1/2

Aeroporto Internacional de BH convida para o concerto gratuito da Orquestra Filarmônica de MG

Instituto CCR e Instituto Cultural Filarmônica promovem o acesso do público mineiro ao patrimônio sinfônico da música de câmara, com apresentação única no terminal para cerca de 300 espectadores.


No dia 19 de outubro, quarta-feira, o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte será palco de um concerto de câmara gratuito, apresentado pela Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, às 14h, no check-in 3.


Nesta única apresentação, aberta ao público, o Quinteto de Sopros irá envolver a plateia em um universo sinfônico moderno e contemporâneo, mesclado à incorporação de arranjos e obras relevantes para a histórica cena cultural global, enaltecida pelo valor da música brasileira.


Composto pelos instrumentistas Cássia Lima (flauta), Alexandre Barros (oboé), Marcus Julius Lander (clarinete), Adolfo Cabrerizo (fagote) e Alma Maria Liebrecht (trompa), o Quinteto de Sopros da Filarmônica selecionou um programa especial para o concerto, com obras de Jacques Ibert, Radamés Gnattali, Samuel Barber, Catulo da Paixão Cearense, Joaquim Antonio Callado, Jacob do Bandolim e Astor Piazzolla. “Doce de Coco”, composta por um dos maiores expoentes da música instrumental brasileira, Bandolim, recebe o arranjo de Eliseu Barros.


Do mestre gaúcho Gnattali, reconhecido por promover a fusão entre o popular e o erudito, o público irá conferir a “Suíte para Quinteto de Sopros”. 


O clássico “Flor Amorosa”, composta por um dos protagonistas da cena musical do choro no país, Joaquim Callado, é um dos pontos altos do concerto.


A letra é de Catulo Cearense, e o arranjo para o quinteto é de William Barros. A leveza de Ibert ganha destaque com uma das obras mais conhecidas do artista: “Três Peças Breves”. 


Do compositor norte-americano Barber, a Filarmônica interpretará “Summer Music, op. 31”. Jeff Scott é o responsável pelo arranjo da icônica “Libertango”, do gênio vanguardista que reinventou a música popular portenha, Piazzolla.


“Apoiar iniciativas socioeducativas, fundamentadas em promover e difundir a cultura no cenário nacional, é um dos pilares da nossa gestão, evidenciados pelo compromisso em investir e implementar iniciativas focadas no bem comum da nossa sociedade”, declara o CEO da BH Airport, Kleber Meira.


“A parceria com a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, viabilizada pelo Instituto CCR, é mais uma demonstração do nosso comprometimento em garantir o acesso do público ao patrimônio cultural difundido pela Filarmônica”, reforça


O Aeroporto Internacional de BH espera receber 300 espectadores para o concerto do Quinteto de Sopros. Cerca de cem crianças das escolas de Lagoa Santa, município vizinho ao terminal mineiro, irão compor a plateia e vivenciar uma experiência musical única. 


“O investimento em cultura é, certamente, prova do compromisso da empresa com a qualidade de vida nas comunidades”, afirma o presidente do Instituto Cultural Filarmônica, Diomar Silveira. “Ficamos muito felizes e gratos pela decisão do Instituto CCR em apoiar a Orquestra”, assegura.


“Investir na Filarmônica é fazer uma escolha por um projeto cultural de excelência; é unir-se ao Instituto Cultural Filarmônica, organização social gestora da orquestra em seus esforços de possibilitar o acesso das pessoas à música sinfônica, para que elas se beneficiem de sua força unificadora e emancipadora”, ressalta Diomar Silveira.   


Informações para a imprensa e confirmação de presença para a cobertura do concerto do Quinteto de Sopros: Nivia Carvalho - Assessoria BH Airport(31) 9 9769-7451 (31) 9 9724-0032  


Sobre a BH Airport    A BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, é uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) formada pelo Grupo CCR, uma das maiores companhias de concessão de infraestrutura da América Latina, e por Zurich Airport, operador do Aeroporto de Zurich, o principal hub aéreo da Suíça e considerado um dos melhores aeroportos do mundo, além da Infraero, estatal com experiência de mais de 40 anos na gestão de aeroportos no Brasil.   


 Sobre a Filarmônica de Minas GeraisA Orquestra Filarmônica de Minas Gerais foi fundada em 2008 e tornou-se referência no Brasil e no mundo por sua excelência artística e vigorosa programação.


Conduzida pelo diretor artístico e regente titular, Fabio Mechetti, a orquestra é composta por 90 músicos de todas as partes do Brasil, Europa, Ásia e das Américas. As apresentações regulares acontecem na Sala Minas Gerais, em Belo Horizonte.


A orquestra apresenta também uma sólida programação gratuita e dedica os Concertos Didáticos para crianças e adolescentes.