CDL/BH reforça necessidade de abertura de lojas de tecidos em tempos de uso de máscaras.

Uso obrigatório de máscaras, anunciado pelo prefeito Kalil,

prevê o aumento da procura de produtos para confecção dessa peça


Considerando o anúncio do prefeito Alexandre Kalil sobre o uso obrigatório de máscaras pela população, a partir desta sexta-feira (17), a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) reforça a necessidade de lojas de tecidos serem abertas para atender ao público na aquisição de produtos para a confecção de máscaras de proteção respiratória, jalecos médicos, dentre outros, para serem utilizadas como barreira na propagação do coronavírus, seguindo as orientações divulgadas pelo Ministério da Saúde.


Vale ressaltar que diversas fábricas, hospitais e clínicas médicas são clientes das empresas do segmento.


Na quinta-feira, dia 9 de abril, a CDL/BH encaminhou ao prefeito Alexandre Kalil, ofício solicitando que os segmentos de pet shops e de tecidos sejam considerados como serviços essenciais e, dessa maneira, possam continuar abertos ao público.


Em relação aos pet shops, a CDL/BH argumenta, no documento, que estes estabelecimentos desempenham atividades de extrema importância no atendimento primário à prevenção, controle, cuidados com animais em cativeiro e erradicação de pragas dos vegetais e de doença dos animais.


Afinal, há produtos, principalmente medicamentos, que só se encontram no canal especializado (pet shops), sendo muitas vezes vitais para a sobrevivência de um animal que possui alguma patologia.


Fonte

ASCOM CDL/BH