top of page

Usiminas inaugura Centro de Memória em Ipatinga. Espaço único no gênero






Sérgio Leite, CEO da Usiminas:

Espaço único no gênero, local é mais um legado histórico, social e cultural da empresa para as comunidades do Vale do Aço, de Minas e do Brasil


Como parte das comemorações de seus 59 anos de operação, a Usiminas entrega hoje (26/10) à população um novo equipamento cultural na cidade de Ipatinga. Instalado no prédio do Grande Hotel, até então fechado à visitação pública, o Centro de Memória Usiminas dá ao público acesso, de maneira interativa e com recursos de tecnologia, à história da indústria do aço, da própria Usiminas e do município.


Além do acervo histórico, o local exibirá, também, importantes obras de alguns dos mais representativos nomes das artes moderna e contemporânea do país. São pinturas e esculturas assinadas, entre outros, por nomes como Amílcar de Castro, Tomie Ohtake e Bruno Giorgi, reunidas pela empresa ao longo de sua história e que antes tinham acesso restrito aos colaboradores.


O Centro de Memória Usiminas abre suas portas em um prédio que é patrimônio arquitetônico da cidade de Ipatinga e com a expectativa de reforçar um conjunto de bens que foram recentemente restaurados pela empresa e entregues à população como a Academia Olguin, a Estação Pedra Mole e a Fazendinha.


Para o presidente da empresa, Sergio Leite, o Centro de Memória será um legado histórico para a memória do Vale do Aço e da indústria no Brasil.


“No momento que a empresa caminha para o seu 60º aniversário de operação, entregamos à população não só de Minas Gerais, mas para o Brasil, um ambiente para experiência e que evidencia a história da nossa indústria”, afirma Leite.


Ainda conforme o presidente da empresa, a proposta é proporcionar aos visitantes do Centro de Memória uma viagem ao passado, a vivência de momentos importantes para a formação da cidade como ela é hoje e um resgate da identidade da região.


“Hoje, ainda temos uma cidade jovem e convivemos com os pioneiros de sua construção.


Mas é importante que tenhamos esse registro sempre em andamento para que esse legado se mantenha para as próximas gerações.


É mais um presente que oferecemos à comunidade, mais uma forma de ampliarmos e incentivarmos o acesso à cultura.”


O historiador e curador do espaço, Rodrigo Vivas, acrescenta que diferentemente de um museu, o Centro de Memória é vivo e tem o conceito de conversar com as pessoas, de abrigar não só objetos, como também, apresentar para a população todo um acervo interativo de conhecimento, memória, cultura e inovação.


“A população vivenciará, de forma prática, toda a essência da Usiminas: dos seus processos produtivos às suas práticas de sustentabilidade e tecnologia, bem como, ter acesso à exclusivas obras de arte.


Além disso, resgatamos a história do Vale do Aço, tivemos várias escutas com a comunidade, que também são atores da construção desses fatos.


Precisamos preservar a nossa história, a nossa memória”, destaca Vivas.


Sobre a Usiminas

A Usiminas é líder no mercado brasileiro de aços planos e um dos maiores complexos siderúrgicos da América Latina.

A companhia conta com unidades industriais e logísticas localizadas em seis estados do país e está presente em toda a cadeia siderúrgica – da extração do minério, passando pela produção de aço até sua transformação em produtos e bens de capital. Possui, hoje, o maior e mais inovador Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em siderurgia da América Latina.


O avanço registrado pela siderúrgica nos últimos anos garante inovação, tecnologia e qualidade em todas as linhas de produção, e permite à empresa oferecer ao mercado um portfólio diversificado, com destaque para produtos e serviços de alto valor agregado.


Por sua gestão ambiental, a Usiminas foi a segunda siderúrgica do mundo certificada com a ISO14001, gerando maior produtividade com menor consumo.


A companhia contribui ainda para o desenvolvimento das comunidades onde atua, por meio do Instituto Usiminas e da Fundação São Francisco Xavier, oferecendo projetos nas áreas de saúde, educação, cultura, esporte e desenvolvimento social. As ações da Usiminas são negociadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque (ADR nível I) e Madri.

Fonte

Diretoria Corporativa de Comunicação e Relações Institucionais

Ana Gabriela Dias Cardoso

Relações com a Mídia Usiminas – LVBA Comunicação

Marcone Andrade

Andréa Guimarães


Interior do Centro de Memória Usiminas

Crédito: Rodrigo Zeferino/Usiminas

Bruno Giorgi. Mulher. Séc. XX.

Bronze/fundição, Alt. 59cm. Larg. 56cm. Prof. 35,5cm


Fernando Pacheco. O Pianista

Commentaires


bottom of page