1/2

BDMG, é eleito o “Banco do Ano 2022” por estimular o desenvolvimento de Minas.


O competente executivo Marcelo Bonfim, preside o premiado BDMG: Banco encerrou o 1º trimestre de 2022 com o segundo maior desembolso de crédito de sua história e o maior em sete anos para este período.


O volume dos financiamentos liberados foi de R$ 504,4 milhões, 76% superior ao mesmo período de 2021.


Prêmio foi concedido pela ALIDE, entidade que congrega 80 instituições financeiras de desenvolvimento de 22 países

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) acaba de ser reconhecido como o “Banco do Ano 2022” pela ALIDE - Associação Latino-Americana de Instituições Financeiras para o Desenvolvimento, formada por 80 membros de 22 países.


A premiação ocorreu durante a 52ª Assembleia Geral da entidade, realizada na última sexta-feira (20/05), na cidade de Willemstad, em Curaçao.


Entre os motivos destacados pela ALIDE, estão a atuação do Banco em mais de 90% dos municípios do estado, por sua plataforma digital para concessão de crédito, solidez financeira e pelos desembolsos em sintonia com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU).


“Este é um reconhecimento importante do trabalho que vem sendo realizado, pelo BDMG, com o apoio do Governo de Minas, para o desenvolvimento do nosso estado.


Estamos fortalecendo nossa presença com soluções de crédito mais acessíveis para a melhoria da infraestrutura dos municípios, fortalecimento de pequenos negócios e investimentos de médio e grande portes, sempre tendo a agenda de sustentabilidade como base”, afirmou o presidente do Banco, Marcelo Bomfim.


Desembolso cresce

O BDMG encerrou o 1º trimestre de 2022 com o segundo maior desembolso de crédito de sua história e o maior em sete anos para este período.


O volume dos financiamentos liberados foi de R$ 504,4 milhões, 76% superior ao mesmo período de 2021.


No período, foram 1.276 clientes atendidos, entre empresas de todos os portes e municípios, um aumento de 17% em relação ao 1º trimestre de 2021.


Estes clientes são provenientes de 299 cidades mineiras, 76% delas com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) inferior à média brasileira.


O BDMG estima que os recursos liberados no período tenham adicionado R$ 392,7 milhões à produção mineira, alcançando 5.877 empregos e gerando R$ 14,7 milhões em ICMS.