1/2

Argentina faz acordo com o Grupo Tora para incentivar importações via porto seco na RM de BH.


Segundo a presidente da Tora, Janaína Araújo, a expectativa da companhia, ao se tornar parceira preferencial das importações de produtos argentinos em Minas Gerais, é elevar em pelo menos 30% os negócios provenientes da Argentina no Clia em Betim.

De acordo com o embaixador argentino no Brasil, Daniel Scioli, a Argentina foi a terceira fonte de importações de Minas Gerais em 2020, atrás apenas da China e dos Estados Unidos. • A Embaixada da República Argentina no Brasil e o Grupo Tora, especializado em soluções logísticas, assinaram, ontem (16 de março), um acordo bilateral de cooperação para incentivar os negócios de empresas argentinas com Minas Gerais.


• Com a parceria, as importações do país vizinho terão desconto de pelo menos 15% no recinto alfandegado Clia (Centro Logístico Industrial Aduaneiro) da Tora em Betim (MG). • De acordo com o embaixador argentino no Brasil, Daniel Scioli, a Argentina foi a terceira fonte de importações de Minas Gerais em 2020, atrás apenas da China e dos Estados Unidos.


• No ano passado, as exportações de Minas Gerais para a Argentina foram de US$ 666 milhões e as exportações para o estado, de US$ 534 milhões.


• "Portanto, a Argentina teve um déficit de US$ 132 milhões", destaca Scioli.


• Segundo ele, a meta com o acordo, que foi firmado com apoio da Câmara de Comércio e Indústria Argentina Minas Gerais, é "impactar de maneira expressiva o fluxo de negócios". • A Tora, uma das maiores empresas de soluções logísticas integradas do país, é responsável por aproximadamente 40% das importações via portos secos em Minas Gerais.


• A companhia possui um recinto alfandegado Clia na região metropolitana de Belo Horizonte com infraestrutura de 75 mil metros quadrados de armazenagem, estrutura para cargas refrigeradas e contêineres e ramal ferroviário interligado aos portos do Rio de Janeiro, Santos e Vitória.


• Além disso a empresa opera aproximadamente 150 carretas permissionadas para realizar o trânsito internacional de produtos entre o Brasil e a Argentina.


• Segundo a presidente da Tora, Janaína Araújo, a expectativa da companhia, ao se tornar parceira preferencial das importações de produtos argentinos em Minas Gerais, é elevar em pelo menos 30% os negócios provenientes da Argentina no Clia em Betim. • Ela explica que o Clia está inserido em um complexo industrial estruturado para instalação de empresas, facilitando a logística de importação e exportação. Além de entreposto aduaneiro e industrial, a estrutura conta também com regime de armazém geral.


• Outro diferencial é que o Clia é o primeiro recinto aduaneiro de Minas Gerais certificado pela Receita Federal para atuar como OEA (Operador Econômico Autorizado). "Isso garante que somos parte de uma cadeia logística internacional ágil e confiável e estamos comprometidos com a qualidade dos nossos serviços e segurança de nossas cargas", declara Janaína.


Sobre a Tora Criada em 1972, a empresa de soluções logísticas integradas Tora atua nos segmentos de transporte rodoviário no Brasil e Mercosul, terminais multimodais e recintos alfandegados. Também mantém uma divisão para comercialização de veículos seminovos.

• A empresa, com 1.600 colaboradores diretos e cerca de 1.000 profissionais agregados, tem matriz em Contagem (MG). São 61 filiais em 12 estados brasileiros e quatro no exterior (duas na Argentina, uma no Chile e uma no Uruguai).


• Atualmente, atende os clientes com frota própria de aproximadamente 450 cavalos mecânicos e 2 mil carretas monitorados por modernos recursos tecnológicos.


Fonte

interface comunicacao