1/2

ACMinas lançou o "Segundo Manifesto dos Mineiros" online nos 200 anos da nossa Independência


À frente do histórico momento o presidente da ACMinas, o advogado José Anchieta. Ele disse que a coleta de assinaturas vai se extender até dezembro.


E o 2o. Manifesto dos Mineiros será entregue pessoalmente ao presidente Bolsonaro e aos presidentes do Senado, da Câmara, ao STF, STJ e TSE.


Ao governador Zema, e aos presidentes da ALMG, TJMG, ao prefeito de BH.


Detalhe:

A 2a. CARTA AOS MINEIROS eatá no final desta matéria.


Na sequência da Live pelo Zoom estão: o economista Carlos Alberto Teixeira de Oliveira da publicação de Economia, Finanças & Negócios MERCADO COMUM e vice-presidente da ACMinas (palestrante do Evento), o presidente da ACMinas, José Anchieta, o escritor e contador de causos Olavo Romano, que aqueceu a alma de todos com suas estórias, e o âncora do Evento, advogado do IAMG, Felipe Martins Pinto.

Diz o presidente da ACMinas, José Anchieta:

O Segundo Manifesto dos Mineiros é assinado por cidadãos, pessoas naturais.


Não se inclui dentre seus subscritores, pessoas jurídicas, para manter a sua higidez, no

sentido da certeza de que os seus subscritores o adotam como seu. É uma obra das pessoas, antes de ser das instituições.


Não se buscou assinatura das pessoas que detenham mandato público à razão

de que seu destinatário é, exatamente, o conjunto de autoridades, em todas as instâncias e em todas as esferas.


A sua data, evocativamente, é 7 de setembro de 2021 (consagrando-se como o

Manifesto de 2021).


A adesão posterior, no entanto, de novos subscritores, será possível a partir da sessão de seu lançamento em avant premiere em data de 1º de setembro de 2021, até a data de 31 de dezembro de 2021.


Após a sua entrega oficial às autoridades federais, estaduais e municipais,

seguir-se-á trabalho de monitoramento, de permanente pregação das ideias propósitos nele contido, como um apostolado (isto sim, a cargo das instituições, todas).


Não se trata, portanto, de texto destinado às estantes do fundo, seja das autoridades, seja de seus subscritores, seja

das instituições que desejam construir um Brasil que tenha futuro.