1/2

Forum de Minas da VB Comunicação dos jornalistas PCO & GCO reúne on line prefeitos e autoridades.


Fonte:

blogdopco.com.br


O terceiro dia do FORUM DE MINAS promovido pela VB Comunicação, teve como foco as regiões Sul e a zona da Mata mineira.


Conduzidos pelos diretores da VB Gustavo e Paulo Cesar Oliveira, os painéis foram iniciados após a apresentação de um vídeo gravado pelo governador Romeu Zema especialmente para o evento.


1. O superintendente de Desenvolvimento das Potencialidades Regionais da Secretaria Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Frederico Amaral (foto), disse que as potencialidades de Minas são muitas, cada região com sua característica. Durante a pandemia as ações ficaram prejudicadas, mas ainda assim o trabalho não parou.


Ele disse que são preparados relatórios frequentes para análises dos impactos que cada setor está sofrendo, avaliados dentro do programa Minas Avança.


Mesmo com as dificuldades, Frederico disse que o estado tem atraído investimentos. Um dos fatores que tem atraído as empresas, segundo ele, é a desburocratização, que também tem tido um importante papel para ajudar os pequenos a entrarem na formalidade. Mais de 700 atividades são isentas de alvará.


Esse ambiente favorável tem beneficiado o comércio local e diminuído os impactos da pandemia nas empresas



2. Prefeitos

Os prefeitos da região Sul e Zona da Mata discutiram durante o Fórum de Minas, evento promovido pela VB Comunicação, a realidade atual dos municípios. Os impactos da pandemia da Covid-19 e o pós-pandemia.


3. A prefeita de Juiz de Fora, Margarida Salomão (foto), disse que os efeitos da pandemia foram devastadores e a situação poderia ter sido menos trágica se fossem tomadas as medidas certas desde o início da crise sanitária. A prefeitura já conseguiu vacinar quase 50% da população- mais de 200 mil pessoas já foram imunizadas- mas houve um atraso no início desse processo, que poderia estar mais avançado.


Com a vacinação, a expectativa é a de que no segundo semestre haja uma recuperação rápida da economia. Margarida Salomão falou que pelo menos 1,5 milhão de pessoas de cidades da região buscam a estrutura da cidade para resolver seus problemas e por isso ela decidiu criar o Fórum pela Vida, com participação da sociedade e os agentes econômicos, para que todos tivessem voz.


Esse fórum ajudou a se chegar a protocolos valiosos, segundo Margarida Salomão, para permitir a retomada da vida da cidade, a convivência, a vida social, as escolas.


Tudo isso deve acontecer a partir do segundo semestre, contando com o avanço da vacinação, inclusive dos professores. Já pensando no pós pandemia, nos primeiros 100 dias de governo, a prefeita decidiu pela publicação do protocolo Desenrola, para desburocratizar os processos na prefeitura e a inauguração da Sala do Empreendedor, que coincidiu com o aniversário da cidade.


Outras medidas foram tomadas pela prefeitura, que concedeu o perdão fiscal e medidas como pagamento à vista com 50% de desconto e 40% para os que optaram por parcelar, ajudando, principalmente os pequenos e médios empreendedores.


Ela disse, ainda, que conta muito com o governo do estado para debater temas importantes como energia limpa e colocar em prática indústrias e empreendimentos portadores de futuro, segundo ela.


Turismo e desenvolvimento

4. O prefeito de Camanducaia, Rodrigo Oliveira, ressaltou que a cidade localizada na Serra da Mantiqueira, é um município atípico, com zona rural grande e turismo em ascensão.


A sua localização e a proximidade com a cidade de São Paulo, que fica a duas horas de Camanducaia, torna o turista paulista como o maior público da cidade.


O distrito de Monte Verde, a Suíça Mineira, chega a receber mais de 12 mil pessoas nas temporadas, que procuram as 50 pousadas da região. Durante a pandemia foi adotada uma barreira sanitária e um número reduzido de hospedagem, sem que houvesse a necessidade do fechamento total da cidade. Fiscais e agentes sanitários trabalharam e têm trabalhado para manter as regras sanitárias.


O turista tem que se sentir seguro, segundo Rodrigo Oliveira, que já conseguiu vacinar quase metade da população. Sua maior dificuldade é em relação aos leitos de UTI. Apesar de receber muitos turistas, a infraestrutura na área de saúde preocupa.


A cidade teve que usar recursos próprios para garantir o atendimento à população. Por isso, a decisão de adotar regras rigorosas, que permitiram manter o controle da situação e a continuidade das atividades na cidade. Além de Monte Verde, que está entre os 10 locais mais aconchegantes do mundo, segundo o prefeito, o distrito de São Mateus de Minas, também é um roteiro turístico muito procurado.


Doença ainda assusta

5. A pandemia da Covid-19 ainda preocupa as cidades próximas a Andradas. Segundo a prefeita Margot Piolim, “passamos o pior momento da pandemia”. Tanto que os prefeitos das cidades próximas se reuniram para tomar medidas restritivas para amenizar o índice alarmante de contaminação da Covid-19, segundo o relato de Margot no Fórum de Minas, evento promovido pela VB Comunicação.


Ela disse que os Hospitais estão com mais de 100% de lotação e esse é um motivo de grande preocupação dos prefeitos, que estão contando com recursos dos cofres municipais para conseguir manter o atendimento à população. Essa situação acontece, mesmo com quase 50% da população vacinada na cidade. Apesar da crise sanitária, Margot Pioli disse que a população está em sintonia com o governo de Minas para buscar o desenvolvimento do município.


O programa de concessão de rodovias e a presença do Estado em outras questões tem sido importante, segundo a prefeita, para o desenvolvimento de Andradas e da região, que tem na agricultura, floricultura e indústria moveleira os setores que movimentam a economia. Um outro setor que a cidade busca resgatar é uma tradição antiga, que foi desenvolvida a partir da imigração italiana. Andradas chegou a ter 40 adegas, hoje são apenas sete, mas a prefeitura está trabalhando com parcerias e arranjos produtivos locais para retomar essa produção. Esse setor também está abrindo a possibilidade para se buscar investimentos em embalagens, que hoje são compradas da China.


Em outra ponta, o turismo religioso é tido como uma outra opção da economia da cidade. O chamado Caminho da Fé, é um dos roteiros que atrai muitas pessoas, que também buscam o ecoturismo. A cafeicultura também é uma cultura que está tendo destaque especial, inclusive com possibilidade de exportação para a Itália. Nesse processo, a Sala do Empreendedor tem sido fundamental para desenvolver todos esses projetos.