e valores de operaes similares, chegando a um preo compatvel ao praticado no mercado, para esse tipo de servio.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 18, 2007

    Aberto hoje na Assemblia de Minas debate sobre ALIMENTAO. Voc pode acompanhar AO VIVO pela TV Assemblia. Em BH, s ligar no canal 11 a cabo. No Interior: UHF. Confira detalhes!











    Ciclo de Debates Alimentao Escolar

    como Estratgia de Segurana Alimentar e Nutricional

    18 e 19 de outubro de 2007

    Plenrio da Assemblia Legislativa de Minas Gerais





    A gesto, a execuo e a fiscalizao do Plano Nacional de Alimentao Escolar (PNAE) em Minas Gerais sero abordadas no Ciclo de Debates "Alimentao Escolar como Estratgia de Segurana Alimentar e Nutricional", que ser realizado no Plenrio da Assemblia Legislativa de Minas Gerais, nos dias 18 e 19 de outubro de 2007. O evento, que tem o apoio de 19 entidades, tambm pretende estabelecer mecanismos de promoo do direito humano a alimentao saudvel no ambiente escolar, enfocar a alimentao escolar como programa estratgico de segurana alimentar e nutricional dos estudantes do Estado e identificar responsabilidades e competncias dos rgos governamentais e de fiscalizao para aprimorar a execuo do PNAE no Estado, em atendimento s exigncias tcnicas e legais vigentes.

    As propostas que comporo o documento final do ciclo de debates devero ser entregues, por escrito, durante as sesses plenrias, at as 17 horas do dia 18. Sero sistematizadas pelos membros da comisso organizadora com assessoria tcnica da Assemblia Legislativa. Posteriormente, a Comisso de Representao do Ciclo de Debates, eleita na sesso plenria de encerramento, acompanhar, com a ALMG e outros rgos do Estado, o encaminhamento das propostas contidas no documento.

    Objetivo geral

    Levar aos membros dos Conselhos de Alimentao Escolar, dos Colegiados Escolares e a todos os envolvidos com a questo da alimentao e nutrio e da segurana alimentar e nutricional informaes sobre a gesto, execuo e fiscalizao do Plano Nacional de Alimentao Escolar (PNAE) em Minas Gerais

    Objetivos especficos

    Trocar experincias relevantes de gesto do PNAE
    Discutir formas de monitoramento do PNAE no Estado
    Discutir mecanismos de interao entre o Conselho Estadual de Alimentao Escolar, os Conselhos Municipais de Alimentao Escolar e os Colegiados Escolares
    Estabelecer mecanismos de promoo do direito humano alimentao saudvel no ambiente escolar
    Enfocar a alimentao escolar como programa estratgico para a segurana alimentar e nutricional dos escolares do Estado
    Identificar responsabilidades e competncias dos rgos governamentais e rgos de fiscalizao, com vistas a aprimorar a execuo do PNAE no Estado, em atendimento aos preceitos tcnicos e legais vigentes



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 18, 2007

    Convergncia Digital. a Conferncia Mundial de Radiocomunicaes em Genebra na Sua. de 22 de outubro a 16 de novembro.

    Conferncia Mundial da UIT vai discutir futuro das telecomunicaes






     
    Hlio Costa ser o chefe da delegao do Brasil que debater temas como a convergncia digital

    O ministro das Comunicaes, Hlio Costa, vai representar o Brasil na Conferncia Mundial de Radiocomunicaes, em Genebra, na Sua. Realizado pela Unio Internacional de Telecomunicaes (UIT), o evento acontece entre 22 de outubro e 16 de novembro de 2007.
     Tcnicos do mundo inteiro vo  discutir questes como desenvolvimento e gesto internacional das telecomunicaes. O governo brasileiro e o Congresso Nacional esto buscando aperfeioar as leis da rea, especialmente s que abrangem a convergncia digital. Mais informaes podem ser obtidas no endereo eletrnico (www.itu.int).
     UIT
    A UIT foi criada em 1865 e hoje um dos rgos da ONU (Organizao das Naes Unidas).  Todos os 189 pases membros da ONU e mais de 600 entidades do setor de telecomunicaes compem a UIT, que responsvel por promover a cooperao internacional  e regulamentar as telecomunicaes; gerir as posies dos satlites, estabelecer normas comuns de equipamentos e sistemas, entre outras atribuies.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 17, 2007

    Em primeirssima mo:EMBRATEL cria DIRETORIA REGIONAL em Minas. O cargo foi destinado a um mineiro, nascido em Ub na Zona da Mata, o competente e testado executivo, ALTIVO LUIS DE OLIVEIRA. O objetivo da Embratel em Minas apostar no crescimento econmico do Estado, alavancado pelo choque de gesto do governador Acio Neves. Afinal, Minas est crescendo acima da mdia nacional, principalmente no setor industrial. Tivemos com o diretor regional da Embratel, uma longa e proveitosa conversa de mineiros na sede da poderosa Embratel na rua Esprito Santo, 1.000 no centro da capital de Minas. Confira!

    Sempre atento e atencioso, o diretor regional da Embratel, Altivo de Oliveira, nos recebeu numa sala de reunies prximo do setor de telemarketing que ocupa todo o andar. Nos explicou que tinha acabado de retornar do Rio de Janeiro. Tinha reservado a parte da manh para uma boa conversa conosco. A ele nos revelou que nunca marca duas reunies seguidas. o jeito dele de trabalhar. Gosta de uma conversa franca, detalhada. Hbito que adquiriu quando atuou como entrevistador na seleo de executivos. Fica sempre atento linguagem do corpo - os gestos, o tom da fala, o olhar, que segundo ele revelam, e muito, o carter das pessoas. 
    Altivo de Oliveira nos revelou que a deciso da Embratel de ter uma diretoria regional de Minas est dentro da aposta que a empresa faz na sustentabilidade de crescimento econmico do estado na gesto do governador Acio Neves. A estratgia estreitar os laos com o empresariado mineiro e com rgos do governo estadual - a Embratel j atende a Cemig, a Assemblia Legislativa, dentre outros - e quer ampliar seus negcios na rea de telecomunicaes com a Fiemg e demias entidades representativas do empresariado comercial e de servios em todo o Estado. Para isso foram criadas trs regionais da Embratel. Uma em Uberlndia, outra em Juiz de Fora e uma outra com sede em Belo Horizonte, a Regional Metropolitana, que atende num raio de 100 kms da capital mineira.
    Queremos acompanhar este vertigionoso crescimento de Minas - diise Altivo de Oliveira. Nada melhor que termos aqui na capital uma Diretoria Regional, que se reporta ao nosso diretor-executivo da Embratel no Rio de Janeiro, Ney Acyr, que cuida da regio leste-nordeste, que rene 12 Estados - vai do Rio de Janeiro ao Maranho. 
    Detalhe: hoje a Embratel - empresa do grupo Telmex, do homem mais rico do mundo, o mexicano Carlos Slim - tem no Brasil mais de 7 mil funcionrios e um dos seus maiores centros de telemarketing est localizado em Juiz de Fora na Zona da Mata. Com isso, dissenos Altivo de Oliveira, vamos na Diretoria Regional, criada em Minas em 1 de agosto, trabalhar no fortalecimento da marca Embratel junto  sociedade e ao empresariado mineiro.                       
    Altivo de Oliveira nos disse tambm que a CLARO, brao da telefonia celular da holding Embratel, j est instalada no mesmo prdio da empresa, no centro de Beag. 
    No final da longa e proveitosa conversa de mineiros,eu disse ao diretor regional da Embratel em Minas, que ele est numa situao parecida com a minha, quando aqui cheguei h 25 anos, transferido da Globo de Juiz de Fora para a de BH: formando sua rede de relacionamento, buscando parcerias, conhecendo o que h de melhor da nossa capital na rea cultural e aberto ao amplo atendimento business s empresas. 
    Aqui me lembro de um episdio acontecido com Napoleo Bonaparte na corte francesa, quando ele ainda era s um ilustre desconhecido.                        
    Um nobre perguntou a Napoleo: qual a sua linhagem? Napoleo respondeu: Bonaparte. A minha linhagem comea comigo: Napoleo Bonaparte! 
    Hoje pergunto: qual foi o nobre que fez a pergunta a Napoleo? Eu no sei! Voc sabe! Mas, quem Napoleo Bonaparte "todo mundo sabe"!  
     
    CONCLUSO: voltando ao caso do diretor regional da Embratel em Minas, Altivo  de Oliveira, ele tem pela frente uma desafio motivador. Uma misso importante  altura da sua competncia executiva, adquirida ao longo de sua carreira, que comeou pela Cataguases Leopoldina, l perto de sua terra natal Ub, passou pela ONU, Banco Mundial e agora, a Embratel, onde estava h sete anos no Rio de Janeiro. Perceb que ele tem bagagem intelectual, senso de oportunidade, inteligncia emocional. Numa palavra: o homem certo  no lugar certo, na hora certa.
     
    EM TEMPO: parabenizo o comando da Embratel no Pas, pilotada pelo competente executivo Carlos Henrique Moreira, pela escolha acertada do nome do jovem executivo Altivo de Oliveira para comandar os destinos da empresa em Minas. Afinal, a deciso de criar uma diretoria regional no Estado um exemplo a ser seguido por outras grandes empresas, que devriam fazer o mesmo. Apostar  na economia mineira!  Fica o resgistro!          

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 17, 2007

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. A foto nos foi enviada pelo deputado estadual do PMDB de Montes Claros, Luiz Tadeu Leite. O ex-prefeito amigo pessoal e correligionrio do senador Hlio Costa e apoiou a candidatura dele ao governo de Minas - companheiro de primeira hora. Recentemente o ministro das Comunicaes, senador Hlio Costa, foi recebeido pelo deputado Luiz Tadeu numa visita ao norte de Minas, onde o ministro inagurou uma agncia dos Correios em So Joo das Misses. A foto abaixo, EXCLUSIVA, do blog do deputado Tadeu Leite - o endereo dele www.tadeuleite.com - nos foi enviada pelo deputado. Da esquerda para a direita o deputado Paulo Guedes do PT de Manga, o deputado Tadeu Leite,do PMDB de Montes Claros, o ministro das comunicaes, senador Hlio Costa, do PMDB de Minas (usando o cocar oferecido ele numa homenagem especial pela tribo Xacriab do norte de Minas) e o prefeito de So Joo das Misses, Jos Nunes. Voc percebe que a poltica em Minas para profissional! A meta , sempre, o poderoso Palcio da Liberdade. Fiquemos atentos!

           

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 17, 2007

    A VIA VERDE - o maior projeto turstico da regio de Destero do Mello - municpio que fica a 200 kms de BH, 32 de Barbacena, no caminho do meio da Estrada Real - comea a fazer sucesso. O projeto, lanado pelo prefeito Ruy Fernandes - e tendo como patrono esse blogueiro, para minha honra, j que nasci na Estiva, aonde comea a VIA VERDE - j hoje uma realidade com belo futuro. Inauguramos o circuito na vspera da Primavera com uma caminhada que reuniu entre as vrias personalidades presentes, o presidente da FEAM, Jos Claudio Junqueira e as decoradoras Edwigwes Cavalieri e Cida Amaral e o prefeito de Desterro do Mello, Ruy Fernandes. Agora, no Dia da Criana, foi a vez dos ciclistas percorrerem os 14 kms da VIA VERDE, sobre a exuberante natureza da Serra da Conceio. Um passeio sobre os penhascos que esto no topo do mundo a mais de 1.300 metros de altitude. A cobertura foi do site barbacenaonline, atravs da jornalista, nossa colega Dbora Mattos, da Editoria de Esportes do site. A notcia nos foi passada por E-mail pelo nosso primo Joinho Fernandes, irmo do prefeito Ruy Fernades de Desterro do Mello.






    Ciclistas sobem a Via Verde
    e homenageiam Nossa Senhora Apare
    cida







                                                                                  DBORA MATOS






    Dia 12 de outubro, Dia das Crianas e Dia de Nossa Senhora Aparecida, um grupo de ciclistas saiu de Barbacena e pedalou at a Capela dedicada a Nossa Senhora Aparecida, que fica no alto da Serra da Conceio, em Desterro do Melo, onde est instalada a Via Verde. O grupo era composto por Luiz Carlos "Juninho", Leandro "Cavalo", Rodriguinho, Jos Nelson, Bruno Liguori, Adilson Arantes; entre as mulheres, Patrcia Canton, Almira "Arantes" e eu, Dbora Matos. Chefiando a "expedio", Joo Batista "Lay-Out".
    Samos de Barbacena s 7h30 e pedalamos pelo tradicional caminho at a Capelinha, passando por Senhora das Dores e Estiva. Pelo caminho, romeiros de Nossa Senhora Aparecida e tambm cavaleiros que estavam se dirigindo ao mesmo lugar que ns. Ao chegar na Capela, no alto da serra, a viso era de impressionar: a natureza que se mostrava bela ao longo do horizonte e a quantidade de devotos de Nossa Senhora que ali se encontravam, enfrentando sol e poeira, para homenagear a Padroeira do Brasil.









       


    Aps a Celebrao Eucarstica das 9h, presidida pelo Padre Luciano proco de Desterro do Melo retomamos nosso pedal. Guiados por Joo Batista, continuamos pela Via Verde. Pedalamos por um terreno irregular, cheio de pedras, muita poeira, vegetao seca por conta da falta de chuva. Mas, a cada subida que vencamos e foram muitas subidas at chegarmos a 1128m de altitude podamos vislumbrar o porqu do nome desta via: matas e mais matas cobrindo as montanhas, numa paisagem que vai do verde de perto ao azul do distante horizonte. Uma viso para ser apreciada com os olhos, sentida com o corao.
    No ponto mais alto da Via Verde, chegamos Pedra do ndio. Momento para deitarmos na pedra e tentarmos olhar para baixo, registrarmos nas mquinas nossa faanha e, simplesmente, apreciar a paisagem. Para descer a Via, passamos por uma trilha onde a tcnica, o equilbrio e a destreza eram exigidos ao extremo. Ao final da Via Verde, o nibus cedido pela prefeitura de Desterro do Melo nos aguardava para o retorno a Barbacena.
    Foram aproximadamente 38km de pedal, contando desde a sada de Barbacena at o final do trajeto, j chegando no asfalto de Desterro do Melo. Parece pouco, mas foram vrios os desafios pelos quais passamos poeira, calor, pneus furados, subidas que pareciam no terminar. Porm, termos participado da Celebrao em honra a Nossa Senhora e depois termos subido at a Pedra do ndio foi um momento que supera qualquer cansao. Ainda mais que, agora, somos considerados o primeiro grupo de ciclistas que atravessaram a Via Verde!
    Informaes:
    Para saber mais sobre a Via Verde e o projeto de turismo ecolgico da regio de Desterro do Melo: www.nossochao.com.br . E no blog de notcias: www.joaocarlosamaral.com


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 17, 2007

    O ANIVERSARIANTE desta quarta-feira, o deputado estadual do PSDB de Barbacena, Lafayette Andrada. O parlamentar da tradicional famlia Andrada vem se destacando, com competncia, nas atuaes nas comisses e, principalmente no plenrio, aonde atua em defesa do governo Acio Neves. Sempre com slidos argumentos jurdicos e com muito carisma, ocupa o microfone todas as vezes que a oposio critica o governo do Estado. Parabns ao nosso amigo e conterrneo Lafayette Andrada pelo aniversrio hoje. Desejamos-lhe e sua famlia sade, paz e cada vez mais sucesso na difcil arte da poltica. Na foto baixo, o casal deputado Lafayette Andrada e a mulher dele Luciana Amaral, nossa prima, filha do casal Lcia e Mrio Amaral. Fica o registro do nosso BLOG DE NOTCIAS. A foto do site barbacenaonline.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 17, 2007

    JF FOLIA. O colrio desta quarta-feira, vem mais uma vez, da coluna do nosso amigo, o colunista Csar Romero da Tribuna de Minas.

       Bete Raposo   
                                                                                      Fernanda Moraes 
                   
    Brbara de Landa.

     
      Zimmer Moraes e Renata Cardoso      Alice Martins


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 17, 2007

    Novo diretor regional da EMBRATEL em Minas, o mineiro de Ub na Zona da Mata, ALTIVO LUIZ DE OLIVEIRA.

                         Agora pela manh, s 9h30m, ele estar recebendo este Blogueiro para uma reunio, um primeiro contato, que certamente ser proveitoso para ns. Ser um imenso prazer conhecer, pessolamente, um profissional da rea de TI do mais alto gabarito, que est cuidando da expanso da Embratel em nosso Estado. Ser uma conversa de mineiros.
                         Ele de Ub e ns da regio de Barbacena. Ele um testado profissional de TI e ns, com experincia em jornalismo poltico e econmico e relaes institucionais, com uma trajetria de mais de 25 anos no mercado de BH.
                         E uma feliz coincidncia: sou pai de um Engenheiro de Software, o Jlio Csar Amaral, formado na PUC Minas e que trabalha na rea de Tecnologia da Informao.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 17, 2007

    Governador de Minas coloca o Estado na ERA DIGITAL. Primeira empresa que aderiu foi a gigante Usiminas. A Sadia tambm vai emitir nota fiscal eletrnica.









                                  Acio Neves anuncia emisso de Nota Fiscal Eletrnica

     









    Wellington Pedro/Imprensa MG

    O governador Acio Neves anunciou, nesta tera-feira (16), que o Governo de Minas comeou a operar com o sistema de Nota Fiscal Eletrnica (NF-e). A primeira emisso foi feita nesta tera-feira pela Usiminas, empresa participante do projeto-piloto desenvolvido pela Secretaria de Estado de Fazenda. A Sadia tambm j aderiu ao novo sistema. A Nota Fiscal Eletrnica um documento de existncia apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente para fins fiscais uma operao de circulao de mercadorias ou uma prestao de servios.

    " um avano muito grande. O Estado estimular principalmente as grandes empresas, em um primeiro momento, mas todas as outras, em um segundo momento, para que elas possam entrar neste novo sistema. um passo adiante na eficincia da gesto fiscal do Estado", definiu o governador, em pronunciamento, no Palcio da Liberdade.
    Acio Neves explicou que o novo sistema beneficia tanto as empresas emissoras de nota fiscal quanto para as empresas destinatrias das notas fiscais por reduzir os gastos com a aquisio de formulrios e por permitir maior organizao contbil.
    "Do ponto de vista do terceiro ator desse processo que o Estado tambm o ganho grande, sobretudo, na inibio da sonegao. Portanto, um instrumento moderno e eficiente. Ganha o emissor e ganha o destinatrio da nota fiscal. S no ganha nisso, eventualmente, quem est desorganizado e eventualmente o sonegador", disse.
    Agilidade
    O secretrio da Fazenda, Simo Cirineu, explicou que apenas a Usiminas emite 70 mil notas fiscais por ms e a Sadia 85 mil, nmeros que indicam o tamanho da economia que ser feita com a reduo da armazenagem de papis. Outra vantagem, segundo o secretrio, a agilidade na fiscalizao. "Nos postos fiscais, vamos ter a vantagem de simplesmente passar um indicador, um cdigo e pronto, a carga est liberada. Ento, um avano extraordinrio", definiu.
    Nos prximos dias, a Companhia Ultrags, Iveco, Souza Cruz, Teksid, e Wilk Bold comearo a operar com o novo sistema. A partir de abril de 2008, todas as empresas dos ramos de fabricao e distribuio de cigarros, produtores, formuladores, importadores e distribuidores de combustveis lquidos, transportadores e revendedores retalhistas (TRR) sero obrigados a emitir a Nota Fiscal Eletrnica em todas as suas operaes. A expectativa que, at 2011, todas as empresas de Minas Gerais tenham aderido ao novo sistema. Os empresrios que j quiserem operar com a Nota Fiscal Eletrnica podem procurar a Secretaria da Fazenda e efetivar a sua adeso.
    A validade jurdica da Nota Fiscal Eletrnica garantida pela assinatura digital do remetente (garantia de autoria e de integridade) e pela recepo, pelo Fisco, do documento eletrnico. Ela tem validade em todos os estados da federao e prevista na legislao brasileira desde outubro de 2005.
    Atualmente a legislao nacional permite que a nota eletrnica substitua apenas a chamada nota fiscal modelo 1/1A, utilizada em operaes de importao, exportao, operaes interestaduais ou de simples remessa.
    A NF-e no substitui outros modelos de documentos fiscais como, por exemplo, a Nota Fiscal a Consumidor (modelo 2) ou o Cupom Fiscal. Para maiores informaes sobre a Nota Fiscal Eletrnica, o contribuinte pode acessar o Portal da NF-e da Secretaria da Fazenda: http://portalnfe.fazenda.mg.gov.br/.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 17, 2007

    Pr-acesso do governador Acio Neves. Comea o asfaltamento esperado h mais de 50 anos, pela populao de Alto do Rio Doce. O prrimeiro km, entre Desterro do Mello - fica no Caminho do Meio da Estrada Real, a 200 kms de BH e 32 de Barbacena - e Alto Rio Doce, j est asfaltado pela Cadar Engenharia. Faltam 22 kms.

                                                              TRECHO ASFALTADO

    FAZENDO BEM FEITO

    No ltimo sbado, 06, a empreiteira Cadar Engenharia, responsvel pelas obras de pavimentao dos 18 quilmetros de estrada de terra que interligam os municpios de Desterro do Melo e Alto Rio Doce liberou os primeiros 1.000 metros de pavimentao asfltica da MG 132. O trecho - que se inicia no Parque do Xopot - corta todo o entorno da cidade, finalizando na Rua Antnio Carvalho de Oliveira, sada/acesso para a MG 132.
    No Parque do Xopot, nas reas que margeiam a rodovia j pavimentada, o prefeito Ruy Fernandes est executando a expanso do projeto de jardinamento e revitalizao. O bosque da Garvillea recebeu na ltima semana o plantio de novas espcies, sendo ampliado.
    O projeto, de acordo com o prefeito, vai abranger tambm a Rua Antnio Carvalho de Oliveira, que ser revitalizada e arborizada. Ainda, de acordo com o prefeito, nos primeiros meses de 2008 o Governo do Municpio realizar a construo da Praa vereador Guy de Fontgaland, na referida Rua.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 17, 2007

    FIDELIDADFE PARTIDRIA. TSE decide que a fidelidade vale tambm para o Presidente da Repblica, os governadores, senadores e prefeitos. Confira!






    A fidelidade partidria tambm vale para os cargos majoritrios senadores, prefeitos, governadores e presidente da Repblica, de acordo com o que decidiu hoje (16), por unanimidade, o Plenrio do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ao responder afirmativamente Consulta (CTA 1407) formulada pelo deputado federal Nilson Mouro (PT-AC).

    Na Consulta, cujo relator o ministro Carlos Ayres Britto, o deputado destaca que o TSE concedeu aos partidos e coligaes o direito de preservar a vaga obtida pelo sistema eleitoral proporcional. Ele indaga, ento, se "os partidos e coligaes tm o direito de preservar a vaga obtida pelo sistema eleitoral majoritrio, quando houver pedido de cancelamento de filiao ou de transferncia do candidato eleito por um partido para outra legenda?".
    H quase sete meses, o TSE decidiu que o mandato obtido nas eleies proporcionais pertence ao partido, no ao candidato. Esse entendimento atinge deputados federais, estaduais, distritais e vereadores. 
    Voto do relator
    Ao votar, o ministro Carlos Ayres Britto disse que, de acordo com a interpretao constitucional, o Senado foi normatizado como instncia de representao dos estados e do Distrito Federal, mas que isso precisa ser interpretado de acordo com trs questes bsicas. 
    A primeira, de que o povo a fonte de todo o poder governamental, exercendo tal poder por meio de representantes eleitos, ou seja, todos os eleitos so representantes do povo, de acordo com o pargrafo nico do artigo 1 da Constituio Federal. 
    Segundo, ainda de acordo com o ministro-relator, a primeira forma de soberania popular est no sufrgio universal e no voto direto e secreto, como dispe o artigo 14 da Constituio e, por ltimo, acentuou que a filiao partidria condio sine qua non de elegibilidade.  
    " preciso conciliar as respectivas interpretaes" afirmou o ministro. "Ao falar dos deputados federais como representantes do povo a Constituio no recusou ao presidente da Repblica e aos senadores a condio de legtimos detentores de uma representao popular", salientou. 
    O ministro Carlos Ayres Britto fez, ainda, uma anlise da representatividade dos partidos polticos no pas. Disse que, de acordo com os artigos 45 e 46 da Constituio Federal, a Cmara dos Deputados uma instituio preponderantemente republicana, e o Senado Federal, uma instituio mais claramente federativa. "Mas no exclusivamente", ponderou.
    "Sem que isso signifique negar Cmara o desempenho de misteres federativos nem ao Senado o desempenho de misteres republicanos. At porque deputados e senadores so agentes do Congresso Nacional e o Congresso desempenha vrias funes, ora federativas, ora republicanas", afirmou o ministro.
    De acordo com o ministro, todos que exercem mandato eletivo, tanto a nvel federal, como estadual e municipal, "esto vinculados ao modelo de regime representativo, que faz do povo e dos partidos polticos uma fonte de legitimao eleitoral". O instituto da representatividade binria, disse o ministro Carlos Ayres Britto, "incompatvel com a tese da titularidade do mandato como patrimnio individual ou propriedade particular".
    Assim, o ministro respondeu afirmativamente Consulta, para assentar que "uma arbitrria desfiliao partidria implica renncia ttica do mandato eletivo, a legitimar, portanto, a reivindicao da vaga pelos partidos". Por fim, salientou que "o mximo de segurana jurdica respeitar a Constituio".
    Jos Delgado
    O ministro Jos Delgado, segundo a votar, destacou a "fortaleza dos fundamentos postos" pelo relator da consulta, ministro Carlos Ayres Britto, e reafirmou o posicionamento j assumido quando o TSE respondeu consulta anterior, referente s eleies proporcionais. O corregedor-geral da Justia Eleitoral acompanhou "integralmente" o voto do relator e "teceu" algumas consideraes.
    "Fidelidade partidria indispensvel ao fortalecimento das instituies polticas. to necessria que o artigo 14, pargrafo 3, inciso 5, da Constituio Federal, exige como condio absoluta de elegibilidade que o candidato esteja filiado a algum partido", defendeu.
    "A valorizao do candidato, em detrimento do partido, tem propiciado uma situao que facilita a migrao partidria, muitas vezes com finalidade meramente eleitoral ou pessoal, em face da ausncia de compromisso com os programas partidrios. Esse proceder no est autorizado nem explicitamente nem implicitamente pela Constituio Federal. Esse proceder se choca frontalmente com os postulados em princpios que a Constituio cria como sistema poltico". 
    Para o ministro Jos Delgado, "no instante em que h liberdade de orientao partidria, a fidelidade partidria uma necessidade de natureza absoluta e gera conseqncias imediatas". "indiscutvel" a tese de se fortalecer a fidelidade partidria para os candidatos, sob pena de o sistema ficar "manco", de o sistema no ficar horizontal. 
    Ainda conforme o entendimento do corregedor-Geral, o eleito, "conseqentemente, passa a ser obrigatoriamente um representante do partido a que est filiado". "No instante em que quebra a fidelidade prometida ao partido, renuncia a estar em condies de representar o partido no Legislativo, perdendo o direito subjetivo de exercer o cargo ocupado, que adquiriu com a vinculao ao partido", afirmou o ministro. "Sem essa vinculao, nunca teria chegado ao cargo", acrescentou. 
    "No se pode afastar tambm a vinculao direta do candidato, tanto nas eleies majoritrias como nas proporcionais, aos ideais definidos pelo partido. Tanto assim que durante a campanha as bandeiras do partido, tanto no sentido literal como no sentido figurado, representam a plataforma partidria", pregou.
    Ari Pargendler
    O ministro Ari Pargendler, terceiro a votar, tambm acompanhou o voto do relator, que definiu como "um voto brilhante". Mas ressalvou que a idia de migrao no deve constituir uma espcie de "renncia tcita", e sim uma desqualificao do mandato pelo abandono do partido. Segue o voto do ministro Ari Pargendler:
    Segundo o ministro, "constitui pressuposto do nosso sistema constitucional que o eleito exera o seu mandato no partido que o elegeu. A CF, embora discipline detalhadamente a existncia dos partidos polticos, no cogitou dessa especial circunstncia da migrao de um partido para o outro porque repugna mesmo idia do sistema vigente essa possibilidade".
    Ele salientou que o fato s vem anlise nesse Tribunal Superior "em funo do cenrio que se manifestou nos ltimos anos, com uma desenfreada fuga de partidos por parte dos eleitos e por motivos completamente arbitrrios. Ns estamos tratando aqui, portanto, dessa migrao arbitrria. H hipteses em  que essas transferncias de partido se justificam. Por isso, estou inteiramente de acordo com o voto do relator", destacou. 
    Contudo, o ministro fez uma observao: "A idia de que essa migrao constitua uma espcie de renncia, renncia tcita, no me parece apropriada porque a renncia traz consigo a idia de uma inteno. E no pode haver uma renncia tcita que contrarie a inteno. E a inteno daqueles que abandonam o partido no de deixar o exerccio do mandato. Por isso que, apenas substituindo a expresso 'renncia tcita' pela idia de que na verdade o mandato se torna desqualificado pelo abandono do partido", concluiu. 
    Caputo Bastos
    O ministro Caputo Bastos fez questo de ressaltar que o TSE est respondendo questo em "homenagem" aos parlamentares que trazem essas consultas ao Tribunal. O ministro disse que h um retumbante equvoco na acusao de o Tribunal estar "legislando". O TSE no faz, nem teria a pretenso de fazer, o que no est sob a sua competncia constitucional. Mas tambm no pode deixar questes sem resposta. "Perguntado, vai responder", disse.
    Nesse ponto, ele sublinhou que o voto do relator foi "irrepreensvel". "Com esse esclarecimento de que quando o Tribunal responde uma consulta ele no est legislando, mas est fazendo uma interpretao sistemtica do ordenamento jurdico CF, Cdigo Eleitoral, Lei Eleitoral e Resolues ele faz uma interpretao sistemtica. E quando s vezes aparentemente no existe um dispositivo explcito, ele o faz na forma da chamada interpretao dinmica, construtiva, no sentido de dar completude ao ordenamento jurdico", pontuou, referindo-se ao voto do relator.
    O ministro Caputo Bastos fez, ainda, consideraes tendo em conta algumas questes que se avizinham. como ele mesmo disse, "definindo-se a questo do ponto de vista constitucional e eleitoral, outras questes devero ser objeto de disciplina, entre outras: a Justia Eleitoral que ser competente para examinar a questo? Atuaremos em sede administrativa ou em sede eleitoral? So questes sobre as quais o Tribunal dever se debruar", ponderou.
    Gerardo Grossi
    Em seu voto, o ministro Gerardo Grossi lembrou que, quando da resposta Consulta trazida ao Tribunal no dia 27 de maro, ele no estava presente sesso e, por isso, no votou sobre a questo. "Tive o cuidado de ler o acrdo com a maior ateno: o voto do relator, ministro Csar Rocha, e os votos dos ministros Cezar Peluso e Marco Aurlio aqueles que mais pensaram, meditaram e disseram naquele julgamento. Embora no tenha participado do julgamento, vi que a deciso foi submetida ao crivo do Supremo Tribunal Federal, e foi inteiramente acolhida por aquele Tribunal, embora por votao majoritria, o que nada quer dizer: "um Tribunal de onze que decide por oito decidiu definitivamente", avaliou.
    Segundo ele, a matria proposta hoje absolutamente idntica quela, por isso acompanhou o voto do ministro Carlos Ayres Britto, no sentido de responder afirmativamente Consulta.
    Cezar Peluso
    Por sua vez, o ministro Cezar Peluso disse, em seu voto, que o fato de o cargo em discusso ser majoritrio "no retira a validez" do raciocnio de exigncia de fidelidade partidria, que exps quando da anlise referente a cargos proporcionais, tanto no TSE, em maro deste ano, quanto no Supremo Tribunal Federal (STF), h poucos dias.
    Ele afirmou que no ia repetir as argumentaes de ento, porque o voto do ministro-relator tinha sido "bastante slido e abrangente".  Salientou, contudo, que acompanhava a ressalva do ministro Ari Pargendler quanto proteo do mandato, e disse que no lhe parece justificvel a figura da renncia, que ato espontneo.
    O ministro Peluso lembrou que "diante do fato objetivo de desfiliao partidria imotivada vem, em conseqncia, a perda do mandato, independentemente da ao, ou no, que possa ser atribuda ao candidato". Com essa ressalva acompanhou o relator, como os demais ministros.
    Marco Aurlio
    O presidente do TSE, ministro Marco Aurlio, ressaltou que no h distino quanto disciplina partidria e fidelidade partidria, no que diz respeito as cargos proporcionais ou majoritrios: "O preceito  abrangente, apoiando portanto as eleies majoritrias". Afirmou que h um "elo inafastvel" de identificao entre o candidato a cargo 
    majoritrio e o partido durante o mandato.
    Ele ressaltou que o financiamento das campanhas eleitorais feito em parte com recursos do Fundo Partidrio, e que o candidato a cargo majoritrio usa inclusive o mesmo nmero do partido, estabelecendo elo ainda mais forte entre ele e a sigla que respalda sua candidatura. Isso impede, portanto, na sua avaliao, que o candidato, logrando  xito, "possa simplesmente virar as costas ao partido que respaldou sua caminhada eleitoral".
    O ministro Marco Aurlio ainda frisou que as eleies proporcionais oferecem um argumento a mais pela obrigatoriedade de fidelidade, que  a distribuio das cadeiras, mas enfatizou que "isso no altera a percepo da Carta Magna como a revelar o grande sistema a ser considerado a partir da condio bsica de elegibilidade, que a filiao, com antecedncia mnima de um ano".


