Live da ACMinas. Reforma do Estado. O empresário Salim Mattar foi o palestrante.


O anfitrião foi o presidente da ACMinas empresário Aguinaldo Diniz Filho. A LIVE durou uma hora meia.


O tema abordado por Salim Mattar no Ciclo de Debates foi A REFORMA DO ESTADO, por onde começar?


Participaram como debatedores: Cledorvino Belini, ex-presidente da Cemig e vice-presidente da ACMinas, o advogado José de Anchieta, também vice na ACMinas e o também advogado Túlio de Souza membro do Conselho Empresarial da Comissão de Assuntos Jurídicos.

Aguinaldo Diniz Filho:

abriu a Live com um minuto de silêncio

em memória das mais de 128 mil vítimas da Covid 19.

Depois defendeu um Pacto Nacional diante das atuais crises sanitária e econômica desencadeada pela pandemia.


Reforma do Estado:

Aguinaldo disse que faltam vontade política e atuação da sociedade onde o empresariado tem papel fundamental.

Disse que saída está na EDUCAÇÃO com escola única para ricos e pobres. Criticou o fato de que o funcionalismo público consomem 13.7% do PIB.


O presidente da ACMinas enviou ao governo federal pedido para seja feito um corte de 25% nos salários dos três poderes. O documento da ACMinas foi recebido pelo governo e encaminhado ao

ministro Paulo Guedes.


Reforma do Estado:

em seguida foi a palestra do empresário Salim Mattar. Ele criticou o modelo social democrata, que segundo ele, nos deu em 1988, uma Constituição com mais direitos do que deveres. Disse que temos que respeitar a Constituição, mas defendeu uma ampla reforma da nossa Carta de 88.


Falou que durante nos 19 meses que esteve no governo federal viu como é grande o nosso Estado Brasileiro.

Segundo Salim Mattar não faltam

recursos financeiros para a reforma do estado. É preciso inteligência e ação.

Falou da lentidão nas privatizações por causa da burocracia.


Uma das reformas necessárias passa

pela eleição de uma classe política bem

intencionada melhorando a qualidade dos nossos políticos - segundo Salim Mattar.

E também as Reformas Tributária e Fiscal.


Com Salim Mattar concordaram o presidente da ACMinas, Aguinaldo Diniz Filho e os debatedores Cledorvino Bellini e os advogados José de Anchieta e Túlio de Souza.


Encerramento

O tom de humor foi dado pelo advogado José de Anchieta que disse: já que Salim queria é ser pianista, segundo Aguinaldo Diniz, vamos entregar ao Salim então a regência desta orquestra na busca de uma Reforma do Estado.

Pano rápido!!!