top of page

SELO COZINHA DE MINAS é lançado pela Secretaria de Cultura & Turismo de Minas em Tiradentes


O secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, destacou que a iniciativa é uma ação fundamental para fortalecer o turismo cultural em Minas e estimular projetos ligados à economia criativa no Estado.



Além do Selo, foi apresentado o programa Renovar, do município de Tiradentes, e o programa de TV ‘Juntos na Cozinha’, parceria entre Empresa Mineira de Comunicação e TV Diversa

A cidade de Tiradentes foi palco, nesta segunda-feira (21/2), de iniciativas especiais voltadas à valorização da cozinha mineira.


A Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult), por meio do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG) e o Instituto Periférico, apresentaram o Selo da Cozinha Mineira, “marca” do projeto do Inventário da Cozinha Mineira, que visa reconhecer a cozinha mineira como patrimônio cultural de Minas Gerais.

O secretário de Estado de Cultura e Turismo, Leônidas Oliveira, destacou que a iniciativa é uma ação fundamental para fortalecer o turismo cultural em Minas e estimular projetos ligados à economia criativa no estado.


“A Cozinha Mineira está relacionada ao turismo cultural, nessa transversalidade entre os dois segmentos.


Em Minas, 71% do turismo é cultural, e essa é uma característica que nasce aqui em Tiradentes, gênese da nossa liberdade”, disse o secretário.


Leônidae também ressaltou que a criação do Selo leva para todo o território o trabalho da Secult em valorizar a história e tradição de Minas Gerais.


“O Selo Cozinha Mineira é uma importante ferramenta para consolidar as tradições mineiras e nossas políticas públicas, transformar nossa cozinha em um patrimônio cultural de todos os mineiros.


Assim como o afeto nasce numa cozinha, a mineiridade também tem sua origem ali. É um projeto que nos une enquanto forma identitária que nos difere de outros povos, porque temos um sabor, um tempero, uma culinária totalmente diversa, diferente e originária dos biomas da nossa terra.


Mais um passo para a cozinha mineira ser reconhecida como patrimônio histórico do Estado de Minas Gerais”, afirmou.


No mesmo dia, também com apoio da Secult, a Prefeitura Municipal de Tiradentes lançou o Projeto Renovar, que tem como um de seus principais objetivos reposicionar o destino turístico da cidade como polo gastronômico nacional e internacional, com base na reputação da cozinha mineira tradicional e contemporânea instalada no município.


O Sebrae/MG, o Circuito Trilha dos Inconfidentes e a Universidade Federal de São João del-Rei são parceiros da Prefeitura no projeto, que vai desenvolver uma série de estudos sobre o potencial do turismo na região.

“O Renovar, pra gente, tem vários sentidos, mas o principal é aperfeiçoar-se e tornar-se melhor. Tiradentes é um dos principais indutores do turismo no Brasil e em Minas Gerais, mas precisamos nos atualizar e inovar, para não ficarmos parados no tempo, além de renovar nosso compromisso com a cidade, olhar a cidade com zelo e carinho e trazer turismo sustentável e perene e que traga desenvolvimento econômico para o município”, enfatizou o secretário de Turismo de Tiradentes, Christian Silveira.


A íntegra do evento pode ser conferida AQUI.


Juntos na Cozinha

A Empresa Mineira de Comunicação (EMC), por meio da Rede Minas, se une à proposta e coloca mais tempero na programação.


A partir de 26 de fevereiro, às 12h, a emissora exibe o programa de culinária “Juntos na cozinha”.


A atração é produzida pela parceira TV Diversa, de Juiz de Fora, que é transmitida em cerca de 70 cidades da região central, sul, Zona da Mata e Campo das Vertentes, em Minas Gerais, e Barra Mansa e Volta Redonda, no Rio de Janeiro.


O programa foi apresentado pelo presidente da EMC, Sergio Rodrigo Reis, e pelo diretor-geral da TV Diversa, Giovanio Aguiar.

“Juntos na Cozinha” é um programa de culinária que convida os telespectadores a vivenciarem experiências fáceis e descomplicadas no manuseio dos alimentos em suas próprias casas.


A intenção é mostrar que a cozinha é um lugar democrático e que qualquer pessoa pode se aventurar pelo universo da culinária e preparar suas próprias delícias, de maneira simples e saudável.


Apresentado pela chef Raquel Novais, que passou por diversos veículos de comunicação sempre com a colher e as panelas a postos, foi uma das semifinalistas da 3ª edição de amadores do Master Chef Brasil.