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 17, 2007

    O MUNDO PLANO? O artigo especial a logo abaixo, enviado ao nosso BLOG DE NOTCIAS est fazendo maior sucesso. Obrigado ao nosso amigo Wagner Gomes, ex-superintendente do Banco do Brasil em Minas. Leia o E-mail que ele nos enviou!

    Caro Joo Carlos:

    Espero que o seu blog esteja bombando ai, pois tenho recebido algumas mensagens de cumprimentos, a exemplo dessas abaixo, que inclusive falam de seu blog. A propsito, no blog j sou o campeo de comentrios. Nesse horrio, acessei e vi por l quatro comentrios.

    Valeu amigo.

    Um abrao

    Wagner Gomes



    ----- Original Message -----



    Sent: Tuesday, October 16, 2007 6:03 PM

    Subject: Re: Artigo de minha autoria: O Mundo Plano?




    Wagner,

    Li e gostei muito do seu artigo.

    A linguagem castia.

    Voc consegue escrever coisas profundas com estilo agradvel e clareza.

    PARABNS! Continue escrevendo sempre.

    Gostei do blog desse jornalista. Ameno e variado.

    Eu no tenho dvida de que o mundo plano. Ns fazemos planos; planejamos, planejamos, planejamos, mas costuma dar tudo errado... ou diferente... kkkkk

    Abrao amigo.

    Brina.



    ----- Original Message -----



    Sent: Tuesday, October 16, 2007 2:54 PM

    Subject: Re: Artigo de minha autoria: O Mundo Plano?



    Prezado Wagner:

    Confesso que fiquei emocionado e orgulhoso do seu artigo "O Mundo Plano?". Emocionado pela qualidade esmerada com que o assunto foi abordado fato que no me trouxe surpresa pois conheo de perto seu enorme potencial. Orgulhoso, por t-lo como colega brilhante e amigo sincero, amizade essa que fao questo de manter e preservar. Parabns,pois, por essa mais bela surpresa de excelente teor.

    Um grande abrao do colega amigo e admirador. Estarei sempre lendo esse blog. Ainda no o conhecia.

    Mauro Machado Borges.
    ----- Original Message -----



    Sent: Tuesday, October 16, 2007 2:54 PM

    Subject: Re: Artigo de minha autoria: O Mundo Plano?



    Prezado Wagner:

    Confesso que fiquei emocionado e orgulhoso do seu artigo "O Mundo Plano?". Emocionado pela qualidade esmerada com que o assunto foi abordado fato que no me trouxe surpresa pois conheo de perto seu enorme potencial. Orgulhoso, por t-lo como colega brilhante e amigo sincero, amizade essa que fao questo de manter e preservar. Parabns,pois, por essa mais bela surpresa de excelente teor.

    Um grande abrao do colega amigo e admirador. Estarei sempre lendo esse blog. Ainda no o conhecia.

    Mauro Machado Borges.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 16, 2007

    ARTIGO ESPECIAL.

    Foi enviado ao nosso BLOG DE NOTCIAS por Wagner Gomes, mineiro de Montes Claros. Foi superintendente do Banco do Brasil em Minas.


                                                                              O Mundo Plano?
                                                                               *Wagner Gomes

    Segundo Thomas Friedman, autor do best-seller "O Mundo Plano", a globalizao atravessou trs grandes eras, sendo que a ltima delas achatou e encolheu o mundo definitivamente, redistribuindo o poder de fazer acontecer. Globalizao um termo que foi cunhado na era Bill Clinton para descrever as relaes entre governos e grandes empresas. Mas o que est acontecendo hoje um fenmeno muito mais amplo e profundo.
    Determinados empregos agora se do no espao ciberntico, profissionais interagem com outros nos diversos cantos do mundo, bens e servios so gerados, ao mesmo tempo, atravs de cadeias produtivas formadas em diversos lugares. E crises tambm. Isso nos faz prever profundas modificaes na estrutura da ordem econmica mundial, com dolorosas rupturas provocadas pelo desenvolvimento de uma nova forma de poder, que se resume na capacidade de enfrentamento das crises mundiais sem deixar que a economia local seja por elas contaminada.
    A rapidez e a amplitude com que essas crises surgem e se alastram se d de maneira fulminante. Por exemplo, recentemente os jornais nos traziam ameaas embutidas nas turbulncias de um mercado financeiro sacudido por um novo termo: mercado subprime. E de repente no mundo inteiro s se falava disto. Ns, pobres mortais, incrdulos, ficvamos sem entender o que tinha por trs de todo aquele movimento que bagunou as bolsas do mundo inteiro.
     E vejam s: essas operaes subprime, que surgiram do nada em nosso imaginrio, nada mais so do que o volume de recursos sob a forma de emprstimos concedidos a clientes com baixa capacidade de pagamento e, por isso mesmo, penalizados com altas taxas de juros para compensar o elevado risco de calote. O inverso, ou seja, o mercado prime, aquele que contempla os clientes com perfil de renda e patrimnio mais elevado, navegava em mar de rosas, no mundo real de juros situados em patamares historicamente baixos.
    Mas como se isso no bastasse, os emprestadores do mercado subprime, temendo as incertezas conscientemente provocadas pela atitude irresponsvel de emprestar a quem demonstrava acentuado risco de no pagar e a juros elevados, rene blocos de devedores e passa a ceder os seus direitos de recebveis futuros a fundos de penses, investidores institucionais e a quem quer que desejasse correr o risco de ganhar muito com nenhum esforo, ainda que participando de um mercado de altssimo risco.
    Tudo isso foi feito de uma maneira a conferir credibilidade ao processo: contrataram agencias de classificao de risco (a Moody's ganhou destaque na imprensa, embora no fosse a nica, estando, inclusive, sendo processada por um fundo de penso) para ajudarem na montagem do produto, de modo a que ele fosse avaliado com baixo risco. Assim, o conflito de interesse estava formado. Elas ganhavam montando a estrutura e depois avaliavam o risco como baixo, pois trabalharam para que assim o fosse.
    Eis ai a montagem da equao que detonou o estopim de uma crise que se alastraria com a rapidez de rastilho de plvora, uma vez que a falsa premissa de rentabilizar fartos recursos, a uma taxa mais alta que a dos juros bsicos, faria feliz toda uma cadeia especulativa. E a crise se instala, pois tais emprstimos requerem garantias reais, a exemplo de hipotecas, imediatamente executadas em volumes crescentes, fazendo desvalorizar o preo dos imveis e toda a cadeia produtiva a partir da. Fcil imaginar que ao se abater sobre os Estados Unidos tal crise, o mundo se veria em um gigantesco processo de averso ao risco, que motiva as aplicaes nas economias consideradas emergentes, a exemplo do Brasil, pela maior rentabilidade que isso representa.
    Outra conseqncia poderia advir de uma recesso americana que, fatalmente, impactaria o crescimento da economia mundial: os pases que exportam, significativamente, para os Estados Unidos, seriam muito afetados. Por isso mesmo foi dado um tratamento de choque pela Amrica crise, to logo detectada. O que no significa que foi debelada a causa. Apenas aplicaram-se remdios que o tempo h de melhor avaliar se foram ministrados na dosagem suficiente para que os americanos, em lugar de enfrentar uma recesso, sofram menos com uma desacelerao, ainda que acentuada, da atividade econmica.
    No foi a toa que o Brasil passou quase ao largo dessa turbulncia, eis que amparado em fundamentos econmicos, conquistados com persistncia ao longo dos ltimos governos, embora no atual notados com maior robustez. Inflao sob controle, elevado e consistente supervit na balana comercial que lhe permitiu conquistar a menor vulnerabilidade externa de sua histria, assegurando, de quebra, ao Pas, uma competente sinalizao da reduo dvida/PIB nos prximos anos, so alguns dos indicadores que fazem parte do elenco dessas conquistas.
    Por tudo isso, o Brasil passou, com louvor, pelo teste mais duro a que esteve exposto, ao no deixar sua economia ser contaminada pelos ventos do hemisfrio norte. Outras crises, embora menores, j vieram antes desta sem que o Pais fosse afetado. At quando resistiremos? Fica no ar a pergunta.
                                                                    *Wagner Gomes
                                           Executivo na rea bancria, financeira e empresarial.
                                            Foi superintendente do Banco do Brasil em Minas.














    Comentrios

    #1. Roberto - (robema@bol.com.br)
    Esse dos bons. Escreve de uma forma que todo mundo possa entender. Bem diferente desses que escrevem na grande mdia.
    Parabens.
    Roberto

    #2. Eduardo Baleeiro - (eduardobaleeiro@uol.com.br)
    Na mosca.
    Louvo sobretudo a forma como o BC, presidido por Henrique Meireles conduz a economia.

    #3. Luis Cludio - (luiscsbarbosa@hotmail.com)
    Parabns!
    Aprendi em "letras e vrgulas" o que a mdia no conseguiu me explicar. Isso timo! achar a pegada da expresso cientfica com entendimento coloquial.
    Abs,
    luisc

    #4. Thiers A P Ribeiro - (t.penalva@uol.com.br)

    Prezado Wagner,

    Concordo plenamente com o Roberto quando ele diz que voce escreve de uma forma que todo mundo possa entender. A linguagem de fcil entendimento, o que faz esse assunto to srio, ser digerido por todos que o lem.
    Parabns.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 16, 2007

    EM PRIMEIRA MO. Aprovado agora, s 17h26m - por 62 votos - o Projeto do governador Acio Neves, que EFETIVA os cerca de 98 mil servidores designados do Estado, a maioria da rea de Educao. E em 1 turno foi aprovado, por 43 votos, o projeto tambm do governo estadual, que cria 282 novos cargos de Defensor Pblico. Fixa o salrio inicial de 6.580,00 podendo chega a 10 mil reais em final de carreira. O projeto da Defensoria Pblica volta semana que a plenrio para votao em 2 turno.

    O Projeto de Lei Complementar (PLC) 27/07, de autoria do governador do Estado, que institui a Unidade de Gesto Previdenciria Integrada (Ugeprevi) e efetiva os designados da Educao, teve seu parecer de 2 turno aprovado nesta segunda-feira (15/10/07) pela Comisso de Fiscalizao Financeira e Oramentria da Assemblia Legislativa de Minas Gerais. O parecer, de autoria do deputado Sebastio Helvcio (PDT), apresenta o substitutivo n 1 ao texto vencido em 1 turno. O substitutivo modifica a composio do Conselho Estadual de Previdncia (Ceprev), entre outras alteraes. O Ceprev um rgo executivo, consultivo e deliberativo, com a tarefa de administrar a Ugeprevi.
     Tambm foram aprovados pela Comisso de Fiscalizao Financeira e Oramentria os pareceres de 1 turno aos projetos de lei 1.015/07, de autoria do deputado Weliton Prado (PT), e 1.309/07, de autoria do deputado Sargento Rodrigues (PDT). Foram retirados de pauta, por no terem cumprido a tramitao necessria, os PLs 616/07, 730/07 e 1.121/07.
    Os designados da Educao, que sero efetivados pela proposta, so aqueles que exercem atividades de professor (regncia de classe), especialista em educao (orientador educacional e inspetor escolar, por exemplo) e servial (faxineiro e vigilante, por exemplo). Para saber se o servidor ser beneficiado pelo projeto, preciso confirmar se ele foi designado em qualquer perodo at 31/12/06, desde que esteja em exerccio, na escola, na data de promulgao da futura lei complementar. No ser beneficiado, portanto, o designado que estiver em exerccio, por exemplo, na sede da Superintendncia Regional de Ensino (SER). Tambm no ser beneficiado aquele servidor que foi designado inmeras vezes em anos anteriores, mas que no conseguiu designao para a escola em 2007. J o professor, por exemplo, que foi designado pela primeira vez em 2005 e que est em exerccio este ano tambm ser efetivado pelo PLC 27.
    J a implementao da Ugeprevi requisito para a emisso do Certificado de Regularidade Previdenciria, sem o qual ficam inviabilizados o recebimento de transferncias da Unio, a obteno de emprstimos internacionais pelo governo do Estado e a compensao previdenciria devida pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) aos regimes prprios de previdncia. Com a aprovao do projeto pela Assemblia e sua sano pelo governador, o Estado ter assumido o pagamento das aposentadorias dos servidores em troca do abatimento ou da remisso da dvida que tem com o INSS. Esse encontro de contas, de R$ 6 a R$ 10 bilhes de reais segundo a imprensa mineira, regulariza a situao de Minas Gerais.
     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 16, 2007

    Comea hoje, dia 16 e vai at dia 19, sexta-feira, a ECOLATINA - Conferncia Latino-Americana sobre o Meio Ambiente e Responsabilidade Social. Ser no Minascentro, aqui em BH.

    ECOLATINA: RONALDO VASCONCELLOS COMANDA DISCUSSES SOBRE FUTURO DO CLIMA.

     

             Na qualidade de Coordenador do Comit Municipal Sobre Mudanas Climticas e Ecoeficincia, o Vice-Prefeito de BH, Ronaldo Vasconcellos, ter uma participao importante na realizao da Ecolatina: Conferncia Latino-Americana sobre Meio Ambiente e Responsabilidade Social, que acontece no perodo de 16 as 19 de outubro, no Minas Centro, Av. Augusto de Lima, 785.

     

             Nesta tera-feira (16/10), s 19h30, ele estar representando o prefeito Fernando Pimentel na abertura oficial da Conferncia. No dia 18, a partir das 08h30, Ronaldo Vasconcellos, ser o coordenador do 9 Seminrio Nacional de Gerenciamento Ambiental nos Municpios Polticas Municipais e as Mudanas Climticas. Como debatedores, os prefeitos de Porto Alegre/RS, Jos Fogaa, Joo Henrique Carneiro (Salvador/BA), Carlaile Pedrosa (Betim/MG), Gilberto Kasab (So Paulo/SP) e Joo Paulo Lima (Recife/PE).        

    J no ltimo dia da Conferncia (19/10), a partir das 10h30, Vasconcellos realiza palestra com o tema Legislao Ambiental e  Mudanas Climticas. Do mesmo painel, participam o Diretor de Licenciamento Ambiental do IBAMA, Roberto Messias Franco, que falar sobre o futuro do licenciamento ambiental; e a Dra. Elizabeth Wagner, diretora do Centro de Recursos Ambientais da Bahia, debatendo o tema As Agncias Estaduais e o Controle das Emisses.

     

             No final dos debates, sero divulgadas as recomendaes, que serviro de base para a elaborao da Carta de Belo Horizonte, documento final da Ecolatina.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 16, 2007

    Efetivao dos 98 mil designados do Estado na reta final de aprovao. Est na pauta de agora tarde no plenrio presidente JK. Nas galerias esto os funcionrios, principalmente serventes da rea de educao. frente a APPMG - Associao de Professores Pblicos de Minas gerais, encabeada pela aguerrida professora Joana DArc Gontijo.

    O Projeto de Lei Complementar (PLC) 27/07, de autoria do governador do Estado, que institui a Unidade de Gesto Previdenciria Integrada (Ugeprevi) e efetiva os designados da Educao, teve seu parecer de 2 turno aprovado nesta segunda-feira (15/10/07) pela Comisso de Fiscalizao Financeira e Oramentria da Assemblia Legislativa de Minas Gerais. O parecer, de autoria do deputado Sebastio Helvcio (PDT), apresenta o substitutivo n 1 ao texto vencido em 1 turno. O substitutivo modifica a composio do Conselho Estadual de Previdncia (Ceprev), entre outras alteraes. O Ceprev um rgo executivo, consultivo e deliberativo, com a tarefa de administrar a Ugeprevi.
    O PLC 27/07 est na Ordem do Dia do Plenrio, nesta tera-feira (16/10/07). Tambm foram aprovados pela Comisso de Fiscalizao Financeira e Oramentria os pareceres de 1 turno aos projetos de lei 1.015/07, de autoria do deputado Weliton Prado (PT), e 1.309/07, de autoria do deputado Sargento Rodrigues (PDT). Foram retirados de pauta, por no terem cumprido a tramitao necessria, os PLs 616/07, 730/07 e 1.121/07.
    Os designados da Educao, que sero efetivados pela proposta, so aqueles que exercem atividades de professor (regncia de classe), especialista em educao (orientador educacional e inspetor escolar, por exemplo) e servial (faxineiro e vigilante, por exemplo). Para saber se o servidor ser beneficiado pelo projeto, preciso confirmar se ele foi designado em qualquer perodo at 31/12/06, desde que esteja em exerccio, na escola, na data de promulgao da futura lei complementar. No ser beneficiado, portanto, o designado que estiver em exerccio, por exemplo, na sede da Superintendncia Regional de Ensino (SER). Tambm no ser beneficiado aquele servidor que foi designado inmeras vezes em anos anteriores, mas que no conseguiu designao para a escola em 2007. J o professor, por exemplo, que foi designado pela primeira vez em 2005 e que est em exerccio este ano tambm ser efetivado pelo PLC 27.
    J a implementao da Ugeprevi requisito para a emisso do Certificado de Regularidade Previdenciria, sem o qual ficam inviabilizados o recebimento de transferncias da Unio, a obteno de emprstimos internacionais pelo governo do Estado e a compensao previdenciria devida pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) aos regimes prprios de previdncia. Com a aprovao do projeto pela Assemblia e sua sano pelo governador, o Estado ter assumido o pagamento das aposentadorias dos servidores em troca do abatimento ou da remisso da dvida que tem com o INSS. Esse encontro de contas, de R$ 6 a R$ 10 bilhes de reais segundo a imprensa mineira, regulariza a situao de Minas Gerais.
    Durante a reunio, o deputado Antnio Jlio (PMDB) disse ver contradies entre alguns dispositivos do projeto. "Eu entendo que os artigos 7 e 8 so conflitantes", afirmou o parlamentar.
    Projeto beneficia portadores de deficincia
    O PL 1.309/07, de autoria do deputado Sargento Rodrigues, foi relatado na Comisso de Fiscalizao Financeira pelo deputado Jayro Lessa (DEM), que recomendou sua aprovao, na forma do substitutivo n 2. O substitutivo apresentado no parecer de 1 turno modifica o texto do projeto de forma a preservar o pargrafo nico da Lei 15.757, de 2005, que alterada pelo PL 1.309/07. A referida lei autoriza o Poder Executivo a isentar do Imposto sobre as Operaes Relativas Circulao de Mercadorias e sobre Prestaes de Servios de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicao (ICMS) a aquisio de automvel para a utilizao por pessoa portadora de deficincia fsica, visual, mental severa ou profunda ou autista.
    O PL 1.309/07 amplia a definio de representante legal como adquirente de veculo automotor para fins de concesso de benefcio fiscal para portadores de deficincia. De acordo com o deputado Sargento Rodrigues, o Estado s tem admitido a iseno do ICMS para aquisio de veculo por representante legal quando o deficiente estiver judicialmente interditado, o que inviabilizaria o benefcio para os menores de idade.
    J o PL 1.015/07, de autoria do deputado Weliton Prado, torna obrigatria a comunicao dos repasses de recursos financeiros estaduais para os municpios s respectivas Cmaras municipais e a disponibilizao, na internet, de informaes sobre as atividades da administrao pblica. O parecer aprovado pela Comisso de Fiscalizao Financeira, de autoria do deputado Agostinho Patrs Filho (PV), recomenda a aprovao na forma do substitutivo n 1, da Comisso de Constituio e Justia, que apenas fez reparos de ordem tcnico-legislativa, para aperfeioar o texto. "Ao invs de criar uma nova lei, decidimos alterar lei anterior, que tratava do assunto", explicou o deputado Agostinho Patrs Filho. O deputado Antnio Jlio afirmou que a divulgao de dados relativos a cinco anos de gesto tornar necessrio criar um novo programa informatizado pelo Estado, algo que ele acredita que ser difcil acontecer.
    Presenas - Deputados Z Maia (PSDB), presidente; deputado Jayro Lessa (DEM), vice; Agostinho Patrs Filho (PV); Antnio Jlio (PMDB); Sebastio Helvcio (PDT) e Joo Leite (PSDB).




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 16, 2007

    FORUM DE LIDERANAS. Presidente do Siamig/Sindacar, o empresrio Luiz Custdio Cotta Martins, participou em Braslia, recentemente das discusses sobre o setor sucroalcooleiro. Confira detalhes!

    REUNIO FRUM DE LIDERANAS

                   

                    O presidente do Siamig/Sindacar-MG, Luiz Custdio Cotta Martins, participou da reunio do Frum de Lideranas do Setor Sucroalcooleiro, em Braslia (10/10), que tem um novo coordenador, o presidente do Sindicato do Paran , Carlos Anisio Tormena, em substituio ao ex-presidente de Gois, Igor Montenegro. Segundo ele, o presidente da nica, Marcos Jank, informou sobre a reunio com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, sobre Bioeletricidade e as modificaes no esboo do Projeto de Lei de regulamentao do setor, que se encontra em negociao com o governo federal.

    .O projeto de lei est bem mais de acordo com as aspiraes do setor e agora est na fase da anlise jurdica. Luiz Custdio disse que sugeriu a criao de um grupo de trabalho para tratar sobre bioeletricidade, no sentido de encontrar mecanismos de maior insero do setor nessa rea e aprofundar as discusses sobre o preo das tarifas. Ele props, tambm, a criao de outro grupo de trabalho para discutir questes em comum a todos os estados produtores, principalmente, quanto Reserva Legal, parte ambiental, trabalhista e legislao. Segundo ele, preciso criar diretrizes uniformes nessas reas para que as negociaes sejam facilitadas junto ao governo federal.

     

    Foi aprovada para o ms de fevereiro/08 a realizao de uma ampla discusso entre as lideranas e assessorias, a fim de definir polticas de atuao para o Frum, j que vrios assuntos esto em andamento e h necessidade de se definir uma atuao conjunta, para melhor estratgia de atuao junto aos vrios rgos  envolvidos.

    Outro assunto abordado se referiu safra em andamento, que est bem mais alcooleira, com um crescimento grande da demanda por lcool combustvel. Caso a demanda continue aumentando, os estoques de passagem podero ser mnimos na entressafra.

    As lideranas se reuniram, tambm, com o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, onde foram discutidos aspectos sobre o projeto de lei para o setor, zoneamento da produo sucroalcooleira e certificao.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 15, 2007

    Os 10 anos do Procon da Assemblia de Minas. Reunio Especial ser s 20 horas no Plenrio JK, com transmisso AO VIVO pela TV Assemblia. Canal 11, pelo cabo em BH. No Interior pelo UHF. Ligue!

    Em homenagem aos 10 anos de criao do Procon Assemblia, o Plenrio da Assemblia Legislativa de Minas Gerais realiza, a requerimento da Comisso de Defesa do Consumidor e do Contribuinte, uma reunio Especial nesta segunda-feira (15/10/07). O evento, que acontece s 20 horas, abre ainda o Simpsio "Direito do Consumidor", e contar com a aula inaugural proferida pelo procurador-geral de Justia do Estado, Jarbas Soares Jnior.
    Inaugurado em 15 de outubro de 1997, o Procon Assemblia um rgo administrativo do Legislativo mineiro, integrante da Procuradoria-Geral. Seus objetivos so orientar o consumidor, harmonizar os interesses nas relaes de consumo e intermediar a resoluo de conflitos entre consumidores e fornecedores. A norma que trata do rgo a Resoluo 5.239, de 2005. O atendimento ao pblico, a pesquisa de preos e a educao para o consumo so focos do trabalho.
    O Procon Assemblia referncia para a imprensa e populao mineira no que se refere s questes de direitos do consumidor. O rgo atua tanto na Capital, onde tem dois postos, quanto no interior, por meio da internet. Segundo seu coordenador, Marcelo Barbosa, o Procon reflete a vocao do dilogo com a populao, que intrnseco ao Poder Legislativo. "A Assemblia de Minas Gerais foi pioneira na criao de um rgo desta natureza", lembra.
    O deputado Dlio Malheiros (PV), presidente da Comisso de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da ALMG, foi o primeiro coordenador do rgo, e disse que o Procon Assemblia foi criado para concentrar sua atuao nos atendimentos individuais e nas informaes educativas sobre consumo.
    O Simpsio "Direito do Consumidor" vai at o dia 17, com palestras no auditrio da Escola do Legislativo.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 15, 2007

    CIDADO HONORRIO DE CATAGUASES. O ttulo foi entregue ao ministro das Comunicaes, senador Hlio Costa. O vice-presidente da Repblica, Jos Alencar, prestigiou a solenidade.












    O senador Hlio Costa e o vice-presidente Jos Alencar, ladeados pelo casal prefeito de Ub



    O ministro Hlio Costa, senador da Repblica recebendo o diploma de Cidado Honorrio de Cataguases

    Nosso conterrneo, senador Hlio Costa agradecendo as homenagens recebidas de seus mais novos conterrneos em Cataguases


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 15, 2007

    FIDELIDADE PARTIDRIA. O assunto ser debatido hoje, s 23 horas na TV Assemblia. No cabo, o canal 11. No Interior de Minas pelo canal UHF de sua cidade.









    Assemblia Debate


    A fidelidade partidria e a deciso do STF tambm so destaque no Assemblia Debate. Participam os deputados Sebastio Helvcio, do PDT, Ruy Muniz, do DEM, a cientista poltica Helcimara Telles e o procurador da Assemblia Jlio Esteves no programa desta semana. O Assemblia Debate vai ao ar hoje, segunda-feira, s 23h.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 12, 2007

    ARTIGO ESPECIAL

                                                                    MEMRIAS DE UM REPRTER DE TV 
                                                                                        Joo Carlos Amaral.

                         Nas vrias vezes que o ex-governador do Rio, Leonel Brizola veio a Minas ns estvamos l o entrevistando, como reprter da Rede Globo. Nos palanques, nas coletivas animadas e engraadas, cheias de ironia que s Brizola sabia dar, ns acompanhvamos cada gesto, cada detalhe. "O velho caudilho", como era conhecido entre ns, jornalistas de poltica, no deixava pedra sobre pedra, quando se tratava dos adversrios e/ou at mesmo inimigos polticos. 

                         O curioso que na maioria das vezes que acompanhamos as entrevistas coletivas do ex-governador Brizola, a matria no ia para o ar na Rede Globo. Como assim? Era o seguinte: Brizola no perdia a oportunidade de estocar o saudoso dono da Globo, dr. Roberto Marinho. que Brizola no conseguia esconder, e nem fazia a menor fora para esconder sua mgoa, com os Marinho, a quem ele atribuia m vontade na eleio dele ao governo do Rio de Janeiro, que gerou o caso Proconsult - que os fatos da poca registrados pela mdia, diziam que a Globo tentou ajudar numa suposta manobra para retirar de Brizola a eleio ( verdade ou no, o que crnica poltica registrou  poca). 

                          Da, sem mais nem menos, Brizola no meio de uma declarao saa com um comentrio maldoso sobre a Rede Globo e o dr. Roberto Marinho. Ns, como reprter Poltico da Rede Globo, ficvamos de saia justa, sem o que dizer. Segurvamos firmes o microfone e no arredvamnos p, sempre com o corao na mo, constrangidos, sem poder nada dizer. Cumprimos a nossa misso, j pensando: como que o editor vai dar esta entrevista falando mal do dono da casa? Eram tempos difceis. E mais, acabava a coletiva e os colegas da mdia sempre provocavam: o governador Brizola disse que a Globo no vai por a entrevista no ar. E a, Joo Carlos? ...

                         Lembro-me uma dessas entrevistas. Foi no Auditrio da Assemblia Legislativa de Minas. L estvamos ns. Como era uma coletiva daquelas formais, colocamos os mcrifones na mesa, lotando a frente do ex-governador Leonel Brizola. Receb a orientao s para gravar. No fazer nenhuma pergunta para no provocar nenhum dos  corriqueiros comentrios maldosos de Brizola sobre a Globo. Tudo ia bem.

                          De repente, a reprter do jornal O Globo, nossa colega Sulamita, se levanta, pega o microfone colocado disposiao dos reprteres. Se identifica e pergunta: dr. Brizola, o presidente Sarney disse que desta vez a economia vai deslanchar. Como que o sr. analisa a fala do presidente da Repblica?

                         Olha minha filha - disse Brizola irnico, com sua fala arrastada - nessa nem o dr. Roberto Marinho acredita! E emendou: mesmo ele sendo o principal avalista do governo Sarney!
    Reao imediata: a reprter de O Globo focou vermelha, sem o que dizer. E como eu era o reprter da TV Globo na coletiva, todos olharam em minha direo, inclusive o ex-governador Brizola, que emendou: olha quero ver voc colocar est no ar! e riu...

                          Foi a maior saia justa que j vesti, sem querer claro! Enfirei o rabo entre as pernas, como se diz aqui em Minas, peguei a equipe e mais uma vez, jurei para mim mesmo: quando eu sair da Globo foi contar este episdio. Confesso que fiquei com raiva do dr. Brizola, mas entend, Como dizia o  presidente Tancredo Neves, " POLTICA NO PARA AMADOR", preciso ter estmago.

                          Pensei: mesmo, poltico e reprter poltico tambm! E como a briga era "entre cachorros grandes", peguei a fita, coloquei debaixo do brao e levei para nossa redao, ainda na rua Rio de Janeiro no bairro de Lourdes, aqui em Beag. 

                          Brizola foi "proftico": a entrevista, claro, no foi para o ar. Mas a fita foi gerada na ntegra para o alto comando da Rede Globo no Rio de Janeiro, para conhecimento dos chefes. 
    Hoje, com internet, os Blogs, os E-mails, como como que seria a reao dos formadores de opinio? E mais: reconheo que se eu fosse o dono da Globo no tinha como colocar no ar uma entrevista ofensiva e, digamos, gratuita, movida pela raiva - justificvel ou no - no sei, do dr. Brizola. Ficou para mim a lio: sem sangue frio, sem tica, sem coragem de suportar saias justas no d para ser reprter, muito menos de TV.

                          Fao este registro, para dar uma fotografia da poca. Mostrar o estilo de um poltico, em um mundo sem globalizao, sem rede mundial de comunicao. De um mundo sem Internet,  E-mail, sem You Tube. O fax tinha acabo de chegar ao mercado e as duas rdios que eram porta-vozes das duas maiores naes do planeta eram a Voz da Amrica, em Washington e a Rdio Moscou em Moscou, em plena guerra fria.  Um registro histrico, que s ficou na minha memria e dos josrnalistas e polticos - muitos j mortos - que estavam naquele auditrio da Assemblia Legislativa naquela tarde  longinqua dos idos de meados dos anos 80. 

                          EM TEMPO: a fita com a coletiva de Brizola, certamente, est nos arquivos da Rede Globo no Rio de Janeiro. E um dia, quem sabe, vai virar histria, de um tempo que ensaiva a democracia, haviam s quatro canais de TV no Pas, com a Globo absolutamente na frente e, ns reprter polticos ensaiavamos os primeiros passos na carreira. Uma vitrine - a Globo era e ainda - fundamental para um jovem que buscava a fama, o reconhecimento. como disse Fernando Pessoa;" tudo vale a pena se alma no pequena". E a minha era grande! A nossa pacincia bem maior. Mas, valeu a pena!
                           


