1/2

Notícia boa!!! Primeira Cooperativa de Créditos de Carbono do Brasil é criada na Caatinga.



Associação de Produtores de Crédito de Carbono Social do Bioma Caatinga está sendo implantada no entorno do cânion do rio São Francisco, nas fronteiras de Alagoas, Sergipe, Bahia e Pernambuco 


Nesta semana, na cidade de Delmiro Gouveia - Alagoas, em reunião híbrida (on-line e presencial), foi criada a pioneira Associação de Produtores de Crédito de Carbono Social do Bioma Caatinga.


A Associação é composta por pessoas que possuem áreas preservadas no bioma Caatinga dos estados de Alagoas, Bahia, Pernambuco e Sergipe, e também técnicos comprometidos com o desenvolvimento de projetos de Crédito de Carbono Social – incorporando o conceito de justiça climática e abrangendo mecanismos de redução de desigualdades, economia regenerativa, mercado de carbono, serviços ambientais, recuperação de ecossistemas e proteção da biodiversidade. 


A articulação iniciou-se há um ano com Pedro Soares Neto (proprietário de áreas preservadas), Haroldo Oséias de Almeida (ambientalista) e Nilson Lopes Alves (engenheiro ambiental), residentes em Delmiro Gouveia, que convidaram Sérgio Xavier (articulador do Centro Brasil no Clima – CBC e ex-secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco) e Fabiana Couto (Diretora de Mudanças Climáticas da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas) para discutir formas de desenvolver modelos de participação de pequenos produtores rurais no emergente mercado de carbono global. 


Após discussões, reuniões e oficinas, com participação de dezenas de lideranças locais e especialistas de diversas áreas, ficou definida a criação desta inovadora cooperativa, que já desponta como uma referência que pode ser replicada em outros biomas do Brasil.


A nova Associação terá apoio do Lab de Economia Regenerativa do rio São Francisco, que está sendo estruturado em Paulo Afonso - BA, no âmbito do Projeto HidroSinergia. 


A reunião de fundação contou com a participação de mais de 70 pessoas dos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Sergipe. 


Na abertura da reunião, Haroldo Almeida, Sérgio Xavier, Fabiana Couto e Pedro Soares Neto falaram sobre os desafios e potencialidades da Associação, destacando a importância de ações cooperativas para a preservação do bioma Caatinga, o enfrentamento às mudanças climáticas e o desenvolvimento de uma nova economia inclusiva e regenerativa no semiárido.


Em seguida, todos os participantes, em coro, declararam "Está fundada a Associação”; discutiram, ajustaram e aprovaram o Estatuto e elegeram a primeira diretoria, que terá dois anos para desenvolver e consolidar a iniciativa. 


Entre as prioridades iniciais destacam-se (1) Levantamento do estoque de carbono das áreas preservadas dos associados; (2) Modelagem do cálculo de captura de carbono, agregando valor social e mecanismos de justiça climática, visando redução de desigualdades


(3) Levantamento de áreas desmatadas para regeneração; (4) Construção do modelo colaborativo de gestão dos créditos de carbono e aplicação das respectivas receitas


(5) Articulação de compradores de créditos de carbono e de serviços ambientais, comprometidos com o desenvolvimento inclusivo e regenerativo do bioma; (6) Estudos (que serão desenvolvidos no Lab) para agregar diversos eixos de Economia Regenerativa, visando geração sustentável de renda e empregos verdes, como: Rede Cooperativa de Produção de Energia Solar, sementeira para produção e plantio de espécies nativas, ecoturismo, escolas de sustentabilidade e sistemas integrados de reciclagem


(7) Contribuir na difusão do conceito de Crédito de Carbono Social do Bioma Caatinga e Justiça Climática.


 “A Associação está alinhada com os conceitos mais arrojados de desenvolvimento regenerativo e conseguiu reunir um conjunto impressionante de forças e de conhecimentos, tornando-se uma referência inspiradora para outros biomas do Brasil”, ressalta Sérgio Xavier, articulador do Lab de Economia Regenerativa. 


"A Associação é um passo muito importante para a valorização, reconhecimento e preservação do bioma caatinga", enfatiza Haroldo Almeida, presidente eleito da Associação. 


Composição da primeira diretoria eleita: Diretor Presidente - Haroldo Oséias de Almeida (Delmiro Gouveia – AL); Diretor Vice-presidente - José Silva dos Reis (Canindé de São Francisco – SE); Diretora Secretária - Rossyna Pereira Santos Alcântara Accioly Barreto (Olho D'água do Casado- AL); Diretora Financeira - Elisabete Regina Silveira Cavalheiro (Maceió – AL); Diretor Técnico - Fernando Pinto Coelho – UFAL (Água Branca – AL)


Conselho Fiscal: Pedro Soares Neto (Delmiro Gouveia – AL); Raimundo Nonato Gomes Junior (Delmiro Gouveia – AL); Valdilene Santana da Silva (Senador Rui Palmeira – AL); Conselho Fiscal Suplente: Marco Antonio Gomes da Silva (Arapiraca – AL); Edineide Nascimento Porfírio (Mata Grande – AL); Reginaldo Silva de Souza (Inhapi – AL). 


Link do Estatuto da Associação https://docs.google.com/document/d/13E4ikz_DCxrIdo9A_G4sGYBkpw2aXBcC/edit?usp=sharing&ouid=10942

 6819171388634332&rtpof=true&sd=true 


Fonte:

Assessoria de Comunicação HidroSinergia: Jornalistas - Luciana Nunes (81) 99808-1747 e Rachel Motta (81) 99924-5344   Rachel Motta#jornalista, #gerentedeprojeto 81 99245344