top of page

1/2

Presidente da Câmara de BH Gabriel Azevedo recebeu o pres. da ACMinas José Anchieta: união por BH

Presidente da Casa vai encaminhar cinco demandas da ACMinas. Outros projetos e sugestões serão enviados e debatidos em futuros encontros.


Detalhe:

o presidente da Câmara, Gabriel Azevedo disse ao presidente da ACMinas, José Anchieta, que vai assinar a ficha de sócio da ACMinas.





















Reunidos na tarde desta sexta-feira (21/1), os presidentes da Câmara Municipal de Belo Horizonte, Gabriel (sem partido), e da Associação Comercial e Empresarial de Minas Gerais (ACMinas), José Anchieta da Silva, alinharam pautas comuns e combinaram atuais e futuras parcerias voltadas ao desenvolvimento econômico, cultural e turístico da capital.


Como melhoria do ambiente de negócios, valorização do patrimônio histórico, revitalização de espaços e inclusão da cidade na agenda de eventos do país.


Sobre a integração e o trabalho conjunto dos municípios da Região Metropolitana (RMBH), meta de ambas as instituições, foram discutidas melhorias da mobilidade e da conexão direta, especialmente com o Aeroporto Internacional de Confins.


Nesse sentido, os participantes concordam que é necessária uma maior articulação política com gestores e parlamentares das cidades envolvidas, governo do estado e deputados mineiros em Brasília.


Para priorizar as demandas da Região Sudeste como um todo, ampliando o acesso a recursos, foi sugerida a criação da “bancada sudestina”, reunindo os parlamentares de Minas, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo.


Objetivos:

O encontro de Gabriel com membros da ACMinas integra a série de reuniões que vêm sendo realizadas desde o início da gestão da Mesa Diretora (2023/2024) para promover a escuta e a interlocução da Casa com diferentes segmentos da sociedade, buscando de alinhar objetivos e atender demandas que beneficiem o desenvolvimento da cidade e o bem estar da população. 


A entidade apresentou projetos e sugestões de interesse do setor empresarial da capital e do interior do estado, em especial os municípios da RMBH, para incentivar e atrair atividades que beneficiem moradores e atraiam visitantes, aumentando sua projeção nacional e internacional.


Reivindicações:

As pautas e proposições da ACMinas, segundo José Anchieta, são as mesmas da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), com quem Gabriel se reuniu no início da semana.


Várias propostas, visando finalidades comuns, encontraram ressonância nos objetivos e metas da nova gestão do Legislativo.


Dentre elas, Gabriel anunciou o encaminhamento imediato de cinco.


Valorização da história da cidade

As demandas encampadas de imediato pelo presidente da Câmara, que prometeu começar a encaminhá-las já na próxima semana, são:

1) Batizar a atual Avenida do Contorno com o nome do ex-prefeito de BH, governador do estado e presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek, homenageando uma das figuras mais importantes no crescimento e desenvolvimento da Capital.


Gabriel explicou que a medida é viável, desde que se cumpram as regras e os requisitos impostos pela legislação. Em primeiro lugar, como já existe uma avenida com este nome na cidade, será necessário alterar a denominação dela antes de batizar a Contorno.


A mudança do nome de ambas as vias exige a concordância de, pelo menos, metade dos moradores. Para isto, ele sugeriu à entidade, que concordou na hora, a empreender uma campanha de porta em porta para convencê-los, o que também vai dar visibilidade à associação e a suas pretensões em benefício da cidade.


2) Decretar, por lei, o perímetro interno da Avenida do Contorno, desenhada pelos planejadores da nova capital para delimitar a cidade, como Centro Histórico de BH.


Gabriel acatou a ideia e sugeriu ampliar a extensão e o escopo da proteção, demarcando sítios e prédios de interesse histórico, arquitetônico e cultural a serem preservados e divulgados.


Ele se comprometeu a “fazer a ponte” com o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha) e o Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural de Belo Horizonte (CDPCM-BH), do qual é membro, para que as entidades colaborem na elaboração do projeto de lei.


3) O projeto BH Capital dos Ipês, que já está em andamento, também foi abraçado pelo chefe do Legislativo, que mencionou a parceria firmada com a Câmara de Dirigentes Logistas (CDL-BH) para promover o replantio de árvores em espaços deixados vazios por supressões, especialmente na área central, como parte da revitalização da região.


Ele sugeriu que os projetos se integrem para que sejam plantados ipês nesses locais. Tocado pelas comissões de cultura e de turismo da ACMinas, o projeto já plantou 24 espécimes na Praça do Papa e já acordou com a Prefeitura a plantação de uma floresta de ipês na margem da Serra do Curral.


O planejamento inclui ainda o adereçamento das principais entradas de BH com a árvore símbolo da cidade, que, com suas flores, reforçou o título de Cidade Jardim ostentado pela capital mineira até meados do século XX.


4) Projeto Belo Horizonte Metrópole Viva e Inteligente, que prevê a integração e coordenação de ações entre os municípios da Região Metropolitana para o desenvolvimento comum.


Mestrando no tema, Gabriel reforçou a pertinência do fortalecimento das regiões metropolitanas e citou experiências bem sucedidas adotadas em Londres desde o ano 2000, como a criação de uma prefeitura metropolitana para gerir questões conjuntas da capital e outros 34 distritos municipais, a reforma no sistema de transportes que integrou e conectou trens, metrôs e ônibus que circulam na metrópole.


Entre outras pautas do projeto para a RMBH, a ligação direta entre o Centro e o Aeroporto Internacional de Confins e a expansão do metrô estão entre os objetivos do presidente da Câmara.


A criação de um parque na área da Serra do Curral abrangendo BH, Sabará e Nova Lima já vem sendo tratada por ele com os parlamentares desses municípios.


5) Também contará com a colaboração da Casa, desde já, a elaboração de um projeto conjunto para a utilização do prédio que abrigava a sede da ACMinas, no centro da cidade, dentro da área cuja revitalização e atratividade econômica e cultural estão entre os planos de Gabriel e da entidade.


O presidente vai sugerir que seja implantado no local o Centro de Estudos de Belo Horizonte, espaço de pesquisas, discussões e proposições relacionadas à história, patrimônio, cultura e desenvolvimento da cidade.


Encontros anteriores

Antes de receber a ACMinas, Gabriel já se reuniu com o prefeito Fuad Noman, Câmara de Diretores Lojistas (CDL-BH), Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), corpos consulares (representações de outros países), secretária de Cultura, servidores municipais e jornalistas.


Na tarde desta sexta, o presidente almoçou com o ex-vereador Amílcar Martins, que presidiu a Casa em 1993-1994, inaugurando a série de encontros com seus antecessores no cargo, e os presidentes das escolas de samba e dos blocos caricatos de BH para discutir assuntos relacionados ao Carnaval.


Em todas as oportunidades, o presidente da Casa se dispôs a contribuir na construção de soluções legislativas, projetos, parcerias e intermediações para buscar o atendimento de demandas e a promoção de ações em benefício da cidade.


Fonte:

Superintendência de Comunicação Institucional da CMBH


bottom of page