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 11, 2007

    TURISMO em Barbacena. Veja como foi o BAILE DAS ROSAS. Cobertura especial para nosso BLOG DE NOTCIAS, feita pelo nosso amigo o competente colunista Idinando Borges do barbacenaonline;

                                Foi no Automvel Clube de Barbacena.


    A rainha, Marlia Costa Miranda e Milton Jcome - Mariane Pacheco e Ondina Couto Andrada

    A Cenatur foi a responsvel pelo Baile das Rosas e alm da desenvoltura e da competncia, mostrou sensibilidade. Ralf Justino e Flvio Borges coordenaram uma equipe talentosa e criativa na arte de inovar. Adriana Falco e Alexandre Braga foram responsveis pela organizao do baile, incluindo a banda San Remo, ponto alto do evento e a bela decorao. rico Pissolati o responsvel pela rea externa, leia-se exposio. Frederico Oliveira foi o responsvel pela Tenda Eletrnica e trouxe o DJ Vicky Walker do Rio de Janeiro e levou a turma teen ao delrio. Contaram com o apoio imprescindvel da CDL, que foi brindada com parte dos lucros para a entidade social de Ajuda ao Menor e viu, na homenagem distinta dama da festa, Edna Frateschi Maia, o reconhecimento do trabalho de todos.











    O Prefeito Martim Andrada e o
    filho Zezinho Couto Andrada

    Ralf Justino e Edna Frateschi Maia Homenageada


    Alexandre Santos, Mariane Pacheco e Ralf Justino

    A eleita foi a bela Marlia Costa Miranda, representante da Associao Comercial, presidida por Flvio Franco. Linda e cheia de sonhos mostrou sensibilidade ao chorar bonito chorar! O jri: Patronesse Mariane Pacheco, o mdico Marcos Randeli, o jornalista Flvio Carvalho, a colunista Daniela Costa, o empresrio Milton Jcome, a modelo Isabela Cmara Starling, o presidente do SPC Brasil, Roberto Alfeu Gomes, o presidente da FCDL MG, Jos Csar da Costa e as elegantes; Daniela Gonalves de Melo Costa e Maria de Lurdes Gomes. O cerimonial foi da jornalista Graziela Braga e do talentoso Wagner Oliveira, reprter da Show FM.











    O deputado Lafayette e
    Luciana Amaral Andrada

    Roberto Costa Sad com a filha e princesa,
    Roberta Bertolin Sad


    Elizabeth Maria Bueno Cmara e Benedito Alvarenga Starling com a filha Priscila Cmara Starling

















    A bela Camila Bertolin Sad,
    Rainha das Rosas 2004 e Eny Sad

    A modelo Isabela Cmara Starling e
    Leandro Faria



    Ana Paula e Alexandre Mazoni Silva

    Jos Luiz Batista de Souza Jnior e
    Raquel Gonalves Campos


    Maria Tereza de Melo, Heloisa Tymburib Sad e Daniela Gonalves de Melo Costa











    Nilton Csar e Aparecida Flores Pinto

    Graziela Braga e rico Pissolati


    Flvio Borges de Medeiros, Milton Jcome e rica Sena


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 11, 2007

    CARTA AO PRESIDENTE DA TAM. O texto foi enviado ao nosso BLOG DE NOTCIAS, pelo administrador de Empresas, Jos Aparecido Ribeiro, ex-presidente da Associao Brasileira de Hotis, seco de Minas Gerais. Confira!

                                                           Prezado Presidente da TAM:
    Procuro ser justo nas criticas e nos elogios. Quando houve o acidente com o avio da TAM em So Paulo enviei uma mensagem para o Presidente com algumas observaes sobre o que a TAM deveria esperar para os prximos meses em relao ao oportunismo da imprensa nacional e o despreparo do pessoal de terra para lidar com crises, me soladarizei e sugeri algumas atitudes que espera-se em um momento de catstrofe de uma Empresa do porte da TAM, ou seja, um plano na ponta da lngua ou do lpis na agenda de cada funcionrio, no ar ou em terra.
    Farei uso desta mensagem para manifestar minha indiganao com os valores de passagem propostos para o trecho SAO(GUARULHOS) -BHZ(CONFINS) - R$847,00 apenas uma perna. Isto  uma afronta e uma manifestao explicita de oportunismo escandaloso. Sempre tive a TAM em alto conceito nas relaes com o consumidor e como uma empresa parceira que preza as vias de mo dupla nas relaes comerciais.
    Estou decepcionado com esta estoro e com este jeito malfico `tupiniquin` de levar vantagem em momentos `oportunisticos`, se  que existe esta palavra. Nada contra o lucro e as oportunidades de ganhar um pouco mais em periodos de alta demanda, sobretudo quando o mercado est favorvel, mas um trecho que normalmente e vendido a R$180,00, de repente passar a custar R$847,00, no minimo  chamar o consumidor de OTRIO. Ou simplesmente, por necessidade dele, ESTORQUILO descaradamente...
    O avio nao  mais um luxo, mas uma necessidade, sobretudo em um Pais de dimensses continentais como o nosso e com rodovias escabrosas como as nossas.
    Vale uma reflexo  moda antiga...
    Aristteles em sua obra `A Politica`, sugere ao homen (E SERVE PARA OS QUE DIRIGEM EMPRESAS) o caminho do meio para alcancar a virtude... Eu sugiro a TAM que lembre-se de um dito popular, conhecido em qualquer parte do planeta e que vale para ser aplicado quando a `GUELA EST MUITO LARGA`. O mundo  redondo e nada como um dia atrs do outro...
    Mais do que isso, cuidado com um dos 7 pecados capitais, o da avareza, ele costuma nos pegar quando menos esperamos.
    Ser justo no  virtude e sim um ato de sabedoria E RESPEITO PELO PRXIMO...
    Cordialmente,
    Jose Aparecido Ribeiro
    Administrador CRA-MG-0094-94
    Belo Horizonte - Minas Gerais.
    31-9953-7945
    Fidelidade - 35848205  E-mail - jaribeirobh@gmail.com
     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 11, 2007

    Prmio CENA DE MINAS d 1 milho de reais para quem produz teatro, dana e cirso. O prmio anual. Solenidade foi presidida pelo vice-governador Antnio Anastasia no Palcio da Liberdade, aqui em BH.









                                       Governo lana Prmio de Artes Cnicas Cena em Minas

     









       

    Omar Freire/Imprensa MG

    O Governo do Estado lanou, nesta quarta-feira (10), em solenidade no Palcio da Liberdade, o Cena Minas - Prmio Estado de Minas Gerais de Artes Cnicas, que ir fomentar produes artsticas nas reas de teatro, dana e circo. O Cena Minas conceder, anualmente, R$ 1 milho a grupos e companhias, produtores e artistas que se destacam no Estado. O objetivo incentivar e fortalecer essas manifestaes cnicas, garantindo a manuteno de espaos e fomentando a formao de pblico. O prmio tem patrocnio da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), por meio da Lei Federal de Incentivo Cultura.
    O prmio de artes cnicas muito positivo. O circo, a dana e o teatro nos encantam e o poder pblico deve ter a responsabilidade de alimentar esse esprito. Essas categorias nem sempre tiveram o apoio que gostaramos, mas h uma determinao firme do governador de esse prmio ser um passo de uma caminhada que consolidar para que o poder pblico permita que se forme esse pblico e que crianas e jovens comecem a assistir aos espetculos, afirmou o vice-governador Antonio Augusto Anastasia, que presidiu a solenidade.
    Durante o evento, que contou com a presena de cerca de 200 pessoas entre artistas e produtores de teatro, dana e circo, Antonio Anastasia destacou os investimentos realizados pelo Estado na rea de Cultura. De 2003 a 2006, o Governo do Estado investiu, por meio da Lei Estadual de Incentivo Cultura, R$ 159,4 milhes beneficiando 2.168 projetos e, atravs do Fundo Estadual de Cultura, disponibilizou R$ 19,95 milhes para patrocinar 1.049 projetos. Segundo ele, os investimentos s foram possveis em funo do equilbrio das contas pblicas que permitiram ao Estado contemplar, alm das reas de infra-estrutura, tambm as reas social, educacional e cultural do Estado.
    Em Minas, conseguimos, aps empenho muito forte do governo, o equilbrio das contas do Estado, que tem nos possibilitado investimentos em vrias reas e a cultura est recebendo a sua parte. Agora, temos o prmio que conta com apoio da Copasa, que tambm um outro exemplo de empresa eficiente de Minas, disse.
    Abrangncia estadual
    O prmio Cena Minas beneficiar projetos de artes cnicas em todas as regies do Estado. Segundo a secretria de Estado de Cultura, Eleonora Santa Rosa, a premiao ter abrangncia estadual assim como outros instrumentos de fomento, como o Fundo Estadual de Cultura e a Lei Estadual de Incentivo Cultura que prioriza projetos do interior com 48% dos seus recursos.
    Ns temos polticas para a capital, para no deixar os grupos aqui desprovidos, mas h um compromisso efetivo, real, da Secretaria de Estado de Cultura de trabalhar com o interior, com a comunidade, com os grupos do interior e ns temos feito isso, sim. Hoje, somente na Lei Estadual (de Incentivo Cultura) 48% dos recursos j so destinados para o interior, e o Fundo de Cultura majoritariamente para o interior, afirmou.
    Eleonora Santa Rosa destacou a parceria com a Copasa para aumentar a abrangncia da premiao. Segundo ela, os escritrios regionais da companhia de saneamento contribuiro para divulgar ainda mais as artes cnicas.
    O escritrio local da Copasa vai ser um brao de divulgao do programa de artes cnicas. Cabe secretaria fazer um trabalho de divulgao, de formao, de capacitao e disseminar seus instrumentos de poltica pblica. Nesse caso, com a parceria com a Copasa, eu posso atingir uma gama de municpios que eu no atingira apenas pelo sistema de cultura, afirmou.
    Categorias
    Os recursos do Cena Minas sero distribudos em trs categorias. A primeira receber R$ 480 mil e premiar projetos que invistam na manuteno de espaos de grupos de teatro e dana. A segunda categoria priorizar a formao de pblico com a distribuio de R$ 360 mil entre projetos que realizem apresentaes de teatro e dana voltados para alunos e professores da rede estadual de ensino, fortalecendo o elo entre educao e cultura. A terceira categoria premiar com R$ 160 mil projetos que invistam na manuteno de equipamentos, lonas e figurinos de circos mineiros.
    Para as trs categorias, necessrio o mnimo de dois anos de existncia do proponente, carter artstico-cultural e efetiva atuao na rea de artes cnicas e/ou circense. Os projetos sero analisados por uma Comisso de Anlise, formada por oito membros, sendo quatro representantes do Sistema Estadual de Cultura e quatro profissionais representantes da sociedade civil, qualificados nas reas das artes cnicas. Cada proponente poder inscrever apenas um projeto, desde que este no tenha sido beneficiado com recursos do Fundo Estadual de Cultura e dos programas Cemig Cultural e Copasa Cultural, nos anos de 2006 e 2007. O edital do prmio j est disponvel pela internet no site da secretaria www.cultura.mg.gov.br.
    Durante o lanamento do prmio, artistas mineiros como o diretor de teatro, Chico Pelcio, a diretora da Companhia de Dana 1 Ato, Sueli Machado, e o diretor de circo, marco Antnio Alvarado, alm do diretor-presidente do BDMG Cultural, Jota Dngelo, destacaram a importncia do Cena Minas como instrumento de fomento s artes cnicas em Minas. Antes do encerramento da solenidade, o ator Luiz Arthur encenou trecho do espetculo Servido.




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 11, 2007

    HOSPITAL DO CNCER de Barbacena. Empresrio e advogado Claudio Luciano Valena Motta doa rea de 7 mil metros quadrados para a construo. Matria de Idinando Borges do barbacenaonline.










    H seis anos, Amarlio Augusto de Andrade e seu filho, Jlio Csar Andrade, com o incentivo de dom Luciano Mendes de Almeida, ento arcebispo da arquidiocese de Mariana, fundou em Barbacena o Ncleo de Preveno do Cncer. Vinculado Fundao Mrio Penna em Belo Horizonte, o objetivo era tratar, com dignidade, portadores de cncer, sem nenhum recurso financeiro.

    Idinando Borges












    De incio, havia uma modesta sala, alugada na Clnica Ibiapaba, e o trabalho voluntrio dos mdicos Jlio Csar Andrade, Aldo Peixoto de Melo, Jos Antnio de Carvalho, Renato Csar Vaz de Melo e Irina Amaral Coelho Andrade.
    O vereador Amarlio Andrade sensibilizou a rea da sade, vinculada prefeitura municipal para obteno de um convnio, buscou ajuda do governo do estado para dotar a entidade com uma ambulncia e, junto ao governo federal, a certido de Entidade Filantrpica para obteno de doaes. Todas as iniciativas deram credibilidade pequena entidade.
    O desafio de manter o Ncleo de portas abertas cresce a cada dia, na medida em que se torna conhecido e atende demanda at mesmo de outras cidades. No entanto, preciso apoio financeiro de pessoas e empresas para que a misso de salvar vidas continue.
    Devido grande demanda de pacientes, as duas salas ficaram inviveis para comportar todo o atendimento. Da surgiu a idia de construir uma unidade com instalaes adequadas aos tratamentos especficos.
    Sensibilizado com a causa, o empresrio e advogado, Cludio Luciano Valena Motta, barbacenense de nascimento, mas h anos residindo em Belo Horizonte, procurou o vereador Amarlio Andrade com objetivo de ceder uma rea do seu loteamento no Bairro So Jorge.
    Na tarde do dia 6 e na presena do presidente da entidade, Jlio Csar Andrade, o empresrio assinou a escritura de doao de rea 5.931 m e mais 2.000 m para arborizao no Bairro So Jorge para a construo do Centro de Atendimento Multiprofissional aos Portadores de Neoplasia Maligna.
    Para Jlio Andrade, o momento de felicidade, mas tambm um desafio em planejar e empreender a construo. O mdico diz que, a partir de agora, preciso conscientizar a sociedade e os poderes constitudos para uma empreitada que deve ser de todos e para todos.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 10, 2007

    NOVO TEMPO nas relaes entre o Poder Legisaltivo de Minas e o Ministrio Pblico.

                           Cpula do Ministrio Pblico visita presidente e lderes da ALMG
    O presidente da Assemblia Legislativa de Mina Gerais, deputado Alberto Pinto Coelho (PP), lderes partidrios e integrantes da Mesa receberam, no Salo Nobre, na tarde desta tera-feira (9/10/07), a visita do procurador-geral de Justia do Estado, Jarbas Soares Jnior, e de mais 13 integrantes da Cmara dos Procuradores de Justia e do Conselho Superior do Ministrio Pblico estadual. Foi a primeira visita dos dirigentes do MP ao Legislativo mineiro aps a aprovao do ex-PLC 17/07, atual Lei Complementar 99/07, que altera a organizao do Ministrio Pblico de Minas Gerais.
    O deputado Alberto Pinto Coelho disse que o Parlamento e o Ministrio Pblico tinham vises distintas quanto ao PLC 17/07 e que as discusses em torno do projeto contriburam para o amadurecimento das duas instituies. Para ele, o encontro deve ser celebrado como um marco no caminho do dilogo e da democracia. "Foi uma demonstrao pblica de que as responsabilidades das duas instituies esto acima do episdio passado", afirmou o presidente.
    O procurador disse que veio Assemblia com "os olhos para o futuro no podendo desconhecer os fatos do passado". Ele disse que o MP vai utilizar instrumentos de controle interno para aprimoramento do rgo, entre outras aes previstas na proposta da Assemblia (PLC 17), e anunciou trs medidas para o ms de novembro: a criao da Ouvidoria do Ministrio Pblico; o lanamento do Sistema de Controle das Investigaes no site do MP; e a reformulao da procuradoria-adjunta institucional. Jarbas Soares anunciou ainda que no dia 12 de fevereiro de 2008 sero comemorados os 15 anos de criao da Lei Orgnica do Ministrio Pblico.
    O lder da Maioria, deputado Domingos Svio (PSDB), disse que os embates so prprios do ambiente democrtico e que o encontro deve traduzir para a sociedade a natureza desses debates. J o deputado Andr Quinto (PT), considerou o encontro um momento poltico importante, no s para o Ministrio Pblico e Assemblia Legislativa, mas tambm para o funcionamento institucional das legtimas representaes do espao democrtico de Minas Gerais: A partir desse episdio cada instituio deve fazer sua reflexo para que haja dilogo aberto e democrtico, disse.
    Participaram os deputados Diniz Pinheiro (PSDB), 1 secretrio; Tiago Ulisses (PV), 2 secretrio; Jos Henrique (PMDB), 2 vice-presidente; Jayro Lessa (DEM), lder do DEM; Luiz Humberto Carneiro (PSDB), lder do Bloco Social Democrata; Mauri Torres (PSDB), lder do Governo; Dimas Fabiano (PP), lder do PP; Domingos Svio (PSDB), lder da Maioria; Adalclever Lopes (PMDB), lder do PMDB; Incio Franco (PV), ouvidor; Andr Quinto (PT); Luiz Tadeu Leite (PMDB); Antnio Jlio (PMDB); e Wanderlei Miranda (PMDB); Gil Pereira (PP); Fahim Sawan (PSDB).
    Os outros procuradores de Justia que participaram da reunio so os seguintes: Antnio de Padova Marchi Jnior, coorregedor-geral do MP; Alceu Jos Torres Marques, procurador-geral de Justia Adjunto Jurdico; Paulo Roberto Moreira Canado, procurador-geral de Justia Adjunto Jurdico Administrativo; Fernando Antnio Fagundes Reis, procurador-geral de Justia Adjunto Jurdico Institucional; Luciano Luz Badini, secretrio-geral da PGJ; Carlos Andr Mariani Bitencourt, chefe de gabinete da PGJ; Paulo de Tarso Moraes Filho, assessor da Chefia de gabinete; Epaminondas Fulgncio Neto, procurador de Justia e ex-procurador-geralde Justia; Antnio Jos Leal, sub-corregedor-geral do MP; Geraldo Flvio Vasques, procurador de Justia; Jlio Cezar Guttierrez Vieira Baptista, procurador de Justia; e Elias Paulo Cordeiro, procurador de Justia


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 10, 2007

    CACHIMBO DA PAZ. Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. O presidente a Assemblia, deputado Alberto Pinto Coelho, presidente do Poder Legislativo de Minas, recebe o chefe do Ministrio Pblico Estadual, procurador Jarbas Soares Jr. Foi um ato de conscincia pblica sobre o papel dos legisladores e dos procuradores na sociedade de nosso Estado. como ns jornalistas aprendemos na Faculdade: temos que brigar pela notcia e no com a fonte, ou seja, com quem nos d a informao. EM TEMPO: apuramos que o encontro dos representantes do Ministrio Pblico com os parlamentares foi altamente positivo. Foi retomado o dilogo, base da democracia. Em ltima anlise: quem sai ganhando a sociedade mineira. Cumprimentamos o procurador-geral Jarbas Soares pela iniciativa. E ao presidente da Assemblia deputado Alberto Pinto Coelho que exerce, sempre, o dilogo, a diplomacia, dentro dos mais altos valores da tradio poltica mineira.

      


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 10, 2007

    DE OLHO nas aes do governador Acio foram inauguradas obras de quase 32 milhes de reais no Tringulo Mineiro. Dinheiro do prprio Tesouro de Minas.









                                 Acio inaugura conjunto de obras do Governo em Uberlndia

     









    Wellington Pedro/Imprensa MG

    O governador Acio Neves inaugurou, nesta tera-feira (9), conjunto de obras do Governo de Minas em Uberlndia, no Tringulo Mineiro, que somaram investimentos de R$ 31,7 milhes do Tesouro do Estado. Os recursos foram utilizados para a construo da arena multiuso Presidente Tancredo Neves (Ginsio Sabiazinho) - com capacidade para 6 mil pessoas - e das escolas estaduais Professor Ederlindo Lannes Bernardes e Mrio Porto. O governador tambm lanou a pedra fundamental do Hospital e Maternidade Municipal de Uberlndia, que receber R$ 20 milhes do Governo de Minas.
    Em entrevista, Acio Neves destacou a parceria entre o Estado e a Prefeitura da Uberlndia para a realizao das obras da arena multiuso e do hospital municipal. Nas duas obras, o prefeitura investir R$ 23,4 milhes.
    "No venho aqui para dizer que tudo que era necessrio, todas as demandas j esto resolvidas. Mas eu venho aqui para consagrar, mais uma vez, uma parceria extremamente exitosa com a prefeitura municipal. Todos esses investimentos, o ginsio, as escolas, o hospital em particular, so parcerias com o municpio, que se colocou em condies de faz-las. No adiantaria o governo estadual, por mais boa vontade que tivesse, por mais compromisso com Uberlndia, solitariamente no conseguiria atender a todas essas questes", disse Acio Neves.
    Novas escolas
    O primeiro compromisso do governador em Uberlndia, ao lado do prefeito Odelmo Leo, foi a inaugurao da Escola Estadual Professor Ederlindo Lannes Bernardes, no bairro Morumbi, que atender 796 alunos do ensino fundamental e do ensino mdio. O novo prdio escolar tem 16 salas de aula, biblioteca e quadra poliesportiva coberta. 
    Durante a solenidade, Acio Neves tambm anunciou o incio de funcionamento da E. E. Mrio Prata, no bairro Cana, com 20 turmas do ensino fundamental e mdio, totalizando 382 alunos. As duas obras receberam investimentos de R$ 4,7 milhes do Governo de Minas.
    Estamos inaugurando duas escolas estaduais. H cerca 12 anos no se construam novos prdios de escolas estaduais em Uberlndia, era uma demanda que o prefeito Odelmo Leo me apresentava desde o incio do seu governo. Portanto, so investimentos extremamente expressivos", afirmou o governador.
    Sade
    Em seguida, Acio Neves lanou a pedra fundamental do Hospital e Maternidade Municipal de Uberlndia, que ser erguido no bairro Santa Mnica. A obra vai custar R$ 38 milhes, dos quais R$ 20 milhes de recursos prprios do Governo de Minas e R$ 18 milhes de contrapartida da Prefeitura. 
    O hospital ser construdo em uma rea de 55 mil metros quadrados.  Pelo acordo firmado entre o Governo de Minas e a Prefeitura, ser construdo um hospital geral, com clnica mdica, maternidade, pediatria e cirurgia. A proposta oferecer mais uma opo de atendimento nessas especialidades mdicas, melhorando a qualidade dos servios prestados na rede pblica de sade do municpio. Sero disponibilizados 400 leitos.
    Esportes
    Encerrando a agenda oficial em Uberlndia, o governador inaugurou a Arena Multiuso Presidente Tancredo Neves, que recebeu investimentos de R$ 12,4 milhes, sendo R$ 7 milhes do Governo de Minas e R$ 5,4 milhes do municpio.
    Moderno, confortvel e seguro para o pblico, o estdio tem 8,5 mil metros quadrados de rea construda e capacidade para 6 mil pessoas assentadas. Cem poltronas foram reservadas para a tribuna de honra. O ginsio conta com arena circular com dimetro de 84 metros, quadra poliesportiva com piso flutuante, quatro vestirios com capacidade para 80 atletas e alojamento para 200 pessoas.
    Foram construdas quatro cabines de rdio, trs para TV, dois elevadores panormicos, departamento mdico, estacionamento exclusivo para autoridades, imprensa e atletas, estacionamento para visitantes integrado ao estdio de futebol Sabi, sala de recepo para autoridades, sala de imprensa, quatro banheiros para o pblico, bares, academia, salas de aula, espao para exposies e atendimento criana e pessoas da terceira idade.
    Para erguer o Sabiazinho foram necessrios 9 mil metros cbicos de terraplanagem, utilizados 162,4 mil quilos de estrutura metlica, consumidos 215,2 mil quilos de ao e 2,4 mil metros cbicos de concreto.
    JIMI
    A solenidade aconteceu durante a abertura oficial das finais do Minas Olmpica Jimi Jogos do Interior de Minas Gerais. O Jimi o programa do Governo de Minas que se converteu na maior e mais tradicional competio esportiva do Estado.
    "A cada ano o Jimi vem crescendo. Este ano ele j muito maior que o do ano passado, mas eu garanto a vocs que em 2008 ser ainda maior e quem sabe ainda com maior densidade organizacional, para que no ano de 2009, 2010, da por diante, possamos dizer que Minas tem os jogos do interior mais bem organizados e de maior dimenso dentre todos os estados da federao. No faltaro a atletas de todas as partes de Minas, o apoio estrutural, financeiro e estmulo do Governo do Estado", disse Acio Neves, em seu pronunciamento.
    As finais do Jimi em Uberlndia vo reunir 3,5 mil atletas, de 82 municpios, que disputaro provas de atletismo, ginstica artstica e trampolim, jud, karat, natao, peteca, taekwondo, tnis de mesa, xadrez, ciclismo e mountain bike, futebol de salo, vlei, basquete e handebol, alm do atletismo, natao e tnis de mesa para pessoas portadoras de deficincia. As equipes campes do Jimi iro representar Minas Gerais nos Jogos Abertos Brasileiros (JABs) de 2008.
    O Jimi trouxe como novidade este ano as parcerias com universidades do Estado que esto responsveis pela avaliao fsica e pela orientao sobre alimentao balanceada aos atletas. As universidades tambm esto realizando pesquisas sobre o perfil dos atletas que participam do Minas Olmpica Jimi.
    Em 2007, participaram do Jimi 13 mil atletas de 181 municpios. A realizao dos jogos um estmulo para que os municpios envolvidos atuem ativamente em polticas sustentveis de incremento ao esporte, criando oportunidades para a prtica esportiva nas comunidades onde o Jimi realizado. Os jogos movimentam a economia local, gerando emprego e renda nas cidades-sede.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 10, 2007

    BH ter mais 5 vos semanais para Lisboa. S que a partir de 11 de fevereiro de 2008.

    A Transportadora Area Portuguesa (TAP) confirmou, nesta quarta-feira (10), a operao, a partir de 11 de fevereiro de 2008, de cinco vos semanais entre Lisboa e Belo Horizonte, sem escalas. A instalao dos vos foi confirmada pelo diretor-geral da TAP para Brasil e Argentina, Mrio de Carvalho, que, na ltima tera-feira, se encontrou com o governador Acio Neves no Palcio da Liberdade durante lanamento de investimentos para o turismo em Minas, por meio do Prodetur/NEII.
    Os novos vos da TAP para a capital mineira sero disponibilizados nos dois sentidos s segundas, quartas e quintas-feiras, alm de sbados e domingos. Os vos nesta nova rota partem de Lisboa s 10 horas e chegam a Belo Horizonte s 17h30, horrios locais. No sentido inverso, saem do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, s 19 horas, e pousam na capital portuguesa s 6h05, do dia seguinte. Para esses vos, a TAP utilizar aeronaves do tipo Airbus A330 com capacidade para 259 passageiros. Desde hoje, a empresa j disponibilizou a venda das passagens para fevereiro.
    A ligao Lisboa-Belo Horizonte ser iniciada sete meses aps o lanamento da mesma rota para Braslia. Somente em setembro, a taxa mdia de ocupao foi de 80%. Com a nova linha Portugal-Minas Gerais, a empresa, que j opera destinos como Rio de Janeiro, So Paulo, Braslia, Salvador, Natal, Recife e Fortaleza, passar a oferecer 65 ligaes por semana entre aquele pas e o Brasil.
    Atualmente, o aeroporto em Confins opera trs vos internacionais de Minas Gerais para o exterior. A Gol Linhas Areas oferece vos dirios internacionais de Belo Horizonte para Santiago, no Chile, com escala em So Paulo e Buenos Aires. A empresa tambm oferece, de domingo sexta-feira, vos para Assuno, no Paraguai, com escalas em So Paulo e Curitiba. J a TAM Linhas Areas tem, todos os dias, dois vos de Belo Horizonte para Buenos Aires, na Argentina.
    Impulso ao turismo
    A instalao de mais um vo internacional a partir do Aeroporto Internacional Tancredo Neves faz parte do conjunto de aes do Governo de Minas para desenvolver o turismo no Estado, ampliar as rotas de trfego areo internacional que atendem Minas e impulsionar a transformao de Confins em um aeroporto industrial.
    A nova rota interligar Minas Gerais a Portugal, o terceiro maior centro emissor de turistas estrangeiros para o Estado. Segundo pesquisa de Demanda Turstica Internacional, realizada pela Embratur, 11% dos estrangeiros que visitaram o Estado, em 2005, foram portugueses.
    A partir do prximo ms, o Governo do Estado iniciar uma estratgia promocional em Lisboa para divulgar Minas Gerais como roteiro atrativo aos portugueses. A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) enviar equipe de tcnicos a Lisboa para divulgar entre agncias de viagens, operadores e a imprensa local quatro importantes roteiros mineiros que tm acesso areo: Belo Horizonte e Ouro Preto, Tiradentes e Diamantina.
    Em janeiro, essa ao promocional se estende Frana e Itlia, com a participao da iniciativa privada, onde representantes de agentes receptivos e hotis mineiros negociaro os mesmos roteiros com operadores franceses e italianos.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 10, 2007

    POLTICA. A presidente da CASEMG, Danuza Bias Fortes, confirmou ao barbacenaonline que ser candidata a prefeita de Barbacena. Confira!











    A presidente da Casemg, Danuza Bias Fortes, em passagem por Barbacena no ltimo final de semana, declarou que pr-candidata prefeitura pelo PMDB e que est a par de tudo o que est acontecendo na cidade. Para ela, a eleio do ano que vem no ser difcil para a oposio, formada pelo PMDB, PT, PDT, dentre outras siglas. A candidata afirma que, enquanto estiver na cidade, durante os finais de semana, pretende visitar os bairros e dialogar com a comunidade para montar seu programa de governo.

    J. Reinaldo









    Danuza Bias Fortes pretende concorrer prefeitura de Barbacena nas prximas eleies


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 10, 2007

    Presidente da Assemblia de Minas, deputado Alberto Pinto Coelho, diz em coletiva mdia, que o projeto do governo Acio Neves, que efetiva os 98 mil servidores designados - a maioria da rea de Educao - ser votado semana que pelos deputados e deputadas. As informaes so do site www.almg.gov.br CONFIRA os detalhes!

