Homenagem do Ex-presidente da ACMinas, Lindolfo Paoliello ao Dr. Aristoteles Atheniense


Homenagem do Ex-presidente da ACMinas, Lindolfo Paoliello à memória do Dr. Aristoteles Atheniense, que morreu na sexta-feira.


Diz Lindolfo Paoliello:

Quando um país se perde é que terá perdido seus grandes homens.A esta geração de brasileiros foi dada a pena de assistirmos, um a um, partirem nossos grandes homens.


Hoje presenciamos –aliás,nem isto nos é dado nestes tristes dias- hoje, na penumbra da distância,não conseguimos distinguir a partida de Aristóteles Atheniense.


Aristóteles se vai,tendo a fineza de sair discreto, sóbrio, atencioso como viveu.Certamente sem que sua humildade lhe permitisse cogitar que o presente vai sempre em busca do passado para construir o futuro;e a memória manterá vivo o seu exemplo .


Dentre tantos que nos deixou, basta citar sua integridade.Ele nos trouxe à consciência o significado e o sentido de que ser integro é ser irrepreensível na conduta.


Da relfexão sobre o legado de Aristóteles Atheniense ocorre-me a ideia de que a memória dos grandes homens é a espada de Dâmocles que pesa sobre os medíocres.


André Maurois lembrou à posteridade que a admiração dos moços foi o legado de Disraeli que a ele sobreviveu,movendo montanhas na vida pública do Reino Unido.


Lindolfo Paoliello

ex-presidente da ACMinas