Queda na Taxa Selic. Veja o pensa o presidente da CDL/BH


Taxa Selic

Opinião do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas

de Belo Horizonte (CDL/BH), Marcelo de Souza e Silva


Belo Horizonte, 31 de julho de 2019 – Após 16 meses, o Comitê de Política Monetária do Banco do Central (Copom) decidiu hoje pela queda da taxa de juros.


A inflação sob controle e a aprovação da reforma da Previdência em primeiro turno na Câmara levaram o Banco Central a reduzir os juros.


Aliado a esses fatores, temos a atividade econômica que está bem aquém do esperado.


Essa decisão pela queda dos juros foi tomada para atrair investimentos e alavancar a geração de emprego e renda.


Atualmente um dos principais desafios é fomentar o crescimento de forma sustentável a longo prazo com responsabilidade fiscal e inflação controlada, de forma que o mercado de trabalho se mantenha aquecido e a renda disponível seja suficiente para o desenvolvimento social.


Para os setores de comércio e serviços e toda a cadeia produtiva, é muito importante que os juros, assim como outros indicadores macroeconômicos, permaneçam em patamares mais baixos, criando assim, um ambiente favorável para expansão dos negócios.


Por isso, apesar de estar no menor patamar desde que foi criada, em 1996, a taxa atual da Selic não é a ideal para o segmento.


Para o varejo, a continuidade da queda na taxa de juros é um fator primordial para fomentar o crédito e o consumo, bem como alavancar a atividade econômica.


Esperamos que nas próximas reuniões do Copom, seja considerada uma nova redução dos juros.


Nossa expectativa também é que o novo governo crie um ambiente interno propício para atração de investimentos produtivos para o País, que gerem emprego e renda.


Além disso, é imprescindível que o governo federal avance em sua agenda de reformas que são fundamentais para fomentar o crescimento de forma sustentável a longo prazo do País.