    Projeto de Lei Complementar (PLC) 27/07, do governador, que institui a Unidade de Gesto Previdenciria Integrada (Ugeprevi) e o Conselho Estadual de Previdncia (Ceprev), alm de efetivar os designados da Educao, foi aprovado em 1 turno pelo Plenrio da Assemblia Legislativa de Minas Gerais, em Reunio Extraordinria, na manh desta tera-feira (9/10/07). O projeto ser apreciado em 2 turno pela Comisso de Fiscalizao Financeira e Oramentria nesta quarta-feira (10), s 10h30. PLC 27/07 foi aprovado na forma do substitutivo n 1 (57 votos a favor e nenhum contrrio), que manteve os institutos de previdncia dos servidores civis e dos militares; e com as emendas ns 1 a 6 (54 votos a favor e nenhum contrrio), que atenderam a categorias do funcionalismo. As emendas e substitutivo que haviam sido apresentados em Plenrio foram rejeitados.
    Em entrevista concedida imprensa aps a votao, o presidente da ALMG, deputado Alberto Pinto Coelho (PP), afirmou que o PLC 27/07 deve ser votado em 2 turno pelo Plenrio na prxima semana. O projeto faz vrias adequaes no sistema previdencirio estadual, para ajust-lo reforma da Previdncia, implementada em 1998, promovendo a passagem de um sistema com base no tempo de servio para um regime de previdncia de carter contributivo. Segundo o Poder Executivo, a criao do Ceprev visa a unicidade e padronizao das normas e dos procedimentos adotados para a concesso de benefcios previdencirios.
    Efetivao de pessoal - O artigo 7 do texto original trata da efetivao de pessoal, estabelecendo que os servidores que estejam em exerccio na data da publicao da lei, nas situaes indicadas, bem como os que se aposentaram nessas condies, em razo da natureza permanente da funo para a qual foram admitidos, so titulares de cargo efetivo desde a data de ingresso, observada a correspondncia com a funo atualmente exercida, nos termos da Lei Complementar 64. Estimativas do governo do Estado so que cerca de 90 mil servidores sero efetivados.
    O substitutivo n 1, da Comisso de Constituio e Justia, conferiu mais clareza ao texto, aprimorando-o quanto tcnica legislativa e incorporando a emenda apresentada pelo governador para manter o Instituto de Previdncia dos Servidores Militares do Estado de Minas Gerais (IPSM) e o Instituto de Previdncia dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg). J as emendas ns 1 a 6, da Comisso de Administrao Pblica, tambm tiveram como objetivo aprimorar o texto e atender a categorias do funcionalismo. A emenda n 1 garantiu direitos adquiridos dos servidores e acrescenta expresso "legislao pertinente" ao pargrafo 1 do artigo 1 do substitutivo.
    A emenda n 2 incluiu, no artigo 3, alguns membros no Ceprev, entre eles, o comandante-geral da Polcia Militar e o comandante-geral do Corpo de Bombeiros. Tambm mudou a forma de indicao do secretrio executivo do conselho, que dever ser escolhido pelo presidente do Ceprev, entre servidores, militares ou um de seus membros. A emenda n 3 mudou o artigo 7, considerando que, para fins de aposentadoria, ser contado o tempo de contribuio e no o tempo de servio. Ainda foram feitas alteraes para garantir que no sero computados como tempo de servio os perodos em que os servidores no se encontravam em efetivo exerccio.
    A emenda n 4 alterou a redao do artigo 12, assegurando a autonomia administrativa, financeira e oramentria do Ipsemg e do Instituto de Previdncia do Legislativo do Estado de Minas Gerais (Iplemg). J a emenda n 5 tambm inclui a expresso "legislao vigente" ao inciso IV do artigo 13, para garantir benefcios j assegurados pelo IPSM. A emenda n 6 retirou parte do texto que assegurava aos servidores os benefcios previdencirios previstos no artigo 79 da Lei Complementar 64, de 2002, que est sendo revogado.
    Galerias lotadas - Durante a manh, servidores lotaram as galerias do Plenrio para acompanhar a votao do PLC 27/07. Vrios deputados ocuparam a tribuna para encaminhar a votao e destacar a importncia da aprovao do projeto.
    Modificaes apresentadas no Plenrio so rejeitadas
    Na votao, os deputados rejeitaram o substitutivo n 2 (55 votos contrrios e um favorvel), a emenda n 7 (44 votos contrrios e 10 favorveis); e as emendas ns 8 a 14 e 16 (50 votos contrrios e quatro favorveis), todas apresentadas por parlamentares durante a discusso de 1 turno, no dia 25 de setembro. Com a aprovao do substitutivo n 1, foi ainda prejudicada a emenda n 15.
    O deputado Irani Barbosa (PSDB) solicitou a votao em destaque do substitutivo n 2, por ele apresentado. O substitutivo vedava a possibilidade de dispensa imotivada de servidores de funo pblica ou de funcionrios que comprovassem cinco anos de atividades no servio pblico, nos nveis municipal, estadual ou federal. Mesmo procedimento foi solicitado pelo deputado Sebastio Helvcio (PDT) na votao da emenda n 7, do deputado Sargento Rodrigues (PDT), que tinha como objetivo desvincular os militares da Ugeprevi.
    As outras emendas rejeitadas foram apresentadas pelos deputados Svio Souza Cruz - PMDB (n 8), Arlen Santiago - PTB (n 9), Doutor Viana - DEM (ns 10 e 11), Lafayette de Andrada - PSDB (n 12), Rmolo Aloise - PSDB (n 13) e Carlin Moura - PCdoB (ns 14 a 16). As emendas n 8 e n 10 visavam assegurar a servidores de funo pblica o direito ao apostilamento. A emenda n 9 tambm tinha como objetivo desvincular os militares da Ugeprevi.
    A emenda n 11 tinha a finalidade de garantir aos servidores cedidos para outros rgos o posicionamento na carreira do rgo em que eles estivessem trabalhando. A emenda n 12 pretendia beneficiar servidores do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-MG) que j tm o direito estabilidade. J a emenda n 13 visava efetivar os servidores de gabinete da ALMG.
    A emenda n 14 tinha o objetivo de incluir como dependente dos segurados do Regime Prprio de Previdncia os companheiros de unio homoafetiva estvel. A emenda n 15 visava efetivar os professores designados da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) e da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). A emenda n 16 pretendia garantir que os servidores beneficiados com o PLC 27/07 continuassem recebendo suas aposentadorias, mesmo que a futura lei seja declarada inconstitucional.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 10, 2007

    CIO CRIATIVO!

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. O empresrio Srgio Americano, ladeado pelo tambm forte empresrio Marcus Nasser e o consultor de Meio Ambiente, Murilo Prado Badar, em tarde de descontrao no Belvedere, aqui em BH.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 10, 2007

    POLTICA no sangue: vereador RODRIGO RIRA, de Itajub, sul de Minas.

                                                              
    UM jovem talento poltico de Itajub, cidade de 100 mil habitantes, que fica no sul de Minas. Fui apresentado ao vereador RODRIGO RIRA, filho de uma famlia tradicional de empresrios do sul do Estado, com negcios em So Paulo e Gois. O pai dele, o sr. Rira, amigo pessoal do vice-presidente da Repblica, Z Alencar de quem foi 2 suplente, quando Alencar se candidatou ao senado. O primeiro suplente foi o ex-prefeito de Iturama, no Pontal do tringulo, o hoje deputado federal Aelton Freitas, que acabou virando senador, com a renncia de Z Alecar , que se elegeu vice do presidente Lula!

    O vereador Rodrigo Rira nos foi apresentado pelo forte empresrio da rea de computao, meu amigo Marcus Nasser, no final da reunio especial, na Assemblia Legislativa, que comemorou os 100 anos de nascimento de um mito de Santa Rita do Sapuca, Sinh Moreira, tia do deputado federal Bilac Pinto. 

    Vale falar um pouco dela. Rica, poderosa, casou-se com um diplomata. Correu mundo. Foi pela dcada de 20. Esteve no Japo. Se encantou com a tecnologia. E levou para sua cidade Santa Rita do Sapuca, no sul de Minas, a primeira Escola Tcnica da Amrica Latina. Fez toda diferena. Hoje, Santa Rita um celeiro de invenes, de alta tecnologia, o crebro do Vale do Silcio Brasileiro.

    Voltando aos tempos de hoje. L no plenrio da Assemblia Legislativa estava o vereador de Itajub - o mais votado do municpio, dois mandatos -  Rodrigo Rira, acompanhado do empresrio Marcus Nasser.

    aquele caso: sou reprter poltico, tenho faro fino para conectar talento da rea. Vi logo, que Rodrigo gostava de poltica. Gostava no. Era louco com poltica. Que nem eu! Conversa vai, conversa vem, convidei os dois - o poltico Rodrigo e o empresrio Marcus Nasser -para dar uma passada no coquetel dos jornalistas do MG TURISMO, Claret Guerra e Suely - a Festa da Mulher Influente 2007, que estava sendo realizada no Othon Place, bem no centro de BH, e onde estava hospedado - eu no sabia - o prprio vereador. Ele adora BH e est investindo aqui, como empresrio que tambm , na rea de estacionamentos.

    Acabou de ganhar uma concorrncia e vai colocar em ao um estacionamento bem atrs do Posto do Psiu na Praa 7, bem no corao da capital mineira. Estacionamento para 200 carros, num dos pontos mais cobiados de BH. J comea bem num mercado concorridssimo. a nova gerao dos Rira, expandindo os negcios para alm das fronteiras de Itajub. 

    Olha, o jovem vereador tem jeito para a poltica. Quer ser prefeito de Itajub. Est trabalhando para isso. Simptico, inteligente, observador e obstinado na meta que traou: sair do legislativo e governar o municpio, cuja sede tem cerca de 100 mil habitantes, uma forte agricultura e indstria, que ficou famosa nacional e internacionalmente com sua fbrica de helicpteros. - a Helibrs, quem no conhece?

    Pois : ele quer se preparar tecnicamente para se sair bem diante das cmeras. Foi recomendado pelo empresrio Marcus Nasser, para ns darmos ele um treinamento de media trainning. O nosso j conhecido e testado curso "Socorro, Estou na TV". Curso prtico, onde o cliente treina postuas, gestos, linguagem, tipos de roupas e comportamentos que deixam o poltico vontade, seguro, diante das cmeras, nas teleconferncias e nos palanques. fazer o curso - e Rodrigo Rira quer. Depois  s se lembrar dos o trs Ps - praticar, praticar e praticar!

    EM TEMPO: o vereador Rodrigo Rira nos contou que o pai dele, o sr. Rira, abriu mo de ser o primeiro suplente do ento senador Z Alencar. Preferiu ser o segundo. Deixou a primeira suplente para o ex-prefeito de Iturama, Aelton Freitas, sem nunca imaginar, que tempos depois, Z Alencar renunciaria, para ser vice eleito de Lula.

    Quem virou senador, por quatro anos, foi quem quem? O ex-prefeito de Iturama,Aelton Freitas, o primeiro suplente.Como se diz em poltica:  "o burro passou arriado", quem montou foi o Aelton. Mas, segundo o vereador, o sr. Rira no se arrependeu de ter cedido o lugar a Aelton Freitas, que fez um competente mandato representando Minas no Senado da Repblica. E foi eleito em seguida com mais de 80 mil votos, deputado federal.
    Coisa da poltica! Lio que Rodrigo Rira aprendeu: sentir o momento e estar no lugar certo, na hora certa!  isso!

                          










                      Comentrios

    #1. Murilo Prado Badar - (murilo@engenhariaecologica.com.br)
    Grande Amaral
    Conheci o vereador Ricardo Rira e fiquei muito impressionado com ele. Pareceu-me talentoso, corajoso e muito vocacionado para poltica. Acho que tem futuro se o destino assim permitir, afinal, esta varivel acaba contando muito na poltica. Se s o talento fosse pr-requisito para homens pblicos o mundo seria outro.Mesmo sendo minoria,ainda acredito na fora da seriedade e vocao para jovens polticos.
    Abs







    #3. Jess - (jesse.ribeiro@enerpeixe .com.br)
    Como humilde engenheiro do setor energtico, que tem participado da poltica itajubense nos ltimos 12 anos, dou este depoimento sobre o jovem Rodrigo Rira: hoje a figura com potencial poltico de bero e grande capacidade parlamentar para, em futuro prximo, colocar Itajub em melhores condies, em termos de representao poltica com vistas ao desenvolvimento sustentvel, que as dos tempos de Teodomiro Santiago, Euclides Cintra e Aureliano Chaves. No h dvida de que seu futuro promissor, para o bem de todos os mineiros da regio de Itajub.
    #2. RogrioVilela - (deiovilela@unimeditajuba.com.br~)



    3 comentrios                       


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 9, 2007

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. Designados da Educao lotaram as galerias da Assemblia de Minas e viram seu projeto de efetivao aprovado em primeiro turno. So 98 mil beneficiados pelo projeto do governador Acio Neves. projeto ser votado ainda em segundo turno, provavelmente ainda esta semana.

     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 9, 2007

    De olho nas votaes na Assemblia Legislativa. Aprovados em 1 turno projeto dos designados do Estado na rea de educao. Confira todos os destaques!

    O Projeto de Lei Complementar (PLC) 27/07, do governador, que institui a Unidade de Gesto Previdenciria Integrada (Ugeprevi) e o Conselho Estadual de Previdncia (Ceprev), alm de efetivar os designados da Educao, foi aprovado em 1 turno pelo Plenrio da Assemblia Legislativa de Minas Gerais, em Reunio Extraordinria, na manh desta tera-feira (9/10/07). O projeto ser apreciado em 2 turno pela Comisso de Fiscalizao Financeira e Oramentria nesta quarta-feira (10), s 10h30. PLC 27/07 foi aprovado na forma do substitutivo n 1 (57 votos a favor e nenhum contrrio), que manteve os institutos de previdncia dos servidores civis e dos militares; e com as emendas ns 1 a 6 (54 votos a favor e nenhum contrrio), que atenderam a categorias do funcionalismo. As emendas e substitutivo que haviam sido apresentados em Plenrio foram rejeitados.
    Em entrevista concedida imprensa aps a votao, o presidente da ALMG, deputado Alberto Pinto Coelho (PP), afirmou que o PLC 27/07 deve ser votado em 2 turno pelo Plenrio na prxima semana. O projeto faz vrias adequaes no sistema previdencirio estadual, para ajust-lo reforma da Previdncia, implementada em 1998, promovendo a passagem de um sistema com base no tempo de servio para um regime de previdncia de carter contributivo. Segundo o Poder Executivo, a criao do Ceprev visa a unicidade e padronizao das normas e dos procedimentos adotados para a concesso de benefcios previdencirios.
    Efetivao de pessoal - O artigo 7 do texto original trata da efetivao de pessoal, estabelecendo que os servidores que estejam em exerccio na data da publicao da lei, nas situaes indicadas, bem como os que se aposentaram nessas condies, em razo da natureza permanente da funo para a qual foram admitidos, so titulares de cargo efetivo desde a data de ingresso, observada a correspondncia com a funo atualmente exercida, nos termos da Lei Complementar 64. Estimativas do governo do Estado so que cerca de 90 mil servidores sero efetivados.
    O substitutivo n 1, da Comisso de Constituio e Justia, conferiu mais clareza ao texto, aprimorando-o quanto tcnica legislativa e incorporando a emenda apresentada pelo governador para manter o Instituto de Previdncia dos Servidores Militares do Estado de Minas Gerais (IPSM) e o Instituto de Previdncia dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg). J as emendas ns 1 a 6, da Comisso de Administrao Pblica, tambm tiveram como objetivo aprimorar o texto e atender a categorias do funcionalismo. A emenda n 1 garantiu direitos adquiridos dos servidores e acrescenta expresso "legislao pertinente" ao pargrafo 1 do artigo 1 do substitutivo.
    A emenda n 2 incluiu, no artigo 3, alguns membros no Ceprev, entre eles, o comandante-geral da Polcia Militar e o comandante-geral do Corpo de Bombeiros. Tambm mudou a forma de indicao do secretrio executivo do conselho, que dever ser escolhido pelo presidente do Ceprev, entre servidores, militares ou um de seus membros. A emenda n 3 mudou o artigo 7, considerando que, para fins de aposentadoria, ser contado o tempo de contribuio e no o tempo de servio. Ainda foram feitas alteraes para garantir que no sero computados como tempo de servio os perodos em que os servidores no se encontravam em efetivo exerccio.
    A emenda n 4 alterou a redao do artigo 12, assegurando a autonomia administrativa, financeira e oramentria do Ipsemg e do Instituto de Previdncia do Legislativo do Estado de Minas Gerais (Iplemg). J a emenda n 5 tambm inclui a expresso "legislao vigente" ao inciso IV do artigo 13, para garantir benefcios j assegurados pelo IPSM. A emenda n 6 retirou parte do texto que assegurava aos servidores os benefcios previdencirios previstos no artigo 79 da Lei Complementar 64, de 2002, que est sendo revogado.
    Galerias lotadas -
    Durante a manh, servidores lotaram as galerias do Plenrio para acompanhar a votao do PLC 27/07. Vrios deputados ocuparam a tribuna para encaminhar a votao e destacar a importncia da aprovao do projeto.
    Modificaes apresentadas no Plenrio so rejeitadas
    Na votao, os deputados rejeitaram o substitutivo n 2 (55 votos contrrios e um favorvel), a emenda n 7 (44 votos contrrios e 10 favorveis); e as emendas ns 8 a 14 e 16 (50 votos contrrios e quatro favorveis), todas apresentadas por parlamentares durante a discusso de 1 turno, no dia 25 de setembro. Com a aprovao do substitutivo n 1, foi ainda prejudicada a emenda n 15.
    O deputado Irani Barbosa (PSDB) solicitou a votao em destaque do substitutivo n 2, por ele apresentado. O substitutivo vedava a possibilidade de dispensa imotivada de servidores de funo pblica ou de funcionrios que comprovassem cinco anos de atividades no servio pblico, nos nveis municipal, estadual ou federal. Mesmo procedimento foi solicitado pelo deputado Sebastio Helvcio (PDT) na votao da emenda n 7, do deputado Sargento Rodrigues (PDT), que tinha como objetivo desvincular os militares da Ugeprevi.
    As outras emendas rejeitadas foram apresentadas pelos deputados Svio Souza Cruz - PMDB (n 8), Arlen Santiago - PTB (n 9), Doutor Viana - DEM (ns 10 e 11), Lafayette de Andrada - PSDB (n 12), Rmolo Aloise - PSDB (n 13) e Carlin Moura - PCdoB (ns 14 a 16). As emendas n 8 e n 10 visavam assegurar a servidores de funo pblica o direito ao apostilamento. A emenda n 9 tambm tinha como objetivo desvincular os militares da Ugeprevi.
    A emenda n 11 tinha a finalidade de garantir aos servidores cedidos para outros rgos o posicionamento na carreira do rgo em que eles estivessem trabalhando. A emenda n 12 pretendia beneficiar servidores do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-MG) que j tm o direito estabilidade. J a emenda n 13 visava efetivar os servidores de gabinete da ALMG.
    A emenda n 14 tinha o objetivo de incluir como dependente dos segurados do Regime Prprio de Previdncia os companheiros de unio homoafetiva estvel. A emenda n 15 visava efetivar os professores designados da Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) e da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). A emenda n 16 pretendia garantir que os servidores beneficiados com o PLC 27/07 continuassem recebendo suas aposentadorias, mesmo que a futura lei seja declarada inconstitucional.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 9, 2007

    Edital para empresas que queiram investir em TIC. Ministro das Comunicaes, senador Hlio Costa, com recursos para o desenvolvimento de inovaes em Tecnologias da Informao e Comunicao.









     Ministrio das Comunicaes investir R$ 80 milhes em pesquisas.

     
    Evento discutir regras de seleo de propostas a serem financiadas pelo Funttel.
    O Ministrio das Comunicaes e a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) realizam, na manh desta tera-feira (09/10), chamada pblica para discutir edital que selecionar propostas de recebimento de apoio financeiro, da ordem de R$ 80 milhes do Funttel (Fundo para o Desenvolvimento Tecnolgico das Comunicaes).
    O ministro Hlio Costa far a abertura do evento, previsto para as 9 horas, e o diretor de Inovao para o Desenvolvimento Econmico e Social da Finep, Eduardo Moreira da Costa, falar sobre a importncia do edital no desenvolvimento de inovaes em TIC (Tecnologias da Informao e Comunicao). A viso estratgica do Funttel ser apresentada pelos tcnicos do ministrio.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 9, 2007

    De olho na atuao dos deputados federais mineiros em Braslia.


                     Abi-Ackel membro da CPI Carcerria
    O deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB), primeiro vice-lder da minoria no Congresso Nacional, participou, no ltimo dia 4, da primeira reunio da Comisso Parlamentar de Inqurito (CPI), que ir investigar a realidade do sistema carcerrio brasileiro, com destaque para a superlotao dos presdios, custos sociais e econmicos desses estabelecimentos, alm da anlise das causas da permanncia de encarcerados que j cumpriram pena.
    A comisso tambm dever analisar os causadores da violncia dentro das instituies do sistema carcerrio, a corrupo, o crime organizado e suas ramificaes nos presdios e buscar solues para o efetivo cumprimento da Lei de Execues Penais.
    " Estamos empenhados em fornecer para a populao um diagnstico preciso da situao, visando, principalmente, encontrar caminhos para solucionar a terrvel crise que afeta o setor, contribuindo, substancialmente, para a reduo do alto ndice de criminalidade que vem afligindo todo o povo brasileiro", frisou Abi-Ackel.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________
    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 9, 2007

    Para ler e pensar! Notcia enviada ao nosso BLOG DE NOTCIAS, pelo jornalista Ricardo Camargos, assessor da Associao Brasileira dos Muturios da Habitao. Confira!

                  MAIS UM DRAMA DO SISTEMA FINANCEIRO DA HABITAO


    A denncia da Associao Brasileira dos Muturios da Habitao (ABMH/M): seguindo um procedimento ilegal que j vem se tornando praxe, a Caixa Econmica Federal (CEF), atravs de execuo extrajudicial prevista no Decreto-Lei 70, de 1966, cuja constitucionalidade vem sendo sistematicamente questionada em juzo, marcou o leilo de um imvel em Contagem, que se encontra em risco de desabamento.
    A notcia chocou os moradores do Edifcio San Pablo, localizado no Parque Riacho das Pedras, em Contagem. "Depois de todas as visitas da Defesa Civil do municpio e do Corpo de Bombeiros, que segundo laudo oficial determinou a desocupao do imvel por risco de desabamento, a CEF ainda tem a coragem de leiloar o meu apartamento", declara - perplexa - a Sra. Sueli Adriana, dona do apartamento 307, com leilo designado para o dia 10, quarta-feira prxima. Apesar do alerta das autoridades, os moradores continuam a residir no edifcio, declara outra mutuaria, Valria Nazrio: "infelizmente no temos para onde ir, j procuramos a Caixa vrias vezes para resolver o problema mas a informao sempre a mesma, eles dizem que no tm responsabilidade e fica por isso mesmo".
    Segundo a Dra. Sonlia Henriques, uma das diretoras da ABMH/MG, o edifcio tem aproximadamente 30 anos de idade e a obra foi executada pela Construtora Tenda.  As rachaduras, trincas e infiltraes j so velhas conhecidas dos moradores do condomnio, que, sem muitas alternativas, chegaram a procurar uma empresa privada para fazer os reparos, que ainda no foram resolvidos.
    O pior, complementa o Dr. Lcio Delfino, tambm diretor da ABMH/MG, que alm dos gastos com a obra, os moradores tm que continuar pagando as prestaes do financiamento, sob pena de perder o imvel em leilo judicial. O que mais assusta, que a Caixa Econmica Federal, instituio responsvel pela maioria dos contratos de financiamento habitacional do pas, ainda se utiliza de uma lei da poca da Ditadura Militar para executar seus crditos, e leiloa os apartamentos sem o mnimo cuidado, imagine os problemas que algum teria se arrematasse um imvel nessas condies! Conclui o advogado.
    A ABMH j entrou com uma ao judicial solicitando a suspenso do leilo do imvel. Segundo o Dr. Leandro Oliveira, que acompanha o caso em nome da entidade, a mutuaria tentar na Justia suspender o leilo, e ainda a reparao dos danos causados. A explicao simples, todos os contratos de financiamento, obrigatoriamente, contam com um seguro por morte, invalidez permanente e danos fsicos do imvel. Alm disso, por fora da regras contratuais, antes de finalizar a operao, a Instituio Financeira deve enviar um engenheiro para vistoriar o imvel e autorizar o financiamento. Portanto, conclui o advogado da ABMH, no h nenhuma dvida de que devem responder pelos problemas do imvel.
    Os diretores da ABMH/MG e os muturios se encontram disposio da imprensa para relatar os detalhes de mais este drama do Sistema Financeiro da Habitao (SFH) que, na maioria dos casos, tem transformado o sonho da casa prpria em um grande pesadelo.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. O projeto ICMS SOLIDRIO do deputado Dinis Pinheiro, PSDB, movimentou prefeitos, vereadores, lideranas que vieram a BH de todo o Estado, lotando completamente o plenrio presidente JK. Projeto recebeu mais de 100 emendas e dever estar na pauta, para votao, ainda em novembro. Fique de olho na TV Assemblia.

      


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    Trinta e seis mil vagas, em 2008, para o ENSINO PROFISSIONALIZANTE em Minas.











                                   Governador lana Programa de Educao Profissional

     









    Omar Freire/Imprensa MG

    O governador Acio Neves lanou, nesta segunda-feira (8), no Palcio da Liberdade, o Programa de Educao Profissional (PEP) e assinou decreto criando a Rede Mineira de Formao Profissional. O objetivo oferecer educao de qualidade e oportunidades reais de trabalho para os jovens mineiros. J a partir do ano que vem, sero abertas 36.600 vagas de ensino tcnico profissionalizante, um salto importante que colocar Minas como o Estado com o maior nmero de jovens matriculados em um curso profissional de nvel tcnico no pas. At 2010, o Governo de Minas investir R$ 217 milhes no programa para atingir a meta de atender 110 mil jovens nos prximos trs anos.
    "Essa rede de ensino profissionalizante vai fazer com que Minas seja o Estado brasileiro que ter o maior percentual de alunos do ensino mdio fazendo cursos profissionalizantes. E vamos ter 20% do total dos alunos do ensino mdio de Minas com algum curso profissionalizante, voltando para alguma vocao natural da sua regio", afirmou o governador, em entrevista.
    O programa ser implantado em todas as 1.860 escolas estaduais, de 153 municpios mineiros, que oferecem ensino mdio e tambm em instituies parceiras federais, municipais, filantrpicas e privadas participantes da Rede Mineira de Formao Profissional. Sero beneficiados alunos que esto cursando o 2 ou o 3 ano.
    Acio Neves destacou que jovens com idade entre 18 e 24 anos que j tm diploma do ensino mdio tambm tero a chance de voltar s salas de aula para se profissionalizarem e disputar em melhores condies uma vaga no mercado de trabalho.
    "No abandonamos aqueles que eventualmente deixaram j o ensino mdio, mas no esto aptos a disputar o mercado de trabalho cada vez mais concorrido e competitivo por ausncia de qualificao. Esses tambm sero acolhidos nesse programa", disse o governador, em seu pronunciamento.
    Vocao regional
    Segundo ele, os cursos que cada escola e instituio iro ministrar sero definidos de acordo com a vocao econmica de cada regio do Estado. "H a preocupao de que os cursos sejam ministrados observando as potencialidades econmicas de cada uma das regies, seja na agricultura, no turismo, na prpria formao dos profissionais da educao, vamos estar investindo muito nisso tambm no ano que vem. Portanto, um projeto extremamente ousado e vem na direo correta", ressaltou Acio Neves. 
    Sero oferecidos cursos tcnicos nas seguintes reas: artes, comrcio, comunicao, design, gesto, imagem pessoal, lazer e desenvolvimento pessoal, meio ambiente, transportes, turismo e hospitalidade, geomtica, informtica, recursos pesqueiros, agropecuria, construo civil, indstria, minerao, qumica, sade e telecomunicaes. Os cursos tero entre 800 e 1.200 horas/aula.
    Em 2008 tambm ser implantado Curso Tcnico Normal em 55 escolas estaduais com o objetivo de preparar professores para atuar na rea de educao infantil. Ainda no ano que vem, todas as 1.860 escolas da rede estadual de ensino passam a oferecer mais uma alternativa: o curso de Formao Inicial na rea de Informtica. O aluno ter a oportunidade de se habilitar para atuar em 12 diferentes segmentos, como no de montagem e manuteno de computador e no de web design (ensina a criar sites).
    O curso de Formao Inicial na rea de Informtica j oferecido na rede estadual como disciplina opcional, mas, a partir do ano que vem, passa a fazer parte da grade curricular das escolas. So 40 horas/aula. 
    "J foi-se o tempo em que a busca devia ser por um canudo, por um diploma universitrio. Isso importante e, certamente, as oportunidades para o acesso ao terceiro grau e o ensino universitrio tambm continuaro a ser ampliados em Minas, mas o que estamos fazendo permitindo que esse jovens se formem e se preparem e que tenham, imediatamente,  condies de contribuir na sua regio para o desenvolvimento de sua comunidade e, obviamente, para o seu progresso pessoal", afirmou o governador.
    Rede Mineira
    A Rede Mineira de Formao Profissional ser responsvel pela coordenao do programa, estabelecendo padres de qualidade que devero ser observados pelas escolas participantes. Atualmente, funcionam em Minas 438 escolas que oferecem cursos de nvel tcnico, sendo 31 estaduais, 22 federais, 34 municipais e 351 privadas. Todas elas com potencial para integrar a rede. Os critrios para o credenciamento de novas escolas sero divulgados atravs da publicao de editais especficos.
    "O governo tem o papel de catalisador, de organizador, mas vamos aproveitar toda a capacidade instalada no Estado na rea de formao profissional tcnica, independentemente de a sua matriz seja pblica, filantrpica, seja particular, ns todos estaremos atuando de forma absolutamente convergente. Portanto, na mesma direo", disse Acio Neves.
    Compromisso cumprido
    O governador afirmou que a implantao do Programa de Educao Profissional significa o cumprimento do ltimo dos grandes compromissos assumido por ele na rea da educao, durante a campanha eleitoral.
    "Estamos, com o lanamento desse programa, resgatando o ltimo compromisso na rea da educao que firmei com os 20 milhes de mineiros em todas as partes desse Estado. Isso no significa que devemos descansar sobre os louros desses xitos. Ao contrrio, todos os programas, agora com a incluso desse de ensino profissionalizante, constantes de nossa proposta de governo e esto em implementao e sero, obviamente, aprofundados e melhor qualificados, ampliados", destacou.
    A secretria de Estado de Educao, Vanessa Guimares Pinto, lembrou de outras aes adotadas a partir de 2003 que foram decisivas para o fortalecimento do ensino mdio em Minas Gerais.
    "Podemos citar a capacitao de professores, a distribuio gratuita de livros didticos e a introduo da merenda para alunos do curso noturno, mas ainda faltava uma proposta ousada na rea da educao profissionalizante e este programa exatamente isso: ousado e moderno", disse a secretria.
    Novas opes
    O estudante Sergio William Santana dos Santos, aluno do 1 ano do ensino mdio da Escola Estadual Celso Machado, em Belo Horizonte, se disse otimista com o lanamento do Programa de Educao Profissional. Ele argumentou que a oferta de cursos tcnicos na rede pblica ainda muito pequena e que muitos jovens no tm como pagar as altas mensalidades cobradas nas escolas particulares. "Agora teremos uma chance. J penso em fazer um curso na rea de informtica", disse.
    Ariane Danielle de Freitas Pereira, aluno do 3 ano do Curso Normal do Instituto Estadual de Minas Gerais tambm se animou. "Fao o normal porque esta era a nica opo de curso profissionalizante oferecido pela minha escola. Mas o ano que vem vou me matricular em algum curso da rea de administrao de empresas, que sempre sonhei fazer", afirmou.
     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    meia noite, desta segunda-feira, um RARO momento de rever as idias e o carisma de Dom Luciano Mendes de Almeida, no programa Memria e Poder da TV Assemblia. No cabo, canal 11. No Interior de Minas, sintonize UHF.











                                       Memria e Poder


    A TV Assemblia presta uma homenagem a dom Luciano Mendes de Almeida e reprisa o programa que traz seu depoimento de vida. Dom Luciano faleceu no dia 27 de agosto de 2006, aos 75 anos de idade. Natural da cidade do Rio de Janeiro, foi o primeiro jesuta a tornar-se bispo no Brasil e chegou a ser secretrio-geral e presidente da CNBB. Essas e outras histrias voc acompanha no Memria e Poder nesta segunda, meia-noite.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________
    __________________________________________________________________________
    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    Os 100 anos de nascimento de Sinh Moreira, a mineira de Santa Rita do Sapuca, sul de Minas, que foi pioneira na criao da Escola Tcnica de Eletrnica - hoje Inatel - em 1907. O requerimento para a Reunio Especial foi do deputado Dalmo Ribeiro Silva, PSDB, de Ouro Fino. Vamos ancorar a Reunio pela TV Assemblia. Em BH, canal 11, a cabo. No interior de Minas, canal UHF.

