1/2

CDL/BH: Entidades pedem apoio do judiciário para que comércio e serviços voltem a abrir na capital


O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), Marcelo de Souza e Silva, se reuniu com o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador Gilson Soares Lemes.


• Na audiência foi entregue ao presidente do TJMG documento assinado por quatro entidades representativas de segmentos da economia do Estado:

1.CDL/BH,

2. Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Minas Gerais (FCDL-MG),

3. Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Minas Gerais (Federaminas)

4. Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio-MG).


• No documento, as entidades solicitam apoio para que o setor de comércio e serviços possa voltar a funcionar.


• De acordo com as entidades, somente no último mês o setor sofreu um prejuízo de R$ 8,8 bilhões e cerca de 203 mil empresas foram obrigadas a fechar suas portas definitivamente.


• Outro dado alarmante é que 32% das empresas tiveram que demitir funcionários para sobreviver.


• As entidades reforçaram também que “não há qualquer relação entre o avanço da pandemia e aumento das contaminações com a permissão ou restrição ao funcionamento do comércio em qualquer uma das regiões do nosso estado, inclusive a capital, que vem adotando o fechamento desde o início da pandemia.


• O que está constatado é o aumento após feriados, períodos festivos, realização de viagens e aglomerações de pessoas em festas e eventos clandestinos”.


• Além da autorização para que o setor de comércio e serviços volte a funcionar, as entidades também ressaltaram a importância da realização de campanhas de conscientização e o reforço da fiscalização para que se possa evitar as aglomerações já citadas e que não têm relação com o funcionamento das atividades comerciais, bem como a punição dos envolvidos.


Fonte

Ascom da CDL/BH