1/2

Juiz Luiz Carlos Rezende tomou posse como presidente da Amagis em BH. Defende união da Magistratura.



Em solenidade realizada nesta segunda-feira, 3, o juiz Luiz Carlos Rezende e Santos tomou posse no cargo de presidente da Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis).


Também tomaram posse os componentes da Diretoria Executiva, que irá dirigir a Associação pelos próximos 3 anos (2022/2024), além dos integrantes do Conselho Deliberativo e do Conselho Gestor de Saúde.


A eleição foi realizada no dia 3 dezembro.


Em seu discurso, Luiz Carlos Rezende destacou a importância do papel do magistrado para a democracia, e defendeu a união dos colegas para o fortalecimento da classe.


“Precisamos alertar a sociedade brasileira de que a desvalorização do magistrado enfraquece o Poder Judiciário, um dos pilares da democracia e atinge frontalmente o cidadão, sobretudo o oprimido”, disse ele, lembrando que, nos últimos tempos de pandemia, os juízes responderam a inúmeras provocações face ao drama que se abateu no mundo frente à pandemia da Covid-19.


“Convido a todos para a união da Magistratura a partir do reconhecimento dos juízes de ontem como grandes arquitetos do Judiciário de hoje, restando a nós lutar como todas as nossas forças pela valorização das instituições democráticas, onde o maior vencedor será o cidadão brasileiro”, destacou o novo presidente.


A solenidade, que teve transmissão ao vivo pelo canal da Amagis no Youtube, aconteceu no auditório na sede da Associação, em Belo Horizonte e contou com a presença de autoridades, familiares e amigos dos empossados.


Trajetória


Luiz Carlos Rezende e Santos é juiz de Direito do Tribunal de Justiça de Minas Gerais desde 3 de setembro de 1998.


Atualmente, é titular da Vara de Execuções Penais de Belo Horizonte e membro do Conselho de Criminologia e Política Criminal de Minas Gerais. É também integrante da Corte Eleitoral do TRE-MG.


Graduado em Direito pela PUC Minas, foi escrevente e escrivão na Justiça Estadual em Belo Horizonte, antes de ingressar na Magistratura.


Foi juiz de Direito em Prados, Lagoa da Prata e Belo Horizonte.


Foi vice-presidente de Saúde da Amagis no triênio 2010/2012, vice-presidente Financeiro da Associação no triênio 2013/2015 e vice-presidente Administrativo no triênio 2019/2021.


Assessorou a Presidência do TJMG nas gestões dos desembargadores Cláudio Renato dos Santos Costa (2010/2012), Sérgio Antônio de Resende (2009/2010), Joaquim Herculano Rodrigues (2012/2013) e Nelson Missias de Morais (2018/2020).


Foi também Juiz Auxiliar da Presidência do Conselho Nacional de Justiça, na gestão do Ministro Joaquim Barbosa, entre 2013 e 2014.


Entre 2014 e 2016, foi Juiz Auxiliar da Segunda Vice-Presidência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, junto à Escola Judicial Des. Edésio Fernandes, a convite do então superintendente Des. Kildare Goncalves Carvalho.


Atualmente compõe, designado pelo Ministério da Justiça, o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP).


Luiz Carlos Rezende e Santos é considerado especialista pela União Europeia para políticas penitenciárias, em encontros em Buenos Aires (2012), Bruxelas (2013), Roma (2013), além de já ter sido convidado pelas Nações Unidas para discussão de políticas de paz entre a Colômbia e as guerrilhas, no ano de 2015.


Fonte

ASCOM Amagis/MG