    A Assemblia Legislativa de Minas Gerais vai homenagear, em reunio especial, Luzia Renn Moreira, conhecida como Sinh Moreira, pelo centenrio de seu nacimento. A reunio foi requerida pelo deputado Dalmo Ribeiro Silva (PSDB) e acontece no Plenrio, no prximo dia 8, s 20 horas. Sinh Moreira nasceu em Santa Rita do Sapuca, Sul de Minas, em 17 de setembro de 1907, tendo-se destacado na vida da cidade, como criadora da Escola Tcnica Eletrnica Francisco Moreira da Costa, na dcada de 50, a primeira escola de eletrnica da Amrica do Sul.
    Hoje Santa Rita do Sapuca reconhecida mundialmente como capital do Vale da Eletrnica, devido ao esforo educativo de Sinh Moreira. Ela se dedicou a projetos de habitao, sade e educao para que a sua cidade se tornasse um exemplo na regio, como nos dias de hoje. Em seu requerimento, o deputado Dalmo Ribeiro Silva destaca que a homenagem a Sinh Moreira um reconhecimento ao seu trabalho, dinamismo e esprito empreendedor. "Sinh Moreira foi uma grande mulher, e uma incentivadora do desenvolvimento da sua cidade e regio, alm de ter um esprito totalmente humanitrio", enfatizou o deputado.
    Sinh Moreira se destacou na sua poca, mesmo vivendo em um cenrio histrico em que a mulher pouco aparecia. Sinh veio de uma famlia de fazendeiros de caf cujo pai foi banqueiro, um dos fundadores do Banco Nacional, e casou-se em 27 de abril de 1929 com o embaixador


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    MINAS OLIMPADA JIMI ( Jogos do Interior de Minas Gerais). Hoje, segunda-feira, entrega de diplomas aos gestores capacitados, em Uberlndia, para estimular atividades auto-sustentveis nos municpios na rea desportiva. Ao todo sero capacitados 300 gestores em Minas. Iniciativa da Secretaria de Estado de Esportes e Juventude, pilotada pelo deputado Gustavo Correia.

    Os primeiros certificados do curso de gesto esportiva promovido pela Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (SEEJ) sero entregues nesta segunda-feira (08/10), durante a etapa final do Minas Olmpica Jimi (Jogos do Interior de Minas Gerais), no Senac de Uberlndia. Ao todo, sero capacitados 300 gestores em todo o Estado, que estaro preparados para estimular e promover o fomento de atividades desportivas auto-sustentveis nos municpios.

    Gratuito e promovido distncia, por meio da internet, o curso divido em trs mdulos, cujo contedo apresenta poltica da SEEJ para o esporte mineiro, trata do desporto como negcio, aborda a organizao de eventos esportivos (planejamento, recursos humanos e lista de tarefas), elaborao de projetos e prospeco de parceiros. Segundo o empreendedor pblico e gerente do programa Minas Olmpica, Alexandre Massura Neto, a partir da experincia do Minas Olmpica Jimi a secretaria pde oferece um contedo capaz de relacionar a teoria com prtica.

    Para Massura o ensino a distncia uma forma de reduzir os custos do Estado e, principalmente, garantir a incluso de todos os mineiros s polticas sociais do Governo de Minas. Nosso objetivo capacitar o maior nmero possvel de pessoas, dando condies para o crescimento e fortalecimento do esporte em toda Minas, afirmou. A cerimnia de entrega dos certificados ser marcada pela palestra Esporte um grande negcio, proferida pelo especialista em gesto e marketing esportivo, Carlos Eduardo Costa.



     

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    Defensoria Pblica de olho na votao do projeto do governador Acio para a categoria que est na Assemblia de Minas, e dever ser votado em plenrio esta semana. Confira!

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. Na Comisso de Administrao Pblica da Assemblia o alto comando da Defensoria Pblica de Minas acompanhou a votao do projeto do governador Acio Neves que d reajuste para os defensores pblicos. O piso inicial da carreira ser de 6.580,00 reais. Sero criados mais 282 cargos e uma gratificao Natalina. Projeto ser votado em outra Comisso, semana que vem, para ir a plenrio. Na foto, da esquerda para a direita: Leopoldo Portela, defensor pblico geral do Estado; Eduardo Generoso, presidente da Associao dos Defensores e Glauco Sousa, defendor pblico. Foto de Guilherme Bergamini da ALMG.

      







    Criao de 282 cargos na Defensoria Pblica em Minas. Projeto do governador Acio Neves est pronto para ser avaliado pela Comisso de Fiscalizao Financeira.

    J est pronto para ser apreciado pela Comisso de Fiscalizao Financeira e Oramentria da Assemblia Legislativa de Minas Gerais o projeto que altera a estrutura da Defensoria Pblica, criando 282 cargos de defensores. A Comisso de Administrao Pblica aprovou, nesta quinta-feira (4/10/07), parecer favorvel ao Projeto de Lei Complementar 29/07, do governador. O projeto recebeu uma emenda na Comisso de Administrao Pblica, que prev o recebimento da gratificao natalina e do tero constitucional de frias.
    O relator, deputado Incio Franco (PV), opinou pela aprovao da proposio na forma do substitutivo n 1, da Comisso de Constituio e Justia (CCJ), com a emenda n 1, que apresentou. Com o objetivo de garantir aos defensores pblicos o recebimento da gratificao natalina e do tero constitucional de frias, a emenda n 1 acrescentou incisos ao artigo 76, da Lei Complementar 65, que organiza a Defensoria, define sua competncia e dispe sobre a carreira.
    Originalmente, alm de alterar a carreira dos defensores e criar cargos, o PLC 29/07 fixava o subsdio inicial dos defensores pblicos em R$ 6.580,00, podendo chegar a R$ 10 mil no final da carreira, retroativos a 1/9/07. Entretanto, a CCJ determinou o desmembramento do projeto. Dessa forma, a parte da proposio original (artigos 6 a 8) que trata da fixao do subsdio foi convertida em um novo projeto de lei, tambm de autoria do governador e com os mesmos valores definidos no projeto original. Essa alterao era necessria porque a fixao de subsdio deve ser disciplinada por meio de lei ordinria e no por meio de lei complementar.
    Substitutivo - No substitutivo n 1, foram incorporadas as alteraes feitas no projeto original que modificam a Lei Complementar 65, de 2003. Com as modificaes, o quadro de carreira, distribuda em classes, ser integrado por 1,2 mil cargos efetivos. Hoje, so 918 cargos. Outra alterao que a carreira passar de trs para cinco classes. As cinco classes previstas no substitutivo sero as seguintes: defensor pblico de classe I, com os nveis I e II (300 vagas no total); de classe II (250 vagas); de classe III (240 vagas); de classe IV (210 vagas); e de classe especial (200 vagas).
    O artigo 6 do substitutivo determina que os membros da Defensoria Pblica em exerccio na data de publicao da futura lei complementar sero reposicionados na carreira. O substitutivo d, ainda, nova redao ao artigo 41 para tornar expresso que obrigatria a instalao do rgo em todas as comarcas do Estado e em todos os graus de jurisdio, inclusive nas instncias especial e extraordinria.
    Deputados destacam atuao dos defensores
    Os deputados presentes na reunio destacaram a importncia da atuao dos defensores pblicos e de seus representantes durante as negociaes para a apresentao do projeto. O deputado Domingos Svio (PSDB) afirmou que os representantes dos defensores, durante a luta para a fixao do subsdio, sempre estiveram abertos ao dilogo e entendimento com o governo. "Mas preciso reconhecer tambm o empenho do governador Acio Neves e a sua disposio para atender as demandas da categoria", ressaltou. O deputado Delvito Alves (DEM) tambm elogiou a atuao dos defensores no processo de negociao.
    O deputado Incio Franco afirmou no seu parecer que o projeto demonstra a vontade poltica do governo de valorizar a categoria. Ele tambm destacou que o aumento do nmero de cargos de defensores ir contribuir para a melhoria dos servios prestados pela instituio. O deputado Dalmo Ribeiro Silva (PSDB) lembrou que os defensores possuem um papel imprescindvel ao funcionamento do Poder Judicirio estadual.
    J o vice-presidente da comisso, deputado Ademir Lucas (PSDB), que tambm defensor pblico, afirmou que o projeto representou um grande avano para a categoria, mas que ainda h muito a ser feito. "Espero que ainda consigamos a equiparao dos subsdios dos defensores com o recebido pelos promotores", considerou.
    Presenas - Deputados Ademir Lucas (PSDB), vice-presidente da comisso; Domingos Svio (PSDB), Incio Franco (PV), Delvito Alves (DEM) e Dalmo Ribeiro Silva (PSDB).





                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    Notcia em PRIMEIRA MO, vem de Barbacena. Quem mandou foi o vereador Amarlio de Andrade. Ncleo do Cncer de Barbacena - do qual este blogueiro tem a honra de fazer parte - acaba de ganhar o to sonhado terreno para a construo do HOSPITAL DO CNCER de Barbacena e regio. O mrito todo do vereador Amarlio de Andrade, nosso amigo. Parabns!



                                                              O vereador Amarlio de Andrade
                                                           e o empresrio Pedro Mariano Coelho.

    Caro amigo Joo Carlos.
    Obrigado pela materia relacionada ao meu neto. A vai uma noticia em primeira mo.
    Neste sbado dia 6 foi assinada a escritura de doao de um terreno pelo Dr. Claudio Motta, filho do Prof. Clodoaldo, doando uma rea de 6.000 metros quadrados para a construo do primeiro mdulo do Hospital do Cncer em Barbacena.
     Esta foi nos ltimos tempos minha maior vitria.
    Abraos e obrigado por tudo:
    Amarilio de Andrade, vereador do PSC de Barbacena.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    RECOMENDO os cursos deste ms da Academia de Idias. Confira detalhes!



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    O executivo de hotelaria, nosso amigo RICARDO KAWA, acaba de deixar a Rede Othon no Rio de Janeiro. Leia o E-mail que ele enviou ao nosso BLOG DE NOTCIAS. Desejo sucesso, que certamente ele ter, nos novos desafios que vo surgir, j que um dos maiores e mais competentes executivos de hotelaria do Pis. O conhec, aqui em BH, frente do Othon Palace.

    Caros Amigos,
    Aps 10 anos de intensa jornada deixo a Diretoria de Operaes de Hotis Othon e a
    Gerncia Geral do Rio Othon Palace.
    Agradeo a todos pelo contnuo apoio, aproveitando para colocar-me a disposio pelo
    telefone: (21) 8106-2314 e e-mail : ricardo.kawa@yahoo.com.br
    Fortes Abraos,
    Ricardo Kawa.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    HOJE no Othon Palace, FESTA do Trofu Mulher Influente do jornal MG TURISMO. Entre as agraciadas a governadora do Rio Grande do Sul, Yda Crusius. Confira detalhes.

    "XI Trofu Mulher Influente" ser a melhor festa em 2007


    O presidente do JORNAL MG TURISMO, jornalista Antnio Claret Guerra (ao centro) foi a Braslia, especialmente para convidar o presidente da Federao Brasileira de Convention & Visitors Bureau, o gacho Joo Moreira, para ser paraninfo de uma das agraciadas na solenidadede hoje. Ele garantiu a sua honrosa presena, bem como do mineiro ilustre e grande divulgador do Estado, Paulo Csar Boechat Lemos, que o vice-presidente nacional da Federao. Eles aparecem na foto, batida na sede da FBC&B, em luxuoso e funcional Edifcio no Setor Comercial Norte (SCN), perto da EMBRATUR, onde tambm est a sede brasiliense da Abrajet Nacional.
    Pelos cuidados que esto sendo tomados pela Comisso Organizadora, tendo frente Suely Guerra, pela seleo dos nomes de pessoas que vo ser agraciadas e por todos os outros detalhes sempre observados pela direo do Jornal MG Turismo, a entrega do XI Trofu Mulher-Influente vai ser uma grande festa nesse 2 semestre de 2007.
    O jornalista Antnio Claret Guerra, diretor-geral e editor do Jornal MG Turismo, informa que a solenidade est marcada para l9h30 de hoje, nos amplos sales do Belo Horizonte Othon Palace Hotel.
    Na oportunidade, executivas dos setores de turismo, educao, direito, sade, poltica, hotelaria, aviao, jornalismo, artes plsticas e outras que se destacaram em suas atividades no ano de 2006 vo receber o Trofu.
    A importncia do Trofu Mulher-Influente destacada na imprensa de todo o Brasil , tornando-se um veculo importante para a divulgao de Minas na rea do turismo, do comrcio, da indstria e outros.
    Entre as agraciadas o destaque poltico fica por conta da governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius. Alm dos destaques de empresrias mineiras, a festa Mulher Influente ter agraciadas do Rio de Janeiro, Bahia, Rio Grande do Norte, Alagoas, Rio Grande do Sul, Amazonas, Amap, Santa Catarina, Sergipe, Cear, Mato Grosso do Sul e outros estados.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    Duplicao da Ferno Dias no trecho de BH a Governador Valadadres. Tema ser discutido9 hoje, em Valadares, pela Comisso de Transportes, presiddida pelo deputado Gustavo Valadares, do DEM.

    A Comisso de Transporte, Comunicao e Obras Pblicas da Assemblia Legislativa de Minas Gerais rene-se em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, nesta segunda-feira (8/10/07). O objetivo da audincia, solicitada pela deputada Elisa Costa (PT), debater a proposta de duplicao da BR-381, rodovia que liga a cidade a Belo Horizonte. A reunio ser realizada na Cmara Municipal (Rua Marechal Floriano, 905), a partir das 9 horas.
    A deputada quer esclarecer a populao da regio sobre o andamento do processo de duplicao. Ela lembra que uma das rodovias mais perigosas do Estado a BR-381, onde foram registradas nove mortes apenas no feriado de 7 de setembro. "De janeiro a julho deste ano, 43 pessoas morreram em acidentes no trecho entre Belo Horizonte e Joo Monlevade, o que obrigou o Departamento de Infra-Estrutura de Transporte (Dnit) a reduzir o limite de velocidade de 90 km/h para 80 km/h", comenta.
    Elisa Costa tambm quer apresentar aos rgos responsveis pelas rodovias reivindicaes da populao de Governador Valadares, que cobra a instalao de lombadas eletrnicas e passarelas para evitar acidentes no trecho urbano da BR-116.
    Foram convidados para a reunio o prefeito de Governador Valadares, Bonifcio Mouro; o superintendente regional do Dnit, Fernando Guimares Campos; o presidente da Usiminas, Rinaldo Campos Soares; o presidente da Cenibra, Fernando Henrique Fonseca; o presidente da Acesita, Jean Felipe Andr Demael; o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-MG), Jos lcio Santos Monteze; o presidente da Associao dos Municpios do Mdio Rio Doce, Wellerson Valrio Moreira; e o presidente da Associao dos Municpios da Microrregio do Leste, Aurlio Csar Donadia Ferreira.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 8, 2007

    Hoje ser a grande festa do turismo mineiro. A entrega do Trofu MULHER INFLUENTE, promoo do jornal MG TURISMO.

                         A solenidade ser s 19h30m desta segunda-feira, no Auditrio do Othon Palace Hotel, no centro de Beag. Ser o 11 ano do Trofu Mulher Influente, criado por Suely Guerra e pelo marido dela, Antnio Claret, donos do dinmico jornal MG TURISMO. Sero premiadas mulheres influentes em seus setores atividades no Brasil e no exterior. So esperadas autoridades do setor de turismo, da poltica, da economia e do governo. Entre elas, a secretria de Turismo de Minas, empresria rica Drumond. O mestre de cerimnias ser nosso amigo, ex-global e hoje editor-chefe do programa Campo & Criao, o competente jornalista Ricardo Carlini.
                        EM TEMPO: s estarei no coq, depois da entrega do prmio Mulher Influente 2007 .Eque no mesmo horrio, 8 da noite, estarei ancorando na TV Assemblia, Reunio Especial; Desejo sucesso ao casal Suely e Claret. Parabns!


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 7, 2007

    Ministro das Comunicaes, senador Hlio Costa veio a Beag inaugurar Central Nacional dos Correios para atender deficientes visuais.

                                        

    Deficientes visuais tero
    correspondncias em
    braille

    Central nacional de transcrio dos Correios
    funcionar em Minas Gerais

     Entrou em operao, nesta sexta-feira, um novo servio dos Correios: a transcrio gratuita de correspondncias do braille para a escrita comum e vice-versa. Com o servio, deficientes visuais de todo o pas podero enviar e receber suas correspondncias na linguagem desenvolvida especialmente para elas o cdigo braille. O objetivo do servio dar autonomia aos cegos. O ministro das Comunicaes, Hlio Costa, participar da cerimnia de inaugurao do servio, prevista para as 10 horas, na agncia JK, em Belo Horizonte.

    Durante a cerimnia, o deficiente visual Mrio Alves de Oliveira, criador do sistema, fez a leitura de uma carta endereada Hlio Costa. "O direito comunicao e ao sigilo de correspondncias deve ser proporcionado a todos os brasileiros, independente de suas limitaes fsicas. Com esse projeto, os deficientes visuais no vo mais depender de algum para enviar ou receber suas correspondncias", disse o ministro.

    Para utilizar o servio de transcrio, os interessados, cegos ou no, devem postar as correspondncias em qualquer agncia dos Correios do pas, para a Central Braille, que funcionar em Belo Horizonte. Ser cobrada apenas a tarifa normal de postagem para correspondncia comercial ou no-comercial.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 6, 2007

    MEMRIAS DE UM REPRTER DE TV - captulo 2 - Joo Carlos Amaral.

                         Nas vrias vezes que o ex-governador do Rio, Leonel Brizola veio a Minas ns estvamos l o entrevistado, como reprter da Rede Globo. Nos palanques, nas coletivas animadas e engraadas, cheias de ironia que s Brizola sabia dar, ns acompanhvamos cada gesto, cada detalhe. "O velho caudilho", como era conhecido entre ns, jornalistas de poltica, no deixava pedra sobre pedra, quando se tratava dos adversrios e/ou at mesmo inimigos polticos. 

                         O curioso que na maioria das vezes que acompanhamos as entrevistas coletivas do ex-governador Brizola, a matria no ia para o ar na Rede Globo. Como assim?. Era o seguinte: Brizola no perdia a oportunidade de estocar o saudoso dono da Globo, dr. Roberto Marinho. que Brizola no conseguia esconder, e nem fazia a menor fora para esconder sua mgoa, com os Marinho, a queme ele atribuia m vontade, na eleio dele ao governo do Rio de Janeiro, que gerou o caso Proconsult - que os fatos da poca registrados pela mdia, diziam que a Globo tentou ajudar numa suposta manobra para retirar de Brizola a eleio ( verdade ou no, o que crnica poltica registrou  poca). 

                          Da, sem mais nem menos, Brizola no meio de uma declarao saa com um comentrio maldoso sobre a Rede Globo e o dr. Roberto Marinho. Ns, como reprter Poltico da Rede Globo, ficvamos de saia justa, sem o que dizer. Segurvamos firmes o microfone e no arredvamnos p, sempre com o corao na mo, constrangidos, sem poder nada dizer. Cumprimos a nossa misso, j pensando: como que o editor vai dar esta entrevista falando mal do dono da casa? Eram tempos difceis. E mais, acabava a coletiva e os colegas da mdia sempre provocavam: o governador Brizola disse que a Globo no vai por a entrevista no ar. E a, Joo Carlos? ...

                         Lembro-me uma dessas entrevistas. Foi no Auditrio da Assemblia Legislativa de Minas. L estvamos ns. Como era uma coletiva daquelas formais, colocamos os mcrifones em coimna da mesa, lotando ma frente do ex-governador Leonel Brizola. Receb a orientao s para gravar. No fazer nenhuma pergunta para no provocar nenhum dos  corriqueiros comentrios mnaldosos de Brizola sobre a Globo. Tudo ia bem.

                          De repente, a reprter do jornal O Globo, nossa colega Sulamita, se levanta, pega o microfone colocado disposi~ao dos reprteres. Se identifica e pergunta: dr. Brizola, o presidente Sarney disse que desta vez a economia vai deslanchar. Como que o sr. analisa a fala do presidente da Repblica?

                         Olha minha filha - disse Brizola irnico, com sua fala arrsatada - nessa nem o dr. Roberto Marinho acredita! E emendou, mesmo ele se4m o principal avalaista do governo Sarney!
    Reao imeadiata, a reprter de O Globo foicopu vermelha, sem o que dizer. E como eu era o reprter da TV Globo na coletiva todos olharam em minha direo, inclusive o ex-governador Brizola, que emendou: olha quero ver voc clocar est no ar! e riu...

                          Foi amaioir saia justa que j vesti, sem querer claro! Enfirei o rabo entre as pernas, como se diz aqui em Minas, peguei a equipe e mais uma vez, jurei para mim mesmo: quando eu sair da Globo foi contar este episdio. Confesso mque fiquei com raiva do dr. Brizola, mas entend, Como dizia o  presidente Tancredo Neves, " POLTICA NO PARA AMADOR", preciso ter estmago.

                          Pensei: mesmo, poltico e reprter poltico tambm! E como a briga era "entre cachorros grandes", peguei a fita, coloquei debaixo do brao e levei para nossa redao, ainda na rua Rio de Janeiro no bairro de Lourdes, aqui em Beag. 

                          Brizola foi "proftico": a entrevista, claro, no foi para o ar. Mas a fita foi gerada na ntegra para o alto comando da Rede Globo no Rio de Janeiro, para conhecimento dos chefes. 
    Hoje, com internet, os Blogs, os E-mails, como como que seria a reao dos formadores de opinio? E mais: reconheo que se eu fosse o dono da Globo no tinha como colocar no ar uma entrevista ofensiva e, digamos, gratuita, movida pela raiva - justificvel ou no - no sei, do dr. Brizola. Ficou para mim a lio: sem sangue frio, sem tica, sem coragem de suportar saias justas no d para ser reprter, muito menos de TV.

                          Fao este registro, para dar uma fotografia da poca. Mostrar o estilo de um poltico, em um mundo sem globalizao, sem rede mundial de comunicao. De um mundo aonde o telex, sem E-mail, sem You Tube. O fax tinha acabo de chegar ao mercado e as duas rdios que eram porta-vozes das duas maiores naes do planeta eram a Voz da America, em Washington e a Rdio Moscou em Moscou, em plena guerra fria.  Um registro histrico, que s ficou na minha memria e dos josrnalistas e polticos - muitos j mortos - que estavam naquele auditrio da Assemblia Legislativa naquela tarde  longinqua dos idos de meados dos anos 80. 

                          EM TEMPO: a fita com a coletiva de Brizola, certamente, est nos arquivos da Rede Globo no Rio de Janeiro. E um dia, quem sabe, vai virar estria, de um tempo que ensaiva a democracia, haviam s quatro canais de TV no Pas, com a Globo absolutamente na frente e, ns reprter polticos ensaiavamos os primeiros passos na carreira. Uma vitrine - a Globo era e ainda - fundamental para um jovem que buscava a fama, o reconhecimento. como disse Fernando Pessoa;" tudo vale a pena se alma no pequena". E a minha era grande! A nossa pacincia bem maior. Mas, valeu a pena!
                           


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 6, 2007

    MEMRIAS DE UM REPRTER DE TV - captulo 1 - Joo Carlos Amaral.

    Assistindo o programa gratuito do PMDB, pela TV, junto com o governador Tancredo Neves e dona Risoleta, no Palcio das Mangabeiras.

                                Voc j teve o privilgio de assistir TV, com nada mais, nada menos, que o dr. Tancredo Neves e sua simptica mulher a saudosa dona Risoleta? E sendo servido de salgadinhos e suco de laranja por ela? Se voc for parente ou amigo ntimo do casal no vale responder: sim! Pois  este reprter, agora tambm um blogueiro, teve este privilgio. Foi assim:
    noite fria, vento forte. 1984. Tancredo de olho no Colgio Eleitoral. Nosso diretor de jornalismo na Rede Globo Minas, Lauro Diniz, acertou com o J.D.Vital, chefe da Assessoria de Comunicao do governador Tancredo Neves, para que ns pudssemos produzir uma reportagem durante o Programa Nacional, gratuito, do PMDB em rede nacional, com o governador assistindo o programa.

                               L fomos ns. Eu e a equipe da Globo. O cinegrafista Alpio Martins, cmera no ombro, jeito discreto, mas atento a todos os gestos e reaes do dr. Tancredo. S que o governador pediu para que deixssemos para o final da transmiso da TV para fazermos as imagens e ento gravar a entrevista. claro que a contragosto, concordei. No havia outro jeito. Comea o programa. O saudodo deputado Ulysses Guimares, ancora o programa.  Aparece em cena no final e cada pronunciamento colhido pela equipe de TV do PMDB.  Dr. Ulysses iniciava cada aparrio com a palavra NO. No a esta poltica econmica, No ao Colgio Eleitoral, No ao regime militar e, assim foi durante os 60 minutos de programa televisivo. No, No, No...

                               Dona Risoleta entra e sai a cada momento reabastecendo nossos pratinhos de salgadinhos e suco de laranja. Eu observo o ento governador Tancredo Neves. Ele coava a orellha, ora a direita, ora a esquerda. Acaricia o nariz, no fala nada. S resmunga. Eu espero. V que ele estava incomodado com a linha desenvolvida pelo programa do PMDB na TV. Olho para meu relgio. Ser que vai dar tempo para gravar a entrevista e mandar pelo satlite para o Jornal da Globo, no Rio? Olha, naquele tempo no havia ainda o celular, E-mail. ( penso hoje, como conseguia viver sem eles). 

                                Acaba o programa. Nos levantamos. Eu indago: vamos gravar dr. Tancredo?  A luz acesa, cmera ligada, microfone em ao. Mas o governador se atencipa e diz no vou gravar entrevista sobre este assunto. Por favor desligue o equipamento. Desligamos. A o dr. Tancredo disse: NO VOU GRAVAR  NENHUM COMENTRIO, EM SINAL DE PROTESTO, PORQUE NENHUM PEMEDEBISTA MINEIRO TEVE  ESPAO NO PROGRAMA. Obrigado meu filho, e boa noite.
                                 Mas, governador... E ele emendou: foi um prazer ter a sua companhia e de sua equipe e repetiu polidamente: boa noite para todos! Respond: boa noite! E voltei redao da Rede Globo. Sem a reportagem. Foi um " furo" ao contrrio.

                                Assim era ele, o dr.Tancredo. Tinha a exata medida do momento de falar  e de se calar! Afinal, ns como reprter poltico, sabamos que o governador habilidosamente conduzia um processo de transio delicadssimo, que passaria pelo Colgio Eleitoral, aonde mais  tarde ele derrotou Paulo Maluf. Qualquer fala, gesto, aparentemente simples que fosse, poderia criar obstculo intransponvel, ainda mais num canal de TV como a Globo, lder de audincia. Na verdade, o adversrio dele, dr. Tancredo, era o prprio dr. Ulysses, o Sr. Diretas. Tancredo preferiu se calar. No por medo, mas por estratgia, hoje compreendendo!
                                Comentrio: se fosse hoje eu colocaria tudo no meu BLOG. S que estvamos em 1984. Ou seja, 22 anos atrs... que blog, que tecnologia, que nada.
                               


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 6, 2007

    O COLRIO deste sbado vem da coluna do nosso amigo Csar Romero da Tribuna de Minas de Juiz de Fora. Confira!

                                                            
                                                          Camila Machado e Sabrina Martins


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 6, 2007

    Minas adere ao Programa Nacional de Segurana. Governador Acio Neves, ao lado prefeito de BH, Fernando Pimentel, recebeu o ministro da Justia, Tarso Genro, no Palcio da Liberdade, aqui em BH.









                               Minas assina convnio para aes de combate criminalidade

     









       

    Omar Freire/Imprensa MG


    O governador de Minas, Acio Neves, assinou, nesta sexta-feira (5), convnio com o ministro da Justia, Tarso Genro, oficializando a adeso do Estado ao Programa Nacional de Segurana Pblica com Cidadania (Pronasci). O programa prope combater a criminalidade no pas por meio de uma gesto descentralizada com a participao da Unio, estados, municpios e a sociedade civil. A adeso de Minas ao Pronasci, segundo Acio Neves, dar continuidade poltica de segurana pblica desenvolvida com xito pelo Estado, desde 2003, a partir da gesto integrada das instituies que compem o Sistema Estadual de Defesa Social.
    O Pronasci encontrar em Minas terreno extremamente frtil, j que a lgica e os objetivos do programa complementam aes que o Estado j vem desenvolvendo. Temos uma marca muito forte em polticas de preveno, em envolvimento das comunidades, como o programa Fica Vivo - hoje uma referncia para todo o pas -, o programa Juventude e Polcia e as polcias comunitrias, afirmou o governador, em seu pronunciamento.
    Acio Neves ressaltou a importncia da parceria entre o Governo do Estado, Unio e municpios e destacou que, para efetivao das aes de combate criminalidade, ser fundamental a liberao dos recursos.
    fundamental que essa contrapartida acontea de forma planejada, sem rompantes, sem picos. Se liberam recursos e depois passam alguns meses sem liberar outros, isso fere o planejamento. Se vier essa ajuda do governo federal, no tenho dvida de que Minas ser, definitivamente, um grande modelo para o pas, pois os indicadores de segurana melhoraro ainda mais. Tive uma conversa com o ministro Tarso Genro que me garantiu que os recursos no sero contingenciados e que os projetos apresentados sero aprovados, afirmou.
    O Pronasci prev investimentos de R$ 6,7 bilhes, at 2012, em 11 regies metropolitanas brasileiras: Belo Horizonte, Belm, Braslia (entorno), Curitiba, Macei, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, So Paulo e Vitria. 
    Foco na RMBH
    Em Minas, o Pronasci ser implantado, inicialmente, em seis municpios da Regio Metropolitana da capital: Belo Horizonte, Betim, Contagem, Ibirit, Ribeiro das Neves e Santa Luzia. O programa est voltado ao atendimento de jovens de 15 a 29 anos beira da criminalidade ou j em conflito com a lei. So presos, egressos do sistema prisional, reservistas e jovens em situao de desagregao social.
    O programa prev a criao de Gabinetes de Gesto Integrada Municipais e a implantao de um conjunto de 94 aes que inclui a modernizao das instituies de segurana - valorizao e formao do profissional, reaparelhamento da foras policiais e reestruturao do sistema prisional at aes de integrao da comunidade no combate violncia e a integrao dos jovens.
    Entre as aes inovadoras do Pronasci de interesse do Estado destacam-se: Gabinete de Gesto Integrada Municipal; Projeto Mes da Paz (formao de lideranas femininas); Plano de combate ao trfico de pessoas; Laboratrios contra lavagem de dinheiro; Urbanizao de espaos urbanos; Desenvolvimento de tecnologias no-letais.
    Resultados
    Durante a solenidade, o governador destacou os investimentos realizados pelo Governo do Estado na rea de segurana pblica. Desde 2003, o Governo do Estado aplicou R$ 784 milhes, em recursos prprios, nas suas foras de segurana, desde investimentos na modernizao do sistema penitencirio, aquisio de viaturas e formao profissional.
    Essas aes tm possibilitado a Minas Gerais se transformar no Estado brasileiro que mais investe em segurana pblica, se comparada a sua receita lquida corrente. Temos o orgulho de poder dizer que temos uma das melhores foras de segurana do pas, afirmou.
    Referncia nacional
    O programa de segurana pblica do Governo de Minas foi considerado, pelo prprio governo federal, como referncia poltica nacional para o setor. Em Minas, j esto instalados, o Gabinete Integrado de Segurana Pblica (GISP), a Integrao da Gesto da Segurana Pblica (Igesp), as Regies Integradas de Segurana Pblica (RISPs), a integrao das corregedorias no Sistema Integrado de Corregedorias de Defesa Social e a Ouvidoria de Polcia.
    Com o Pronasci, Minas tambm dar continuidade aos programas de formao e valorizao profissional j desenvolvidos pelo Estado; ao programa habitacional Lares Geraes Segurana. No eixo da preveno e integrao de jovens, o Estado intensificar investimentos no programa Fica Vivo que atende jovens de 18 a 24 anos, um dos principais focos do Pronasci. Desde 2003, o programa j atendeu 31 mil jovens em oficinas esportivas e culturais nos 19 ncleos da capital, Regio Metropolitana de Belo Horizonte e interior.
    Cidades mais seguras
    A prefeita de Contagem, Marlia Campos (PT), ressaltou a importncia da parceria entre a Unio, Governo do Estado e o municpio para garantir a eficincia da poltica de segurana pblica desenvolvida em Minas.
    Esse convnio surge num momento importante para continuarmos desenvolvendo polticas de urbanizao e de revitalizao dos espaos urbanos para que promova mais o encontro dos cidados, garantir uma cidade mais segura, disse.
    Participaram da solenidade o secretrio nacional de Segurana Pblica, procurador Antonio Carlos Biscaia; o secretrio de Estado de Defesa Social, Maurcio Campos de Oliveira Jnior; o chefe da Polcia Civil, delegado Marco Antnio Monteiro de Castro; o secretrio de Estado de Fazenda, Simo Cirineu; os prefeitos de Belo Horizonte, Fernando Pimentel; de Contagem, Marlia Campos; de Betim, Carlaile Pedrosa; e de Santa Luzia, Jos Raimundo Delgado.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 6, 2007

    HOJE, 20 horas, na TV Assemblia - canal 11 a cabo em BH e UHF no Interior - uma grande oportunidade de ver a imagem de DOM LUCIANO. O ex-presidente da CNBB e arcebispo de Mariana d o depoimento dele ao Programa Memria e Poder. Um momento imperdvel. Hoje 20 hs. Domingo, 15h e 30m e na saegunda-feira meia noite. Confira!