Ela tem como foco a alimentação saudável e afetiva e a relação sustentável com os alimentos, privilegiando ingredientes frescos, orgânicos e pequenos produtores.


Marca da Cozinha Mineira vai virar chancela de apoio à promoção e salvaguarda do patrimônio cultural imaterial

Desenvolvida pela Árvore Comunicação, de Belo Horizonte, a identidade visual do projeto Cozinha Mineira será aplicada nas publicações e documentos oficiais, na página eletrônica e nas redes sociais do projeto.


O logotipo será desdobrado em um selo que será utilizado por instituições e estabelecimentos comerciais que se tornarem parceiros do esforço de promoção e salvaguarda da Comida Mineira.


A equipe do projeto pretende licenciar o selo para utilizá-lo em futuras campanhas de divulgação, em peças como fachadas de estabelecimentos, aventais, copos, toalhas, pratos, embalagens de produtos e utensílios, entre outras possibilidades.


“A essência da identidade visual é a ligação do modo de ser do mineiro, do qual a cozinha é parte fundamental, na alegria, na celebração, no acolhimento, na abundância e no orgulho de pertencer a uma comunidade que construiu e ressignifica este patrimônio vivo, que está sempre aberto para novas referências”, destaca Leônidas Oliveira, secretário de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais.


Tiradentes quer se transformar em “cidade da cozinha mineira”

Um dos trunfos do reposicionamento de Tiradentes como polo gastronômico é o pedido, já em análise pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), de concessão do Selo Brasileiro de Indicação Geográfica, na modalidade Indicação de Procedência, para o conjunto de produtos e serviços que compõem a gastronomia do município.


O Selo foi instituído pelo INPI em 2021 para valorizar e destacar produtos e serviços tipicamente brasileiros reconhecidos por sua origem ou procedência.

“No caso de Tiradentes, solicitamos o selo não para um serviço ou produto específico, mas para a gastronomia local, o que é inédito”, explica o secretário municipal de Turismo Christian Silveira. Para subsidiar o pedido, a prefeitura enviou um estudo produzido pela UFSJ que comprova a notoriedade do município como polo gastronômico, um dos requisitos para a concessão do selo.

Além da obtenção do selo do INPI, que vai oficializará Tiradentes como “cidade da cozinha mineira”, o projeto Renovar prevê, ainda para 2022, outras ações de planejamento, gestão e promoção do turismo como a produção do inventário da oferta turística, que contemplará o levantamento dos meios de hospedagem, atrativos turísticos, serviços de alimentação, eventos e manifestações culturais.


A produção de estudo que avaliará as condições de acessibilidade e de mobilidade entre as atrações turísticas; pesquisa de tendências e vocação turística, que auxiliará na elaboração e criação de novos produtos e na formulação de políticas públicas setoriais; e ações de divulgação e revitalização da marca da cidade, de acordo com a nova estratégia de posicionamento.

Patrimônio afetivo dos mineiros “O logotipo da Cozinha Mineira aposta na afetividade e na pluralidade de ingredientes, utensílios, modos de fazer, geografia, costumes culturais e tradições regionais que formam nossa cozinha”, completa Fabrício Santos, diretor de planejamento da Árvore.


As combinações desta mistura produzida ao longo da história e em permanente expansão estão presentes na tipografia utilizada pela marca, inspirada em elementos como as montanhas, a horta e o curral, a indústria, o queijo, o tacho e a panela, além da sempre icônica bandeira mineira.

Outros objetos e alimentos do cotidiano também estão presentes graficamente para dar suporte às diversas possibilidades de aplicação da marca, como o filtro de barro, o ovo e o fogão a lenha.


Alguns objetos que se transformaram em símbolos da cultura gastronômica, como o Ora-pro-nóbis, vão ganhar frases que reforçam, com bom humor, os laços de identidade entre a população e a cozinha mineira.

As cores escolhidas para completar o conjunto gráfico do logotipo remetem às relações culturais presentes no universo da cozinha mineira: o colorido das festas religiosas, das manifestações culturais de Minas, a arquitetura colonial, a exuberância natural e a diversidade gastronômica do estado.

O projeto Inventário da Cozinha Mineira tem o patrocínio da Gerdau, da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), por meio da Lei de Incentivo à Cultura, do Governo Federal, e parceria da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult), firmada por meio de acordo de cooperação entre o Iepha-MG e o Instituto Periférico. Fonte:

Ascom/SETUR

Commenti


bottom of page