1/2

BC sobe Juros de 2.0% para 2.75%. Veja a reação do presidente da CDL/BH Marcelo Souza e Silva.


Diz Marcelo Souza e Silva:

a alta da taxa Selic definida hoje pelo Banco Central, após a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), chega como má notícia para um mercado de trabalho e uma economia que vivem um conturbado momento.

• Vivemos um cenário extremamente delicado com o agravamento da pandemia, uma campanha de vacinação lenta e um desaquecimento econômico.


• Outra realidade que estamos

vivenciando é a aceleração da inflação, resultado da queda da atividade econômica e desemprego elevado.

• O aumento dos juros com o propósito de conter a inflação acaba refletindo no consumo.


• Com o crédito mais caro, os consumidores tendem a comprar menos e as empresas a reduzir seus investimentos.


• O mercado de trabalho também será altamente impactado em plena segunda onda da pandemia e a renda das famílias brasileiras reduzida em valores reais.

• Acredito que a elevação da taxa Selic foi precipitada. Ao contrário do que a ansiedade pede, o momento é de cautela.


• Aumentar os juros neste momento só irá prejudicar a retomada da economia.


• O foco do governo federal deveria ser a criação de um ambiente econômico confiável, com uma campanha de vacinação eficaz, política distributiva de renda, reformas estruturais e, especialmente, responsabilidade fiscal para atrair investimentos diretos que ajudarão a gerar emprego e renda.