                                                 Memria e Poder


    A TV Assemblia presta uma homenagem a dom Luciano Mendes de Almeida e reprisa o programa que traz seu depoimento de vida. Dom Luciano faleceu no dia 27 de agosto de 2006, aos 75 anos de idade. Natural da cidade do Rio de Janeiro, foi o primeiro jesuta a tornar-se bispo no Brasil e chegou a ser secretrio-geral e presidente da CNBB. Essas e outras histrias voc acompanha no Memria e Poder neste fim-de-semana: sbado, s 20h, e domingo, s 15h30. Na segunda, o programa vai ao ar meia-noite.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 6, 2007

    Giro pela EUROPA.

                         Depois de um belo giro de 32 dias pela Europa com a mulher dra. Ktia, retornou a BH o juiz aposentado e advogado militante na rea empresarial, o dr. Expedito Euzbio da Silva. Grande figura humana e competente profissional ele nos ligou hoje, sbado, quando estvamos fazendo caminhada na Praa da Liberdade, aqui na capital.  Seja bem-vindo, meu amigo!
                                              Da srie: UMA FOTO VALE MAIS QUE MIL PALAVRAS.

                              


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 6, 2007

    Prefeito de Desterro do Melo, advogado RUY FERNANDES em ao em BH. Desterro do Melo fica a 200 kms de BH, 32 de Barbacena, no Caminho do Meio da Estrada Real na Zona da Mata.
















    PREFEITO FIRMA PARCERIA COM SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE

    FAZENDO BEM FEITO
    O Secretrio de Estado de Meio Ambiente do governo Acio Neves, o ex-ministro Jos Carlos Carvalho, recebeu em audincia o prefeito de Desterro do Melo, Ruy Fernandes e o deputado estadual do PV, Agostinho Patrus Filho. Com eles, o presidente da FEAM - Fundao Estadual do Meio Ambiente, Jos Cludio Junqueira e o jornalista Joo Carlos Amaral.
    O prefeito mostrou ao Secretrio Jos Carlos o maior projeto da regio de Desterro do Melo na rea de turismo - a Via Verde. O Secretrio ouviu do prefeito vrias estatsticas sobre o caminho turstico, que comea na localidade da Estiva (zona rural do municpio de Barbacena) e termina na comunidade de Aras, em Desterro do Melo.
    A Via Verde est localizada sobre os penhascos da Serra da Conceio, com altitudes superiores a 1.300 metros, vasta vegetao de pinheiros e cedros, inmeras fontes de gua e um visual deslumbrante. No alto da Serra, o prefeito anunciou que vai construir uma plataforma para vo livre de asa delta e/ou paraglayder, incentivando a iniciativa privada a investir no projeto. Aps a conversa, o prefeito recebeu do Secretrio 10 mil mudas de rvores frutferas que sero plantadas em locais planejadas por toda da Via.

    FAZENDO BEM FEITO
    O prefeito Ruy Fernandes e o deputado Agostinho Patrus Filho0 do PV, majoritrio em Desterro do Melo.

    FAZENDO BEM FEITO
    O prefeito Ruy Fernandes e o deputado Agostinho Patrus Filho0 do PV, majoritrio em Desterro do Melo.








    MUNICPIO SE DESPEDE DE EX-PREFEITO

    FAZENDO BEM FEITO
    A populao de Desterro do Melo se despediu, na ltima quarta-feira, 03, do ex-prefeito Antnio Gonzaga Filho. Gonzaguinha, como popularmente era conhecido, administrou o Municpio no perodo de 02 de fevereiro de 1977 a 30 de janeiro de 1983.
    Dentre suas principais realizaes, destaca-se a nomenclatura de vrias ruas da cidade, a expanso das estradas rurais e a implantao de vrios setores na mquina administrativa.
    Antnio Gonzaga Filho morreu por causa natural aos 93 anos, no dia 02 de outubro.
    Em Nota o prefeito Ruy Fernandes lamentou a morte do ex-prefeito. Acompanhe:


    Nota Oficial
    O Governo do Municpio de Desterro do Melo lamenta a morte do ex-prefeito Antnio Gonzaga Filho que exerceu o mandato com lisura, honestidade e trabalhou pelo seu desenvolvimento.
    Na oportunidade, transmito sentimentos de pesar famlia enlutada.
    Desterro do Melo, 02 de outubro de 2007.

    Ruy Fernandes, prefeito.




    FESTA DE NOSSA SENHORA DO ROSRIO

    FAZENDO BEM FEITO
    A comunidade de catlicos da cidade segue se preparando para celebrar, no prximo dia 14 de outubro, a tradicional Festa de Nossa Senhora do Rosrio. A romaria com a imagem da Virgem do Rosrio pelas principais localidades do Municpio segue reunindo um grande nmero de fiis, que participam das celebraes eucarsticas e dos ritos que antecedem o grande dia festivo.
    Ao mesmo tempo, a comunidade tambm se prepara para homenagear a Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. Os grupos de catlicos j se organizam para a caminhada at a Capela erguida em homenagem Santa, na Via Verde, alto da Serra da Conceio.
    Acompanhe a programao das festividades, coordenadas pelo proco Luciano Ferreira de Oliveira:

    12 de Outubro (sexta-feira) - Festa de Nossa Senhora Aparecida:
    09h:00 - Missa na gruta de Nossa Senhora Aparecida;
    19h:00 - Missa na Matriz de Nossa Senhora do Desterro, seguida de procisso com a imagem da Virgem Aparecida pelas principais ruas da cidade;
    Em seguida, apresentao da Lira Nossa Senhora do Desterro, no adro da Matriz.

    14 de outubro (domingo) - Festa de Nossa Senhora do Rosrio:
    07h:00 - Despertar com repique de sinos e msica;
    10h:00 - Concentrao da Banda de congadas que sair em busca da Rainha, Ana Maria Amorim Moreira e do Rei, Joo Bosco Esmrio Medeiros. Em seguida, caminhada at a Matriz.
    11h:00 - Missa solene na Matriz com a participao do grupo de congadas, seguida de procisso com a imagem de Nossa Senhora do Rosrio pelas ruas da cidade e beno do Santssimo Sacramento.

    "Que Nossa Senhora do Rosrio interceda por todos ns, por nossas famlias e por nossa comunidade paroquial. Deus abenoe a todos que participam desta caminhada com Maria" - Luciano Ferreira, proco.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 6, 2007

    Vereador FRED COSTA , do PHS, de Beag, quer regulamentar as 550 guaritas de segurana existentes hoje na cpital. Confira!

    Deciso sobre as guaritas - Comisso Especial de Veto votar projeto na segunda-feira

    Cmara Municipal analisa parecer da relatora Elaine Matozinhos e proposta deve ser votada em plenrio na prxima semana


    Na segunda-feira, dia 8 de outubro, s 13h30, Comisso Especial de Veto da Cmara Municipal de Belo Horizonte se reunir para votar o parecer da relatora, vereadora Elaine Matozinhos (PTB), sobre o Projeto de Lei 843/06. De autoria do vereador Fred Costa (PHS), a proposta, se aprovada, vai regulamentar cerca de 550 guaritas existentes na cidade e permitir a instalao de novos equipamentos de segurana.

    De acordo com a relatora, que ex-delegada, a proposta nada tem de inconstitucional. "O projeto de lei trata de algo que competncia do legislador municipal, o mobilirio urbano, conforme prev o Cdigo de Posturas Municipal", explicou. A primeira reunio da Comisso Especial de Veto, realizada em 26 de setembro de 2007, contou com a presena da Polcia Militar de Minas Gerais, que contra a proposta sob o argumento de que o projeto de lei inconstitucional.

    Para o vereador Fred Costa, o parecer da relatora certifica a deciso da Comisso de Legislao e Justia. "Quando apresentei a proposta, em maro do ano passado, a CLJ aprovou o projeto como constitucional, legal e jurdico, com votao unnime. No h porque ser vetado", argumenta o autor.

    Depois da apreciao do veto pelos cincos membros da Comisso, a proposta ser includa em pauta, para novamente ser votado pelos 41 vereadores em Reunio Ordinria. Segundo as normas da Casa Legislativa, a votao pode acontecer no dia seguinte, 9 de outubro - um ms aps ser vetado integralmente pelo Executivo. Para se tornar lei, a proposta necessita de ser aprovada por maioria simples, ou seja, 21 vereadores.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 5, 2007

    Deputado federal Paulo Abi-Ackel, do PSDB mineiro, d parecer favorvel em projeto para proteger consumidor que comprar imvel na planta.

    O deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB), relator, na Comisso de Defesa do Consumidor, do Projeto de Lei n. 747/2007, que trata da regra de afetao patrimonial sobre o acervo das incorporaes imobilirias, emitiu parecer favorvel proposio que visa proteger, em definitivo, os interesses do consumidor que adquire imveis na planta no Brasil.

    Paulo compartilha, com o autor da proposio, a premissa de que necessrio alterar os termos da Lei n. 10.931, de agosto de 2004, que rege a matria, visando ajustar as normas para proteger o comprador de uma unidade imobiliria de eventuais problemas financeiros do incorporador.

    Segundo o deputado, nos termos em que se encontra atualmente a Lei, o devedor quem decide se prestar ou no garantias do cumprimento de suas obrigaes. O dispositivo precisa ser modificado para tornar compulsria a afetao patrimonial, pois o que est em jogo a proteo da economia popular e no a convenincia do incorporador, enfatizou.

    Correo

    Para Paulo, a correo desse equvoco representa uma medida legislativa revestida do mais alto alcance social, uma vez que ir, em definitivo, proteger o investimento de milhares de brasileiros que aplicam suas economias conquistadas, com enorme sacrifcio, na aquisio da to sonhada casa prpria.

    Com a alterao, no caso da falncia, ou mesmo na hiptese de recuperao judicial da empresa incorporadora, o adquirente, na qualidade de consumidor, no ser afetado e nem prejudicado, j que os seus recursos sero integralmente protegidos pelo mecanismo do patrimnio de afetao.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 5, 2007

    Destaque desta sexta-feira no nosso BLOG DE NOTCIAS, na socieade de Barbacena, vem do colunista Idinando Borges do barbacenaonline. o aniversrio de 1 ano do garoto Jlio, filho do casal de mdicos Irina Amaral Coelho e Jlio Csar Andrade. Ele filho do competente poltico barbacenense, vereador Amarlio de Andrade, que foi presidente da Cmara Muncipal por 11 vezes. Digno de constar no Guiness Book.


    O pequeno Jlio na festa para crianas com seus pais,
    os mdicos Irina Coelho e Jlio Csar Andrade











    Nsia Maria Amaral Coelho e Rosita Magalhes

    Amarlio Andrade e Pedro Mariano Coelho

    O circo vai comear foi a temtica da festa de aniversrio de um ano de Jlio Csar Andrade Filho, na Associao Mdica filho do casal mdico, Irina Coelho e Jlio Csar Andrade A maioria dos convidados, no tinham os trs anos completos. E, a garotada se soltou nos brinquedos e nas guloseimas numa frentica batalha com as babs para aproveitarem o mximo. Tudo moda de criana, mas supervisionado de perto pela atenta Irina, uma me dedicada e competente. Os avs, Pedro Mariano e Nsia Maria Amaral Coelho, Rosita Magalhes e Amarlio Andrade conferiram tudo de perto, com alegria.
    O Ncleo Regional do Cncer realizou assemblia e confirmou o mdico e voluntrio Jlio Csar de Andrade na presidncia por mais dois anos. Na oportunidade, foram escolhidos novos conselheiros, entre os quais inmeras figuras do meio jurdico, empresarial e social da cidade. Alm do trabalho filantrpico, a entidade passa por uma nova estruturao e com o apoio dos Governos: municipal, estadual e federal.A meta, agora construir um Centro de Atendimento Multiprofissional na cidade. A entidade conta com o apoio incondicional do vereador Amarlio Andrade.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 5, 2007

    Ministro LUIZ DULCI est hoje, aqui em Beag. Ele gravou entrevista ao programa Mundo Poltico da TV Assemblia que vai ao ar hoje s 13 horas. ELE DISSE QUE NO CANDIDATO A PREFEITO DE BH.

    Ministro LUIZ DULCI, secretrio-geral da Presidncia da Repblica estar, s 14 horas, no Auditrio do BDMG, no lanamento do Prmio ODM - Objetivos de Desenvolvimento do Milnio. As informaes foram enviadas, de Braslia, pela assessoria de comunicao do secretrio nacional da Secretaria Nacional de Estudos e Pesquisas Poltico-Institucionais, nosso amigo WAGNER CAETANO.








                                                        Mundo Poltico


    No programa de hoje participam o juiz Paulo Tamborim, diretor da Escola Judiciria do TER, e o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidncia da Repblica, Luiz Dulci. O ministro fala do PT e a sucesso de Lula em 2010 e afirma que no candidato a prefeito da capital. O Mundo Poltico vai ao ar  s 13h, desta sexta-feira.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 5, 2007

    Diretor-geral do DER, Jos lcio Montese, o mais novo leitor do nosso BLOG DE NOTCIAS, que se aproxima dos 450 mil acessos. Um abrao ao nosso amigo Z lcio e obrigado pela preferncia!

                                                        

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 5, 2007

    DEFENSORIA PBLICA DE MINAS a um passo de conseguir reestruturao e novo piso salarial. Projeto ser votado semana que na Assemblia de Minas.

    Criao de 282 cargos na Defensoria Pblica em Minas. Projeto do governador Acio Neves est pronto para ser avaliado pela Comisso de Fiscalizao Financeira.

    J est pronto para ser apreciado pela Comisso de Fiscalizao Financeira e Oramentria da Assemblia Legislativa de Minas Gerais o projeto que altera a estrutura da Defensoria Pblica, criando 282 cargos de defensores. A Comisso de Administrao Pblica aprovou, nesta quinta-feira (4/10/07), parecer favorvel ao Projeto de Lei Complementar 29/07, do governador. O projeto recebeu uma emenda na Comisso de Administrao Pblica, que prev o recebimento da gratificao natalina e do tero constitucional de frias.
    O relator, deputado Incio Franco (PV), opinou pela aprovao da proposio na forma do substitutivo n 1, da Comisso de Constituio e Justia (CCJ), com a emenda n 1, que apresentou. Com o objetivo de garantir aos defensores pblicos o recebimento da gratificao natalina e do tero constitucional de frias, a emenda n 1 acrescentou incisos ao artigo 76, da Lei Complementar 65, que organiza a Defensoria, define sua competncia e dispe sobre a carreira.
    Originalmente, alm de alterar a carreira dos defensores e criar cargos, o PLC 29/07 fixava o subsdio inicial dos defensores pblicos em R$ 6.580,00, podendo chegar a R$ 10 mil no final da carreira, retroativos a 1/9/07. Entretanto, a CCJ determinou o desmembramento do projeto. Dessa forma, a parte da proposio original (artigos 6 a 8) que trata da fixao do subsdio foi convertida em um novo projeto de lei, tambm de autoria do governador e com os mesmos valores definidos no projeto original. Essa alterao era necessria porque a fixao de subsdio deve ser disciplinada por meio de lei ordinria e no por meio de lei complementar.
    Substitutivo - No substitutivo n 1, foram incorporadas as alteraes feitas no projeto original que modificam a Lei Complementar 65, de 2003. Com as modificaes, o quadro de carreira, distribuda em classes, ser integrado por 1,2 mil cargos efetivos. Hoje, so 918 cargos. Outra alterao que a carreira passar de trs para cinco classes. As cinco classes previstas no substitutivo sero as seguintes: defensor pblico de classe I, com os nveis I e II (300 vagas no total); de classe II (250 vagas); de classe III (240 vagas); de classe IV (210 vagas); e de classe especial (200 vagas).
    O artigo 6 do substitutivo determina que os membros da Defensoria Pblica em exerccio na data de publicao da futura lei complementar sero reposicionados na carreira. O substitutivo d, ainda, nova redao ao artigo 41 para tornar expresso que obrigatria a instalao do rgo em todas as comarcas do Estado e em todos os graus de jurisdio, inclusive nas instncias especial e extraordinria.
    Deputados destacam atuao dos defensores
    Os deputados presentes na reunio destacaram a importncia da atuao dos defensores pblicos e de seus representantes durante as negociaes para a apresentao do projeto. O deputado Domingos Svio (PSDB) afirmou que os representantes dos defensores, durante a luta para a fixao do subsdio, sempre estiveram abertos ao dilogo e entendimento com o governo. "Mas preciso reconhecer tambm o empenho do governador Acio Neves e a sua disposio para atender as demandas da categoria", ressaltou. O deputado Delvito Alves (DEM) tambm elogiou a atuao dos defensores no processo de negociao.
    O deputado Incio Franco afirmou no seu parecer que o projeto demonstra a vontade poltica do governo de valorizar a categoria. Ele tambm destacou que o aumento do nmero de cargos de defensores ir contribuir para a melhoria dos servios prestados pela instituio. O deputado Dalmo Ribeiro Silva (PSDB) lembrou que os defensores possuem um papel imprescindvel ao funcionamento do Poder Judicirio estadual.
    J o vice-presidente da comisso, deputado Ademir Lucas (PSDB), que tambm defensor pblico, afirmou que o projeto representou um grande avano para a categoria, mas que ainda h muito a ser feito. "Espero que ainda consigamos a equiparao dos subsdios dos defensores com o recebido pelos promotores", considerou.
    Presenas - Deputados Ademir Lucas (PSDB), vice-presidente da comisso; Domingos Svio (PSDB), Incio Franco (PV), Delvito Alves (DEM) e Dalmo Ribeiro Silva (PSDB).




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 5, 2007

    Programa Humanitrio "MOS QUE AJUDAM" foi homenageado em Reunio Especial na Assemblia Legislativa de Minas. O autor foi o deputado Andr Quinto, do PT.

    Projeto de ajuda humanitria que mobiliza milhares de voluntrios em todo o Brasil, o programa Mos que Ajudam foi homenageado em Reunio Especial de Plenrio realizada nesta quinta-feira (4/10/07) na Assemblia Legislativa de Minas Gerais. O programa desenvolvido pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos ltimos Dias, com aes nas reas de educao, sade e promoo da cidadania. A homenagem partiu de iniciativa do deputado Andr Quinto (PT), e foi prestigiada por fiis e autoridades da igreja, alm de lideranas polticas e empresariais.
    O Mos que Ajudam mobiliza cerca de 60 mil voluntrios em todo Brasil em duas datas especficas. No ltimo 7 de setembro, foi feito um mutiro de reparos em 300 escolas pblicas de todo o Pas. Os voluntrios pintaram portas e janelas, consertaram telhados, revitalizaram quadras, fizeram consertos hidrulicos e trabalhos de jardinagem. No dia 1o de maio, doaram enxovais confeccionados por eles prprios para cerca de 300 hospitais. Apenas na Regio Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), onde o programa atua desde 2001, existem cerca de 2 mil voluntrios.
    O deputado Andr Quinto ressaltou que o Mos que Ajudam reconhecido pela Organizao das Naes Unidas e beneficia milhares de pessoas em todo o Brasil, com suas aes voltadas para a valorizao da famlia. "No h condies para o ser humano ter formao adequada sem o devido suporte afetivo de uma famlia bem-estruturada. Cabe a todos ns dotar a famlia de condies para cumprir o seu papel", disse. O parlamentar destacou a importncia do trabalho conjunto de governos e organizaes da sociedade, e citou o exemplo da recuperao do Parque Paulo Pinheiro Chagas, em Contagem, por voluntrios do Mos que Ajudam.
    Em pronunciamento lido pelo deputado Carlin Moura (PCdoB), o presidente da ALMG, deputado Alberto Pinto Coelho (PP), lembrou que o Mos que Ajudam vem se transformando em uma das mais importantes aes de voluntariado do Pas, mobilizando milhares de pessoas de todas as idades. "Sua ao voltada para o bem coletivo essencial para Minas Gerais", disse. O presidente destacou tambm a importncia da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos ltimos Dias. A igreja est presente h seis dcadas no Brasil, onde tem cerca de 900 mil dos seus 12 milhes de fiis. O contingente de seguidores brasileiros o terceiro maior do mundo.
    O coordenador do Mos que Ajudam na RMBH, Carlos Alberto Delfino, destacou a importncia do trabalho dos voluntrios, que dedicam seus sbados, feriados e madrugadas ao programa. Ele reiterou a importncia do fortalecimento dos valores familiares na busca de uma sociedade mais justa. " difcil falar em democracia sem falar em famlias slidas", comentou. Delfino aproveitou a oportunidade para pedir a aprovao de uma lei estadual que institua uma semana da famlia em Minas Gerais, a exemplo da que j existe em Belo Horizonte, criada por lei municipal de 2003.
    Presenas - A mesa de trabalhos foi composta pelo deputado Carlin Moura, que representou o presidente Alberto Pinto Coelho; pelo deputado Andr Quinto; pelo vice-prefeito de Belo Horizonte, Ronaldo Vasconcellos; pela vereadora Ana Paschoal; pelo coordenador do Mos que Ajudam na RMBH, Carlos Delfino; e pelo representante da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos ltimos Dias, Nat Cruciol Tobias.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 4, 2007

    145 milhes de reais. DINHEIRO DO PAC - Programa de Acelerao do Crescimento - chegam Prefeitura de BH, para obras de urbanizao da Vila So Jos na regio Leste da capital. E para o Programa de geranciamento de Resduos Slidos na BR-040.

    O prefeito Fernando Pimentel e o superintendente regional da Caixa Econmica Federal , Dimas Wagner Lamounier, assinaram nesta quinta-feira, dia 4, contratos de financiamento e repasse de recursos no valor de R$ 145 milhes para obras de urbanizao de vilas e saneamento no municpio.
    As obras so as primeiras do Programa de Acelerao do Crescimento (PAC) a serem executadas em Belo Horizonte e vo contemplar a urbanizao da Vila So Jos, na regio Noroeste, a urbanizao da avenida Belm, na regio Leste, e o Programa de Gerenciamento de Resduos Slidos, na Central de Tratamento de Resduos Slidos da BR-040. O prefeito destacou a importncia da cidade ter projetos j desenvolvidos para concorrer aos recursos do PAC.
    Na Vila So Jos sero aplicados R$ 115 milhes em obras que incluem a canalizao do crrego So Jos, a implantao de 1.064 metros da avenida Joo XXIII e de 1.821 metros das avenidas Pedro II e Tancredo Neves, intervenes virias e implantao de reas de lazer e convivncia. Cerca de 2.400 famlias sero reassentadas em apartamentos a serem construdos em uma rea prxima vila atual ou atravs do Programa de Remoo e Reassentamento em Funo de Risco ou Obras Pblicas (Proas).
    Agora comea o processo de licitao e a previso de que as ordens de servio sejam assinadas no ano que vem. A revitalizao da Vila So Jos seguramente uma das obras mais importantes da histria da cidade, afirmou o prefeito. De acordo com Pimentel, alm do benefcio direto a quem vive na regio, a interveno vai proporcionar um grande ganho para a cidade. Ela vai tornar possvel a ligao viria entre as avenidas Pedro II e Tancredo Neves, na regio da Pampulha. O sonho da complementao da Pedro II finalmente est sendo atendido, salientou.
    Na urbanizao da avenida Belm, sero investidos R$ 15 milhes para o tratamento de fundo de vale, implantao de rede de drenagem e de contenes, construo de cerca de 800 metros de vias laterais ao crrego, intervenes em vias transversais , implantao de reas de esporte e lazer e construo de unidades habitacionais. As obras devem comear ainda este ms.
    J o Programa de Gerenciamento de Resduos Slidos ter um custo de R$ 15,4 milhes e inclui a construo de galpo para triagem de materiais da coleta seletiva e da unidade de transbordo de resduos na Central de Tratamento de Resduos Slidos da BR-040 e ampliao do sistema de compostagem.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 4, 2007

    ECONOMIA. Governador Acio Neves assina decreto que d TRATAMENTO DIFERENCIADO a micro e pequenas empresas que forneam produtos e servios ao Governo do Estado.






                                                                     Minas sai na frente.

    As micro e pequenas empresas sediadas em Minas Gerais tero, a partir de agora, tratamento diferenciado e simplificado para fornecimento de produtos e servios ao Governo do Estado. Nesse sentido, foi publicado na edio desta quinta-feira (4) do Minas Gerais o decreto 44.630, que possibilita a continuidade de aes de fomento participao desse segmento empresarial nas compras pblicas e institui procedimentos operacionais que orientam rgos e entidades estaduais na aplicao da Lei Complementar n 123, de 14/12/2006.
    Estado brasileiro a editar uma medida nesse sentido. Com ela, o governo quer formalizar pequenos negcios, viabilizando a gerao de emprego e estabelecendo regras efetivas e consistentes de estmulo ao segmento das micro e pequenas empresas.
    O estmulo dado participao das microempresas e empresas de pequeno porte nas aquisies pblicas gera uma srie de benefcios. Um deles diz respeito ao prazo estipulado em dois dias teis para as MPEs, a partir da declarao do vencedor da licitao, prorrogvel por igual perodo, regularizar a documentao, pagamento ou parcelamento do dbito, e emisso de eventuais certides negativas ou positivas com efeito de certido negativa.
    Outro benefcio refere-se preferncia de contratao para as MPEs na fase de aceitabilidade dos preos, como critrio de desempate, nas situaes em que as propostas apresentadas pelas pequenas empresas sejam iguais ou at 10% superiores proposta mais bem classificada. A exceo feita para modalidade prego, cujo intervalo percentual ser de at 5% superior ao melhor preo, permitindo a pequena empresa cobrir a menor proposta em questo.
    Outros exemplos tambm podem ser citados como a participao exclusiva nos processos licitatrios de at R$ 80 mil; a subcontratao das MPEs, no mximo 30% do total licitado; e a contratao em que estabelecido para as MPEs cota de at 25% do objeto, em certames para a aquisio de bens e servios de natureza divisvel.
    Exclusividade
    O Governo de Minas Gerais, ao inovar o escopo da Lei Complementar n 123, destinar processos exclusivos s MPEs para as compras de pequeno valor realizadas por meio de cotao eletrnica de preos. Tais compras tm como premissa o atendimento rpido de pequenas demandas pontuais e na maioria dos casos regionais dos rgos pblicos, o que provocar um melhor atendimento nesses casos e fomento economia local.
    Tcnicos da Secretaria de Estado do Planejamento e Gesto (Seplag) ressaltam, porm, que licitaes exclusivas para as pequenas empresas s podero ser aplicadas, uma vez garantida a qualidade do produto e pagamento do preo de mercado, desde que haja a capacidade, pela pequena empresa, de cumprimento a todas as obrigaes assumidas, enquanto licitante vencedor. Em sntese, permanece vencendo a melhor proposta.
    A prxima etapa que se desenha como conseqncia da publicao do decreto ocorrer nos prximos 60 dias, com a integrao do Cadastro de Fornecedores do Poder Executivo Estadual com a Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg), propiciando a identificao constante e atualizada do porte das empresas registradas no Estado. Com isso, tanto para as empresas mineiras quanto para as demais empresas, sero consideradas para fins de identificao do porte as respectivas certides, emitidas por juntas comerciais e cartrios de registro de empresas.
    A secretria de Estado de Planejamento e Gesto, Renata Vilhena, acredita que a combinao da desburocratizao e balanceamento das obrigaes, por meio do Projeto Estruturador Descomplicar, contribui com vigor para as polticas de fomento e a participao das MPEs no PIB. Ela considera que o Governo de Minas tem construdo suas macro-polticas com base nos conceitos de desenvolvimento sustentvel, acreditando ser uma ao que contribuir para a gerao de novos empregos, distribuio de renda, coeso econmica e social, o que ir aumentar a participao da pequena empresa no PIB mineiro como forma tambm de tornar Minas Gerais o melhor Estado do Brasil para se viver e investir.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________
    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 4, 2007

    Amanh, na sede dos Correios no centro da capital, ser lanada, s 10 da manh, a Central Braille dos Correios, que vai atender todo o Pas.

    Correios lana Servio Postal Braille



    A Central Braille nacional da empresa funcionar em Belo Horizonte



    Na prxima sexta-feira (5) ser inaugurada a Central Braille dos Correios. A nova unidade funcionar no prdio sede da empresa em Belo Horizonte e prestar o Servio Postal Braille para todo o Brasil. O servio prev a transcrio de mensagens escritas tinta para o Braille e vice-versa, o que vai proporcionar mais autonomia aos deficientes visuais e deve tambm evitar o constrangimento dessas pessoas ao compartilhar mensagens com terceiros. A ao segue as diretrizes de incluso postal do Ministrio das Comunicaes.



     

    Atualmente os Correios possibilitam a circulao gratuita de mensagens em braille aos portadores de deficincia visual e respectivas instituies de apoio por meio do Cecograma. No entanto, o servio no contempla a comunicao direta desses grupos com os demais segmentos da sociedade, como: prestadores de servios, casas comerciais, instituies bancrias, concessionrias de servios pblicos e pessoas fsicas em geral. Dessa forma, o novo servio pretende preencher essa lacuna.



     

    Os deficientes visuais, de qualquer localidade do Pas, que queiram ser beneficiados com a transcrio de mensagens devem encaminhar suas correspondncias (ou pedir aos remetentes para envi-las) para a Central Braille dos Correios. Nela, os objetos sero codificados para a nova linguagem e encaminhados at o endereo desejado. O envio das mensagens at a Central e o servio de transcrio sero gratuitos, no entanto, o valor da postagem para o destinatrio final ser cobrado como uma correspondncia comum de acordo com o tipo (comercial ou no-comercial), podendo, inclusive, receber servios adicionais, como o aviso de recebimento, registro, dentre outros. Vale lembrar que o servio opcional em qualquer tempo, no precisa de inscrio prvia e ao receber mensagens em braille o beneficiado no paga nada.



     

    Estudos do IBGE (ano 2000) informam que existem no Brasil cerca de 150 mil pessoas que no enxergam, porm, no existem estudos que indiquem a quantidade de pessoas que conheam a linguagem Braille. A Central dos Correios inicialmente est estruturada para a transcrio de at mil mensagens por ms, podendo aumentar a capacidade de acordo com o crescimento da demanda.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 3, 2007

    Jantar Solidrio para a Cano Nova. Marcado para dia 15 no Restaurante do Minas 1, aqui em BH. A informao foi enviada ao nosso BLOG DE NOTCIAS pelo empresrio Claudio Calonge da Briskcom Business Technology. Confira e participe!

    Dia 15/10, teremos o nosso primeiro jantar solidrio para a Cano Nova com as presenas do Pe. Jonas, Eto, Luzia e Dicono Nelsinho!!!!
    Convido a todosa estarem conosco e os convites j esto a venda no nosso escritrio e com todo o grupo de amigos do projeto BHZ!
    Divulguem entre seus amigos e vamos "encher" o Minas l nesse dia de muita alegria para ns "mineiros amantes" dessa obra maravilhosa!!!!!
    Caso queiram conhecer melhor a programao basta ligar para 2191-1006 ou ainda em nosso escritrio na Av. Amazonas, Tel : 3234-7305 ou para meu celular 31-99818548.

                         Convite para Jantar


     
    Atenciosamente,
     
    Claudio Calonge Soares de S,  Diretor Comercial Briskcom Business Technology .

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 3, 2007

    EXCLUSIVO! Os 70 executivos de ouro do vice-governador Antnio Anastasia na fiscalizao do cumprimento de metas, pelos secretrios e dirigentes de estatais e fundaes de Minas. Bem vestidos, educados, talentosos, com seus laptops, os executivos escolhidos pela experincia do nosso vice-governador, percorrem os rgos governamentais, cobrando com firmeza e registrando rigorosamente o desempenho administrativo de cada rgo.

