1/2

Julvan Lacerda defende município forte na abertura do X Congresso Mineiro de Vereadores no Expominas


Julvan Lacerda, presidente da AMM quer municípios fortalecidos.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco defendeu um novo Pacto Federativo.

Abertura do evento, que reuniu mais de 2.500 pessoas, contou com a presença do Governador Romeu Zema, do senador Rodrigo Pacheco e de autoridades dos três poderes.

Durante seu discurso na abertura do X Congresso Mineiro de Vereadores, o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Julvan Lacerda, destacou a importância de se manter relações estreitas entre os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, defendeu o aprimoramento do Pacto Federativo e homenageou as mulheres pelo Dia Internacional da Mulher.


Além disso, Julvan, que também é vice-presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), salientou que a AMM seguirá trabalhando para atender e apoiar os prefeitos e vereadores, pois são eles que estão nos municípios e conhecem, de perto, a realidade e as demandas de cada cidadão.

Para um auditório com aproximadamente 2.500 mil pessoas, entre vereadores, vereadoras, prefeitas, prefeitos, assessores, no Expominas, durante a manhã desta terça-feira (8/3), o presidente da AMM cobrou maior participação dos municípios alegando que eles são a melhor expressão da representatividade da democracia.


“Aqui, temos vereadores e vereadoras de todos os rincões de Minas Gerais, de todas as profissões, de todas as classes sociais, dos distritos mais longínquos.


E, graças a vocês, a AMM tem essa representatividade toda”, destacou Julvan, que fez questão de agradecer a participação dos legisladores e legisladoras municipais no congresso.


Ao cumprimentar todos da mesa de autoridades, o presidente da AMM destacou a importância de estreitar os laços das boas relações com todas as instituições ali representadas.


Outro ponto defendido em seu discurso foi a conquista, com muito trabalho e determinação, da autonomia política e da independência financeira da AMM.


“Com isso, hoje em dia, nós colocamos em pauta o que consideramos importante colocar, sem depender de nenhuma outra instituição”, explicou.


O pacto federativo foi um dos temas principais do discurso de abertura do presidente Julvan, que relembrou toda a sua trajetória de vida, quando ainda jovem, bem antes de entrar para a política, quando ele já percebia como os recursos que chegavam para a sua cidade não eram suficientes.


“Eu via que o desenho do pacto federativo não era justo desde jovem, quando ainda nem estava na política.


E, desde então, o pacto federativo se tornou uma bandeira de vida para mim. Vou lutar por isso sempre.


Acredito que é lutando pela correção das injustiças do pacto federativo que vamos resolver as principais questões que afligem os cidadãos”, afirmou.