1/2

Conexão Empresarial de PCO & GCO. O convidado foi Carlos Melles presidente do SEBRAE nacional


































































Texto pinçado do blogdopco.com.br


O Conexão Empresarial abriu suas portas ontem para o presidente nacional do Sebrae, Carlos Melles (foto). Durante o almoço-palestra ontem, no espaço Meet, ele disse para empresários, políticos e representantes da sociedade que o Sebrae é uma casa de servir.


É um serviço de apoio à micro e pequena empresa. Temos no Brasil 13,6 milhões de micro empreendedores individuais e 7,5 milhões de micro e pequenas empresas.


O esqueleto do Brasil está em cima das micro e pequenas empresas, que correspondem a 98% do total de empreendimentos em atividade e geram mais da metade dos empregos formais no país.


Segundo Melles, o SEBRAE tem um quadro muito qualificado de profissionais e essa talvez seja a sua grande vantagem. Com sete mil colaboradores, a grande maioria com curso superior e mestrado, a instituição tem ajudado na busca de soluções dos problemas das pessoas envolvidas nesses setores.


A busca constante de inovações também é outra característica e desde que assumiu a presidência do Sebrae, ele disse que vem se empenhando em digitalizar e fazer uma rede nacional do Sebrae para chegar aos micro e pequenos empresários.


Pandemia e inovação

Segundo Melles, antes da Covid-19 apenas 30% das empresas usavam a internet para vender seus produtos, hoje 80% atendem digitalmente. Para ele, houve uma transformação formidável durante esse período e esse trabalho foi reconhecido pelo governo federal, que “anda muito pelos braços e pelas pernas do Sebrae, com seus programas de emprego, produção, produtividade, todos eles passam pela instrução dos nossos colaboradores”.


Esse trabalho está bem alinhado com as necessidades do Brasil, segundo Melles, que disse que está colocando em campo mais quatro mil agentes de desenvolvimento, de educação, empreendedor empresarial, o agente local de inovação e o agente de crédito assistido. Esse esforço é para fazer com que a participação dessas empresas no PIB pule de 30 para 40%.


Para tanto, é preciso investir na educação, na qualificação. Ele também ressalta que houve uma desburocratização grande e ser um pequeno e micro empresário atualmente no país é muito fácil.


Mas o maior sucesso desse projeto, no seu entendimento, foi o de tirar as pessoas da informalidade e trazê-las para a formalidade. “Tínhamos 20 milhões de brasileiros informais e estamos com eles no mercado formal. Com isso brindamos a Previdência- que é formidável-, eles têm auxilio natalidade, aposentadoria, tudo isso facilita para a sobrevivência dessas empresas.


Durante a pandemia, também fizemos uma revolução, que está tendo continuidade, com o crédito. Pela primeira vez no Brasil o Sebrae está oferecendo crédito para negativados, uma coisa que não existia e que tem feito a diferença”.


Demanda crescente

Além disso, Carlos Melles, ele disse que a demanda por cursos do Sebrae cresceu 2.500%. Hoje fica muito menos pessoas para trás.


Para ele, a importância de se manter essas micro e pequenas empresas saudáveis é a de que elas são responsáveis pela maioria dos empregos gerados no país.


Segundo ele, para cada emprego gerado no país, de 7 a 7,5 são das micro e pequenas empresas e isso fez com que o governo federal percebesse que a geração de empregos acontece passa obrigatoriamente pelos pequenos e micro empresários.


Mas algumas coisas ainda precisam ser feitas para que o país tenha um ambiente melhor para quem quer empreender. Melles que já foi deputado federal, ministro e secretário de estado, conhece todos os lados da administração pública e nos últimos 30 anos, disse que tem ouvido falar da necessidade de uma reforma tributária, que nunca acontece.


Para ele, é preciso coragem e vontade política para realizá-la. O Conexão Empresarial teve o patrocínio da Anglo American, Drogaria Araujo, Líder Aviação, Rede de Saúde Mater Dei, Urbana – mídia do mundo real e Usiminas e o apoio da AngloGold Ashanti