top of page

Boletim Econômico do BDMG. Serviços crescem e Comércio recua em outubro no Estado


Gabriel Viegas,

presidente do BDMG

Entre janeiro e outubro, o comércio no estado cresceu 2,5%, ante 2,4% na média nacional, e os serviços subiram 8,3%, taxa bem acima da alcançada pelo país, que ficou em 3,1%.

 

No comparativo com a média nacional, no acumulado do ano, de janeiro a outubro, Minas Gerais alcançou melhor resultado nos dois setores

 

Embora apresentem crescimento no acumulado do ano no comparativo com 2022, Comércio e Serviços em Minas Gerais registraram comportamentos opostos na passagem de setembro para outubro.


As vendas no varejo recuaram 1,8% no período, enquanto os serviços avançaram 1,2%.


Entre janeiro e outubro, o comércio no estado cresceu 2,5%, ante 2,4% na média nacional, e os serviços subiram 8,3%, taxa bem acima da alcançada pelo país, que ficou em 3,1%.


NO BOLETIM

Os números estão no Boletim Econômico do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) divulgado nesta quinta-feira (14/12) e construído a partir do último levantamento do IBGE.


Nos serviços, destaque para a alta no setor de transporte e correios, de 9,5%, e nos serviços profissionais e administrativos, de 8,3%.


COMÉRCIO

Já no Comércio, o resultado negativo ocorreu em função de queda nos resultados de materiais construção (-5,5%) e de veículos (-4,5%). 


SAZONALIDADE

Segundo o economista-chefe do BDMG, Izak Carlos da Silva, os resultados podem ser explicados em função da sazonalidade.


“As vendas de materiais de construção, de um modo geral, são prejudicadas no final de ano, período em que, devido às chuvas e às viagens, as pessoas não planejam construir”, disse.


“Já nos serviços mantivemos o crescimento, principalmente nos administrativos, que são aqueles prestados às empresas”, afirma.


“Para o restante do ano esperamos uma desaceleração nas vendas de veículos e no setor de construção, mas entendo que elas serão contrabalanceadas por outros setores, como o de supermercados, que costumam registrar bom desempenho por conta das festas de fim de ano”, completa Izak.

 

O Boletim Econômico do BDMG

 


Comentários


bottom of page