1/2

Onda Roxa!!! DECRETO DO GOVERNO ESTADUAL AMPLIA FUNCIONAMENTO DE SETORES INDUSTRIAIS ESSENCIAIS


Diz o presidente da Fiemg, Flávio Roscoe:

cadeias produtivas que lidam diretamente no combate e prevenção dos danos causados pela Covid-19 continuam funcionando na Onda Roxa da pandemia.


https://www7.fiemg.com.br/noticias/detalhe/Decreto-do-governo-estadual-amplia-funcionamento-de-setores-industriais-essenciais


• Em resposta ao pleito da FIEMG em manter a indústria como atividade essencial durante a pandemia do novo coronavírus, o governo estadual, mesmo com a criação da chamada Onda Roxa, que prevê maiores restrições de funcionamento de algumas atividades econômicas em diversas regiões mineiras.


• Manteve o caráter de essencialidade da indústria nas cadeias produtivas que lidam diretamente no combate e prevenção dos danos causados pela Covid-19 e aquelas em que os produtos são considerados básicos para a população, como o setor alimentício.


• A solicitação da Federação busca manter ativa a produção industrial, considerada fundamental para a sociedade.

• A criação da Onda Roxa se fez necessária diante do rápido avanço da pandemia em algumas regiões do estado, como uma ferramenta emergencial para conter a evolução da pandemia e reestabelecer com velocidade a capacidade de assistência médica, para que não ocorra o colapso no atendimento hospitalar.


• Em Minas Gerais, aproximadamente 70% da produção industrial é direcionada à própria indústria, o que demonstra a importância da manutenção do funcionamento de toda cadeia produtiva relacionada às atividades de cunho essencial.

• O governo estadual entende que as cadeias produtivas são diretamente dependentes entre si, de modo que o produto final de uma atividade industrial, isoladamente não considerada essencial, como o setor têxtil, pode ser o insumo no processo produtivo de outra atividade considerada essencial, como a produção de roupas hospitalares ou máscaras, o que por sua vez também o torna essencial.


• Sendo assim, uma paralisação no seu funcionamento poderia impactar profundamente a cadeia produtiva dessas áreas correlacionadas, comprometendo o abastecimento da população.

• “Nós conseguimos, junto ao governo estadual, a expansão do conceito de cadeia produtiva, ou seja, não é só o segmento industrial específico que é considerado essencial e prioritário.


• Desta forma, boa parte da indústria pode continuar operando, já que ela é fundamental para toda a sociedade”, afirma o presidente da FIEMG, Flávio Roscoe.

Clique aqui e confira a íntegra do ofício do governo estadual enviado para a FIEMG. Veja também a nota ténica preparada pela área jurídica da FIEMG sobre a Onda Roxa, do Programa Minas Consciente.