PUC lança nova safra de jornalistas em BH. Entre eles o filósofo Zé Aparecido pres. Abrajet/Minas.


O novo jornalista, o filósofo José Aparecido Ribeiro, formado pela PUC Minas prestou justa homenagem à sua mãe dedicando-lhe o trabalho acadêmico de conclusão do curso.


Disse ele:

dedico este trabalho a minha querida Mãe, Presciliana Flausina Ribeiro, que, aos 83 anos, dedicados ao trabalho e à família, sozinha, criou filhos e três netas e que, em meio à maior pandemia da história moderna, a da Covid-19, enferma, foi solidária comigo privando-se da minha presença para que eu pudesse concluir esta pesquisa acadêmica.

AGRADECIMENTOS

Aos 53 anos e tendo vivido intensamente todas as fases desta caminhada sem data certa de encerramento, resolvi, depois de 20 anos afastado da Academia, desafiar-me na conclusão do terceiro curso superior.


Não foi uma tarefa fácil, embora esteja sendo prazerosa. Sozinhos não vamos a lugar algum, a gratidão sempre fez parte do meu dicionário.


Algumas pessoas merecem destaque neste momento de vitória pela missão cumprida.


Sem elas, a caminhada teria sido mais dura, ou nem mesmo possível.


Começo pela minha namorada Francinalva Santos Costa, incentivadora; meu cunhado Múcio Virgilio Pinto, o socorrista das horas de privação, sobretudo as materiais; minha irmã Luciene de Melo Ribeiro Pinto pelas broncas necessárias e oportunas.


Reconhecimento especial aos amigos jornalistas Márcio Fagundes de Oliveira, um irmão; Walter Freitas, que foi supervisor de estágio na Rádio Favela FM 106,7 e me ensinou o pouco que sei sobre rádio.


Ricardo Carlini, amigo inspirador, o jornalista e editor Benny Cohen pela confiança e oportunidade que me deu no portal Uai.


Ao João Carlos Amaral e ao meu padrinho jornalista Hélio Fraga pela dedicação ao oficio, em especial à cobertura do turismo.


Agradeço à minha orientadora, professora Verônica Soares da Costa, pela disciplina, leveza na condução do trabalho e, sobretudo, paciência com o meu “time”, que não é o mesmo dos colegas de 20 anos.


Eu já estou na banda de lá, desacelerando o meu carro em uma corrida que foi cheia de percalços, e muito prazerosa...


Aos meus colegas de sala que foram parceiros nos trabalhos e nos afazeres acadêmicos.


Devo confessar que a maior dificuldade não foi o conteúdo do curso, mas a convivência com esta nova geração e suas idiossincrasias, um pouco menos solidária do que a minha.


A Secretaria do Curso, especialmente a professora Viviane Maia Mendes Ribeiro, que me resgatou quando eu havia desistido no último dia de matrícula, enviada pela Divina Providência. Um agradecimento especial às professoras Teresinha Maria de Carvalho Cruz Pires, orientadora do TCC I, Sandra Maria de Freitas e Ana Maria Rodrigues de Oliveira, por não me deixarem desistir nas horas de fraqueza e dúvida.


Gostaria de deixar registrado também, o meu reconhecimento às minhas filhas, pois acredito que, sem o apoio delas, mesmo de longe, seria muito difícil vencer esse desafio.


Elas são Dádivas de Deus, pela leveza que encaram a vida e por nunca terem me dado trabalho além daquele que todo pai por natureza deve exercer - concluiu o novo jornalista.


Eu que formei-me na Universidade Federal de Juiz de Fora, em 1978, saúdo o novo colega e amigo. Seja bem-vindo ao meio jornalístico grande Zé Aparecido!!!

🥂🥂🥂