top of page

1/2

Direto de Copacabana. Dei um ôi para nosso poeta Carlos Drummond sentado num dos bancos do calçadão


Na conversa imaginária com nosso poeta maior perguntei:

  • Satisfeito em ficar eternamente sentado aí em Copacabana?

  • Sim, fico obervando as pessoas que passam, muitas me reconhecem, tiram sefies comigo. E vou poetizando, faça sol ou chuva, calor ou frio.

  • Vejo que o poeta está de costas para o belo mar de Copacabana...

  • Bem observado, conterrâneo. De frente para o mar é meu sonho, nosso sonho de mineiro: ter um MAR PARA CHAMAR DE NOSSO!!!

  • Dica:

Fica a sugestão para a Prefeitrura do Rio.

  • Pano rápido, acordei.

bottom of page