Cemig investe cerca de R$ 200 milhões para automatizar sistema elétrico de Minas Gerais


Cemig investe cerca de R$ 200 milhões para automatizar sistema elétrico de Minas Gerais

Equipamentos são fundamentais para o rápido restabelecimento dos clientes em ocorrências com a rede elétrica


A Cemig está instalando equipamentos para automatizar o sistema elétrico, em aproximadamente, 614 cidades em todas as regiões de sua área de concessão.


A modernização está sendo feita por meio da instalação de religadores e outros equipamentos na rede elétrica de distribuição de energia desses municípios, e as melhorias representam mais de R$ 190 milhões em investimentos e devem ser concluídas até o final de 2020.


De acordo com o diretor da Cemig Distribuição, Ronaldo Gomes de Abreu, os religadores trazem um grande benefício para a continuidade do fornecimento de energia, pois recompõem o sistema elétrico automaticamente, no menor tempo possível, em caso de interrupção.


“A Cemig está investindo muito para aumentar a confiabilidade da sua rede de distribuição de energia.


E esses equipamentos são fundamentais para o rápido restabelecimento dos nossos clientes, em caso de ocorrências no sistema elétrico.


Dessa forma, quando uma árvore cai sobre a rede elétrica, por exemplo, e interrompe o fornecimento de energia, o sistema já identifica o ponto onde houve a interrupção, e o religador isola a área danificada e normaliza imediatamente o fornecimento de energia para os clientes que tiveram o serviço interrompido”, explica.


A Cemig possui a maior rede de distribuição de energia elétrica da América do Sul, com mais de cerca de 540 mil quilômetros de linhas e redes. Os religadores são instalados nas redes elétricas urbanas e rurais.

“Nos centros urbanos, a instalação dos equipamentos busca atender áreas com grande concentração populacional e de manutenção da vida, como hospitais, e assim garantir a continuidade do abastecimento para o maior número de clientes em caso de perturbação transitória na rede elétrica.


Em áreas rurais, em que os circuitos são longos e atendem a clientes muitas vezes dispersos, a instalação de religadores agiliza o restabelecimento a esses instalações”, afirma o diretor.


Em caso de defeito na rede elétrica de distribuição, como sobrecarga por curto circuito, os religadores automáticos realizam vários ciclos de aberturas e fechamentos até a normalidade do sistema elétrico. 


Visto que a maioria dos problemas de alimentação é passageira e pode ser provocada por ventanias, raios ou materiais externos, os religadores automáticos atuam, na maioria das vezes, de forma temporária até a resolução da situação que gerou a inconformidade.


Investimento na rede elétrica

No período de 2018 a 2022, os investimentos da Cemig em melhorias em linhas de distribuição, subestações, religadores, redes de média e baixa tensão e medidores, por exemplo, compreenderá o montante de R$ 6,2 bilhões.


O valor contribuirá para viabilizar o desenvolvimento econômico e social do estado, uma vez que será distribuído por todas as regiões de Minas Gerais. Para 2020, os investimentos previstos são da ordem de R$ 1,5 bilhão.


Assim, juntamente com os esforços do Governo do estado de Minas Gerais, os investimentos na rede de distribuição reforçam o comprometimento da Cemig para o desenvolvimento das diversas regiões e classes de clientes, promovendo desta forma o desenvolvimento econômico e  social, além da melhoria da qualidade de vida dos mineiros.


Fonte:

ASCOM/CEMIG