1/2

Projeto Rotas Rodoviárias do Aeroporto Internacional de BH faz um ano reduzindo custos logísticos.


Kleber Meira, CEO da BH Airport:

iniciativa conecta o aeroporto aos terminais de Guarulhos e Viracopos e já reúne 180 clientes usufruindo da solução e mais de R$ 190 milhões em mercadorias transportadas

Prestes a completar um ano desde a sua inauguração, o projeto inédito do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, o Rotas Rodoviárias ou LTL (Less Than Truckload) se mostra um sucesso.


Em destaque, a rota de conexão entre o aeroporto e os terminais de São Paulo, que aumenta a conectividade internacional, uma vez que permite ao importador a utilização da extensa malha aérea de Guarulhos e Viracopos e, posteriormente, receber a carga em Minas Gerais.


Com isso, é possível colher os benefícios fiscais da nacionalização no estado, quando aplicáveis, bem como reduzir os custos aeroportuários por meio das tabelas especiais de armazenagem para carga em conexão aeroporto x aeroporto, e também no transporte através da consolidação de cargas características do modelo LTL.

Para se ter uma ideia, somente de outubro de 2020 até agosto, nesta rota com os terminais paulistas foram transportadas cerca de 380 toneladas de produtos.


Ao todo, já são quase 180 clientes, com mais de R$ 190 milhões em mercadorias transportadas.


“Muitos são os desafios logísticos enfrentados pelos empreendedores para a movimentação de mercadorias, sobretudo internacionais.


Pensando nisso, o aeroporto lançou o projeto em outubro do ano passado com o intuito de conectar as zonas primárias do sudeste brasileiro, como portos e aeroportos, com indústrias, comércios e importadores mineiros.


A partir do Rotas Rodoviárias, conseguimos oferecer uma redução de até 60% no custo do transporte de cargas, o que elevou a competitividade das empresas, com a melhoria contínua da cadeia logística”, avalia Caroline Reis, coordenadora de Novos Negócios da BH Airport.

O Projeto Rotas Rodoviárias conta, atualmente, com seis rotas estratégicas, sendo que três delas já estão em operação.


Duas rotas são de atração de novos clientes e suprem o aeroporto com cargas vindas dos aeroportos de São Paulo (Viracopos e Guarulhos) para serem desembaraçadas no Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional de BH.


A terceira rota tem função de escoamento, ou seja, de entrega de mercadorias para os clientes de Belo Horizonte e Região Metropolitana, considerando um raio de 150 quilômetros do nosso terminal, serviço chamado de door delivery.

A quarta rota atende os clientes das principais cidades de Sul de Minas, como Pouso Alegre, Varginha, Extrema e Santa Rita do Sapucaí.


As demais rotas rodoviárias estão em estudo e, além de fortalecer a região central de Minas Gerais, preveem expandir a iniciativa para o Norte do Estado e também para outros polos industriais interestaduais.

Para Caroline, mais que redução de custos, o empresário também usufrui da eficiência dos serviços prestados.


“Como ele tem essa solução nas mãos, pode se dedicar exclusivamente às atividades de produção, ou seja, ao core business da empresa.


Tendo como base o nosso propósito de conectar pessoas e negócios, assumimos o compromisso de apoiar os pequenos, médios e grandes empresários na movimentação de cargas a custos mais baixos e com qualidade e excelência operacional”, conclui.

Sobre a BH Airport

A BH Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, é uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) formada pelo Grupo CCR, uma das maiores companhias de concessão de infraestrutura da América Latina, e por Zurich Airport, operador do Aeroporto de Zurich, o principal hub aéreo da Suíça e considerado um dos melhores aeroportos do mundo, além da Infraero, estatal com experiência de mais de 40 anos na gestão de aeroportos no Brasil, que tem 49% de participação.