1/2

Aeroporto Internacional de Belo Horizonte investe em ações a favor da sustentabilidade.



Iniciativas foram colocadas em prática ao longo do ano passado e geraram economia e reaproveitamento de recursos naturais

• Organizações sustentáveis estão sempre em busca de integrar questões ambientais, sociais e econômicas.


• No Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, investir em ações a favor da sustentabilidade, sobretudo em tempos de pandemia do coronavírus, se tornou um objetivo e alguns projetos já foram colocados em prática para otimizar recursos naturais e contribuir para o equilíbrio orçamentário.

• Para começar, desde o desenvolvimento do projeto, foram implantadas iniciativas com foco na sustentabilidade no novo terminal de passageiros 2 do aeroporto, que já foi concebido com um completo sistema de coleta, armazenamento e reaproveitamento de águas pluviais, que captou e reaproveitou 1.005 m³ em 2020.


• “O volume foi direcionado para reservatórios enterrados e, depois, para o reservatório elevado de água de reuso.


• Esse recurso foi reutilizado no abastecimento das instalações sanitárias e na reposição de água para o sistema de climatização”, explica Gustavo Anfra, gestor de Infraestrutura da BH Airport.

• No ano passado, de acordo com Anfra, foram instalados um conjunto de sistemas de coleta, armazenamento e reaproveitamento de águas cinzas, que são captadas pelo sistema de redes segregadas, direcionando o efluente para uma estação elevatória e posteriormente para a Estação de Tratamento de Efluentes.


• Ao todo, foram captadas 318 m³ dessa água que também foi reutilizada no abastecimento das instalações sanitárias e reposição de água para o sistema de climatização.

• Para completar, foi concluída a reforma da Central de Água Gelada – que elevou a eficiência na climatização do lado doméstico do terminal – o que gerou uma economia de 347m³/mês.

• Sobre a BH Airport

A BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, é uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) formada pelo Grupo CCR, uma das maiores companhias de concessão de infraestrutura da América Latina, e por Zurich Airport, operador do Aeroporto de Zurich, o principal hub aéreo da Suíça e considerado um dos melhores aeroportos do mundo.


Além da Infraero, estatal com experiência de mais de 40 anos na gestão de aeroportos no Brasil, que tem 49% de participação.