                        Fomos informados de que os 70 jovens executivos chegam, se renem com o dirigente e checam o que foi programado em termos de aes, de investimentos, de metas e o que foi cumprido at aquele momento. 
                        O programa instalado nos leptops do "menudos" - como esto sendo chamados por alguns dirigentes de rgos do governo - tem detalhadamente todos o nmeros, todas metas. 
                        Quando a meta no cumprida, - no tem perdo - o executivo coloca uma carinha vermelha ( um cone com a cara feia) na frente da meta anunciada, ou seja, levou "bomba". Se a meta cumprida em parte, l vem um cone amarelo e se foi cumprida como o acertado, a leva uma carinha sorridente verde.
                       Este um segredo - que estamos dando, em PRIMEIRSSIUMA MO aqui no nosso BLOG DE NOTCIAS - demonstrando a eficincia do planejamento estratgico - conhecido como Choque de Gesto - elaborado pelo vice-governador Antnio Anastasia e bancado pela ousadia e viso poltica do governador Acio Neves.
                       Planejar, executar e monitorar os resultados o segredo. E o vice-governador continua focado! Que os dirigentes se mexam na busca de cumprir as metas!
                        EM TEMPO: estilo que lembra do lendrio ex-governador Hlio Garcia, que ao dar posse aos seus auxiliares diziam sempre: " governar  escolher, confiar e cobrar". Fica o registro.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 3, 2007

    De olho no DER de Minas.

    O diretor-geral do DER - Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais - o simptico e eficiente executivo Jos lcio Montese, recebeu o prefeito de Desterro do Melo, advogado Ruy Fernandes. O prefeito agradeceu a ida do diretor-geral Z lcio fez a Desterro do Melo, para a inaugurao da rovia MG-265 - trecho de 32 kms, entre Barbacena e Desterro do Melo - municpio que fica no Caminho do Meio da estrada Real.
    Z lcio, que conhecemos desde o governador Hlio Garcia, demonstrou - e no foi supresa para ns - que conhece a fundo detalhes do traado das estradas em todo o Estado e, especficamente sobre a regio da zona da mata aonde est localizado o municpio de Desterro do Melo.
    EM TEMPO: o governador Acio Neves acertou em cheio " colocando o homem certo, no lugar certo".










                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 3, 2007

    Comisso de Direitos Humanos da Assemblia de Minas. Confira"

    A interdio de celas da 16 Delegacia Distrital da Pampulha e a transferencia das presas j condenadas sero solicitadas pela Comisso de Direitos Humanos da Assemblia Legislativa de Minas Gerais. Os deputados Durval ngelo (PT), presidente da comisso e Joo Leite (PSDB) conheceram, nesta quarta-feira (3/10/07), as instalaes, o trabalho de assistncia jurdica, mdica e religiosa e as oficinas de artesanato que so oferecidos pela delegacia em parceria com a comunidade. " esse trabalho que at hoje evitou uma rebelio no local", destacou Durval ngelo.
    Com quatro celas e uma capacidade para 30 detentas, encontram-se presas atualmente na delegacia 100 mulheres. A maioria das detentas so presas provisrias, mas existem as que j foram condenadas e esto aguardando a transferncia para penitencirias femininas. Segundo o delegado Helcio Sabernardes, as celas no comportam o nmero de mulheres presas, sendo que muitas delas so obrigadas a dormir no corredor e no ptio. "Fazemos o que possvel para garantir uma condio digna de vida, mas para tanto necessrio reduzir o nmero de presas", afirmou.
    Durante a visita, os deputados ouviram vrias queixas das presas, entre elas, as condies de higiene das celas e a falta de espao. "Quando chove, no conseguimos dormir por causa das goteiras e da falta de telhado no ptio", afirmou Daniele Teixera de Souza. O deputado Durval ngelo destacou que as condies das celas so insalubres. "Sabemos que a Defensoria Pblica j move um processo pedindo a interdio das celas e vamos entrar em contato com os defensores", disse. Ele tambm pediu ao delegado que seja feito um levantamento com as mulheres que chegam delegacia com marcas de agresso cometidas por policiais militares. "Precisamos combater a violncia da Polcia Militar, que est aumentando", destacou.
    J o deputado Joo Leite solicitou um levantamento das mulheres presas e disse que ir pedir a transferncia para as penitencirias, daquelas que j foram condenadas. O parlamentar tambm considerou insalubres as condies das celas. O delegado Helcio Sabernardes lembrou que a delegacia foi construda para ser uma unidade policial e no uma unidade prisional, com capacidade para receber presas j condenadas.
    Presas participam de oficinas de artesanato e dana
    Atravs de uma parceria da delegacia com a comunidade, as detentas participam de oficinas de artesanato e dana. Elas tambm contam com assistncia jurdica e religiosa e atendimento mdico, durante a semana. Os deputados Durval ngelo e Joo Leite elogiaram esse trabalho desenvolvido pelo delegado, pelos funcionrios e pela comunidade. Para os parlamentares, so essas aes que esto evitando rebelies e fugas.
    Para uma das detentas, Neuzi Barroso, as oficinas de artesanato so um incentivo, pois elas aprendem uma atividade e no passam tanto tempo dentro das celas. Segundo o delegado Helcio Sabernardes, esse trabalho vem contribuindo para uma mudana de comportamento das presas. Segundo ele, assim que as detentas chegam, os funcionrios explicam a elas que esto ali devido ao seu comportamento, e que para mudar a situao preciso uma mudana de atitude. "Nunca tivemos nenhum caso de rebelio ou de drogas e celular dentro da delegacia", afirmou. Trabalham, na 16 Delegacia Distrital da Pampulha, 23 agentes de polcia e cinco agentes penitencirios. Presenas - Deputados Durval ngelo (PT), presidente; e Joo Leite (PSDB).



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 3, 2007

    Prefeito Fernando Pimentel mostra projetos estruturantes para nossa capital.



























    Prefeitura apresenta projetos que vo modernizar o atendimento ao cidado

    Projetos apresentados em seminrio demonstram esforo concentrado da Prefeitura para melhorar a capacidade de resposta aos problemas e o atendimento bsico ao cidado que demanda servios do municpio.


    Melhorar o atendimento da Prefeitura em todos os setores que tm contato com o cidado . Esta a proposta do Programa Nacional de Apoio Gesto Administrativa e Fiscal dos Municpios Brasileiros (PNAFM), que est sendo discutido em seminrio promovido pela Prefeitura no Espao Municipal (avenida Afonso Pena, 1212, 1 andar). O evento , que termina nesta quarta-feira, dia 3, tem o objetivo de apresentar os projetos de Belo Horizonte que vo receber recursos do programa.
    Na abertura, que contou com a presena de prefeitos e secretrios de municpios da Regio Metropolitana, alm de representantes do Ministrio da Fazenda e da Caixa Econmica Federal, o prefeito Fernando Pimentel destacou que o seminrio um esforo concentrado da Prefeitura para melhorar a capacidade de resposta aos problemas e o atendimento bsico ao cidado que demanda servios do municpio. "Estamos trabalhando para o ano que vem inaugurarmos uma central de atendimento unificada da Prefeitura no Centro da cidade, que vai facilitar a vida do cidado que, por exemplo, quer abrir uma empresa e no vai ter que percorrer vrios setores da Prefeitura. Ou tambm aquele que precisa de um alvar de obras. Vamos centralizar isso em um lugar s e esse talvez seja um dos frutos mais importantes do programa", salientou.
    O PNAFM desenvolvido pelo Governo Federal com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), repassado pela Caixa Econmica Federal, com o intuito de melhorar a eficincia das administraes pblicas municipais. A Prefeitura j assinou o contrato de financiamento para Belo Horizonte, no valor de R$ 32,8 milhes, que sero aplicados em 26 projetos, envolvendo dez rgos, entre 2007 e 2010.
    O programa de modernizao est baseado em quatro grandes pilares: a melhora no atendimento ao cidado, a modernizao das estruturas internas de trabalho, o uso intensivo da tecnologia da informao e a capacitao dos servidores pblicos. Entre os projetos a serem implantados esto, alm da criao da Central de Atendimento Integrado ao Cidado, a modernizao dos fluxos de trabalho, aquisio de equipamentos e implantao de sistemas de gesto em vrios rgos, como a Procuradoria Geral do Municpio, as secretarias de Recursos Humanos, Administrao e Regulao Urbana, entre outros. Outro importante projeto a criao da Escola de Governo, que vai possibilitar a capacitao permanente do funcionalismo pblico municipal






    Comentrios

    #1. Demtrios Silva, MBA - (demetrios.silva@gmail.com)
    Tenho a certeza que a PBH est no rumo certo com a execuo de programas como este para modernizar a gesto da administrao pblica em nosso municpio. Acredito que Belo Horizonte muito se orgulhar dos bons resultados deste programa PNAFM. A PBH ir capacitar gestores que fundamental para melhorar o atendimento ao cidado e fazer com eficincia e boa produtividade as atividades do dia a dia do municpio, criar novos servios, modernizar e disponibilizr novas servios, enfim, a PBH estar modernizando o atendimento e suas instalaes e criando indiretamente novos postos de trabalho, pois basicamente todos projetos sero licitados.

    Parabns!!!



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 3, 2007

    Matria Especial que vem do colunista Csar Romero do jornal Tribuna de Minas de Juiz de Fora.









     



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 3, 2007

    Projeto do ICMS SOLIDRIO do deputado Dinis Pinheiro, do PSDB.

                        Lideranas polticas e sociais lotam Plenrio em evento sobre ICMS

    A Assemblia Legislativa de Minas Gerais sediou, nesta tera-feira (2/10/07), a etapa final do Frum Tcnico ICMS Solidrio, depois da realizao de 12 encontros que mobilizaram diferentes regies do Estado. Dezenas de deputados, alm de 450 inscritos, entre eles 107 prefeitos, 94 vereadores, sendo 20 presidentes de cmaras municipais, lotaram o Plenrio. "Essa uma oportunidade privilegiada para debater e dialogar sobre um instrumento eficaz para corrigir distores de anos e anos, reduzindo as desigualdades sociais e econmicas entre os municpios mineiros", defendeu o 1-secretrio da ALMG e autor do Projeto de Lei (PL 637/07, que trata do ICMS, deputado Dinis Pinheiro (PSDB), na abertura do evento.

    De acordo com Dinis Pinheiro, a interiorizao dos debates, iniciada no ms de agosto, foi uma demonstrao do exerccio democrtico proporcionado pela Assemblia, com debates e exposio do contraditrio. Ele afirmou que imprescindvel a reviso urgente da forma de distribuio desses recursos, que considera estar superada, prejudicando cerca de 760 municpios e mais de 16 milhes de pessoas. Pinheiro lembrou que outros Estados j percorreram esse caminho e disse estar certo de que Minas ter um marco: antes e depois do ICMS Solidrio.

    O 2-vice-presidente da ALMG, deputado Jos Henrique (PMDB), que coordenou a mesa de abertura, fez um balano sobre a interiorizao. Os encontros regionais contaram com representantes de 382 municpios, incluindo 235 prefeitos, e resultaram na apresentao de 102 propostas para aprimoramento do projeto. Alm disso, o projeto j recebeu emendas e substitutivos em sua tramitao na Casa. "Ao abrir-se para as discusses e estabelecer parcerias com os demais poderes e com a sociedade, o Legislativo ganha maior legitimidade para suas decises", disse. A deputada Ana Maria Resende (PSDB), presidente da Frente Parlamentar em Defesa do ICMS Solidrio, tambm comps a mesa de abertura.

    Governo do Estado participou dos debates

    As diversas secretarias de Estado, cujos tcnicos participaram das reunies de interiorizao, tambm estiveram representadas na mesa de abertura da etapa final do evento. A secretria de Estado de Cultura, Eleonora Santa Rosa, enfatizou a mobilizao social trazida pelo frum tcnico da ALMG. Ela afirmou que a Secretaria se solidariza com a proposta, mas sugeriu que, no caso especfico da rea cultural, a distribuio do ICMS se mantenha como est, uma vez que Minas conta com o maior nmero de acervo de tombamento de bens culturais do Pas. "So 648 municpios que disputam recursos do ICMS Cultural e comprovam aes efetivas na rea", informou, defendendo que a composio de fatores no seja estritamente econmica.

    Representando a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel, o subsecretrio de Gesto Ambiental Integrada, Ilmar Bastos, lembrou que a Lei Robin Hood (13.803, de 2000, a qual o PL 637 pretende modificar), foi um grande avano da legislao na poca em que foi feita. Ele mencionou duas novas questes que hoje esto diretamente envolvidas com a necessidade de investimentos - o aumento das reas verdes e o saneamento bsico -, e informou que a pasta tem propostas para isso.

    Jussara Rocha, representando a Secretaria de Turismo, afirmou que a atividade turstica deve ser considerada prioritria para o Estado e que uma das propostas que a pasta apia a descentralizao dos circuitos tursticos.

    "Mais de 80% dos municpios mineiros esto perdendo recursos h muitos anos, desde a Constituio Federal de 1988", lembrou o prefeito de Governador Valadares e coordenador da Frente Mineira de Municpios, Bonifcio Mouro, para quem o critrio atual seria injusto por beneficiar apenas os municpios mais ricos. O presidente da Cmara Municipal de belo Horizonte, vereador Tot Teixeira, tambm defendeu a atualizao da legislao do ICMS e destacou o envolvimento da Assemblia na questo, ao trazer a populao para o debate.

    O presidente da Associao Mineira dos Municpios, o prefeito de Mariana, Celso Cota Neto, disse que as discusses sobre o tema no interior foram positivas para levar o tema para a imprensa e a populao em geral. Ele enfatizou a importncia da organizao municipalista, por meio das microrregies, e defendeu a adoo de um critrio de distribuio mais prximo da proposta do governo do Estado de desenvolvimento regional e com sustentabilidade.

    Patrcia Ribeiro, diretora da Fundao Joo Pinheiro, lembrou que o site da instituio tem uma pgina especfica sobre a Lei Robin Hood, com dados bsicos e orientaes sobre procedimentos e prazos, o que permite o acompanhamento pblico dos demonstrativos dos recursos.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 2, 2007

    So 17h40m em BH. Ateno: Ligue agora na TV Assemblia, canal 11, a cabo, aqui em BH. No interior no canal UHF. Asisista o QUENTE DEBATE sobre o projeto ICMS SOLIDRIO do deputado Dinis Pinheiro, do PSDB.

    A Assemblia Legislativa de Minas Gerais sediou, nesta tera-feira (2/10/07), a etapa final do Frum Tcnico ICMS Solidrio, depois da realizao de 12 encontros que mobilizaram diferentes regies do Estado. Dezenas de deputados, alm de 450 inscritos, entre eles 107 prefeitos, 94 vereadores, sendo 20 presidentes de cmaras municipais, lotaram o Plenrio. "Essa uma oportunidade privilegiada para debater e dialogar sobre um instrumento eficaz para corrigir distores de anos e anos, reduzindo as desigualdades sociais e econmicas entre os municpios mineiros", defendeu o 1-secretrio da ALMG e autor do Projeto de Lei (PL 637/07, que trata do ICMS, deputado Dinis Pinheiro (PSDB), na abertura do evento.
    De acordo com Dinis Pinheiro, a interiorizao dos debates, iniciada no ms de agosto, foi uma demonstrao do exerccio democrtico proporcionado pela Assemblia, com debates e exposio do contraditrio. Ele afirmou que imprescindvel a reviso urgente da forma de distribuio desses recursos, que considera estar superada, prejudicando cerca de 760 municpios e mais de 16 milhes de pessoas. Pinheiro lembrou que outros Estados j percorreram esse caminho e disse estar certo de que Minas ter um marco: antes e depois do ICMS Solidrio.
    O 2-vice-presidente da ALMG, deputado Jos Henrique (PMDB), que coordenou a mesa de abertura, fez um balano sobre a interiorizao. Os encontros regionais contaram com representantes de 382 municpios, incluindo 235 prefeitos, e resultaram na apresentao de 102 propostas para aprimoramento do projeto. Alm disso, o projeto j recebeu emendas e substitutivos em sua tramitao na Casa. "Ao abrir-se para as discusses e estabelecer parcerias com os demais poderes e com a sociedade, o Legislativo ganha maior legitimidade para suas decises", disse. A deputada Ana Maria Resende (PSDB), presidente da Frente Parlamentar em Defesa do ICMS Solidrio, tambm comps a mesa de abertura.
    Governo do Estado participou dos debates
    As diversas secretarias de Estado, cujos tcnicos participaram das reunies de interiorizao, tambm estiveram representadas na mesa de abertura da etapa final do evento. A secretria de Estado de Cultura, Eleonora Santa Rosa, enfatizou a mobilizao social trazida pelo frum tcnico da ALMG. Ela afirmou que a Secretaria se solidariza com a proposta, mas sugeriu que, no caso especfico da rea cultural, a distribuio do ICMS se mantenha como est, uma vez que Minas conta com o maior nmero de acervo de tombamento de bens culturais do Pas. "So 648 municpios que disputam recursos do ICMS Cultural e comprovam aes efetivas na rea", informou, defendendo que a composio de fatores no seja estritamente econmica.
    Representando a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel, o subsecretrio de Gesto Ambiental Integrada, Ilmar Bastos, lembrou que a Lei Robin Hood (13.803, de 2000, a qual o PL 637 pretende modificar), foi um grande avano da legislao na poca em que foi feita. Ele mencionou duas novas questes que hoje esto diretamente envolvidas com a necessidade de investimentos - o aumento das reas verdes e o saneamento bsico -, e informou que a pasta tem propostas para isso.
    Jussara Rocha, representando a Secretaria de Turismo, afirmou que a atividade turstica deve ser considerada prioritria para o Estado e que uma das propostas que a pasta apia a descentralizao dos circuitos tursticos.
    "Mais de 80% dos municpios mineiros esto perdendo recursos h muitos anos, desde a Constituio Federal de 1988", lembrou o prefeito de Governador Valadares e coordenador da Frente Mineira de Municpios, Bonifcio Mouro, para quem o critrio atual seria injusto por beneficiar apenas os municpios mais ricos. O presidente da Cmara Municipal de belo Horizonte, vereador Tot Teixeira, tambm defendeu a atualizao da legislao do ICMS e destacou o envolvimento da Assemblia na questo, ao trazer a populao para o debate.
    O presidente da Associao Mineira dos Municpios, o prefeito de Mariana, Celso Cota Neto, disse que as discusses sobre o tema no interior foram positivas para levar o tema para a imprensa e a populao em geral. Ele enfatizou a importncia da organizao municipalista, por meio das microrregies, e defendeu a adoo de um critrio de distribuio mais prximo da proposta do governo do Estado de desenvolvimento regional e com sustentabilidade.
    Patrcia Ribeiro, diretora da Fundao Joo Pinheiro, lembrou que o site da instituio tem uma pgina especfica sobre a Lei Robin Hood, com dados bsicos e orientaes sobre procedimentos e prazos, o que permite o acompanhamento pblico dos demonstrativos dos recursos.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 2, 2007

    Dinheiro novo para Minas. O governador Acio Neves se reuniu com o ministro da Fazenda Guido Mantega, em Braslia. Saiu de l com o apoio do governo federal para um emprstimo de R$ 1 bilho e 900 milhes junto ao Banco Mundial.





                             




    Arquivo/Secom

    O governador Acio Neves concluiu, nesta tera-feira (2), em reunio com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, em Braslia, o acerto com o governo federal para o emprstimo de R$ 1,9 bilho ao Governo de Minas junto ao Banco Mundial (Bird), aprovado pela Comisso de Financiamentos Externos (Cofiex) na ltima sexta-feira (28). Durante o encontro, o governador obteve o compromisso do ministro para que seja feita uma correo cambial no valor do emprstimo, levando em conta a desvalorizao ocorrida desde dezembro de 2006, quando o acordo foi feito, e o dlar estava em R$ 2,13.
    "A questo cambial, no momento da aprovao na Cofiex, no ficou bem resolvida. Mas tive aqui o compromisso do ministro de corrigi-la. Nas regras da prpria Cofiex h a possibilidade de uma alterao de at 10% nos valores. Isso atenderia quase na totalidade essa defasagem. Estou saindo daqui com esta questo bem resolvida. Todos os outros procedimentos esto sendo feitos", afirmou o governador, em entrevista, aps encontro com o ministro.
    Emprstimo modelo
    O financiamento de R$ 1,9 bilho do Bird para Minas a maior operao do banco para a Amrica Latina. O emprstimo faz parte do novo limite de endividamento do Estado, autorizado pelo governo federal, como resultado do ajuste fiscal, reduo de despesas e melhor eficincia da gesto do governo mineiro.
    "Esse programa com o Banco Mundial nico em execuo no s no Brasil, mas no mundo, porque a contrapartida no financeira, so os indicadores sociais e econmicos que pactuamos com o banco. Portanto, teremos uma liberdade ampla para poder aplicar esses recursos em sade, na melhoria do sistema hospitalar, na melhoria das nossas rodovias, no sistema de segurana, na infra-estrutura dos municpios", disse Acio Neves.
    O governador ressaltou que Minas ter em 2008 algo que jamais imaginou em sua histria: investimentos de R$ 9 bilhes. No Oramento do Estado para este ano esto previstos investimentos de R$ 3 bilhes. "Estamos falando em quase triplicar os investimentos do Estado. E todos eles tm projetos com metas, com transparncia, com absoluto acompanhamento por parte da sociedade e, obviamente, dos agentes pblicos do Estado", afirmou.
    Misso do BID
    Tambm como resultado dos encontros que o governador Acio Neves teve durante viagem aos Estados Unidos, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) enviar a Minas Gerais, na prxima semana, uma misso para estudar um novo modelo de Parceria Pblico-Privada (PPP) proposta pelo governo mineiro. A proposta que, nesse modelo, a linha de crdito do banco, no valor de US$ 800 milhes, seja disponibilizada para o setor privado, beneficiando as empresas que vencerem a licitao.
    "Isso da maior relevncia no s para Minas, porque uma porta que se abre para o Brasil. No nosso caso, j existe uma PPP em execuo, mas temos mais 16 trechos importantes de rodovias do Estado, que poderiam ser objeto de PPP. E uma das dificuldades o financiamento do setor privado. O BID se mostrou imensamente interessado por esse modelo", afirmou o governador.
    Esse novo financiamento, se aprovado, no ter impacto no limite de endividamento do Estado, uma vez que os recursos sero destinados ao setor privado. A Secretaria de Transportes e Obras Pblicas (Setop) est realizando um pr-estudo para definir quais os trechos sero contemplados. A licitao dever envolver a recuperao e manuteno de 7 mil quilmetros de rodovias.
    Nessa etapa inicial do planejamento, os tcnicos da Setop esto fazendo um cruzamento entre os investimentos necessrios e o nmero de veculos que trafega nos trechos, para medir a viabilidade econmica de cada deles. Para a licitao, devero ser montados pacotes de rodovias, com um trecho principal e estradas alimentadoras.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 2, 2007

    A BELEZA DA ETERNIDADE da profundeza de 20 MIL ANOS-LUZ de distncia do planeta TERRA. s multiplicar a velocidade da luz viajando a 300 mil kms por segundo! A foto, que mais parece uma tela pintada por um gnio, foi feita pelo Telescpio Hubble, e distribuda pela NASA. CONTEMPLE e sinta como somos minsculos diante do abissal COSMOS.

                                   





                                                   Imagem captada pelo Hubble mostra estrela jovem cercada por poeira e gs, a cerca de 20 mil anos-luz do Sistema Solar


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 2, 2007

    Ministro das Comunicaes, senador Hlio Costa, lana em sua cidade natal, Barbacena, Edio Especial de Selos em homenagem s ROSAS produzidas naquele municpio da Zona das Vertentes. Ao lado do ministro Hlio Costa, o diretor regional dos Correios em Minas, Fernando Miranda, representando o presidente dos Correios, Carlos Henrique Custdio, mineiro de Paraispolis, sul de Minas. A solenidade foi no Master Plaza Hotel do empresrio Getlio Feres no centro de Barbacena. Confira a cobertura do jornalista Antnio Marcos e a fotgrafa Michelle Barbosa do site barbacenaonline.






    Barbacena conhecida em todo o pas como "Cidade das Rosas" em razo de seu potencial na produo dessa espcie de flor. Este foi um dos motivos que levou a Empresa Brasileira de Correios e Telgrafos (ECT) a homenagear o municpio, escolhendo a cidade como a primeira a receber o lanamento nacional de um bloco composto por trs selos comemorativos que formam a edio especial "Rosas". Posteriormente, o material ser apresentado em Holambra (SP) e So Benedito (CE). "Essas trs cidades que vo representar as rosas do Brasil. a maneira que temos como ministro das Comunicaes, de fazer com que Barbacena chegue a todo o territrio nacional e at ao exterior, porque quando se enviar uma carta e utilizar um desses selos estaremos divulgando a nossa cidade dentro e fora do pas", destacou Hlio Costa.







     
    Michelle Barbosa



    Os novos selos comeam a circular com uma tiragem de 350.000 blocos e valor facial de R$ 2,60 a unidade. Foram tambm lanados 6.000 cartes-postais. Todo material foi impresso na Casa da Moeda do Brasil. "Barbacena realmente uma referncia no plo da cultura de rosas. Para ns foi um prazer muito grande trazer a direo da empresa para poder lanar nacionalmente aqui este selo, que vinha sendo aguardado pelo mundo filatlico com muita ansiedade", comentou Fernando Miranda, presidente regional dos Correios em Minas Gerais.
    A solenidade de lanamento dos selos ocorreu no ltimo sbado, dia 29 de setembro, no Mster Plaza Hotel. Participaram do evento autoridades civis e militares de Barbacena e regio, polticos, diretores e presidentes de rgos, e convidados. A Rainha das Rosas 2006, Katiusci Saiury Takahashi, prestigiou a cerimnia.







     
    Michelle Barbosa



    Por que "Rosas"?
    Os Correios j haviam homenageado com um selo especial vrias espcies de flores consideradas mais belas e importantes, mas ainda existia uma lacuna dedicada s rosas. "Logo que assumi o Ministrio das Comunicaes, recebi do barbacenense Salvador Justen de Almeida, ex-funcionrio do Banco do Brasil e um de nossos grandes filatelistas, esse pedido para que fizssemos tambm uma homenagem s rosas. Encaminhei ento essa solicitao Comisso de Filatelia dos Correios, que decidiu fazer mais esse selo especial. Agora, temos a homenagem a trs cidades: Barbacena, em primeiro lugar; Holambra, daqui a duas semanas; e, posteriormente, So Benedito. As trs grandes produtoras de rosas", explicou o ministro Hlio Costa.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    Deu na coluna do nosso amigo Z Antnio Lopes do barbacenaonline. Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. O ministro das Comunicaes, senador Hlio Costa, PMDB, e o prefeito de Barbacena, Martim Andrada, PSDB. Em discusso o gerenciamento do abastecimento de gua da cidade.












    Desta conversa pode sair a soluo
    para o abastecimento de gua em Barbacena
    .

    R$ 30 milhes
    Isto mesmo: 30 milhes de reais ser o montante que o ministro e senador Hlio Costa trar com o apoio de mais dois ministros da regio - Patrus Ananias e Luiz Dulce - para solucionar o problema da gua em Barbacena. Esta foi a proposta que Costa fez a Martim Andrada na sexta feira, 21, durante as solenidades de inaugurao do conjunto habitacional So Bento, no Valentim Prenassi, desde que a Copasa no assuma o nosso Demasa. O dinheiro chega aqui em 90 dias. esta a condio...


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    Cobrana de PEDGIO NA BR- 381 - a Ferno Dias. Notcia enviada ao nosso BLOG DE NOTCIAS pela jornalista Claudia Campolina, assessora de comunicao do deputado Dalmo Ribero Silva.


    ASSEMBLIA DISCUTE CONCESSO DA BR-381
          No mesmo dia em que est prevista a realizao do leilo para a concesso da rodovia Ferno Dias (BR-381), em 9 de outubro prximo, a Comisso de Transporte, Comunicao e Obras Pblicas da Assemblia Legislativa de Minas Gerais ir promover, s 14h30min, audincia pblica para discutir o processo e a instalao das praas de pedgio nessa estrada que liga Belo Horizonte a So Paulo.
    Requerida pelo deputado Dalmo Ribeiro Silva (PSDB), a audincia buscar conhecer todos os detalhes e os critrios para a fixao do valor do pedgio, que somente no trecho mineiro contar com seis praas instaladas. "Pretendemos ouvir o Dnit e conhecer o cronograma estabelecido para a concesso da 381, como ser feita a instalao das praas de pedgio, os valores previstos e, sobretudo, os critrio para que sua utilizao no seja muito onerosa aos usurios e ao transporte de cargas", justificou Dalmo Ribeiro.
         "Alm disso", lembrou Dalmo, "iremos cobrar aes efetivas para a realizao de investimentos na melhoria e conservao da estrada, que possui trechos crticos que precisam de rpida recuperao".
         
         

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    Vem a o 1 Concurso de Vdeos de Animao. Tema: DROGAS T FORA!


                        Governo de Minas realiza concurso de vdeo sobre lcool e trnsito
    A Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude, por intermdio da Subsecretaria de Polticas Antidrogas, promove o 1 Concurso de Vdeos de Animao "Drogas t fora! Faa voc a sua prpria histria". Com tema "lcool e Trnsito", o concurso coordenado pelo Centro de Referncia Estadual em lcool e Drogas e Observatrio Mineiro de Informaes Sobre Drogas OMID, em parceria com as Instituies de Ensino Superior de Minas Gerais.
    Os estudantes universitrios interessados em participar do concurso devem enviar um vdeo de at 30 (trinta) segundos, gravados em CD ou DVD nos formatos avi, mov, wmy e/ou mpg. Cada aluno poder participar com apenas um vdeo e deve acessar o site www.omid.mg.gov.br para impresso da ficha de inscrio, que deve ser feita at 05 de novembro.
    O concurso pretende mobilizar a comunidade estudantil de nvel superior para discutir, pesquisar, refletir e criar mecanismos de divulgao, enfocando a preveno do uso e abuso de lcool na conduo de veculos, num processo sistemtico e interdisciplinar objetivando reduzir e prevenir os danos sade e vida.
    Com a realizao do 1 Concurso de Vdeos de Animao, a Subsecretaria de Polticas Antidrogas quer incrementar a Poltica Estadual Sobre o lcool no Estado, mobilizando os corpos docente e discente na construo da cidadania e na prtica reflexiva quanto ao seu papel na sociedade, voltado para a formao crtica e compreensiva da realidade social e das responsabilidades em relao vida pessoal e coletiva.
    O regulamento completo do concurso est disponvel no seguinte endereo eletrnico: www.omid.mg.gov.br.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    AGENDA EMPRESARIAL do acar e lcool.

    ATENO EMPRESRIO! Confira agenda, desta segunda-feira, do Siamig/Sindacar na FIEMG.
    HOJE, Assemblia Geral do Siamig/Sindacar, presidido pelo empresrio Luiz Custdio Cotta Martins. Marcada para 14 horas no Auditrio da Fiemg, em BH. Confira!



    ASSEMBLIA DIA 01/10/07


     

                O presidente do Siamig/Sindacar-MG solicita a presena de todos os Associados na Assemblia Geral do dia 01/10/07 (segunda-feira) s 14 horas, no auditrio trreo da Fiemg (avenida do Contorno 4.520), em Belo Horizonte. Na pauta, a prestao de contas da execuo oramentria integrada das trs entidades correspondente ao perodo de 01/05/06 a 30/04/07 (safra 2006/07); detalhamento do oramento das trs entidades do perodo de 01/05/07 a 30/04/08 (safra 2007/08); ICMS e proposta Passarini (honorrios ad exitum); zoneamento da produo e outros assuntos.

     Luiz Custdio Cotta Martins nasceu em Ponte Nova (Zona da Mata Mineira). engenheiro-agrnomo, formado na Primeira Turma da Faculdade de Agronomia de Botucatu, em So Paulo, e presidente do Sindicato da Indstria do Acar e do lcool de Minas Gerais (Siamig/Sindacar-MG), com 32 associados.

    - Originrio de uma famlia de produtores de acar e lcool, seus bisavs foram os fundadores, em 1883, da primeira usina de acar em Minas Gerais, Ana Florncia, em Ponte Nova. J no ano de 1925, seu av fundou a Usina Jatiboca, em Urucnia, tambm na Zona da Mata, at hoje em funcionamento.

