1/2

BDMG supera R$ 100 milhões em crédito feminino


Como banco de desenvolvimento, o BDMG busca criar oportunidades, com taxas e prazos mais acessíveis para que os pequenos negócios liderados por mulheres consigam se estabelecer no mercado, gerando emprego e renda”, afirma Marcelo Bomfim, presidente do BDMG.


Entre as milhares de histórias de sucesso e perseverança estão a de Izabel Cristina, gestora administrativa da Radiograf – Tomografia e Radiografias Odontológicas.


As sócias administradoras Pricila Muniz e Kely Muniz, da Brigada Mineira, empresa especializada em treinamento e capacitação para resposta a emergências, relatam que em 2020, a empresa teve todas as suas atividades interrompidas por mais de um ano e os compromissos financeiros precisavam ser quitados.


BDMG supera R$ 100 milhões em crédito para empreendedorismo feminino

Cerca de 3 mil pequenos negócios liderados por mulheres já foram beneficiados

100 milhões

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais – BDMG superou a marca de R$100 milhões em financiamentos para micro e pequenas empresas lideradas por mulheres.


Por meio do Empreendedoras de Minas, primeira linha de crédito do país exclusivamente voltada para o segmento, 2.900 clientes em 351 cidades mineiras já foram diretamente beneficiadas desde 2018, quando o programa de financiamento foi criado pelo Banco.

Entre as milhares de histórias de sucesso e perseverança estão a de Izabel Cristina, gestora administrativa da Radiograf – Tomografia e Radiografias Odontológicas.


Ela conta que entrou na empresa como recepcionista, em 1994, e, em 2010, teve a oportunidade de virar sócia da Radiograf.


Atualmente com 3 unidades, duas em Santa Luzia e uma em Belo Horizonte, ela se orgulha de ter uma equipe quase 100% feminina em uma das filiais.


“Entrar em uma área de gestão praticamente masculina foi bem difícil, mas abrimos várias portas, inclusive para empregar mais mulheres.


Ter o apoio do BDMG também foi fundamental para investir em novos equipamentos, pois os juros foram muito acessíveis e as parcelas e os prazos couberam dentro do nosso orçamento.


É bom contar com uma instituição que apoia e direciona o empreendedorismo feminino”, ressalta.

A pandemia também impactou as empreendedoras mineiras. Diante de tantos obstáculos, empresárias transformaram os desafios em oportunidades, buscando apoio para se desenvolverem e continuarem gerando emprego. As sócias administradoras Pricila Muniz e Kely Muniz, da Brigada Mineira, empresa especializada em treinamento e capacitação para resposta a emergências, relatam que em 2020, a empresa teve todas as suas atividades interrompidas por mais de um ano e os compromissos financeiros precisavam ser quitados. Com objetivo de garantir a saúde financeira, elas buscaram auxílio do BDMG para renegociação. “Entrei em contato para renegociar a nossa condição e conseguimos um prazo de carência e taxas ainda mais acessíveis.


Foi um respiro e um alívio para conseguirmos passar pela pandemia de modo sustentável”, relembra Pricila.

A diretora Sheila Klingspiegel, da Fênix Revestimentos Metálicos e Assessoria Empresarial, solicitou a linha Empreendedoras de Minas em 2020 para girar o caixa.


“Durante os 3 primeiros meses da pandemia o cenário era incerto, com menos faturamento, enorme insegurança e as perspectivas não eram das melhores.


Optamos por essa linha devido as condições especiais e, assim, conseguir manter os compromissos financeiros com fornecedores, folha de pagamento de funcionários e a publicidade da empresa, importante para captação de novos clientes. Se não fosse esse financiamento, a saúde da empresa estaria em déficit”, conta.

Criando oportunidades

Empreender nem sempre é um caminho fácil, principalmente para as mulheres. “Sabemos que o desafio de empreender é ainda maior para as mulheres, que muitas vezes são chefes de família e tem que enfrentar jornada tripla.


Como banco de desenvolvimento, o BDMG busca criar oportunidades, com taxas e prazos mais acessíveis para que os pequenos negócios liderados por mulheres consigam se estabelecer no mercado, gerando emprego e renda”, afirma Marcelo Bomfim, presidente do BDMG.

A linha de crédito Empreendedoras de Minas é voltada para micro e pequenas empresas mineiras com participação societária feminina igual ou superior a 50% do capital social, há pelo menos seis meses.


As taxas são, em média, inferiores às praticadas pelo produto convencional do BDMG para o segmento de micro e pequenas empresas e o prazo de carência é dobrado: 6 meses.


O pagamento é em até 36 meses. A simulação e contratação podem ser feitas de forma ágil, 100% online, pelo site do banco (bdmg.mg.gov.br) ou por meio dos diversos correspondentes bancários presentes em todas as regiões do estado.

Assessoria de Imprensa BDMG – Ideia Comunicação

Alessandra Labiapari