Os 300 anos de Minas Gerais!!! Artigo do presidente da ACMinas Aguinaldo Diniz Filho.


Aguinaldo Diniz Filho *

Bela marca dos 300 anos de Minas Gerais.


Primeira entidade empresarial de Belo Horizonte, segunda mais antiga de Minas Gerais e origem de todas as demais organizações corporativas da Capital, nada mais natural e coerente que tenha partido da Associação Comercial e Empresarial de Minas a iniciativa de inaugurar, desde já, as comemorações relativas aos três séculos de história de nosso Estado.


E o fez há poucos dias ao lançar, durante evento realizado em sua sede, a campanha Minas 300+, marca que, ao aludir aos 300 anos da ascensão do então território à condição de província autônoma, desmembrada da de São Paulo, também projeta, por meio do símbolo de adição, o nosso futuro, os nossos próximos 300 anos.


A intenção da ACMinas é realizar, ao longo de todo o ano, uma série de eventos com o objetivo de colocar em debate os grandes temas sobre os quais precisamos nos debruçar, como os desafios com os quais já lidamos e, especialmente, aqueles que se interpõem ao nosso pleno desenvolvimento e a tudo aquilo que o catalisa: justiça social, educação de qualidade, investimentos, tecnologia, saúde.


É preciso explicitar tudo isso à sociedade e mostrar a ela também o que é, o que representa e o que simboliza Minas Gerais no contexto federativo.


Trata-se, aí, de dar sequência contemporânea a uma riquíssima história que, ao longo desses tantos anos e de tantos desbravadores, forjou no Estado a personalidade única que o levou ao histórico papel de influenciar e contribuir para a formação da própria nacionalidade brasileira.


Foi na província das Minas Gerais, inclusive, que surgiram as primeiras manifestações contra o domínio português – que, cerca de um século depois, culminariam com a Independência –, motivadas especialmente pela cobrança do chamado quinto do ouro, mineral que aqui foi encontrando em abundância.


Tudo isso, porém, é história, uma história de que nós mineiros muito nos orgulhamos mas que, como História, é passado.


Precisamos nos debruçar sobre o momento presente, encarando as dificuldades com que não apenas Minas, mas o País como um todo, nos deparamos, e, assim, projetar o futuro que queremos.


A celebração que realizamos assume, portanto, um caráter que vai além do simbólico.


Ela mostrou que, apesar dos obstáculos de toda natureza que o Brasil enfrenta – entre as quais se alinham as

acentuadas desigualdades sociais, o desemprego, a violência e a criminalidade, os déficits educacional e habitacional, entre outras mazelas –, temos, na tradição que nos lega a História, uma motivação que está no DNA de todos os mineiros: a superação.


É nesta direção que a ACMinas está pronta, como é de sua própria trajetória de 119 anos, a contribuir, por meio da criação e difusão de conhecimento, da sua mobilização em favor do crescimento econômico e do desenvolvimento social, para a superação dos entraves que teimam em resistir.


Pretendemos, para isso, continuar a realizar eventos focados naquela que engloba todas as nossas principais demandas: a prosperidade, em cuja origem se encontra a atuação dos setores produtivos. E que venham os próximos 300 anos.

*Presidente da ACMinas