    - Depois de formado em agronomia, assumiu vrios postos de trabalho nas usinas da famlia, nos anos 70 e 80 como Gerente Industrial e Diretor da Usina Jatiboca e Usina Ana Florncia. Foi tambm diretor das empresas: Cia Aucareira Vieira Martins, Pontal Agrcola Ltda, Jatiboca Construes Ltda e Japielma Ltda. Sendo diretor da Associao de Usineiros de Minas Gerais no perodo de 1982 a 1988.

    - Foi, tambm, membro do Conselho Deliberativo do Instituto do Acar e do lcool (IAA), no perodo de 1984 a 1989 e  Secretrio-Executivo do Grupo de Pases Latino Americanos e do Caribe Exportadores de Acar (GEPLACEA), no Mxico, onde ficou por um ano. Tinha a responsabilidade de divulgar o acar e a nova tecnologia brasileira, o lcool combustvel, para a regio e outros pases.

    - Atualmente, Luiz Custdio , tambm, vice-presidente da Federao das Indstrias de Minas Gerais (Fiemg) para a Regio Metropolitana de Belo Horizonte, j no segundo mandato.







    Comentrios

    #1. celso - (celsocastilho@ccbe.com.br)
    Joao.
    Somente atravs do seu Blog, podemos conhecer a trajetria de sucesso dos amigos. O Luiz Custdio um deles.Carreira forjada com muito esforo, dedicao e profissionalismo.
    Parabns Luiz

    Celso Castilho de Souza




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    A FORA DOS BLOGS. Confira!

    Os BLOGS so um fenmeno que a cada dia chamam a ateno no mundo todo pela velocidade e pela diversidade de informaes que coloca na rede mundial de computao. O assunto hoje tema da rea acadmica. Nosso BLOG DE NOTCIAS chamou a ateno do curso de jornalismo da Estcio de S, aqui em BH. A estudante Juliana Fernandes nos mandou uma srie de perguntas, sobre nossa viso sobre os Blogs, para um trabalho acadmico da turma dela. Aproveitamos e publicamos a entrevista, aqui no nosso BLOG.

    Existem discusses sobre os blogs no sentido de que todos que possuem um blog podem se tornar "jornalistas" no processo de divulgao de informaes. Qual sua opinio sobre isso?

    R: Olha, acredito que ter um BLOG no significa que o cidado ou a cidad tenha uma formao jornalstica, esteja preparado para redigir tecnicamente uma notcia - que responda aos principios de Kipling - quem, quando, onde,como e por qu? Mas claro que um blogueiro tem mo uma ferramenta que democratiza o fluxo de informao, que deve ser livre e responsvel. Como afirma a pergunta "jornalistas" - entre aspas - ah, isso quem tem blog acaba parecendo ser, j que redige informaes, embora no possa ser registrado na Delegacia do Trabalho, como um jornalista, que tenha se formado em uma Faculdade como vocs esto fazendo em breve e ns j fizemos h muito tempo. bom destacar: na verdade quem tem um Blog no jornalista e sim blogueiro, uma nova funo que nasce com o surgimento da blogosfera. Mas virar jornalista s passando por uma Faculdade, claro.

    Voc acredita que a prtica dos blogs jornalsticos vai substituir o jornalismo tradicional?

    R: A curto prazo no. Mas medida que as novas geraes da internet forem surgindo, mais e mais, o caf da manh das famlias ser frente de um notebook ligado em um ou mais sites de notcias. Com isso, o jornlismo tradicional ter que oferecer esta opo do jornalismo eletrnico, j que o de papel, vai ficando defasado, esttico, com notcias de ontem, enquanto a internet tem a notcia do momento em que acontece.

    E um fenmeno j est ocorrendo: jornalista com bom nvel de informao e contando com um blog de notcias vem ocupando um espao independente, que assusta a mdia tradicional e que encanta um pblico leitor crescente na rede mundial de computao.

    Recomendo: vocs que esto quase se formando fiquem atentos. No h reserva de mercado na internet. Faam seus blogs, escrevam e busquem seus pblicos. moderno e uma forma de contrapor sua posio de joranlista com o do blogueiro, que se for competente vai ter um pblico fiel, que poderia ser o seu, formado em jornalismo.


    Voc criou um blogs que possui categorias, ou seja voc posta matrias sobre varias editorias. Voc faz todas as matrias? Como so seus critrios para definio das pautas?

    R: Nosso BLOG DE NOTCIAS tem seis editorias - poltica, economia, gente, entrevistas, artigos e geral. No fao  todas as matrias e sim, edito o material que est na rede, que est em outros sites como do governo do estado, dos poderes legislativo e judicirio. Recebo artigos especiais de profissionais que fazem parte de minha network e notcias enviadas por E-mail por diversas fontes. A pauta defino de acordo com a filosofia de nosso blog, que de NOTCIAS. Com isso, dou todas as informaes, que num critrio jornalstico - importncia social, poltica econmica - ajudem ao(a) leitora do BLOG a pensar o mundo, os fatos do momento e tirar sua concluso. O segredo est na velocidade da informao que publico no nosso BLOG DE NOTCIAS. Por exemplo: abro meu notebook e edito onde estiver a notcias que consigo levantar. A grande maioria da mdia tradicional s vai dar a notcias - quando d -  no jornal de papel do dia seguinte. Costumo dizer: se o mundo acabar, os jornais do dia seguinte(?) no vo dar o fato. J os blogs daro - em tempo real - todos os detalhes. Pensem nisso!


    Em sua opinio, quais a vantagens do blogs como ferramenta jornalstica? E as desvantagens?

    R: A principal vantagem a velocidade com que voc poder redigir uma notcia e/ou publicar uma foto, editar um vdeo. A segunda que voc pode empreender - ou seja, ser seu prprio patro. Ter seu "jornal" na internet a um custo operacional muito baixo. Voc poder virar um "nanoempresrio da blogosfera". Mas recomendo que faa um plano de negcios, tenha tempo disponvel para atualizar seu blog 24 horas por dia. Afinal a blogosfera um buraco negro que suga toda e qualquer informao que passa por perto.

    A desvantagem: que a cobrana interminvel. O leitor de um BLOG quer renovao constante, atualizao das notcias minuto a minuto. Quem no atualiza perde o leitor. Portanto, ser blogueiro exige empenho full time. Outra desvantagem a dificuldade captao de anncios para mater o BLOG e torn-lo rentvel, j que deve ser um empreendimento jornalstico como na mdia tradicional.

    RECOMENDO adquirir o livro BLOG do advogado, radialista e blogueiro americano Hugh Hewitt, para entender um pouco mais a revoluo que est em efervecncia no mundo da comunicao. Eu j comprei. L. E o tenho sempre em mos para me motivar e orientar como agir na blogosfera. 

    "A internet est transformando o jornalismo no s nas suas prticas cotidianas, mas tambm na sua natureza, isto , naquilo que se entende por jornalismo", Antonio Fidalgo.

    Gostaria que voc comentasse essa afirmao.

    R: claro que o mundo hoje outro. O jornalismo tradicional foi concebido para um tipo de tecnologia, que nem de longe, chega perto do arsenal que temos no mundo da internet. Isto est deixando a mdia tradicional em pnico. Est perdendo a hegemonia, num palavra, o controle da informao. Saimos do mundo da comunicao de massa, para a comunicao do um a um, do indivduo. E a ferramenta internet permite que cada um possa se expressar atravs, por exemplo de um BLOG - que disponibilizado pelos provedores a custo baixo e com extrema eficincia. Temos hoje uma rea de edio eletrnica de fcil acesso, bastando ter um login e uma senha. uma revoluo na comunicao mundial que ainda vai render muita anlise e transfo0rmar para sempre a maneira como se faz jornalismo. Para nossa profisso vejo o fato como positivo, j que se tivermos iniciativa e criatividade, podemos ter nosso prprio jornal eletrnico independente na internet. Mos obra, como fizemos h pouco mais de um ano: criamos o nosso BLOG DE NOTCIAS, trabalhamos fukll time nele e j conquistamos quase 400 mil acessos. E estamos crescendo.

    este o novo mundo do jornalismo. Quem no se adaptar, vai morrer profissionalmente!


    A internet no cria barreiras para nenhum tipo de informao, abordagem ou mesmo opinio. Diante disso, muitas pessoas que possuem blogs fazem deles grandes dirios. H tambm alguns jornalistas que aproveitam os blogs como colunas, onde predominam a opinio. Nessa viso, falando em termos de tica jornalstica, pode se dizer que as matrias no ficam comprometidas quando a credibilidade?

    R: Primeiro bom lembar que a palavra blog nova - na verdade surgiu do termo weblog usado como dirio pelos pesquisadores e professores do Vale do Silcio nos EUA a partir de 1999. Log, na verdade, era o dirio de bordo do capito do navio, o registro dia a dia do que ocorre na vida de cada um. S que agora o dirio est na rede mundial disposio de quem se identifique ou acredite no que est lendo.

    A questo da tica permeia tudo. E quando o leitor do BLOG percebe que est sendo enganado ele simplesmente deleta de sua lista de favoritos o "genial BLOG". a punio cabal para quem abusa da pacincia, alis, abusa da inteligncia do leitor. E bom destacar ainda que na internet s navega quem tem um nvel scio-econmico e social, um poder aquisitivo elevado, que lhe permite ter vrias fontes de notcias e de opinies. Outro detalhe: no se esqueam que ao escrever em seus BLOGS, sendo joranalista ou no, o indivduo tem responsabilidade tica e jurdica, j que poder estar gerando provas contra sim mesmo. Tudo poder ser usado depois por quem se julgar ofendido nos tribunais. Mas, a maior punio mesmo quando o blogueiro percebe que sua maravilhosa audincia se evaporou. Como? bom lembrar que quem tem blog recebe o servio dirio de estatstica com os nmeros de acessos ou da falta deles, de onde vem o acesso, tempo de durao, de que regio do Pas ou do mundo. Portanto, quem violar a tica estara no limbro, mais cedo ou mais tarde. Hoje cada vez mais cedo!

    O que voc acha dos grandes portais estarem chancelando os jornalistas blogueiros?

    R: Acho timo! Isto mostra que nossa categoria est conquistando um outro universo, que vem da rede mundial de computao. Que as empresas, nem todas claro, esto aproveitando a oportunidade de ter em seus quadros profissionais bem informados, com caractersticas individuais, com informantes que confiam neles e os abastecem de informaes vitais, que mantm o nvel de comunicao de seus blogs, sem as amarras das empresas. Outra coisa: ao invs de ter um blogueiro como concorrente - veja o caso do jornalista Ricardo Noblat: ele tinha um BLOG no Ig, com credibilidade conquistada ao longo de sua carreira nos grandes jornais do Pas. O que o jornal O Globo fez? Levou o Noblat para o jornal como atrao para seus leitores.

    EM TEMPO: espero e estou articulando para que algum jornal, aqui de Minas, faa um parceria com nosso BLOG DE NOTCIAS, o www.joaocarlosamral.com.br



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    O nosso BLOG DE NOTCIAS pinou da execelente REVISTA ENCONTRO do jornalista Paulo Csar de Oliveira, ( Edio de Outubro, j nas bancas), as entrevistas feitas pelo jornalista Flvio Penna com os prefeitos de Belo Horizonte, Fernando Pimentel e de Buenos Aires, Jorge Telerman. Vale conferir!










    entrevista





     








    | Flvio Penna |
    Num bate-papo descontrado, o prefeito
    da cidade de Buenos Aires, na Argentina,
    Jorge Telerman, e o de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, falam dos laos que unem as duas metrpoles e das
    semelhanas e problemas em comum entre elas

    Buenos Horizontes








     
     







    Que pontos em comum tm uma cidade cosmopolita, do mundo, capital de um pas, como Buenos Aires, e Belo Horizonte, cidade nova, que busca se abrir para o mundo, e que capital de um estado, ou provincia para os argentinos?

    Jorge Telerman, chefe de governo da Cidade Autnoma de Buenos Aires, esteve em Belo Horizonte em setembro, para participar de eventos cujo objetivo era promover sua cidade.

    Aqui teve a companhia constante de seu equivalente, o prefeito Fernando Pimentel, com quem percorreu a cidade, visitou obras, subiu morros, visitou favelas para conhecer algumas















    Em Buenos Aires 92% de arrecadao prpria, porque a cidade arrecada inclusive os impostos sobre o consumo e venda a varejo. Aqui no, o principal imposto arrecadado pelo estado e 25% dele
    compartilhado com os municpios


    Os pontos comuns entre Buenos Aires e Belo Horizonte so muito mais do que eu pensava. Estamos construindo uma relao que certamente vai continuar pelas afinidades

     

    experincias novas em termos de administrao pblica, especialmente de incluso social. Telerman viu muitos pontos em comum entre a cidade que administra e a capital de Minas, notadamente pela pujana e dinamismo econmico. Mas viu tambm semelhanas fortes nos problemas sociais, com as favelas e a desigualdade social. Entre uma visita ao aglomerado da Serra, onde enfrentou poeira e calor, e um compromisso social, ele e o prefeito Pimentel conversaram com a Encontro. Falaram de experincias administrativas, de violncia urbana e de poltica. Uma conversa descontrada, mas com anlises profundas dos dois pases.

    Pimentel Buenos Aires no tem prefeito; l tem chefe de governo. Eu estou at pensando em mudar o nome aqui, passando tambm para chefe de governo. mais importante.
    Telerman Eu prefiro prefeito. mais simples. O problema que antes no ramos uma cidade. ramos uma intendncia, com total dependncia do governo federal. Depois passamos a ser uma cidade autnoma, com total independncia do governo. Isto foi em 1994. A deixamos de ter um intendente e passamos a ter um chefe de governo da cidade autnoma.

    ENCONTRO Quando o senhor fala em dependncia, de que natureza era? Econmica ou poltica?
    Telerman Dependncia total. O presidente nomeava um intendente, um prefeito, como se fosse um ministro.
    Pimentel Era diretamente nomeado pelo presidente da Repblica; isto ocorreu at 1994. Desde ento houve trs chefes de governo, ele o quarto.

    ENCONTRO E agora, como a escolha?
    Telerman Agora por eleio direta, em dois turnos, com quatro anos de mandato e direito a uma reeleio.
    Pimentel Igual no Brasil.

    ENCONTRO A cidade tem autonomia financeira total?
    Telerman Diferentemente das outras provncias argentinas, Buenos Aires depende de sua prpria arrecadao. Anualmente, em torno de 92% de suas receitas so prprias e apenas 8% dependem do governo federal. Assim, em termos financeiros ns somos bastante autnomos. No somos, porm em termos polticos. Agora mesmo estamos em disputa com a Unio em torno da polcia, que no municipal. federal. A administrao dos portos tambm federal, assim como os servios de transportes.
    Pimentel Todo o servio de transportes de administrao federal: o metr e os nibus urbanos.

    ENCONTRO D inveja, prefeito?
    Pimentel No, imagine. o caos. Ele como prefeito no pode mudar um ponto de nibus, mexer no itinerrio das linhas.

    ENCONTRO Mas h recursos na cidade. A receita prpria suficiente para atender s necessidades?
    Telerman A situao financeira de Buenos Aires boa, como de toda a Argentina. A economia se recuperou aps a terrvel crise de quatro, cinco anos, atrs. As receitas prprias atendem perfeitamente s nossas necessidades. Queremos mudar a situao da administrao dos servios de polcia, portos e transportes. No dependemos de recursos federais.

    ENCONTRO Situao bem diferente de Belo Horizonte.
    Pimentel Sim, mas as condies de l so totalmente diferentes. Ele tem 92% de arrecadao prpria porque arrecada inclusive os impostos sobre o consumo e venda a varejo. Aqui no, o principal imposto arrecadado pelo estado e 25% dele compartilhado com os municpios. Os outros impostos so federais, como Imposto de Renda, Sobre Produtos Industrializados, tambm compartilhados com os municpios. Tributos municipais, aqui, so muito poucos. Voc s tem o Imposto Sobre Servios e o Imposto Territorial. Ele no, tem um imposto sobre servios, territorial urbano e o imposto sobre o faturamento das empresas.
    Telerman Temos um imposto direto sobre o faturamento das empresas. O Imposto de Renda federal. De 4 nossa arrecadao, 60% do imposto sobre o faturamento bruto das empresas. Outros 30% vm dos impostos sobre servio, territorial, taxas sobre veculos. Os restantes 10% so de outras taxas e da transferncia federal.

    ENCONTRO Existem pontos comuns com Belo Horizonte?
    Telerman Os pontos comuns so muito mais do que eu pensava. Estamos construindo uma relao que certamente vai continuar pelas afinidades.

    ENCONTRO E os aspectos comuns entre as duas cidades?
    Telerman So muitos tambm. Buenos Aires uma cidade com trs milhes de habitantes e aqui so dois milhes. Buenos Aires tem, porm, um entorno com aproximadamente oito milhes de habitantes, totalizando um conglomerado de onze milhes. Isto representa uma srie de problemas materiais, mas h um maior, que a complexidade econmica e social deste conglomerado. Em Buenos Aires temos o que h de mais rico na Argentina e o que h de mais pobre na Argentina.

    ENCONTRO o mesmo nvel de pobreza que o senhor encontrou na visita ao projeto Vila Viva, no aglomerado da Serra?
    Telerman Sim. As favelas de Buenos Aires so favelas, com o mesmo tipo de vida indigna. Na visita conheci um processo de urbanizao que uma grande experincia a ser trocada. Mas preciso destacar outro ponto em comum entre Buenos Aires e Belo Horizonte, que a capacidade produtiva. As duas tm enorme potencial de desenvolvimento e importncia econmica.

    ENCONTRO E o problema da violncia?
    Telerman A violncia um fenmeno comum a todos os grandes aglomerados, como a nossa cidade e Belo Horizonte.

    ENCONTRO Este aumento da violncia em Buenos Aires tem como causa a crise econmica ou a droga?
    Telerman Acho que uma conseqncia da outra. Mas eu sou da corrente de pensamento de que a insegurana est mais ligada ao aumento das desigualdades entre ricos e pobres.

    ENCONTRO Em Belo Horizonte estamos chegando aos mil homicdios no ano. As causas so as mesmas?
    Pimentel Genericamente, sim. Em todo lugar voc tem desigualdade social e, portanto, uma razo objetiva para gerar criminalidade. Agora, aqui, alm do problema social ns temos outro componente complicado. O trfico de drogas avanou muito em Belo Horizonte. Isto uma novidade relativamente histrica para ns. Nunca fomos uma cidade que tivesse crime organizado como o que comea a surgir agora em alguns aglomerados, como a Pedreira Prado Lopes, e um pouco na regio leste, na regio do Taquaril. Na Serra um pouco menos, at por causa das obras que estamos fazendo l. O simples fato de voc entrar com uma obra como aquela j melhora a questo da violncia. Mas eu acho que o trfico, de alguma forma, est associado ao aumento da violncia. A maioria das mortes violentas hoje tem a ver com acerto de contas do trfico. Bom, tem um componente da desigualdade, mas objetivamente, a causa primria tem muito a ver com a questo do trfico. Bom, a preciso enfrentar o trfico, com aes repressivas. A ao social fica secundarizada. Tem que ser feita, ns vamos continuar fazendo, mas o crime organizado j ultrapassou o ponto em que a ao social faz efeito direto. A s a represso. Pelo menos durante um tempo, enquanto se controla o trfico.

    ENCONTRO Se o senhor me permite, gostaria de falar sobre poltica.
    Telerman Eu no me dedico a poltica. Eu sou prefeito.

    ENCONTRO Os assessores de Cristina Kirchner, esposa do presidente Nestor Kirchne e candidata sua sucesso, dizem ser necessrio que ela conquiste os votos de Buenos Aires para vencer a disputa eleitoral. A cidade que vai decidir as eleies?
    Telerman preciso distinguir a cidade de Buenos Aires da provncia de Buenos Aires. Na cidade, certamente vence um candidato de oposio. H vrios candidatos com mais votos do que ela. Mas o resultado em Buenos Aires no necessariamente vai refletir o resultado nacional.

    ENCONTRO Qual o percentual de votos concentrado na provncia?
    Telerman Na provncia de Buenos Aires temos mais ou menos 35% dos votos de todo o pas. Juntas, provncia e cidade tm 43 ou 45% do eleitorado. A pode ser que haja maior influncia no resultado.

    ENCONTRO A candidatura de Cristina, esposa do presidente Nestor Kirchner, no lhe faz lembrar de outro perodo da poltica argentina?
    Telerman Depois da grande crise a Argentina vai conviver com as suas conseqncias. A grande crise teve trs aspectos: o econmico, o social e o poltico. Entramos em crise nos trs aspectos, provocando a ruptura. Eu diria que no lado econmico ns claramente comeamos a recuperao. No social no melhoramos tanto quanto na economia, mas estamos melhor do que estivemos, no auge da crise, quando chegamos a ter 40% da populao no nvel de pobreza. Agora, no terceiro aspecto, o poltico no melhorou. A Argentina segue com um sistema poltico em crise, em alguns aspectos at pior do que era antes. O sistema partidrio totalmente fragmentado.

    ENCONTRO Isto faz com que o senhor se lembre de algum outro pas?
    Pimentel No, no. O caso da Argentina bem diferente. Ela, como disse o prefeito Telerman, ainda est curando as feridas de uma crise financeira que teve efeitos devastadores, que quase aniquilou com o pas. E isto levou a um esgotamento de um sistema de representao partidria forte. Mas a Argentina sempre teve uma histria diferente da nossa. Se voc considera o grande fenmeno poltico da Argentina, que foi o peronismo, o partido Justicialista, ele domina a vida poltica l nos ltimos 50 anos. Ento, a crise no sistema partidrio argentino tambm a crise do peronismo, do justicialismo.
    Telerman O peronismo est muito fragmentado. Tem trs candidatos a presidente. Os trs primeiros colocados so peronistas.

    ENCONTRO Aqui, o prefeito de Belo Horizonte candidato natural ao governo do estado. Pimentel, por exemplo, apontado como candidato. L tambm assim? O chefe de governo da cidade de Buenos Aires candidato natural a governador da provncia?
    Telerman No, l a situao diferente. A cidade no tem muito vnculo com a provncia.
    Pimentel A situao poltica de l bem diferente da nossa. L, mais importante ser chefe de governo da Cidade Autnoma de Buenos Aires do que governador de provncia. Diria que chefe de governo, o Telerman, no confirme por modstia, mas na hierarquia o segundo cargo mais importante da poltica Argentina. Aqui no Brasil no. Aqui so os governadores. Temos cinco ou seis cidades BH, So Paulo, Rio, Salvador, Recife talvez Porto Alegre em que os prefeitos so importantes. O resto, no. So os governadores que dominam a cena poltica. L no, os governadores de provncia no so importantes assim. Importante so o presidente da Repblica e os parlamentares, dependendo da posio que ocupam.

    ENCONTRO Ento o senhor candidato a presidente da Repblica?
    Telerman No, no sou candidato. Sou candidato a amigo do prefeito.
       


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    J nas Bancas, a edio de Outubro, da excelente REVISTA ENCONTRO do jornalista Paulo Csar de Oliveira. Confira!




















      Mdico de
    famlia
     
      REPORTAGEM DA CAPA  






     





      A importncia de ter um  
     






      O cardiologista Marcos Andrade com sua paciente Mariel Coutinho e a neta, Luise: cuidando de trs gerae  











      BELEZA









      Elas chegaram aos 50 anos de bem com o espelho  






       BAZAR









      Sugestes de presentes para o ms das crianas

     











       ENTREVISTA









      Bate-papo com o prefeito de BH e o governador de Buenos Aires
     






        ESPECIAL









     

    Quais so as sete maravilhas de Minas Gerais?
    Vote nas sete opes de sua
    preferncia.

     











       SADE









      O que a compulso pela
    alterao do estado da conscincia
     






        TURISMO









      Outros dez motivos para ir a Nova Iorque
     


















     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    Nosso BLOG DE NOTCIAS ganha mais um leitor de peso: o secretrio de Meio Ambiente de Minas, nosso amigo ex-ministro de Meio Ambiente no governo FHC, Jos Carlos Carvalho. Fico honrado e agradeo o prestgio!

                           
    O secretrio Jos Carlos Carvalho confere nosso BLOG DE NOTCIAS em seu gabinete na Secretaria de Estado de Meio Ambiente. A secretaria ocupa o prdio que foi do Banco de Crdito Real na rua Esprito Santo, entre av. Afonso Pena e Amazonas, aqui em Beag.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    Ministro Walfrido dos Mares Guia, esperado hoje na Assemblia Legislativa de Minas, para o DEBATE PBLICO sobre o LAGO DE FURNAS. O deputado Antnio Carlos Arantes, do PSC, foi quem pediu a Audincia Pblica. Comea s 14 horas no plenrio JK. Ser transmitida AO VIVO pela TV Assemblia. Em BH canal 11, a cabo. No Interior de Minas em cerca de 300 municpios canal UHF. Se ligue!

    O desenvolvimento sustentvel da regio do Lago de Furnas o tema de Debate Pblico a ser promovido pela Assemblia Legislativa de Minas Gerais no prximo dia 1 de outubro de 2007. O evento uma promoo das comisses de Meio Ambiente e Recursos Naturais e de Turismo, Indstria, Comrcio e Cooperativismo. O Debate Pblico ser no Plenrio, a partir das 14 horas, e atende a requerimento do deputado Antnio Carlos Arantes (PSC). Na abertura, falaro o presidente da Comisso de Turismo, Indstria, Comrcio e Cooperativismo da ALMG, deputado Vanderlei Miranda (PMDB), e o deputado que solicitou os debates.
    Ministro convidado - Foram convidados a participar, como expositores, o ministro da Secretaria de Relaes Institucionais, Walfrido dos Mares Guia; o secretrio de Estado de Desenvolvimento Regional e Poltica Urbana, Dilzon Melo; a secretria de Estado de Turismo, rica Campos Drumond; o presidente de Furnas Centrais Eltricas S.A., Luiz Paulo Fernandez Conde; o vice-diretor-geral e o diretor de Operaes do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/MG), Fernando Antnio Costa Jannotti e Lus Alberto Dias Mendes; e a gerente de Saneamento da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel, Denise Bruschi. Tambm falar o presidente da Associao dos Municpios do Lago de Furnas (Alago) e prefeito de Alfenas, Pomplio de Lourdes Carnavez. A entidade congrega 33 municpios.
    O objetivo do Debate Pblico discutir os desafios e as oportunidades para o desenvolvimento socioeconmico dos municpios do entorno do lago, em especial aqueles relacionados s potencialidades tursticas locais, tendo em vista a sustentabilidade ambiental da regio. O Lago de Furnas objeto de preocupao da Assemblia de Minas h vrios anos. Em 2002, os deputados estiveram na regio para colher propostas visando melhoria da gesto dos recursos hdricos, durante a etapa de interiorizao do Seminrio Legislativo "guas de Minas II". Antes disso, em 2001, movimento em defesa das guas lanado pelo Legislativo se pautou pela defesa da no privatizao de Furnas Centrais Eltricas.
    Em 2005, a Comisso de Meio Ambiente esteve na regio para ouvir a populao sobre os principais problemas ambientais das cidades do entorno do lago. O uso de agrotxicos nas culturas de caf, batata e tomate, levados pela chuva para o lago de Furnas, bem como o lanamento de esgotos sem tratamento na represa foram listados como problemas. O deputado Antnio Carlos Arantes sabe que o Lago est ameaado pela irresponsabilidade ambiental. "Temos problemas de esgoto, agrotxico, eroso e desmatamento e no podemos cruzar os braos", enfatizou o parlamentar, que acredita ser o Debate Pblico um espao importante de discusso e apresentao de propostas para solucionar os problemas.
    Programao
    * Abertura: com o presidente da Comisso de Turismo, Indstria, Comrcio e Cooperativismo da ALMG, deputado Vanderlei Miranda (PMDB), e o deputado Antnio Carlos Arantes (PSC), autor do requerimento que originou o debate
    * Painel "Apresentao da Alago": com o presidente da Associao dos Municpios do Lago de Furnas (Alago) e prefeito de Alfenas, Pomplio de Lourdes Carnavez.
    * Expositores: ministro da Secretaria de Relaes Institucionais, Walfrido dos Mares Guia; secretrio de Estado de Desenvolvimento Regional e Poltica Urbana, Dilzon Melo; secretria de Estado de Turismo, rica Campos Drumond; presidente de Furnas Centrais Eltricas S.A., Luiz Paulo Fernandez Conde; vice-diretor-geral e diretor de Operaes do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/MG), Fernando Antnio Costa Jannotti e Lus Alberto Dias Mendes; e gerente de Saneamento da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel, Denise Bruschi.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    O AMOR LINDO! Na foto abaixo, nossos amigos, Ngila e Ricardo Goulart Castilho, ele executivo da Vale do Rio Doce, em Minas. Ela da Fiemg. Os dois felizes da vida com a chegada do primeiro (a) filho(a)? DETALHE: Ricardo e o futuro vov Celso Castilho, nos deixaram claro: menina ou menino ser ATLETICANO! Ao lado do casal, a primeira foto do futuro beb, que pelo ultrasom mede ainda cerca de um centmetro, mas j virou notcia na nova mdia. A foto publicada, com exclusividade, pelo nosso BLOG DE NOTCIAS. Desejamos felicidade para a futura mame Ngila e seu bebezinho. Um abrao ao nosso amigo, o futuro papaizo Ricardo, que est rindo toa!

                                

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    Atleticanos sofredores, mas FiIS. Na primeira foto, da esquerda para a direita, est o ex-ministro Paulino Ccero assistindo o jogo em que o time dele o Atltico mineiro perdeu de uma a zero para o Flamengo do Rio. Na outra foto: Paulino Ccero, Celso Castilho, executivo da Vale do Rio Doce no Rio de Janeiro e em Araguar, atleticano roxo; ao lado dele um cruzeirense, o diretor de Meio Ambiente da Anglogold, Willer Ps. E Z Silva, que foi chefe de gabinete de Paulino Ccero na Secretaria de Meio ambiente no governo de Itamar Franco, aqui em Minas.

                              

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    O Casamento do diretor de Meio Ambiente da Anglogold Ashanti, Willer Ps, com a engenheira ambiental Katiana, marcado para dia 19. E neste final de semana os noivos deram um coquetel para os familiares, amigos e padrinhos de casamento. Estavam presentes, o ex-ministro Paulino Ccero e Maria Helena; o presidente do Consrcio Capim Branco e secretrio-geral do Comit da Baa de Ilha Grande, no Rio de Janeiro (leia-se Vale do Rio Doce), Celso Castilho e Wildes Goulart Castilho; Z Silva e Bete; a decoradora Cida Amaral e este blogueiro. Foi uma noite alegre, descontraida e com muitas novidades boas. Uma delas, Ngila, mulher do nosso amigo, Ricardo Castilho, da Vale do Rio Doce, comunicou aos amigos que estava esperando o primeiro ou primeira filha (veja a foto do ultrasom, exclusivo no nosso BLOG DE NOTCIAS). Confira a cobertura,os detalhes das imagens da festa oferecida pelo casal Katiana e Willer Ps. Afinal UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS!



















                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS. O empresrio Antnio Eduardo Baggio( de barba), presidente do Sinpapel e proprietrio da excelente empresa de embalagens IMBALLAGGIO, aparece a ao lado de nosso amigo das noites do excelente restaurante A FAVORITA, Fbio Arajo, em Belo Horizonte.








                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 1, 2007

    O diretor-geral do DER - Departamento de Destradas de Rodagem de Minas Gerais - o simptico e efeiciente executivo Jos lcio Monteses, recebeu o prefeito de Desterro do Melo, advogado Ruy Fernandes. O prefeito agradeceu a visita do diretor-geral Z lcio fez a Desterro do Melo, para a inaugurao da rovia MG-265 - trecho de 32 kms, entre Barbacena e Desterro do Melo - municpio que fica no Caminho do Meio da estrada Real. Z lcio, que conhecemos desde o governador Hlio Garcia, demonstrou - no foi supresas para ns - que conhece a fundo detalhes do traado das estradas em todo o Estado e, especficamente sobre a regio da zona da mata aonde est localizado o municpio de Desterro do Melo. EM TEMPO: o governador Acio Neves acertou em cheio " colocando o homem certo, no lugar certo".









                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________




    ___________________________


    Clique para conhecer

    ___________________________


    Clique para conhecer

    ______________________________

    Clique para conhecer

    ______________________________
    Clique para conhecer
    ______________________________
    Clique para conhecer
    ______________________________

         
     
    Clique e envie-nos 

seu e-mail