Romeu Zema visita instalações da Casacor, no Palácio das Mangabeiras



Romeu Zema visita instalações da Casacor, no Palácio das Mangabeiras


Antiga residência oficial dos governadores se transformou em mais uma atração cultural para os mineiros


imagem de destaque

ícone de compartilhamento

O governador Romeu Zema visitou, nesta quinta-feira (29/8), as instalações da Casacor Minas Gerais 2019, no Palácio das Mangabeiras – antiga residência oficial dos governadores.


A nova sede da mostra foi definida após o governador assinar convênio de cooperação entre o Estado de Minas Gerais e a Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) para a gestão do Palácio das Mangabeiras, com objetivo de implementar ações que agreguem eficiência na administração do espaço e aproveitamento do imóvel, além da boa gestão dos recursos públicos.


Zema destacou o compromisso de seu governo com os serviços e bens públicos. “Com essa nova destinação do Palácio das Mangabeiras, com certeza esse espaço será totalmente revigorado e, o mais importante de tudo, sem custar nada para os cofres públicos.


A manutenção deste imóvel com a habitação do governador aqui custava alguns milhões por ano, agora é zero e ainda vai servir para o mineiro visitar e ter um momento a mais de lazer e de descontração”, afirmou.


Romeu Zema ressaltou que também é sua missão dar exemplo de responsabilidade com os gastos públicos.


“Essa solenidade vem ao encontro da minha proposta de campanha de não morar no palácio. Sou da opinião que governador é servidor público e tem que morar na casa dele.


Nós temos que, definitivamente, rever a ideia de que governador e alguns cargos públicos têm que ter tratamento como na época da monarquia e da nobreza”, finalizou.


Segundo o secretário de Cultura e Turismo, Marcelo Matte, além da Casacor, o objetivo do governo é ocupar o espaço com demais eventos.


“É mais uma oferta cultural importante para Minas Gerais, de um imóvel que estava completamente degradado, abandonado e esquecido aqui em Belo Horizonte, e que tem uma importância cultural e histórica enorme, inestimável.


Mérito do governador que insistiu fortemente para que nós encontrássemos um destino para esse imóvel, que fosse de oferta pública e abrir mão do seu direito pessoal de seu uso como residência”, disse.


Convênio


O termo assinado no dia 12/6 entre o Governo e a Codemge tem vigência prevista de quatro anos, considerando que a gestão do palácio pela companhia será temporária, até que sejam concluídos estudos acerca da destinação definitiva a ser dada ao local.


O documento prevê a garantia de segurança e vigilância de toda a área do imóvel. Além da administração do espaço, caberá à companhia realizar a gestão, operação e exploração do imóvel, incluindo a manutenção de suas características arquitetônicas e em compatibilidade com a estrutura existente.


“É com muita satisfação que a Codemge celebra um feito inédito, tão histórico e simbólico como o próprio espaço que estamos aqui agora.


Pela primeira vez as portas do Palácio das Mangabeiras abrem-se ao público, deixando novas perspectivas que aliam tradição e vanguarda”, disse o diretor-presidente da Codemge, Dante de Matos.


O imóvel foi desafetado por meio do Decreto 47.667, de junho de 2019.


Com a desafetação, a natureza do bem imóvel foi alterada, deixando de ser um bem de uso exclusivo da Administração Pública e podendo agora ter outros usos, desde que autorizado por esta. Sendo a Codemge uma empresa pública, suas ações são regidas e fundamentadas pela Lei das Estatais (Lei 13.303/16).


A Casacor, primeiro projeto a ocupar o espaço, assumiu uma série de melhorias e recuperações definitivas no imóvel, com valores inestimáveis como a recuperação da piscina e de parte dos jardins assinados por Burle Marx, instalação de elevador e rampas para permitir acesso de cadeirantes, recuperação dos geradores de energia, portas, janelas e das calçadas em pedra portuguesa, reforma completa dos banheiros, além de uma série de outras melhorias que também serão deixadas como legado após a mostra.


Em parceria com a Casacor, a Gasmig está fornecendo toda a estrutura do gás canalizado no local, no bar, restaurante, cozinha funcional e varanda do restaurante.


O gás natural é moderno, a queima é mais limpa, sem fuligem e com menor geração de CO², o que contribui para a melhoria da qualidade do ar, além da conservação de utensílios e equipamentos.


O diretor-presidente da Gasmig, Pedro Magalhães, participou da visita com o governador.


A Casacor, que completa 25 anos em 2019, é reconhecida como a maior mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas. Estará aberta entre os dias 3 de setembro e 13 de outubro.


“Estamos felizes em realizar e comemorar a 25ª edição da Casacor Minas no Palácio das Mangabeiras, um lugar icônico, emocionante para todos nós.


É um lugar especial que tem traços de Oscar Niemeyer, e projeto original dos jardins de Burle Marx.


Temos a grande honra de realizar esse evento aqui, inaugurando o uso cultural deste espaço aberto para a cidade”, afirmou Eduardo Faleiro, diretor de Conteúdo.